História Baby!... Cicatrizes Passadas - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Gaston, Luna Valente, Matteo, Nina, Personagens Originais, Simón
Tags Drama, Romance, Sou Luna, Universo Alternativo
Visualizações 330
Palavras 1.055
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá gente, sei que vim postar mais um capítulo bem antes do esperado, mas como o capítulo vai até o cap 24, e já enrolei demais , vou tentar pelo menos tirar uma horinha para editar os capítulos e postar. Mas caso não consiga no dia, não se preocupe que não vou mais deixar de lado da fanfic.
Então chega de papo e vamos ler, o capítulos está ótimo. Boa leitura *--*


PS: Música tema do capítulo " Valentine's Day - Link Park", link para ouvir a música nas notas finais.

Capítulo 15 - Capítulo 15 - Valentine's Day


Haviam se passado alguns dias desde que Gastón decidiu tirar uma pequena ferias em meio ao campeonato. Apesar das suas razões, não poderia protelar mais. Dia seguinte teria que regressar para sua rotina e dar vitória ao seu time no jogo contra o Boston Rebels. Infelizmente não teve sorte de encontrar uma pista de sua ex-namorada e amiga. No entanto precisava saber sobre ela... Não teve mais contato com Matteo embora ele tenha deixado o numero de seu celular caso precisasse, mas na vez que tentou ligar para o amigo de adolescência seu celular estava desligado.

Gastón não sabia mais o que fazer, o tempo estava contra ele. Precisava fazer algo o quanto antes para conseguir uma pequena pista do paradeiro de Luna. Por conta de querer descrição, não pode conseguir ajuda... Nesses pensamentos ele escuta o telefone de seu quarto tocar.

-Alô? – Gastón perguntou com a voz cansada.

-Oi cara... Sou eu, Matteo. – Balsano respondeu logo reconhecendo a voz do amigo.

Por está ocupado no hospital, seu celular acabou tendo a bateria descarregada e assim esqueceu-se de carregar. Quando fez e religou o telefone, entrou varias mensagens que haviam ligado de um numero desconhecido. Não reconheceu, e acreditando ser algum paciente resolveu se certificar de quem era. Não pode conter a surpresa de ser o seu amigo Gastón.

-Oi, eu ainda estou na cidade. - Gastón anuncia, mas não sabia se poderia ficar feliz pela ligação de Matteo por talvez ele possa ajuda-lo, ou encarar os fatos sendo que nem assim teria sorte.

Confuso, Matteo pergunta.

-Como? Mas... Não tem jogo do campeonato?

-Bem, na verdade. Depois do jogo que teve aqui, o time só teria outro jogo daqui a uma semana. Eu decidi pedir uma espécie de folga e ficar para ver se encontraria uma pista onde Luna possa está.

Do outro lado da linha, Matteo automaticamente prende a respiração em sinal de nervosismo. Apesar da chance não estava certo de contar ou não a Gastón que sabe onde Luna está. Sabia que a morena tinha um tabu em reencontrar seu ex, pelo fato de ter mentido sobre permanecer com a decisão de dar a filha deles em adoção quando nascesse. Matteo soube um pouco da verdade quando decidiu novamente procurar Luna na floricultura dois dias após de seu reencontro com ela. Obvio que também não resistiu em segui-la para saber onde mora, todavia, em sua procura pediu desculpas pela falta de cortesia de Nina como também conversaram sobre Sol. Claro que Matteo em meio à conversa sentiu novamente aquele mesmo fervor que sempre sentiu por Luna na adolescência, mas sentia que não seria justo, ate porque ele é casado, Luna não é do tipo que se sujeitaria a ser amante. Por isso deixou de lado seus desejos para somente saber o que aconteceu com ela. Resumidamente Luna contou tudo a ele, sobre ter terminado com Gastón, como superou tudo sozinha depois que ele foi embora, e sua decisão final de criar a filha. Vendo que Luna seguiu com a vida corajosamente, Matteo sentiu ainda mais admiração pela sua antiga paixão.

Com tudo, ali estava uma decisão complicada. Em seu julgamento, acreditava que o certo era Gastón e ela conversarem e resolverem tudo como adultos. Perida errou em ter deixado Luna sozinha em um momento a qual ela precisava dele, mesmo que foi ela mesma quem terminou com o relacionamento. Ainda sim deveria ter fincado o pé no chão e ficado. Luna pode ate não ter cumprido o que disse que faria, mas seguiu em frente com coragem, por isso ninguém poderia julgá-la nem mesmo Gastón. Matteo sabia que não tinha direito de se meter nessa história, mas não poderia deixar Gastón as escuras.

-Gastón, eu sei onde Luna mora.

Do ouro lado da linha, Gastón não sabia se sorria de alegria pela noticia ou se ficava confuso se perguntando como Matteo descobriu o paradeiro de Luna.

-Então diga aonde... – todavia ele não mais queria saber como Matteo descobriu, somente queria obter a informação e correr para o endereço onde vive seu ex-amor.

(***)

Em casa, Luna estava sentada na cama com o telefone na mão. É sábado, dia dos namorados, dia onde justamente teria sua loja repleta de cliente. Porem justamente nesse dia ficou menstruado, e para completar alegria uma cólica infernal lhe atingiu.

O lado bom, era que sua mãe veio cedo para buscar Sol e lavá-la num passeio ao zoológico, então não teria nenhum estrese. E Yamila mesmo com o agito da loja conseguia dar conta do trabalho, porem Luna com sua mania de perfeição em hora em hora ligava para saber como tudo estava na floricultura.

-Luna, vai dormir ou aproveita e coloque um filme e se entupa de chocolate com sorvete, assim esquece a cólica, menstruação e melhor, que não tem namorado para rejeitá-lo hoje por culpa do desastre de nossa natureza feminina. – Yam ralha à amiga e sócia do outro lado da linha.

-Na verdade eu nem me lembrava desse pequeno detalhe, mas como você fez lembrar... Obrigada. – Luna finge ofendida.

-Foi mal... Mas Lu para de estresse e aproveite essa folga. Está tudo bem... Jim, Sebastián e Ramiro estão me ajudando bastante. Tá tudo sob controle.

-Porque quando usa essa palavra “controle” me parece que não está nada controlado?

Yam bufa irritada com amiga e diz.

-Luna, passar bem. Não ligue mais, se eu ver que é seu numero no indentificador, não vou atender.

-Então vou ai. - Luna rebateu.

-Azar é o seu. – sem dar chance de Luna responder, Yam desliga.

Luna xinga a amiga, mas no fundo não estava brava com ela. Sabia que Yam e os outros funcionários estariam dando conta. Então deu o braço a torcer e decidiu seguir o conselho da amiga.

Rapidamente, levantou da cama e foi ate o banheiro tomar uma ducha, pois quando estava naqueles dias sempre tomava vários banhos... Após o banho, foi à cozinha pegar um copo d’água e tomar um comprimido para cólica e tentar dormir, mas o som da campainha a impediu de voltar para seu quarto.

Não imaginava quem era, mas ao abrir a porta seus olhos abriram surpresos. Milhares de perguntas passaram em seus pensamentos... “Como ele soube onde ela morava? O que estava fazendo ali? Por que...”, porem sem ao menos perceber uma única palavra foi proferida de seus lábios.

-Gastón?

 


Notas Finais


Parece que Matteo resolveu abrir o bico. Sei que queriam que fizesse a parte do segundo reencontro Lutteo,até faria, mas como estou sem tempo não deu para escrever sem ser um resumo.
Bom gente, vou tentar postar mais um cap amanhã, então comente bastante e falam o que achou do cap, okay? Bjs *--*

http://www.kboing.com.br/linkin-park/1-48555/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...