História Baby Boy - JiKook, NamJin, TaeYoonSeok (ABO) - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Baby Boy, Daddy Kink, Hoseok, Jimin, Jungkook, Namjoon, Seokjin, Taehyung, Yoongi
Visualizações 541
Palavras 1.403
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 15 - Bebê...


Fanfic / Fanfiction Baby Boy - JiKook, NamJin, TaeYoonSeok (ABO) - Capítulo 15 - Bebê...


Continuação... 

×Pov's Namjoon×


Eu estava desesperado. 

Havíamos chegando no hospital fazia 01h30 e nada de notícia do meu pequeno ômega. 

Jinyoung: Senhor... Por favor, se acalme! — Pediu em voz baixa. 

Me virei para o ômega. 

Nj: Eu estou com medo, Young. — Suspirei. — Jin não pode morrer. 

Jinyoung dá um sorriso gentil e pega em minhas mãos. 

Jinyoung: Ele não vai, senhor. — Disse calmamente. — Jin é forte. 

Apenas concordo com a cabeça. 

Encosto na parede e espero mais alguns minutos para que o médico responsável por meu pequeno apareça. 

Nj: E então? — Perguntei ansioso. 

— Eu uma notícia bom e uma ruim. — Disse sério. 

Sinto meu coração acelerado. 

Jinyoung: O que aconteceu, doutor? — Questionou preocupado. — Fale a boa primeiro! 

— Havia veneno de rato no organismo de Seokjin. — Fez uma pausa. — A sorte é que o trouxeram rápido o suficiente para conseguirmos o salvar. 

Dou um longo suspiro de alívio, porém, sentia a preocupação só aumentar ao saber que tentaram matar meu ômega. 

Jinyoung: E a ruim? 

 O bebê não sobreviveu. — Disse em tom cabisbaixo. — O feto era muito novo e com o veneno, acabou não resistindo. 

Sinto como se algo tivesse atingindo meu peito.

Jinyoung: Bebê? 

— Seokjin estava grávido de sete semanas. — Suspirou. — Eu sinto muito. 

O médico se retira e eu caio do chão.

Meu anjo estava esperando um filho nosso, um pequeno ser que não pode vir ao mundo. Começo a chorar descontroladamente, sem me importar com o que iriam pensar em ver um alfa chorando no chão de um hospital. 

Nj: J-Jinyoung! — Chamei entre lágrimas. 

Solucei levanto minhas mãos aos cabelos e os puxando com ódio. 

Jinyoung: N-Namjoon... — Me abraçou.

Estava sentindo uma dor horrível em meu peito.

Alguém tinha tentado matar meu Angel e acabou levando a vida de um ser inocente que nem sabíamos que existia. Estava me sentindo triste, triste como nunca havia ficado antes.

Mil e uma cenas se passavam na minha cabeça, como seria se eu tivesse um filho com meu Jinnie?

Eu sempre tive o sonho de ser chamado de pai e ter a casa cheia de crianças sorridentes. Saber que isso foi tirado de mim e Jin me deixou com muito ódio. 

[...] 

Já era de madrugada e eu estava mais calmo após os médicos terem que me dar um calmante, porém, a dor ao lembrar era imensamente grande. 

Já tinha falado com Jungkook, Hoseok e Yoongi para que viessem para Seul com os ômegas. Angel ama muito os irmãos e com certeza vão ajudar na recuperação. 

Jin estava acordando agora e eu fui orientado a não falar sobre a gravidez até que ele esteja melhor. 

Jin: Joonnie-ah? — Chamou em tom baixo. 

Forcei um sorriso. 

Me aproximo de sua cama e me sento ao seu lado, o ômega me abraça fortemente. 

Nj: Angel... — Fiz carinho em seus cabelos. — O que aconteceu? Eu fiquei desesperado.

Jin começou a chorar. 

Jin: D-Deixa isso para lá! — Soluçou. 

Peguei em seu queixo, o fazendo me olhar.

Nj: Por favor. Me fale, Angel. — Supliquei. 

Jin baixa a cabeça. 

Jin: J-Jackson... 

Sinto meu sangue ferver. 

Jin: E-Ele veio até nosso quarto com um bolinho que parecia tão gostoso. — Falou entre lágrimas. — Disse que era um pedido de desculpas, então, eu aceitei. Logo depois de comer o bolinho comecei a passar muito mal, tentei lhe pedir ajuda mas ele apenas sorriu e disse que você era dele. — Apertou minha camiseta em suas mãos. — Jackson disse que vocês iriam ficar juntos e que tinham feito amor no... N-Nosso banheiro!   

Fechei os olhos e os abrir em alguns segundos. 

Voltei a pegar no queixo do menor e dessa vez, selei nossos lábios em um beijo simples beijo carinhoso.  

Nj: Eu jamais tocaria em Jackson, sabe porque? — Perguntei acariciando seu rosto. 

Jin: Porque? 

Nj: Porque que te amo, Park Seokjin. — Sorri. — Você é o único para mim. Por favor, acredite. Angel, você foi o único ômega que conseguiu meu coração, ele é seu, para fazer o que quiser. — Disse em tom baixo. 

Jin fica desnorteado por alguns segundos mas logo pega em minha mão, a apertando. 

Jin: Eu também te amo. — Sorriu. — Meu coração está entregue a você, alfa. 

Sorri beijando seus lábios carnudos com ternura. Jin deita a cabeça em meu peito e entrelaça nossos dedos. 

Jin: Eu estou com medo, Joonnie-ah... — Confessou. — Jackson vai tentar me machucar de novo? 

Nj: Eu não vou deixar que ele volte a te machucar. — Disse sério. 

Jin: Mas... Ele é como um irmão para você, sinto que estou estragando isso. 

Beijei o topo de sua cabeça. 

Nj: Jackson tentou te matar, amor. — Disse pensativo. — Isso eu jamais vou perdoar. — Suspirei. — Agora vá dormir, sim? Jimin e Tae vão estar aqui quando acordar. 

Jin: E você? 

Nj: Eu sempre vou estar com você. — Sorri. — Boa noite, Angel. 

Jin: Boa noite, Joonnie-ah... 

Espero alguns minutos para ter certeza de que meu pequeno dormiu para eu que possa sair. Deixo um beijo no canto de seus lábios e saio do quarto, vendo Jaebum, Mark e Yugyeom na porta. 

Nj: Não deixem ninguém entrar. — Disse firme. — Jaebum, você vem comigo. 

JB: Sim, senhor. 

Mark: Deixe-me ir! — Pediu. 

Eu não poderia deixar que Mark fosse comigo, a final, o alfa é apaixonado por Jackson. 

Nj: Fique aqui, Mark. — Olhei para JB. — Vamos. 

Saio do hospital e entro em meu carro, acompanhado de JB. Dirijo o mais rápido possível para minha casa. Depois de alguns minutos paro o carro em frente a mansão, desço do mesmo e caminho para dentro, com o outro alfa logo atrás. 

A casa estava escura e silenciosa. Começo a procurar o ômega por todo canto, menos em um lugar específico. 

JB: Droga. — Disse frustrado. 

Nj: Sei onde ele está... 

Subo para meu quarto e abro a porta devagar, ficando horrorizado com a visão de Jackson vestido nas fantasias de Jin. Para ser mais específico, estava com a que Jin estava usando quando nos conhecemos. 

Nj: Jackson... Onde você chegou? — Disse com a voz carregada de decepção. 

O ômega se vira para mim e sorri. 

Jack: Eu o matei e agora sou o novo Park Seokjin! — Disse com animação. — O que acha? 

O que? 

Nj: Jackson, voc- 

Jack: EU NÃO SOU O JACKSON! — Gritou. — Sou Jin, seu anjo. — Sorriu. — Não sou? 

Jackson estava mais doente do que anos atrás. 

Mesmo que ele tivesse feito mal a meu ômega e tirado meu filho de mim, eu ainda sentia pena de o ver nesse estado tão deplorável. 

Nj: Meu anjo está vivo. — Disse firme. — E ele é o único ômega para mim. 

Jack: Não, não... Como? Eu lhe dei uma alta quantidade de veneno. 

Nj: Mas ele foi salvo por médios. 

Jackson me encaravam com lágrimas nos olhos. 

Jack: Porque não me ama? — Uma lágrima escorreu. 

Nj: Por que para mim você é um irmão mais novo, Jack... 

Jackson começa a soluçar. 

Jack: Mas nós já-

Nj: Eu te ajudei em seu período de cio por que não aguentava ver você com dor. Foi apenas isso. 

Jackson começa a chorar, puxar seus próprios cabelos e arranhar a si mesmo. Vou até o ômega e o seguro para impedir que se machuque. 

Nj: Se acalme! — Pedi. — JB! — Chamei. 

O alfa de cabelos escuros aparece na porta do quarto e vem me ajudar a segurar o ômega.

Nj: Fique aqui com ele! — Pedi antes de sair. 

Vou para meu escritório e pego um cartãozinho que jamais pensei que iria usar. 

Eu e Jackson havíamos sido criados como irmãos, éramos inseparáveis. Lembro que as vezes Jackson começava agir de forma estranha quando minha própria irmã se aproximava de mim para brincarmos. Jack sempre tinha surtos psicóticos e tentava machucar tudo a sua frente, Geong Min, nosso cachorro, passarinhos e até mesmo seus pais. 

Quando entramos na adolescência, os surtos pioraram e Jackson teve que ir para uma manicômio, ser tratado. 

Jackson saiu do Hospital Psiquiátrico após apresentar melhoras, mas caso piorasse teríamos que o internar novamente. 

Suspiro antes de discar o número em meu celular e ligar. 

Hospital Psiquiátrico Sakura, em que posso ajudar? 

Nj: Eu queria fazer uma internação... 


















Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...