História Baby Bennett Parker (Bonkai) - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Abigail "Abby" Bennett Wilson, Alaric Saltzman, Bonnie Bennett, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Elena Gilbert, Enzo, Hayley Marshall, Jeremy Gilbert, Josette "Jo" Laughlin-Saltzman, Klaus Mikaelson, Kol Mikaelson, Lucas "Luke" Parker, Malachai "Kai" Parker, Matt Donovan, Olivia "Liv" Parker, Sheila Bennett, Stefan Salvatore, Tyler Lockwood
Tags Bamon, Beremy, Bonenzo, Bonkai, Bonnie Bennett, Delena, Kai Parker
Visualizações 152
Palavras 3.342
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá vocês.... obrigada aos favoritos e os comentários!

Boa Leitura!

Capítulo 10 - A Gemini


Fanfic / Fanfiction Baby Bennett Parker (Bonkai) - Capítulo 10 - A Gemini

Bonnie tinha ligado o rádio do carro, ela ouvia alguma música da Janelle Monaé que tocava em uma das estações, só ligou o rádio para tentar quebrar o silêncio constrangedor que se formou entre ela e Kai desde que saíram da casa da Abby. "Por que Kai está tão tenso?" Ela pensou incomodada sobre aquela pequena ruga que se formou entre as sobrancelhas, era verdade que ele ficava sexy com aquela expressão pensativa, mas não era hora para isso, ele precisava preparar Bonnie para conhecer a família Parker.
        ⁃       E então, o que você pode me falar sobre seus irmãos? Ela perguntou finalmente quebrando o silêncio. Kai pareceu sair do transe, respirou fundo e respondeu Bonnie.
        ⁃       Olívia e Lucas, são gêmeos, estão com 16 anos. A Liv é musicista, e o Luke quer fazer direito, é o herdeiro dos sonhos do meu pai para comandar a Corporação  Gemini.
        ⁃       Você é herdeiro do maior grupo de advogados e auditores do país? Bonnie se deu conta de que nunca tinha ligado o sobrenome Parker a Corporação Gemini.
        ⁃       Sou. Mas nunca tive muito interesse de assumir os negócios da família, grandes empresários, empresas multinacionais e políticos poderosos não são bem a minha carta de clientes dos sonhos.
        ⁃       Seu pai deve ser um homem muito ocupado. Bonnie falou pensando sobre Joshua.
        ⁃       Ele faz parecer que sim. Ele respondeu com a voz amarga.
        ⁃       Você não se dá bem com seu pai por que? Perguntou sem rodeios. Kai suspirou, aquela história era revisitada por ele todos os dias da sua vida, mas ele nunca falara com ninguém sobre aquilo, mas Bonnie merecia saber a verdade, saber com que ela estaria lidando.
        ⁃       Quando eu tinha 12 anos minha mãe engravidou novamente, os gêmeos estavam com 8 anos na época. Acontece que ela teve várias complicações na gestação, e quando chegou no sexto mês o bebê veio a óbito, tentaram de tudo para salvá-lo, mas sem sucesso. Minha mãe passou por uma cesariana e saiu do hospital sem seu filho e sem o útero por causa das tais complicações. Desde o dia em que ela voltou para casa eu vi minha mãe passar mais de um ano definhando, nessa mesma época meu tio Joseph morreu, e isso parece que abalou muito mais minha mãe, Josette nessa época estava na Whitmore, os gêmeos não entendiam muito as coisas que estavam acontecendo, e meu pai se enterrou no trabalho, vivia viajando, e nas raras vezes em que estava em casa era implacável conosco, principalmente comigo, ele me culpava pelo estado da minha mãe, dizia que ela morreria de tristeza por minha culpa, já que eu não fazia nada para anima-la. Teve um dia que eu cheguei da escola e meu pai tinha voltado de uma viagem, ele me deu a maior surra porque Luke apanhou na escola de um garoto e quando Liv foi defendê-lo o garoto quebrou seu violino, além do mais minha mãe não comia a quase dois dias, meu pai disse que eu deveria ter mantido a casa em ordem, eu era o homem da casa e ela estava desmoronando sobre meus cuidados, nesta noite eu entrei no escritório dele e roubei uma garrafa de whisky, foi o meu primeiro porre. Kai sorriu triste com a lembrança.
        ⁃       Mas como você poderia ser culpado de algo assim, você não era mais do que um garoto. Bonnie falou sentindo o peso da história.
        ⁃       A verdadeira culpa na verdade, aconteceu no dia em que minha mãe morreu. Meu pai estava em outra cidade, eu mandei os gêmeos para a escola e fiquei no meu quarto bebendo, eu tinha apanhado de cinta a duas noites atrás, e quando eu enfrentei meu pai ele me bateu no rosto, fiquei com uma marca vermelha gigantesca por dias, então decidi que ninguém me veria daquele jeito. Bebi tanto que acabei dormindo sentado na banheira. Minha mãe tomou uma caixa de remédios nesse dia. Uma das empregadas foi tentar fazê-la comer alguma coisa no fim da tarde e viu que ela estava morta, depois ao tentar me chamar viu que eu estava apagado de whisky. Não me lembro de outras coisas desse dia. Só me lembro do meu pai me jogar em baixo do chuveiro e dizer aos berros que minha mãe estava morta.... Que a culpa era minha.... Me lembro da dor.... Kai fez uma pausa ao sentir a voz embargar. - Depois de alguns anos meu pai e eu estabelecemos nossos limites, ele me deixa em paz desde que eu cumpra suas regras, e eu me mantenho longe de problemas até conseguir meu diploma e receber o que é meu por direito.
        ⁃       Kai, eu sinto muito....Bonnie não tinha palavras para o que tinha acabado de ouvir, sentiu seus olhos arderem pelo calor das lágrimas, queria poder abraçá-lo naquele momento, ela não conseguia imaginar toda a dor e culpa que Kai carregou durante todos esses anos.
        ⁃       Então Bon, não imagine que vamos achar uma família amável como a sua, meu pai me odeia e meus irmãos são marionetes dele. Ainda assim são a única família que eu tenho. Ela falou com a voz melancólica.
        ⁃       Eu entendo. Imagino que vai ser difícil enfrentar ele, mas eu vou estar lá com você. E a Jô disse que está vindo para cá também. Vamos apenas sobreviver mais este dia, ok!? Bonnie falou tocando o braço de Kai que segurava o volante. Eles trocaram um olhar de cumplicidade e gratidão.

Chegaram na casa dos Parker ainda pela manhã. Casa é modo de dizer, era uma mansão parecendo um palacete, Bonnie imaginou no mínimo três andares, um chofer guardou o carro enquanto eles entravam na casa acompanhados de um mordomo que carregou as malas dos dois. Kai tinha avisado os irmãos que eles iriam, Liv lhe contou que seu pai estava em casa naquela semana, e que ele parecia tranquilo, não haveria momento melhor para uma visita, as coisas estavam calmas.
Quando entraram ainda no hall, um barulho animado chamou a atenção, vindo da sala. Kai acompanhou o som das risadas e Bonnie andou junto com ele.
        ⁃       KAI!!!!! Uma voz feminina se fez ouvir, e antes que eles se dessem conta uma garota de uns 18 anos voou no pescoço dele, enlaçando suas pernas em sua cintura. Kai deu um passo para trás para se equilibrar. Bonnie revirou os olhos ao ver a garota enterrar o rosto no pescoço dele, e franziu o cenho quando viu Kai enlaçar os braços na cintura da menina.
        ⁃       Megan. Ele falou dando risada. Todos olhavam animados para Kai e a doida pendurada no pescoço dele, alguns olhares foram lançados para Bonnie com curiosidade.
        ⁃       Meu Deus, você esqueceu o caminho de casa depois que começou a andar com os caipiras de Whitmore? A garota falou descendo do colo dele. Foi quando Bonnie pode dar uma boa olhada na "senhorita xenófoba", ela era incrivelmente linda, corpo magro, cabelos lisos longos, pele branca e ruiva, usava um short curtíssimo e uma frente única de tecido leve, a sandália de salto nos pés a deixava esguia e alta, e o sorriso da garota parecia ter vida própria, o brilho nos olhos verdes, como os da Bonnie, eram ofuscantes enquanto ela admirava Kai.
        ⁃       Vocês deram uma festa sem mim? Kai perguntou dando mais alguns passos e outras pessoas vieram lhe cumprimentar. Deveria ter umas 6 pessoas na sala, eles tinham o visual de jovens que esticaram a ultima festa de sexta-feira à noite até sábado de manhã.
        ⁃       Na verdade a sua chegada é o único motivo de ainda estarmos acordados. Disse uma loirinha que Bonnie deduziu ser Liv, ela localizou o Luke também, eram os únicos loiros. Kai abraçou a irmã carinhoso e apertou a mão de Luke sem muita cerimônia. Bonnie assistia a tudo parada na porta da sala ainda.
        ⁃       E ela é.....!? Megan falou fazendo sinal em direção a Bonnie. A médica se sentia uma extraterrestre naquele momento, todos a olharam, seus visuais descolados fizeram ela se sentir uma mulher de meia idade, ela usava uma calça jeans preta, sapatilha, camisa branca de seda sem mangas, mas a peça chave do seu look de "senhora responsável" era o blazer preto, ele dava a ela o ar de uma médica de 25 anos, e aquela sensação frustou Bonnie, ela se sentiu absolutamente deslocada.
        ⁃       Essa é a Bonnie. Kai falou tirando ela do seu devaneio, ela arrancou o blazer apoiando ele em uma poltrona que tinha ao lado logo na entrada e caminhou em direção a Kai que a esperava com a mão estendida. - É a minha namorada. Ele disse a abraçando por trás e depositando um beijo no seu ombro. Ela sorriu mais pelo toque e declaração dele do que para ser simpática com os seis estranhos que estavam em sua frente. Ainda assim ela notou algumas expressões de surpresa, Megan foi a que mais pareceu impactada com a apresentação. Liv e Luke foram simpáticos com ela, mas logo todos se dispersaram pois vieram direto da balada para dar um oi para o "sumido Kai Parker". Claro que Megan não saiu antes de chamar Kai para sair com eles a noite, ela sequer fez questão de incluir Bonnie no convite, e flertava com ele descaradamente.

        ⁃       Aparentemente sua amiga sentiu mais saudade sua do que seus irmãos, a contar pela recepção calorosa. Bonnie falou enquanto escolhia um vestido para almoçar. Ouviu Kai rir e se virou para ele, estreitou os olhos se perguntando onde estava a graça.
        ⁃       A Megan sempre foi assim, expansiva. Ela é filha de um dos sócios do meu pai, vivia aqui em casa atrás da Liv. Ele respondeu sentindo uma onda de adrenalina no corpo, era impressão dele ou a Bennet estava com ciúmes?
        ⁃       Não parece que ela andava sempre atrás da Liv. Ela falou com um tom de sarcasmo que fez Kai segurar um riso vitorioso, "Sim, ela está com ciúme!" Ele pensou. Uma batida na porta interrompeu a interação dos dois.
        ⁃       Pode entrar. Kai falou observando.
        ⁃       Oi filho. Disse Joshua entrando no quarto, ele ficou surpreso de ver o pai ali. - Me disseram que você chegou e que veio acompanhado, perdoem mas eu quis conhecer a já famosa Bonnie. Joshua falou andando para perto dela, Bonnie sentiu a timidez corar suas bochechas, ela sorriu simpática para Joshua que se adiantou e lhe plantou um beijo cordial na bochecha.
        ⁃       Famosa? Bonnie falou levando a mão ao rosto. Joshua sorriu e andou em direção a Kai dando um abraço no filho que parecia meio desconfiado. - Luke falou alguma coisa sobre um par de olhos verdes de tirarem o fôlego. Ele falou rindo, Kai franziu o cenho ao ouvir aquilo.
        ⁃       Pai, aproveitando que estamos só nós aqui, poderíamos conversar? Ele falou mudando de assunto. Ele queria privacidade, mas fez Bonnie estremecer no lugar com a surpresa. Joshua se posicionou frente ao filho e se dispôs a ouvir o que Kai tinha para dizer.
        ⁃       Bonnie e eu estamos juntos a um tempo, e ela está grávida. Nós não planejamos nada, mas estamos felizes, e quisemos dar a notícia para vocês pessoalmente. Kai encarava os mesmos olhos azuis acinzentados, costumeiramente duros e implacáveis, viu o rosto de seu pai se franzir em um sorriso e achou que estava alucinando. De todas as reações possíveis que ele imaginou, um sorriso era a última delas.
        ⁃       Você vai ser pai?! Joshua falou com a voz emocionada, e antes que Kai pudesse dizer algo ele abraçou o filho. Depois andou em direção a Bonnie e a abraçou também. Os dois pareciam surpresos com a reação dele, mas apenas Kai ficou desconfiado.
Pouco antes do almoço Josette chegou e praguejou que Kai não a esperou para dar a notícia, ela ficou absolutamente desconfiada com a aceitação tão tranquila que Joshua teve da notícia. Ele costumava ser tão arcaico e paranóico que Jô achou que Kai e Bonnie estavam brincando com ela, mas ela quase caiu da cadeira com a estória de que eles fingiram ser um casal para todos os familiares.


Joshua Parker era o CEO da Corporação Gemini, herdou o cargo de seu pai, ele era o único filho vivo, seu irmão gêmeo Joseph havia morrido a alguns anos.  O controle da empresa deveria ser passado a sua filha mais velha, mas Josette estudou medicina e não tinha interesse para tal trabalho. Dando sequência na linhagem, Kai era o herdeiro e provável sucessor, ainda mais quando ele escolheu a faculdade de direito, os sócios e diretores ficaram animados que a família Parker manteria o nome e a participação ativa na empresa. Um segredo obscuro rondava a relação de Joshua com Kai, e recentemente ouve uma reviravolta nesta misteriosa história, o que poderia explicar em parte a súbita mudança de comportamento de Joshua, o filho que outrora ele negligenciou e ameaçou  hoje levava tapinhas nas costas e felicitações.


Almoçaram todos juntos e para surpresa de Bonnie a família de Kai era bem normal, todos pareceram muito surpresos com a notícia da gravidez, mas ninguém pareceu reagir mal, fizeram piadas sobre Kai não fazer ideia de como se alimenta ou higieniza um bebê, foi um momento muito agradável e divertido, mas Bonnie percebeu que Kai ainda parecia tenso e desconfortável com tudo.
        ⁃       Eu lamento ter que voltar para o escritório, alguns clientes de fuso horário diferente já estão vivendo a segunda-feira, mas espero que vocês aproveitem o restante do dia juntos. Joshua falou para os filhos.
        ⁃       Ah sim, poderíamos ir para a piscina, faz tanto tempo que eu não tiro folga, quero ficar o resto do dia de bobeira. Jô falou animada logo contagiando os outros que gostaram da ideia.
        ⁃       Kai posso falar com você um instante? O pai pediu e eles andaram juntos até à biblioteca. Os outros se levantaram e foram se trocar para irem à piscina.
        ⁃       Filho, eu sei que pode parecer algo frio de se dizer nesse momento de alegria, mas nós temos uma posição de muito prestígio, e além do mais o conselho da Gemini vai exigir algumas providências. Joshua falou servindo duas doses de whisky entregando o copo para Kai que aceitou e se sentou na cadeira em frente ao pai.
        ⁃       Bem, em primeiro lugar, como você e Bonnie ainda não são casados, vamos precisar que você faça um exame de paternidade. Joshua falou sério. Kai quase se engasgou... Na verdade ele se engasgou e precisou tossir umas três vezes para conseguir sincronizar sua respiração novamente.
        ⁃       Eu sei que o filho é meu. Tenho certeza disso pai, além do mais isso vai ofender a Bonnie. Ele falou preocupado.
        ⁃       Ela vai ter que entender Kai. Você é um dos maiores herdeiros do país, nosso nome, nossa corporação e seus membros podem ser vistos como alvos para golpes. Joshua tratava o assunto como a discussão de um contrato.
        ⁃       E assim que vocês casarem ela vai esquecer que esse exame foi solicitado. Eu particularmente preferiria que vocês se casassem antes do bebê nascer, mas não quero interferir tão profundamente assim. Kai engasgou pela segunda vez e resolveu largar o copo com whisky antes que morresse de tanto tossir.
        ⁃       Casar????? Pai, francamente, em que século você está? Joshua o olhou com curiosidade.
        ⁃       O casal apaixonado que eu acabei de ver na mesa, que está esperando seu primeiro filho não faz planos para ficarem juntos? Ele perguntou com a voz divertida.
        ⁃       C...claro que fazemos planos...mas na verdade a gente só está pensando no bebê agora, queremos deixar as coisas como estão. Ele falou sentindo as mãos começarem a suar. Joshua tinha esse efeito sobre ele, Kai passava de articulado e comunicador para um menino tímido que não sabia qual era a melhor resposta para um pai sempre insatisfeito.
        ⁃       Bem, eu já te vi com pelo menos uma dúzia de garotas diferentes, nenhuma delas tinha o efeito que Bonnie tem sobre você. Espero que você não a deixe escapar ou não sabote a chance de ter uma mulher madura e bem resolvida como ela ao seu lado.  Kai sentia o coração esmurrar o peito, era tão visível sua total e completa queda por Bonnie Bennett. Até mesmo Joshua que nunca foi um pai muito observador já havia reparado que ele estava de quatro pela médica, e se ele percebeu isso,  deve ter percebido que o sentimento não era correspondido.
        ⁃       Me explica como você quer que eu faça um teste de paternidade antes do bebê nascer e me case em seguida? Kai falou tentando dissuadir o pai daquela ideia absurda.
        ⁃       Os exames de paternidade são muito mais seguros agora para fazer em fetos, pode perguntar a sua irmã e a própria Bonnie. Eu sei disso, porque precisamos pedir sempre para os herdeiros do conselho e os acionistas majoritários. É uma questão de segurança filho.
        ⁃       Pai... Kai hesitava. - Isso é loucura. Ele falou se levantando, passou a mão pelo cabelo tentando encontrar uma forma daquilo parecer menos bizarro. Ele e Bonnie tinham um acordo em que eles sequer transariam, quem diria casar.
        ⁃       Filho, nós queremos que seu herdeiro nasça como um Parker, dentro de uma família estruturada. Case-se com a Bonnie, tenham os filhos de vocês, criem como quiserem, mas algumas coisas continuam imutáveis para os Gemini, você sabe que a empresa tem um código moral e ético rígido e que ninguém abre mão, muitos creditam nosso sucesso e longevidade a esse código de conduta, e os Parker precisam dar o exemplo de cima.
Kai tinha certeza que se seu pai estava irredutível, os membros do conselho seriam o dobro.
        ⁃       Ok. Eu vou falar com a Bonnie. Mas ela não é como essas alpinistas sociais que esperam os pedidos de casamento de herdeiros famosos ansiosamente. Ela não liga pra isso ou pra convenção que o vovô criou na Gemini. Kai suspirou. - Não posso prometer nada. Ele falou olhando o pai.
        ⁃       Tudo bem Kai. Eu vou voltar antes do anoitecer e você me dá uma resposta. Se não, vamos ter que tomar algumas outras providências, e eu não quero intervir na sua boa convivência com a Bonnie.
Kai sabia o que aquilo queria dizer, eles pediriam teste judicialmente e se fosse comprovado a paternidade eles pediriam a guarda da criança. Era assim que funcionava com os Parker, nenhum deles ficava para trás.


Kai foi para o quarto, ele não fazia ideia de como conversar aquilo com Bonnie, praguejou em voz baixa enquanto abria a porta.
        ⁃       Ah, finalmente! Bonnie falou olhando para ele. - Amarra para mim? Ela pediu dando as costas para ele. Kai prendeu a respiração ao ver a cena, Bonnie usava um biquíni verde musgo, a parte de baixo tinha recortes que deixavam a mostra um pouco mais de pele, e a parte de cima delineava lindamente o contorno dos seios dela, Bonnie segurava os cordões do biquíni esperando que Kai amarrasse.
        ⁃       O que seu pai queria? Ela perguntou enquanto sentia as mãos quentes dele tocarem levemente suas costas lhe causando um arrepio que ela se forçou a ignorar.
        ⁃       Algumas chatices da empresa, mais depois eu te conto. Ele falou terminando a tarefa de amarrar o biquíni. Ele se segurou para não tocar novamente seu corpo, nem abraçá-la por trás como desejava fazer.
        ⁃       Se troca então para descermos. Bonnie falou amarrando o cabelo em um rabo de cavalo frouxo. Kai vestiu uma sunga preta e respirou fundo trinta vezes tentado controlar a ereção que crescia só de pensar na Bonnie de biquíni. Ele não sabia quanto tempo mais aguentaria sem transar com ela, cada gesto daquela mulher parecia um convite para a luxuria, ele chegou a sonhar um dia que encurralava Bonnie em uma parede e a beijava mesmo contra sua vontade, ele sabia que jamais faria aquilo, mas a ideia parecia cada vez menos absurda.
"Bonnie Bennett não é mais uma vontade, é uma necessidade" ele pensou enquanto assistia a sua deusa de ébano descer as escadas a sua frente.


Notas Finais


Essa Megan vai dar trabalho, sim ou com certeza? hehe

Se você leu até aqui, deixa um comentário para me animar? :)
Não custa nada tentar né... hahaha

Até mais.... :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...