História Babynette - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alix Kubdel, Alya, André Bourgeois, Chloé Bourgeois, Félix, Gabriel Agreste, Hawk Moth, Jalil Kubdel, Lila Rossi (Volpina), Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Mestre Fu, Mylène Haprèle, Nathalie Sancoeur, Nathanaël, Nino, Plagg, Sabine Cheng, Sabrina, Tikki, Tom Dupain, Wayzz
Tags Adrien Agreste, Adrinette, Cat Noir, Chat Noir, Fluffy, Hentai, Ladybug, Ladynoir, Marinette Dupain-cheng
Visualizações 1.589
Palavras 2.180
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Famí­lia, Fluffy, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OIOIOI GALERISSS
OLHA QUEM FINALMENTE APARECEU \O/
Ainda to me adaptando com a volta as aulas e postar, mas logo logo entro no ritmo!
Eeeeeeeeeeeee a Tia ta lendo Amos e Masmorras \o/
Pf, adicionem Lion Romano na minha lista de crushes, por favor
Obrigada qq
Enfim, espero que gostem!
Me perdoem por qualquer erro de ortografia!

Boa leitura! ~~

Capítulo 9 - Capítulo 9 - Na-Na-Ni-Na-Não!


POV Marinette

Uh oh...

Observar aquela cena foi como observar o encontro entre Trump e Kim Jong-Un.

A gente torce pra não dar merda, sabendo que tem noventa e nove porcento de certeza que pode dar.

Luka olhava surpreso para Adrien, afinal, eu acho que ele nunca imaginou ver o loiro ali, principalmente com uma criança no colo. Já Adrien olhava para Luka com um misto de emoções, e algumas eu até sabia o porquê.

Decidi ficar quieta, e não atrapalhar o encontro de "adultos", por mais que eu estivesse nervosa. Inúmeras coisas passavam pela minha cabeça. E se Adrien falasse algo sobre mim e perguntasse sobre minha "relação" com o Luka? E se o Luka estranhasse? Aí, céus!

Por que essas merdas só acontecem comigo? CADÊ MINHA SORTE DE JOANINHA, TIKKI?

Respira, Marinette... o que de mal pode acontecer?

Ficaram em silêncio por mais alguns instantes, até que um espirro involuntário meu lhes trouxe de volta ao presente. Luka meneou a cabeça, antes de vir em nossa direção. Me agitei nos braços do loiro.

- Nunca...achei que fosse te ver aqui tão cedo. - Luka disse, após um pigarreio e veio em minha direção. - Olá, bebê.

Sorri para ele, enquanto segurava na camiseta do loiro.

- Eu também não. - O loiro murmurou, e suspirou por fim. - Mas ela está doentinha, então...

- Deita ela na maca, por favor. - Luka disse, e Adrien me deitou ali. Fiquei quietinha, observando. - Woah, não pensei que você tivesse filha.

- Ela é minha prima... - Ele disse, me olhando e eu levei meu dedo até a boca. Fiquei mordendo meu polegar. - Eu tô cuidando dela por uns dias, já que minha tia teve que viajar.

- Ah. - Luka murmurou, enquanto brincava comigo.

Ele começou a me examinar, enquanto Adrien me observava sorrindo. Me virava para um lado, depois para o outro. Olhava meu ouvido, nariz, boca, enquanto conversava comigo. Eu quase não respondia, já que não sabia falar, apenas sorria.

Menos de dez minutos depois, eu já estava no colo de Adrien e Luka terminava de me examinar. Segurava o bendito "palitinho" que ele havia usado em minha boca, e aquilo era satisfatório.

- Quantas vezes ela chegou a vomitar hoje? - Luka perguntou, enquanto Adrien me balançava, e eu por minha vez, mordia o palitinho. Hmmm, ele tinha gosto de morango...

- Quatro, eu acho. - Adrien respondeu, parecendo pensativo.

Confesso, não prestei atenção na conversa deles. Estava mais entretida com o meu palitinho e os adesivos de animais que decoravam a parede daquela sala. Aquilo me fascinava de um modo inacreditável. Já tinha certeza que meus olhos brilhavam ao observar o local.

Um brilho que logo desapareceu quando meus ouvidos captaram as palavras "virose" e "injeção" na mesma frase.

Na-Na-Ni-Na-Não!

Ninguém vai aplicar nada na minha bunda não!

Olhei para Adrien, que me apertou ainda mais contra ele, como se eu pudesse fugir a qualquer momento. Me mandou um sorriso triste, e eu arregalei meus olhos. Não, não, não!

- Vai ser só uma picadinha, não vai doer. - O loiro sussurrou, e eu estreitei meus olhos para ele. Eu conheço essa história!

Faço minha melhor careta de choro, mas ele parece não se comover. Pisco, finjo estar brava. Nada funciona, por fim, suspiro.

- Preciso que você se sente e segure ela, vou buscar o medicamento. - Luka disse, e Adrien assentiu.

Enquanto Luka ia até a sala ao lado, Adrien se sentou comigo no sofá. Tentei uma chantagem com olhares, e de novo, sem sucesso. Puta merda!  Eu não era uma fã de agulhas, e tentava ao máximo ficar longe delas, sempre preferindo pelos comprimidos e soluções orais, mas nesse caso, eu acho que não tenho escapatória, né?

Adrien me ajeitou em seu colo, mesmo que desajeitadamente, e colocou sua cabeça levemente sobre a minha. Franzi o cenho, não só com medo, mas também ansiosa. Aquilo doeria, e doeria muito. Mexi minhas pernas, demonstrando meu nervosismo.

- Hey, vai ficar tudo bem... - Ele murmurou, e afagou meus fios azulados. Olhei para ele, que sorriu pra mim. - Nem vai doer, tenho certeza!

Pisquei uma vez, e suspirei. Segurei sua camiseta novamente, e coloquei o palitinho na boca. Olhei para a porta, quando ela fora aberta, e Luka entrou novamente.

Ele colocou a ampola na maca, e pegou a injeção junto a agulha, e em seguida, começou a medir a dosagem. Meu estomago revirou em medo, e fiz uma careta. O loiro continuou a afagar meus cabelos.

- Segure as mãos e as pernas dela, tudo bem? - Luka disse, e Adrien assentiu.

Me ajeitou novamente, me deixando como em um abraço. Minhas costas repousavam em seu braço esquerdo, que por sua vez, rodeava meu corpo e segurava meus braços juntos. Sua mão livre segurava minhas pernas, de um modo firme. Não conseguia me mexer, e isso me irritava um pouco.

Minha careta se intensificava quanto mais Luka se aproximava com aquela bendita injeção. Tentei me mexer, mas era difícil tanto por:

Primeiro, eu era um bebê.

Segundo, eu estava, literalmente, sendo segurada pelo Chat Noir.

- Calma, calma.. - Adrien murmurou, sua voz calma. - Shiii, já vai acabar... Olha pra mim...

Desviei o olhar para ele, e instantes depois senti a picada. Puta que pariu, não sei se foi por medo ou nervosismo, mas aquilo doeu para um caralho! Senti lágrimas nos meus olhos, e comecei a chorar, tentando mexer minhas pernas, mas eu ainda estava presa em seus braços.

Ele me levantou assim que Luka retirou a agulha, e me aninhou, colocando meu rosto em seu ombro. Se levantou, enquanto me balançava em seu colo e senti algo sendo colocado em minha bunda, provavelmente aqueles adesivos adoráveis que estancavam o sangue.

Mais uma rodada de conversas que não me importavam começou, fiquei chorando um pouco até que todo o meu choro alto se transformou em pequenos resmungos contra a camiseta do loiro. Levantei o rosto, vendo a camiseta úmida graças as minhas lágrimas. Solucei.

Luka se retirou do local, me deixando com o loiro e receitas. Adrien me deitou na maca, e fez uma careta de dó ao ver meus olhos, tais quais duvido que não estivessem vermelhos.

- Oh, Mari... - Ele murmurou, e me deu um beijo na testa. - Desculpe..., mas era preciso, bebê.

Fiz minha melhor careta, e cruzei os braços. Evitava mexer minha perna esquerda, que ainda parecia dolorida e sensível ao toque. Ele riu, bagunçando meus cabelos.

- Vou te vestir, e depois vamos embora. - Ele disse, sorrindo. Apenas assenti, e bocejei.

*****

Tive a maravilhosa surpresa de acordar sobre a cama. Não me lembro de termos chegado em casa, só dele me colocando na cadeirinha. Confesso que dormi rápido, tudo isso me deixou cansada.

Abraçava com carinho uma das pelúcias. Tentei me sentar, mas porra! Minha bunda ainda estava dolorida. Preferi ficar ali, apenas aproveitando o conforto da cama do loiro.

Será que ela também é confortável para sexo? Hm.

Meneei a cabeça. Não! Nada de pensamentos assim! Olhei ao redor, não encontrando nem Tikki e nem Plagg por perto. Naturalmente, fiquei tanto preocupada e curiosa.

- Dien! - Disse, e fiquei surpresa. Caralho, eu estou conseguindo pronunciar algumas coisas! - DIEN!

Bufei, ninguém parecia me ouvir. Puxei a chupeta, que estava alguns centímetros longe de mim, e coloquei na boca. Chupava o "bico" com força, e peguei a pelúcia. Comecei a observa-lo, virando-o de um lado para o outro.

Minha atenção logo foi para a porta, onde Adrien apareceu. Usava apenas uma bermuda de pano, e uma regata. Ele sorriu para mim.

- Boa noite, princesinha. - Ele disse, e me pegou no colo. Sorri para ele. - Dormiu bem?

Assenti com a cabeça, e seu sorriso se alargou ainda mais.

- Com fome? - Perguntou calmamente, e eu assenti novamente.

Ele saiu andando comigo em direção à sala, e em instantes estávamos na cozinha. Ele se sentou na cadeira, e com cuidado, me sentou em seu colo. Ignorei a sensação um pouco incomoda da minha bunda recém-furada pela agulha, e me concentrei no prato com sopa que me esperava. Involuntariamente, passei a língua sobre meus lábios. Ele riu.

Ele pegou um pouco com a colher própria para bebês que havia comprado, e colocou na minha boca. Comi, murmurando em aprovação. Até que ele não era tão ruim na cozinha. De longe, avistei Tikki e Plagg assistindo algo na televisão.

Ele continuou me alimentando, e as vezes desviava o olhar para a televisão da sala também. Eu não conseguia assistir, apenas ouvir. Ser ainda mais baixinha nesse estado já estava me deixando irritada. Resolvi ignorar isso, aproveitando o sabor das batatas amassadas com outros legumes e verduras. Era bom...

Tudo parecia estar normal, na medida do possível, até a campainha tocar. Adrien me olhou, curioso, mas eu estava concentrada demais em minha comida para prestar atenção. Ele suspirou, e eu reclamei quando ele se levantou, me levando até a sala e me colocando no carrinho.

Tikki e Plagg voaram até mim, se escondendo em meu carrinho quando ouvimos alguns múrmuros na porta. Franzi o cenho, mas me concentrei na televisão. Plagg e Tikki estavam assistindo um programa de pegadinhas, e aquilo era até mesmo engraçado.

- Você disse que qualquer coisa, e eu achei que fosse um sim! - Ouvi uma voz conhecida. Ah não... - E agora eu estou aqui! Não vai me fazer voltar, não é Adrien?

- Eu... estou ocupado hoje Lila. - Adrien disse, e eu revirei meus olhos. Sério mesmo?

Alguns minutos se passaram, e Lila parecia irreversível. Adrien acabou desistindo e deixando ela entrar. Vi seus olhos se arregalarem ao me ver. Pisquei algumas vezes para ela, com o meu melhor sorriso desdentado. Ela retornou o olhar com surpresa.

- O que é ela? - Perguntou, com um pouco de... nojo? Desviei o olhar para a televisão, não conseguiria retrucar ao menos se quisesse, e não tenho certeza se seria legal pronunciar "puta".

- É... a prima da minha colega, a Marinette. - Ele disse, com um sorriso nervoso. Lila revirou os olhos discretamente. Fingi não ligar. - Estou tomando conta dela por alguns dias.

- A Marinette é tão imprestável que nem conta de um bebê pode tomar? - Ela diz, e eu sinto uma raiva percorrer meu corpo. Ah, se eu estivesse no meu modo adulta. Eu quebrava a cara dessa piranha!

- A Marinette não é imprestável, e ela precisou viajar de emergência. - Adrien murmurou, parecendo irritado. HA!

- Defendendo ela? Não sabia que eram tão amigos. - Lila disse, em um tom maldoso. O que ela quer dizer com isso?

- Não entendi. - O loiro disse, seguindo a morena com o olhar. Ela folgadamente se sentou no sofá. - Explica.

- Ah, sei lá. Vocês nunca pareceram tão amigos. - Lila falou em um tom maldoso. - Principalmente pela paixão exagerada daquela garota por você. Ela parecia uma doida ao te ver, sempre babando como uma idiota.

- Se você veio até aqui pra falar mal da minha namorada, te sugiro dar a volta e ir embora. - Ele disse, sua voz agora mais do que irritada. Parecia realmente o Chat Noir, quando estava com raiva.

Assim como Lila, lhe olhei boquiaberta. Namorada? QUE?!

- Vocês...namoram? - Ela perguntou, surpresa. Dessa vez, eu possuía o mesmo sentimento que ela, bom, um deles.

- B-Bom...não oficialmente... - Ele riu, de um modo nervoso. - Mas sim... namoramos.

Uma fúria que eu nunca vi antes pareceu se apossar nela. Ah, como eu queria ter dentes pra morder meu lábio inferior.

Fingi estar um pouco irritada, e Adrien me pegou no carrinho. Lila ainda permanecia quieta, mas se levantou e veio até o loiro.

- Por que ela?! - Perguntou, irritada, e eu me senti enjoada.

Oh...

- Como assim? - O loiro perguntou, confuso. Somente observei.

- Por que aquela ridícula e não eu? - Lila perguntou, ainda mais puta. - Eu sou muito melhor que ela! Olha pra mim! Eu uso Gucci, calço Louboutins! Faço faculdade com você, sou uma atriz de sucesso! Porra, eu sou até uma heroína!...

E ela continuou a falar, e falar, e falar...

Mas aquilo só me deixava ainda mais enjoada. Parecia que toda a comida que eu havia acabado de comer subia pela minha garganta. Me mexi desconfortavelmente no colo do loiro, que me olhou inquieto.

Juro que tentei até mesmo avisa-lo que algo nada legal aconteceria, porém, não consegui. Abri minha boca, e tudo o que saiu foi tudo o que eu havia comido minutos antes, e bom... direto na cara da Lila, e em toda a sua roupa de marca, além dos sapatos...

Ela arregalou os olhos, assim como eu e Adrien. O silêncio se fez presente, até que a porta do apartamento foi aberta. Eu e Adrien olhamos.

 

- Olá bom de cas... - Vimos Alya e Nino entrando, e logo eles olharam para nós. Arregalaram os olhos, surpresos e Alya se pronunciou. - Mas que porra tá acontecendo aqui?!


Notas Finais


E ai? O que acharam? ¬u¬
Altas revelações no próximo capítulo qq

Enfim, espero que tenham gostado zamores!
Comentários sempre bem vindos!
Tia agora vai voltar a ler o livro ¬u¬
Beijoooooooo! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...