História Baby Bennett Parker (Bonkai) - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Abigail "Abby" Bennett Wilson, Alaric Saltzman, Bonnie Bennett, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Elena Gilbert, Enzo, Hayley Marshall, Jeremy Gilbert, Josette "Jo" Laughlin-Saltzman, Klaus Mikaelson, Kol Mikaelson, Lucas "Luke" Parker, Malachai "Kai" Parker, Matt Donovan, Olivia "Liv" Parker, Sheila Bennett, Stefan Salvatore, Tyler Lockwood
Tags Bamon, Beremy, Bonenzo, Bonkai, Bonnie Bennett, Delena, Kai Parker
Visualizações 166
Palavras 4.173
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá vocês!

Gente, daqui alguns capítulos eu vou escrever qual sera o sexo do bebê, e adoraria a participação de vocês nessa parte, então digam o que preferem, menino ou menina, e sugestões de nomes!

Boa Leitura!

Capítulo 11 - A Piscina


Fanfic / Fanfiction Baby Bennett Parker (Bonkai) - Capítulo 11 - A Piscina

Chegaram na piscina e os gêmeos já estavam lá, mais alguém também estava, Megan. Bonnie franziu o nariz quando viu a garota em um maiô que mais mostrava do que cobria o corpo. Ela abriu um sorriso exagerado quando viu Kai. 
Jô logo se juntou a eles, a tarde estava ensolarada e agradável. 
        ⁃       Você está grávida e está com esse corpo divino. Em que mundo isso é justo? Jô falou sobre Bonnie e arrancou risadas dos outros. Kai não pode deixar de olhar Bonnie dos pés à cabeça, ela era definitivamente uma deusa, cada curva sexy e torneada, a cor da pele reluzia sob a luz do sol, Kai sentia o coração afundar no peito de tanto desejo por aquela mulher,  Megan fez cara de desdém, ela quase arrancou os cabelos a minutos atrás quando Liv contou para ela que Kai seria pai, e aí a garota se convidou para passar a tarde com eles. 
Quando Bonnie se levantou para entrar na água Kai foi junto. 
        ⁃       Dá a mão. Ele falou vendo ela chegar perto da água. 
        ⁃       Pra que Kai? Ela perguntou confusa. 
        ⁃       Você não vai mergulhar, senta na beira da piscina e entra, dá a mão pra não escorregar. Ele falou do lado dela. Bonnie revirou os olhos e quase desistiu, mas achou fofa a precaução dele, então obedeceu. Assim que ela se sentou na beirada ele pulou na água, se posicionou na frente dela entre suas pernas. 
        ⁃       Vem! Ele falou a segurando com as duas mãos sua cintura. Bonnie sentiu que estava protegida, e uma corrente elétrica percorrer seu corpo, o toque da água gelada em sua pele quente e as mãos firmes de Kai quase a fizeram soltar um gemido. Ela hesitou, mas se deixou guiar, Kai a levantou pelo quadril e a puxou para dentro da água, o choque térmico fez Bonnie soltar um gritinho entre dentes, os corpos dos dois estavam colados e Kai ainda a segurava pela cintura, os olhos verdes de Bonnie se perdiam naquela tempestade que parecia o olhar dele, sentiu Kai puxa-lá para mais perto, e mesmo sabendo que não deveria ela permitiu o toque. 
        ⁃       Eu quero muito te beijar agora. Ele falou baixo para que só ela ouvisse. 
        ⁃       Você não me ouviu dizer que não, ouviu? Ela respondeu tão envolvida quanto ele. Essa foi a deixa, Kai colou os lábios aos dela, suavemente como quem quer guardar na memória cada segundo, inclinou a cabeça e sentiu Bonnie abrir a boca ansiosa por sentir sua língua, mas ele não se moveu, queria prolongar o máximo possível aquela sensação de tel-lá tão perto e tão disponível. Bonnie gemeu enquanto aguardava a língua dele preencher sua boca, mas Kai não se movia, a excitação causando nela um frio no estômago, decidida a não esperar mais Bonnie cravou as mãos nos cabelos dele puxando para perto, e enterrou sua língua na boca dele, Kai não pode resistir aquela iniciativa e correspondeu o beijo, a maciez da boca de Bonnie era inebriante, suas línguas se acariciavam com familiaridade, às vezes exploravam o contorno dos lábios, às vezes exploravam outros cantos da boca, mas seus lábios não se separaram por muito tempo. Os corpos colados e seminus transmitiam a tal corrente elétrica, Bonnie sentia Kai ficar duro e a apertar contra seu pau, ela quis poder afastar as pernas ali mesmo para recebê-lo, mas um fio de sanidade ainda lhe restará.  Ambos os corações disparados diziam a eles que aquilo não era só tensão sexual, Kai já havia entendido, ele estava perdidamente apaixonado por Bonnie, mas ela não queria aceitar a ideia de que aquela torrente de emoções e sensações eram fruto de um sentimento tão profundo.  Bonnie sentiu quando Kai fez pressão para ela mergulhar e se deixou levar, os dois afundaram na água até o pescoço, e o contato da água gelada no seu corpo ainda mais quente fez ela gemer entre o beijo, Kai tinha a impressão que se penetrasse Bonnie naquele momento ele gozaria em questão de segundos, o quanto Bonnie mexia com sua cabeça e seu corpo era surreal. 
        ⁃       Hey casal, desse jeito vocês vão esquentar a água. Luke falou fazendo todo mundo rir. Os dois separaram o beijo para tristeza e confusão de ambos. 
Eles deram um sorriso amarelo para o grupo e Kai ajudou Bonnie a sair, ele mergulhou assim que ela se afastou, tentou usar a água gelada da piscina para desligar seu corpo excitado, ele ouviu três pessoas mergulharem e quando viu Liv, Luke e Megan estavam se preparando para a tradicional luta de macarrão. 
Antes que Kai pudesse dizer algo Megan já estava subindo nos seus ombros, assim como Liv subia nos de Luke. Ele olhou rapidamente para Bonnie que fingiu não prestar atenção. As duas meninas animadas começaram a duelar com os flutuadores, os gritos e risadas eram contagiantes. 
Bonnie pegou uma das revistar de Jô e ficou assistindo de soslaio: Megan com a cabeça de Kai no meio de suas pernas, ela tocava os cabelos dele e o provocava tampando seus olhos às vezes, Kai segurava a menina pelas cochas, suas mãos grandes e fortes quase cobriam as pernas magras da garota. O que mais estava irritando a médica era ouvir Megan dar gritinhos com o nome de Kai. Ela parecia uma atriz de filme pornô ruim, que gemia no mesmo ritmo com aquela voz melosa. Bonnie resmungou um xingamento em meio a um suspiro. 
        ⁃       Que beijaço foi aquele? Jô perguntou bebendo um drink amarelo. Bonnie se virou para ela e se serviu de água de coco. 
        ⁃       Essa menina é uma oferecida. Ela falou completamente distraída. 
        ⁃       Me conta a verdade Bonnie, vocês estão se pegando, não estão? Jô insistiu. 
        ⁃       Claro que não, isso tudo é encenação. Bonnie respondeu em meio à sua irritação. 
        ⁃       Então por que motivo você está com ciúmes do Kai? Jô sabia que estava rolando alguma coisa entre eles. 
        ⁃       Não estou com ciúme, só acho que essa garota não se enxerga. A cena dos dois na piscina estava irritando Bonnie ainda mais, em pensar que ele tinha acabado de beijar ela daquele modo, agora estava se esfregando naquela patricinha ruiva. Bonnie bebeu mais alguns goles de água de coco tentando em vão se acalmar. Liv derrubou Megan dos ombros de Kai e quando a garota caiu puxou ele junto, eles mergulharam e quando emergiram a ruiva estava pendurada no pescoço dele, os dois riam com tanta intimidade que Bonnie sentiu vontade de gritar só pra extravasar a raiva que aumentava assistindo os dois brincarem na água, os corpos e as mãos deles sempre se tocavam quando Megan tentava afundar a cabeça dele na água ou ele tentava arremessar ela para longe. Os hormônios da gravidez e mais alguma coisa que Bonnie não admitia sentir estavam deixando ela roxa de raiva, e antes que todos percebessem sua cara feia ela se levantou. 
        ⁃       Onde você vai? Jô perguntou preocupada vendo a amiga colocar um vestidinho. 
        ⁃       Vou subir, acho que to meio enjoada. Bonnie falou tentando disfarçar. 
        ⁃       Quer que eu vá com você? 
        ⁃       Não, eu estou bem, vou só me deitar um pouco. Bonnie olhou para trás e se arrependeu. Kai não só não percebeu que ela estava saindo da piscina como continuava se agarrando com a Megan que gritava feito uma maritaca no cio. 
Ela subiu as escadas bufando de raiva, não queria admitir que era ciúmes de jeito algum, pensou em se deitar e tentar dormir um pouco, então tomou uma chuveirada e vestiu uma saia e um croped. Estava passando hidratante nas pernas quando ouviu batidas na porta. 
        ⁃       Pode entrar. Respondeu. 
        ⁃       Com licença, eu vim ver se você precisa de alguma coisa. Lucas falou entrando no quarto. 
        ⁃       Obrigada Luke, mas eu estou bem. Ela respondeu simpática mas frustrada, achou que Kai tinha vindo atrás dela. - Onde está o Kai? Ela perguntou tensa. 
        ⁃       Ele foi levar a Megan em casa, ela escorregou e virou o pé. Bonnie engoliu seco aquela informação. - Mas se você precisar de alguma coisa pode me chamar. Luke falou simpático. 
        ⁃       Obrigada. Acho que vou aproveitar pra descansar um pouco. 
Assim que Luke saiu do quarto Bonnie desfez o sorriso e emburrou a cara com raiva de Kai. Ela se deitou e nem percebeu que pegou no sono, quando acordou o sol já estava baixo, quase se pondo. Não viu nenhum sinal de Kai então resolveu procurar alguém. Quando chegou na cozinha viu Jô e Liv sentadas conversando e se juntou a elas. 
        ⁃       O Kai ainda não voltou? Jô perguntou franzindo o cenho. Bonnie fez que não com a cabeça e percebeu Liv desviar o olhar. 
        ⁃       Será que sua amiga precisou ir no medico? Ela perguntou tentando arrancar alguma coisa da cunhada. 
        ⁃       Ah... E-eu acho que não. Liv gaguejou sem graça. 
        ⁃       Olívia, a Megan é muito saidinha né. Você devia ter ido junto com eles. Jô advertiu a irmã que ficou vermelha e tensa. Bonnie pressentiu que Liv sabia de alguma coisa, provavelmente a melhor amiga contou para ela o que estava acontecendo. 
        ⁃       Eu vou ligar pra ele, tínhamos combinado de pegar a estrada hoje ainda. Bonnie falou discando o número de Kai. A ligação chamou até cair na caixa postal. 
Bonnie estava ainda mais brava, Kai não atendeu e nem ligou de volta, a noite já tinha caído, e ela não sabia se ficava com raiva ou preocupada, Joshua já havia voltado do escritório e também tentou ligar para Kai que passou a tarde toda sem dar notícias a ninguém, Jô tentava fazer Bonnie relaxar por causa do bebê, sem muito sucesso. Já passava da meia-noite e nenhum deles tinha ido dormir, Jô e Joshua tentaram distrair Bonnie com algumas fotos de família, mas ela estava muito incomodada com aquela situação, Kai estava colocando o disfarce de "casal feliz" deles em risco, e pior, estava jogando fora a boa reação do seu pai, Joshua tentava não demonstrar mas estava cada vez mais irritado com a irresponsabilidade do filho. 
Lá pelas duas horas da manhã um segurança avisou que um carro trazendo Kai estava entrando na mansão. Bonnie se levantou rápido e andou aflita até a porta, todos foram junto com ela, eles viram um carro com umas cinco pessoas fazer o contorno do jardim, a música alta e as risadas eram incompatíveis com o silêncio daquela madrugada. Bonnie estava com o coração acelerado, achou que alguém trazia Kai por ele ter tido algum problema, mas quando viu o falso namorado descer do carro completamente babado ela o encarou esperando que Kai a olhasse de volta. Viu seu olhar turvo e avermelhado, típico efeito da maconha, e o cheiro de vodka podia ser sentido a alguns metros de distância. Kai perdeu o sorriso bobo que tinha no rosto ao ver Bonnie completamente raivosa, pra piorar, Megan, a garota que deveria estar com o pé machucado estava no carro, com os mesmo olhos vermelhos, e um sorriso dissimulado no rosto. Bonnie virou as costas e subiu as escadas, ouviu Kai chamar seu nome atrás dela mas não deu importância. 
        ⁃       Malachai, você é mesmo inacreditável. Joshua falou completamente irado com o estado do filho. 
        ⁃       Pai não adianta falar com ele agora, não nesse estado. Jô interviu assistindo a cena patética do irmão tentando subir as escadas atrás de Bonnie 
        ⁃       Luke, ajuda ele. Jô ordenou. - Liv, depois a gente vai conversar sobre sua amiga, agora vai dormir. Ela falou com a irmã mais nova. E saiu arrastando o pai pelo braço. 
Depois de por ordem na casa Jô foi se deitar, a casa ampla e com paredes grossas não deixou que ninguém ouvisse a discussão que ocorria em um dos cômodos, mesmo que Bonnie tentasse controlar o tom de voz. 


        ⁃       Bon.... V-você devia estar dormindo já. Kai falou entrando no quarto, a médica estava de costas, em pé perto da janela. 
        ⁃       É isso que você tem para me falar? Ela riu debochada. 
        ⁃       Não..... É...Eu levei a Meg e encontrei uns amigos, aí a gente saiu pra beber e trocar ideia. Desculpa não ter avisado. 
        ⁃       Eu te liguei três vezes Kai. E se eu estivesse precisando de você? Ela falou cuspindo as palavras. 
        ⁃       Desculpa tá. Não tem nada de mais eu beber com meus amigos. Ele falou sentado na cama e tirando o tênis. 
        ⁃       Sair pra beber e usar drogas com uma garota que passou o dia todo dando em cima de você? Ela falou sentindo a raiva queimar sua garganta. Bonnie arregalou os olhos quando viu Kai olhar sem graça para o chão. - Vocês ficaram juntos, não foi? Ela falou convicta. Inacreditável!!! Agora seus olhos também ardiam, ela não conseguia aceitar que Kai tivesse ficado com aquela oferecida, ainda mais depois do beijo que eles deram na piscina. "Será que não significou nada para ele?" Ela pensou enquanto esperava ele responder. 
        ⁃       Eu já me arrependi tá. Eu estava frustrado com você e acabei me deixando levar. Bonnie não acreditava no que estava ouvindo. 
        ⁃       Você é absurdo Malachai!!! Ela quase gritou. - E ainda coloca a culpa em mim. Falou louca de raiva. 
        ⁃       Você fica me afastando, mas me beija que nem fez hoje e depois me rejeita de novo. Eu transei com a Meg pra tentar não enlouquecer. Ele falou com a voz trêmula. Bonnie estava congelada, ela não conseguia esboçar reação sobre aquilo, tinha vontade de esbofetear Kai, ao mesmo tempo não podia cobrar nada dele, eles não eram NADA um do outro. Sentiu seus olhos se inundarem e uma dor aguda se instalar em seu peito.  
        ⁃       Ela é amiga da sua irmã..... Bonnie tentou dizer secando uma lágrima que escorreu, sua voz já estava completamente embargada. 
        ⁃       Me desculpa Bon. Eu não pensei direito. Ele falou andando para perto dela. 
        ⁃       Não encosta em mim. Bonnie falou recuando. Kai sentiu a dor da rejeição novamente, e dessa vez ele sabia que merecia. 
        ⁃       Me perdoa Bon. Eu juro que não vou fazer isso de novo.... Ele tentou falar mas Bonnie o interrompeu andando para o outro lado do quarto. 
        ⁃       Você me entendeu mal Kai, você pode transar com quem você quiser, não é da minha conta. Eu só estou irritada porque fiquei aqui com a sua família preocupada fingindo me importar com você. Ela falou com a voz fria e dura. Bonnie saiu do quarto e andou pelo corredor escuro, achou o quarto que queria e bateu na  porta. 
        ⁃       Entra. A voz de dentro do quarto respondeu. 
        ⁃       Desculpa, será que eu posso ficar aqui? Ela perguntou chorando. 
        ⁃       Claro Bon. Jô respondeu se levantando e indo até a amiga. Ela abraçou Bonnie que chorou mais um pouco. Elas se deitaram e conversaram um pouco sobre o que Kai tinha dito, depois Jô tentou acalmar a amiga mas ele começou a ligar no celular da Bonnie, ele não sabia onde ela tinha ido àquela hora, Jô pegou o celular da mão dela e atendeu. 
        ⁃       Kai, é a Jô. A Bonnie está comigo, ela vai dormir aqui. Vê se vai dormir também e amanhã vocês conversam. Ela disse desligando. Kai era um babaca, e custava muito para Josette admitir isso, mas seu irmão sempre fazia escolhas ruins, mesmo agora quando parecia que o universo conspirava ao seu favor lhe apresentando a Bonnie, ele dava um jeito de se sabotar. Kai deitou para dormir com as palavras de Bonnie girando em sua cabeça: "você pode transar com quem você quiser, não é da minha conta. Eu só estou irritada porque fiquei aqui com a sua família fingindo me importar com você". Ele sentiu um nó na garganta em pensar que sua Bonbon não ligava para nada daquilo, em poucos minutos ele pegou no sono, embalado pela brisa da maconha e as doses de vodka. 


        ⁃       Malachai, acorda. Ele foi puxado para fora de um sonho pelo empurrão forte em seu ombro. 
        ⁃       Bon.... Ele resmungou tentando  abrir os olhos. 
        ⁃       Acorda seu idiota. Sou eu. Kai abriu os olhos e focou na mulher branca de cabelos pretos e olhos azuis que lhe encarava ferozmente. 
        ⁃       Jô... Cadê a Bon? Ele falou sentindo a dor excruciante na cabeça, provavelmente efeito da vodka e da consciência pesada também. 
        ⁃       Ela não quer te ver. A irmã falou mexendo em alguma coisa que fazia barulho de mais para que ele suportasse. - Porra Kai, porque você transou com aquela garota? Jô estava enfurecida, além de Kai ter magoado Bonnie ele tinha provocado o pai, Joshua já falava sobre ele repensar em ter um filho agora, não tinha maturidade para isso. 
        ⁃       Jô, eu preciso explicar pra Bon.... Ele tentou falar, mas a irmã lhe interrompeu, o barulho irritante que ela fazia era de uma mistura de remédios que ela preparou para melhorar a dor de cabeça e o enjoo dele, um famoso "cura ressaca". Jô colocou o copo na cara dele sem deixar ele falar. 
        ⁃       Explicar o que? Que você está tão apaixonado por ela que precisou se aliviar com qualquer uma? Jô perguntou com ironia. - Olha, eu entendo que se apaixonar pela primeira vez é enlouquecedor, da medo, assusta, mas você não pode pensar só na paixão Kai, tem muitas outras coisas em jogo, a Bonnie passou a noite em claro, tive que dar um remédio pra ela se acalmar poxa, no estado dela Kai!? Jô falava com o tom mais ameno, tentando apelar para o bom senso do irmão, que às vezes parecia ser inexistente. Kai virou o copo com a mistura na boca e engoliu de uma vez. 
        ⁃       Eu to arrependido Jô, eu juro. É que eu sei que tem algo entre mim e a Bonnie e ela insiste em me afastar, isso tá me machucando de um jeito que eu nunca imaginei que seria possível, ainda por cima tem o bebê, e eu tenho medo de ser como o papai foi, e quanto mais a Bonnie me rejeita, mas assombrado com isso eu fico. Ele falou triste e Jô se compadeceu do sentimento do irmão. 
        ⁃       Olha, você precisa falar com a Bonnie e depois com o papai, ele está louco de raiva, depois a gente vai embora e tenta resolver como as coisas vão ficar. Jô aconselhou imaginando se seria possível os dois se acertarem. 

Kai bateu na porta e entrou, sabia que Bonnie não o convidaria para entrar. 
        ⁃       Bon... Deixa eu te explicar.... Bonnie estava sentada na poltrona de leitura do quarto da Josette, ela olhou Kai e fez sinal para ele parar de falar. 
        ⁃       Kai, eu não quero nenhuma explicação. Só me diz o que vamos falar pro seu pai e então voltamos pra Whitmore, ok. Ela falou fria e distante. Kai sentiu o corpo inteiro se retesar, era como se Bonnie tivesse lhe dado uma bofetada, aquele olhar duro e a indiferença na voz doeu, física e emocionalmente. 
        ⁃       Ok.... Ele falou com a voz baixa. Eu vou dizer pro meu pai que nós brigamos mas que vou dar um jeito de fazer as pazes. Bonnie soltou uma risada de escárnio e Kai se encolheu sentindo vergonha. 
        ⁃       Que seja. Ela disse finalmente. 
        ⁃       Bon, deixa eu contar o que houve ontem? Ele pediu pela terceira vez, sabia que independente das armações de Megan ele tinha culpa, mas não queria que ela pensasse que ele tomou a iniciativa. 
        ⁃       Já disse que não quero saber. Ela falou se levantando, Bonnie sentiu uma tontura forte e voltou a se sentar. A noite mal dormida e a falta de apetite naquela manhã a deixou fraca. Kai correu para perto dela, e quando olhou em seus olhos viu uma centelha de tristeza, se sentiu culpado por estar fazendo mal a ela. 
        ⁃       Você comeu alguma coisa hoje? Perguntou pegando um copo de água para ela. 
        ⁃       Não consegui, hoje os enjoos estão mais fortes. Ela falou respirando fundo. 
        ⁃       Me perdoa Bon? Ele pediu com um fio de voz. Kai não traiu Bonnie como um casal convencional, mas não foi leal a ela, eles tinham um acordo e ele quebrou o combinado quando transou com Megan, não adiantaria dizer para Bonnie que depois que a garota gozou ele saiu de cima dela sem se preocupar com o próprio orgasmo, ver Megan gemer seu nome fez Kai despertar do transe fútil do tesão, ele se deu conta de que o sexo não valeria a pena se não fosse com Bonnie, se não fosse com a sua deusa. Ele precisava que Bonnie lhe desse mais uma chance e então ele faria tudo certo, cuidaria dela e do bebê, e deixaria sua vida de curtição pra lá. O problema, era que Bonnie não parecia estar disposta a dar-lhe uma chance. 

Depois de convencer Joshua que ele só tomou um porre com os amigos e que Bonnie o perdoaria em breve, Kai arrumou as coisas para ir embora. Pediu ao pai mais tempo para falar com Bonnie sobre a história do exame de paternidade e o casamento, no fundo ele ainda tinha fé de que Joshua desistisse daquela ideia antiquada. 
Bonnie forçou uma simpatia para se despedir de todos, ela se sentia envergonhada, apesar de ninguém falar nada, ela imaginava que todos sabiam o que aconteceu com Kai e Megan, mas tentou disfarçar, com sorte ela só veria os Parker de novo quando o bebê nascesse. 
Entrou no carro e colou o cinto, queria ter voltado no carro de Jô, mas não quis envolver a amiga nos seus problemas pessoais novamente. 
Assim que Kai pegou a estrada ela colocou seus fones de ouvido, ligou uma música no celular, se acomodou no banco e fechou os olhos. Tudo o que ela queria era ignorar Malachai, até que a vontade de estrangular ele passasse. 
Por incrível que pareça, Kai deixou Bonnie quieta a viagem toda, só a chamou quando estacionou em frente ao alojamento dela. 
        ⁃       Chegamos. Falou com a voz baixa assim que ela retirou o fone. Bonnie se ajeitou e ele saiu para pegar a mala. Ele fechou o carro e Bonnie pegou a mala da mão dele. 
        ⁃       Deixa que eu levo pra cima. Ele respondeu. 
        ⁃       Não precisa, obrigada. Ela falou fria. 
        ⁃       Bonnie para com isso! Eu levo a mala. Ele falou voltando a andar em direção à entrada. 
        ⁃       Eu não quero Kai. Ela respondeu mais descontrolada do que quis aparentar. Ele soltou a mala no chão e andou pra perto dela. 
        ⁃       Se você não liga com quem eu transo por que está agindo assim? Ele perguntou a olhando nos olhos. Bonnie não sabia o que dizer, a verdade era que todos os sentimentos dela gritavam "CIÚMES", mas era a última coisa que ela iria admitir para ele. 
        ⁃       Acho que você está com ciúme. Kai falou parecendo ler os pensamentos da médica. Bonnie ficou atônita com a constatação, "Droga!!!! Está tão na cara assim?" Ela pensou. 
        ⁃       Vai se ferrar Kai! Ela falou desviando dele. Kai a segurou pelo braço fazendo-a se virar de frente para ele, o olhar dela denunciava que Bonnie não sabia o que dizer sobre aquilo e que estava desesperadamente tentando fugir. Ele sorriu de lado ao ver as barreiras dela desfeitas, puxou Bonnie para os braços dele e a beijou, como nunca tinha beijado, aquele beijo era autoritário, um beijo de quem sabe que a garota está tão a fim que tem medo de admitir, ele ficou ainda mais confiante quando sentiu sua Bonbon se desmanchar nos seus braços, gemendo, entregue ao seu toque dominador. Bonnie tremia em seus braços, assustada em se sentir tão à vontade sendo conduzida por Kai daquela forma, ele seria capaz de fazer o que quisesse com ela naquele momento, algo derreteu dentro dela quando Kai descobriu que ela estava tão enciumada. 
"Droga Malachai, o que você está fazendo comigo." Bonnie pensou em meio aos beijos. 
Quando Kai se separou dela, Bonnie fraquejou, a falta de ar e aquele maremoto de emoções a deixou confusa, viu Kai andar em direção a mala e entrar no prédio sem nem esperar por ela. A médica se endireitou e olhou em volta, o estacionamento estava quase vazio, ninguém os tinha visto, ela apertou o passo para alcançar ele. 
        ⁃       Está entregue. Ele falou deixando a mala na porta. Bonnie estava morrendo de raiva por ter se deixado subjugar por Kai. Ele se aproximou dela e Bonnie desejou mais um beijo, mais um delicioso beijo, mas Kai beijou sua bochecha e saiu com um sorriso convencido. Ela quis gritar de raiva, Kai estava brincando com ela e ela era uma idiota por ter caído tão facilmente. Entrou no quarto esbravejando por ter sido descoberta, a última coisa que Bonnie queria era gostar de Kai, e pra piorar tudo, ele sabia que ela gostava. Por sorte nem Elena nem Caroline estavam no quarto, assim ela teria tempo de se acalmar e de pensar o que faria da sua vida de agora em diante. 


Notas Finais


Quem odeia a Megan? EUUUU
Kai descobrindo a Bonnie com ciume... kkkkkk

Se leu até aqui deixa um comentário, não custa nada.... haha


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...