1. Spirit Fanfics >
  2. Baby Girl >
  3. Baby Girl

História Baby Girl - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oi pessoal!
Estão todos se cuidando direitinho? Espero que sim ~
Finalmente tive um tempo, e consegui terminar essa ideia que tive a algum tempo. Nessa história não há muito drama sobre a Seulgi ter um membro masculino, é levado como algo simplesmente normal/esperado. Okay? Eu espero que vocês gostem dessa one-shot.

Capítulo 1 - Baby Girl


Bae Joohyun era uma famosa CEO de uma das maiores empresas de cosméticos da Coreia do Sul e estava se encaminhando para expandir seu negócio para o mundo todo. Desde pequena o sonho de Joohyun era simplesmente ser independente, ter sua própria marca, trabalhar com produtos de beleza. Todos diziam que ela tinha uma beleza invejável, podia ser o rosto da sua própria empresa. Cabelos negros como o céu da noite, os olhos hipnotizantes, lábios vermelhos e bonitos, uma cintura fina e pele leitosa, além disso, tinha uma personalidade estonteante. Ela era perfeita aos olhos de todos ao seu redor. Mas claro, como o bom e belo ser humano, ela tinha suas falhas, inúmeras delas na verdade. Mas ela tentava ser uma boa pessoa. Sempre acreditou que o ser humano é condicionado ao mal, por isso, sempre tentou fazer o bem, ser gentil, e nunca errar tanto com a língua, pois sabia que tudo voltaria pra si. Joohyun talvez tenha aprendido cedo demais isso.

Joohyun nunca realmente tinha se apaixonado na vida em todos seus 27 anos. Teve homens e mulheres em sua cama, claro, gostava de uma boa noite de sexo, de dar prazer, de sentir prazer, mas nunca realmente se apaixonou. Pelo menos até aquele dia.

Ela se encontrava na sua empresa, era o dia que escolheria uma nova secretária, precisava de uma, já que a última iria sair do cargo, por motivos pessoais. Ela mesma iria fazer a entrevista. Ela se encontrava impaciente depois de ver algumas candidatas e candidatos. Todos tinham um excelente currículo, pareciam ser bastante eficientes, e respondiam muito bem suas perguntas, mas Joohyun sabia que queria algo diferente. Alguém diferente.

Então, quando a próxima candidata entrou na sua sala, ela sabia que podia ter achado o que procurava. Kang Seulgi, 24 anos, excelente currículo, experiências em diversas empresas, e simplesmente uma das mulheres mais lindas que Joohyun já havia colocado os olhos.

Ela sorriu, seus olhinhos desaparecendo junto, e Joohyun simplesmente achou o que faltava. Seulgi também a conquistou com sua excelência, eficiência e prontidão, então, não foi muito difícil a contratar. Na semana seguinte, já ia animada ao trabalho, simplesmente por saber que iria ver Kang Seulgi. Joohyun se via animada em saber que havia achado o que procurava. Ter tudo na vida era muito bom, era gratificante, mas o que fazer com tudo isso se não há alguém ao seu lado?

Alguns meses se passaram e para Joohyun era difícil se controlar perto de Seulgi, estava loucamente apaixonada, era simplesmente óbvio para todos que a conheciam bem. Elas tinham desenvolvido uma amizade, e sempre que podiam saiam juntas para beber, conversar, e até assistir filmes. Joohyun adorava ver Seulgi no seu sofá. Adorava ver tudo que era seu conectado a Seulgi, fazia tudo parecer mais real, mais intenso. A fazia desejar ser dela ainda mais.

- Você é tão linda. – Não se controlou ao ver Seulgi dormindo, era tão difícil. Passou os dedos devagar pela bochecha gordinha e sorriu sentindo o calor bom que a morena passava pra ela.

Joohyun admitia que tinha medo de tentar algo com a morena, não só porque perderia uma ótima amiga e secretária, mas também não queria ficar longe da mesma, e ainda não havia percebido nem ao menos um sinal de Seulgi. Nada. Um olhar mais intenso, uma secada nos lábios, nas pernas, nada. E ela tentava. Havia dias que usava minissaia simplesmente mais mini que o normal. Esticava-se praticamente toda na mesa de Seulgi, mas ela só sorria pra si. Por mais que fosse um lindo sorriso, não era aquilo que ela esperava. Tinha tanto medo. Mas todos aqueles sentimentos estavam se remoendo de tal forma dentro de seu peito, que ela simplesmente não conseguia mais evitar, sempre fora uma mulher decidida, e era verdade que tinha medo da rejeição, mas não tinha razão para titubear, iria sofrer, mas se não falasse, perguntasse, talvez nunca fosse feliz. E se a resposta fosse negativa, iria tentar seguir em frente, iria tentar pelo menos. Então, em uma noite que assistiam a um filme de comédia em sua casa, simplesmente decidiu tentar ver se conseguia algo, o famoso comer pelas beiradas. Ela e Seulgi nunca tinham sido muito abertas quando o assunto era relacionamentos e preferências, mas Joohyun achava que já estava na hora. Tinha que tentar algo, era aquele o momento.

- Seul?

- Oi – A morena respondeu distraída enquanto colocava um pouco de pipoca na boca. Ela vestia uma blusa larga e uma calça de moletom cinza, os óculos que usava quando estava em casa e tirava as lentes de contato caíam no nariz, a deixando simplesmente de tirar o folego na opinião de Joohyun.

- Você está namorando? – Viu Seulgi virar o rosto em sua direção, confusa. – Sei que ainda parece estranho perguntar isso, sendo que sou sua chefe, mas acho que já passamos essa fase, não? – Sorriu, logo em seguida, amarrando os cabelos que insistiam em cair no seu rosto. Estava nervosa, precisava de algo para se distrair.

- Hyunnie, claro que passamos dessa fase. Você sabe que eu nunca comentei nada sobre isso, pois eu queria que você fosse dando os limites em nossa relação. Você entende? Seria estranho para mim. Mas se você estiver confortável, eu estou mais do que feliz em falar sobre isso. – Joohyun sorriu e assentiu.

- Bem, pra responder sua pergunta, no momento eu não estou namorando ninguém. Eu... eu... tive minha última namorada faz dois anos. Éramos colegas de trabalho, ela era uma pessoa difícil. – Joohyun sentiu que Seulgi hesitou em falar sobre a ex-namorada, mas só de saber que ela gostava de mulheres, já fez o coração saltitar, tinha uma chance. – Ela é uma pessoa que só queria manter relacionamentos com muita atenção voltada a ela, e naquele momento eu não podia dar o que ela precisava. Então, terminamos, decidi não me envolver por um tempo. – Deu de ombros. – É um pouco complicado, eu precisava de tempo para colocar minha vida profissional nos eixos, que sempre foi meu objetivo, e ela não conseguia perceber isso. – Suspirou, mas sorriu mesmo assim.

- E você Hyunnie?

- Eu não estou namorando ninguém no momento. – Joohyun respondeu rapidamente.

- Nem mesmo interessada? Junmyeon da área de Marketing parece bastante interessado em você. – Ela deu uma risadinha, e Joohyun rolou os olhos.

- Ele é bonito, o tipo que qualquer pai aprovaria na mesma hora, mas eu estou interessada em outra pessoa, na verdade.

- Quem? – Seulgi parecia ansiosa em saber a resposta, e algo mais brilhou em seu olhar, mas Joohyun simplesmente não soube descrever o que era. Não sabia o que fazer, o que dizer, não queria falar o nome de outra pessoa, mas tudo poderia dar errado naquele momento.

- Hyunnie, confie em mim. Você sabe que pode me falar... O que está fazendo você hesitar? – Seulgi tocou a mão de Joohyun, sabia que a outra estava com medo, só não sabia a razão.

A mais velha reuniu toda a força que existia em seu corpo, talvez aquele fosse o momento, devia arriscar, se fosse rejeitada, nunca mais tocaria no assunto. Seguiria em frente, assim como o planejado.

- Você... – Viu os olhos da mais nova se arregalarem. – Eu gosto de você. – Riu fraquinho, iria simplesmente colocar tudo pra fora. Agora já havia saído mesmo. – Na verdade, eu gosto de você desde que entrou na minha sala pra fazer sua entrevista. Você é uma das pessoas mais lindas que eu já vi Seulgi-ah, e eu te desejo loucamente. Não sei como ainda não percebeu... Se minhas blusas decotadas, cantadas e convites para sair por aí não são um grande sinal, eu não sei o que dizer. Você nunca demonstrou nada... – Passou a mão pelos os ombros, e desviou os olhos, estava com o coração palpitando loucamente. Tinha mesmo falado que amava Seulgi e a desejava loucamente?

- Hyunnie, você... você gosta de mim? – Joohyun levantou os olhos e riu vendo o queixo caído de Seulgi.

- Você é linda demais, e uma pessoa maravilhosa, me encantei por cada pedacinho seu. Difícil não gostar. – Suspirou e continuou, pois sentia que precisava falar isso pelo bem da sua sanidade. - Olha, sei que talvez você não sinta o mesmo, mas queria te dizer que se não sentir, esquece o que eu falei, e vamos ser amigas, por favor? Não quero ficar sem você na minha vida. – Joohyun fechou os olhos, não sabia o que esperar, tinha jogado para aquele momento, e esperava que o céu ouvisse seu lamento e tudo desse certo. E simplesmente achou que tudo valeu a pena quando sentiu o peso do corpo de Seulgi em cima do seu. A próxima coisa que sentiu foi os lábios da morena nos seus, gemeu em deleite. Estava simplesmente sonhando.

- Seulgi-ah... – Suspirou entre os lábios da morena quando sentiu ela morder seus lábios de forma devagar.

Beijaram-se afoitamente por diversos minutos, se tocando, sentindo o corpo uma da outra, o calor, as sensações.

- Eu também queria tanto você Hyunnie, todo momento, mas não podia fazer nada. Não com você sendo minha chefe. – Murmurou se afastando um pouco. – Eu não sei quantas noites eu já rolei na minha cama pensando em você, em te beijar, em ter você para mim. – Disse ao beijar seus lábios mais uma vez. Estava ficando viciada nos lábios de Joohyun.

- Você pode fazer o que quiser comigo Seul, eu sou sua. – A mais velha disse sem pudor algum. Queria, desejava Seulgi, e se ela a quisesse, naquela noite se entregaria.

 A Kang sorriu ao ouvir aquelas palavras, há quanto tempo não desejava aquela mulher que estava naquele momento em baixo de si. Vê-la pela empresa andando com aquelas minissaias a fazia enlouquecer, a desejava ardentemente.

A mais nova se levantou e sorriu, esticou a mão, num pedido mudo e sorriu safada.

- Então vamos para o quarto, lá será mais confortável, não acha? – Hyun concordou depressa, se levantando e acompanhando a outra para seu quarto. Ao chegarem ao cômodo, Joohyun sentiu ser levantada e sorriu, passando os braços pelo pescoço de Seulgi, beijou o pescoço da morena e sentiu o colchão em suas costas. Seulgi mesmo com as roupas todas largadas ainda era a mais linda visão que teria em toda sua vida. Seulgi pensava algo similar ao olhar pra baixo e ver Joohyun esparramada na cama, os cabelos espalhados, os lábios um pouco avermelhados, os olhos escuros brilhando de desejo, ela era simplesmente a definição da perfeição.

Seulgi tirou sua blusa e sua calça, Joohyun suspirou ao ver os seios firmes e as curvas bonitas. Seulgi sorriu enquanto subia na cama e separava as pernas de Joohyun, se encaixando no meio dela. Apalpou as pernas grossas que sempre teve vontade de apertar e morder; sorriu e tirou a roupa que atrapalhava o contato enquanto Joohyun tirava a parte de cima, logo ficando só de sutiã e calcinha. Suspirou ao ver a pele leitosa, queria marcar todo cantinho. Abaixou-se e começou a dar beijinhos nas coxas da mais velha, amava aquela sensação, estava faminta por ela. Subiu devagar e beijou seu estomago, mordendo e arranhando a cintura branquinha. Subiu mais um pouco e voltou a se deliciar com os lábios vermelhos, estava simplesmente sedenta para prová-los de novo. Beijaram-se até perderem o folego, se abraçando, apertando em todo lugar, era o paraíso. Quando perderem o folego mais uma vez, Seulgi passou os beijos para o pescoço da mais velha, deixando marcas roxas por onde passava. Já estava viciada no gosto da pele de Joohyun.

Joohyun gemia com a sensação boa de cada chupão por toda sua pele. A morena desceu devagar pelo corpo da mais velha, Joohyun sentiu as doces mordidas de Seulgi, e levou sua mão até o cabelo da outra. Gemeu em surpresa ao sentir um leve selar na sua parte mais intima. Já conseguia sentir sua intimidade começando a molhar de prazer.

- Seulgi-ah, não me torture. – Sussurrou entre gemidos. Estava excitada.

- Não seja impaciente, nós vamos nos amar a noite toda e você vai amar cada segundo baby. – Joohyun gemeu com as palavras, tinha um calor absurdo quando a chamavam de baby.  Como a morena sabia? – Você gosta de ser chamada assim? Baby Girl? Hum?

A mais velha assentiu, sentindo um arrepio percorrer todo seu corpo. Seulgi abriu mais as pernas de Joohyun e beijou a intimidade dela por cima da calcinha, amando o cheiro que emanava, o molhado da excitação por sobre a calcinha de renda era enlouquecedor. Precisava saborear o gosto de Joohyun, por isso, delicadamente, tirou a calcinha de uma vez. Queria saborear cada parte da mais velha, sem restrições.

Abaixou-se e lambeu devagarzinho, e gemeu sentindo o gosto da intimidade de Joohyun; era simplesmente maravilhoso, principalmente ao senti-la tremer entre seus dedos e ouvi-la gemer. Lambeu, chupou e a estimulou como podia, a sentiu agarrar-lhe os cabelos e os puxar, fazendo que sua cara fosse empurrada para sua intimidade com mais força. Joohyun suava e falava palavrões baixinhos. Estava enlouquecendo e não haviam nem começado ainda.

- Isso Seulgi-ah! – Seulgi se sentia muito satisfeita, seu objetivo número um era dar prazer para Joohyun, e ela estava conseguindo aquilo. Sentiu as coxas de Joohyun estremecerem e logo em seguida o orgasmo dela em sua boca. Engoliu cada gotinha, se deliciando.

- Oh bebê. – Riu fraquinho enquanto levantava os olhos e via o estado da mais velha, nunca tiraria aquela imagem de sua cabeça. – Você é tão gostosa, é simplesmente uma delicia. – Joohyun suspirou enquanto soltava lentamente a colcha da cama em que segurava de prazer a alguns segundos atrás. Seulgi sorriu entre o beijo quando sentiu ser puxada para cima do corpo de Joohyun. O beijo era completamente obsceno, o gosto da mais velha sendo sentindo entre o beijo.

- Quero tocar você! – Joohyun clamou entre beijos. Seulgi sorriu e se separou, deixando um selinho na boca da outra.

- O que você quiser Baby Girl. O que você quiser. – Tiraram as peças de roupas que faltavam, e ficaram simplesmente do jeito que vieram ao mundo. Não conseguiam desviar o olhar uma da outra. O desejo ardia. Joohyun sorriu ao ver o membro enorme de Seulgi, só de imaginar lhe preenchendo, sentia os olhos revirarem e as pernas tremerem. Lambeu a pontinha devagar, vendo Seulgi morder os lábios com força. Iria enlouquecer Seulgi.

Segurou com força e desceu a mão devagar enquanto procurava pelas bolas da mais nova, lambeu mais uma vez a cabecinha, e em seguida, abocanhou o membro da morena. Queria sentir o membro de seguir até em sua garganta, queria fazer a mesma gritar de prazer. Sua cabeça se movia com os movimentos, e Seulgi suspirava enquanto tocava em seus cabelos, dando a liberdade de fazer o que quisesse com si.

Joohyun chupou o membro diversas vezes, e quando não aguentou mais o abocanha-lo todo em sua boca, o masturbou com a mão o que não podia. Chupou com força a ponta, e quando sentiu Seulgi tremer e xingar, soube que ela estava quase gozando.

- Vamos bebê, por mais que eu queira gozar na sua boquinha, hoje não. Quero estar dentro de você. – Seulgi falou enquanto lhe afastava. Sorriu e assentiu, pois deseja loucamente o mesmo. Posicionaram-se e Seulgi procurou seus olhos, pedindo permissão. Joohyun sorriu com o ato e assentiu.

Para Seulgi estar dentro de Joohyun era a coisa mais perfeita que ela havia vivenciado em toda sua vida. Ela era quente, apertada, simplesmente delicioso. Passou a mão pelos seios da mais velha e os apertou, enquanto esperava ela se ajustar ao seu tamanho. Mesmo com preparação, e estando molhada, não queria que ela sofresse nem um tipo de dor. Abaixou-se lentamente e os mordeu, para logo em seguida os chupar, quase não havia dado atenção a eles.

- Posso me mover Baby?

- Sim. – Joohyun segurou-se na morena e sorriu. Seulgi não teve como se controlar depois do consentimento, foi forte e fundo, simplesmente se deixou levar pelo calor, pela paixão, pelo prazer de estar naquele momento com a mulher que amava e desejava. Estar conectada a ela até uns dias atrás era simplesmente um sonho impossível, naquele momento era algo real, e queria guardar aquilo, aquele primeiro momento para o resto de sua vida. Quando Joohyun estava ali, simplesmente esparramada, louca de prazer, enquanto revirava os olhos e se segurava em si. Enquanto entrava e saia do corpo quente e dócil. Era simplesmente perfeito.

- Eu amo você Joohyun. – Suspirou entre um beijo, quando sentiu seu orgasmo querer explodir. Joohyun a segurou com força e gemeu. – Eu também amo você.

Sentiam-se completas.

Seulgi segurou a coxa de Joohyun com mais força, e tocou seu clitóris, querendo que a mais velha chegasse mais rápido ao seu segundo orgasmo naquele noite, sentia que não conseguiria se segurar por muito tempo, estar dentro dela era bom demais.

- Goza Baby Girl. Goza para mim. – Depois daquelas palavras sentiu o corpo abaixo do seu tremer e não conseguiu se controlar, pois o interior apertando seu membro, era simplesmente o que faltava para explodir e gozar dentro da outra. Fechou os olhos e suspirou enquanto seu corpo caia nos braços da mais velha.

Não queria sair daquele abraço nunca, não queria perder aquela sensação nunca. Viver sempre naquele momento.

- E agora? – Seulgi perguntou depois de alguns minutos.

- Quer ser minha namorada? – A pergunta veio do nada, como se fosse óbvio. Joohyun riu da cara da mais nova.

- Mas você é minha chefa!

- Sou! – Riu, sua namorada era uma boba. – Você não quer?

- Mas isso é proibido!

- Quem disse? – Joohyun perguntou. – E mesmo se fosse, eu sou a dona da empresa, e, por favor, sexo no escritório deve ser simplesmente mágico. O que acha? Devemos tentar? – Seulgi revirou os olhos e riu fraquinho, dali para frente só teria que se acostumar.


Notas Finais


Comentários serão super bem-vindos.
E quem sabe a minha próxima história não é ABO? Alguém gostaria disso?
Bem, de qualquer forma, até mais pessoinhas! Bye


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...