História Back and forth - (Shortfic) Park Chanyeol - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Kris Wu, Personagens Originais
Tags Back And Forth, Chanyeol, Comedia, Exo, Troca De Corpos, Universitários
Visualizações 27
Palavras 2.336
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fantasia, Ficção, Hentai, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oii meus amores! Voltei com mais um capítulo dessa confusão tão fofinha... ou não kkk

Sei que estou demorando para atualizar minhas fanfics e ainda não postei a oneshot que eu prometi, mas vai sair gente!

Tenham uma boa leitura e nos vemos nas notas finais...

Beijinho :*

Capítulo 4 - Capítulo 3 - Everything normal again?


Fanfic / Fanfiction Back and forth - (Shortfic) Park Chanyeol - Capítulo 4 - Capítulo 3 - Everything normal again?

Eu sinceramente queria saber qual foi o crime que eu cometi na minha vida anterior. Será que eu fui um dos desbravadores que exploravam os mares e saqueavam os navios alheios? Ou fui uma traficante de escravos? Uma nazista? Será que fui uma bruxa ou até uma feiticeira que fez mal a uma princesa e amaldiçoou um reino?  E se eu fui um serial killer?

Não sei qual foi o pecado ou crime que eu cometi, mas o retorno está vindo com tudo para cima de mim.

Não bastasse toda essa mudança absurda na minha vida ainda fui obrigada a vir a essa festa.

O colega de Chanyeol que descobri se chamar Kai praticamente me obrigou a estar aqui, ameaçou tirar fotos íntimas minhas e mandar em um grupo de meninos. Não que eu me importe com a imagem de Chanyeol sendo disseminada por aí, mas não quero que ele por acaso resolva se vingar de mim por causa disso. Imagina se ele sai sem roupa pelo campus? Não quero nem pensar nisso.

Mas retornado ao ambiente em que eu estou. Acabei vindo para a tal festa que está acontecendo em uma casa próxima ao campus, alguns alunos que não querem seguir as regras do dormitório e que podem pagar por uma moradia escolhem viver assim, da maneira mais louca possível.

Aqui tem tudo que eu não gosto. Música absurdamente alta, várias pessoas bêbadas por todo lugar, gente quase se comendo em público, alguns loucos dançando sobre o balcão da cozinha, e eu, que estou sentada em um sofá ao lado de um casal que precisa encontrar um quarto urgentemente ou eu terei o desprazer de ver um pornô ao vivo e a cores.

Tento me distrair com alguma coisa no telefone e me assusto com o horário, já são quase meia noite e eu ainda estou aqui.

Me levanto afoita e começo a procurar por Kai, preciso avisa-lo que irei embora.

O avisto na cozinha xavecando uma moça morena e tento caminhar mais rápido ao seu encontro. Acabo esbarrando em algumas pessoas e derramando todo o refrigerante que estava em meu copo na blusa da pessoa a minha frente, que me lança um olhar mortal.

Sem muito tempo para brigar e sem nenhum conhecimento para tal ato me curvo insistentemente frente ao cara que me olha com ódio e me manda vazar da frente dele.

Volto a olhar para a cozinha e agora Kai já não fala mais com ninguém, mas está pensativo com um copo de bebida na mão.

Caminho novamente em sua direção e quando estava quase ao seu lado sinto uma pontada na minha cabeça.

É uma dor diferente das que já tive. Sinto como se o cérebro de Chanyeol estivesse sendo retorcido. Me apoio na parede ao meu lado e tento normalizar minha respiração que agora está pesada.

Olho para Kai que agora me observa e antes de conseguir pronunciar seu nome sinto o corpo de Chanyeol indo de encontro ao chão.

Quarto da Avery

23: 35

E mais um filme foi finalizado. Nem acredito que passei a tarde toda assistindo os filmes da Marvel. Super heróis são fodas demais. Super força, habilidades especiais de luta, armadura super tecnológica, voar com um martelo pelas dimensões, manipular mentes. Eu realmente adoro os heróis, quem me dera ser um.

Mas eu sou apenas eu, pelo menos era nisso que eu queria acreditar, pois nem eu mesmo eu ainda sou.

Depois de fechar o notbook da Avery e ir escovar os dentes com a MINHA escova de dente que eu trouxe do meu quarto, fico pensando na mensagem doida que a mesma me mandou me ameaçando de morte.

Se não bastasse ela viver mandando em mim agora ainda corro o risco de morrer.

Não entendo o motivo de tanto alarme. Isso tudo porque eu não contei a ela que eu dividia o quarto com o Kai? O máximo que pode ter acontecido foi o Kai andar pelo quarto pelado, nu, sem roupa alguma cobrindo suas partes, isso é normal vindo dele.

Termino de escovar os dentes e concluo que nada que eu fizesse ia mudar os fatos. Mesmo com a informação de ter outro homem no mesmo dormitório que ela nada iria mudar. Sei que o efeito surpresa deve ter deixado ela fula da vida. Mas eu esqueci ué! Isso é normal, esquecer as coisas é normal. Ela por exemplo não me disse que não tinha comida aqui no quarto, me obrigando a ter que gastar o suado dinheiro do meu áboji.

Assim que termino de arrumar a cama com mais uma coberta verifico o horário e vejo que já são quase meia noite.

O que será que aquela terrorista está fazendo agora? Deve estar assistindo algum programa chato de televisão, ou usando meus olhos para chorar pelo Kris hyung que foi um babaca com ela.

Deitei-me emburrado ao me lembrar da festa que estava acontecendo e eu não pude ir por conta dessa maluquice que aconteceu comigo e com a Avery codinome terrorista.

Só de lembrar que não sei como vamos resolver esse problemão tenho fome de novo, mas de forma alguma eu vou me levantar para comer, ainda mais que faz frio lá fora e eu já escovei meus dentes.

Pego meu telefone e resolvo ver as mensagens do kakao. Nada de muito importante esta acontecendo, só há fotos que o Kai mandou no grupo do time.

Resolvo baixa-las e me afundar na solidão, vendo meus amigos se divertirem na festa que eu deveria estar.

Me enrolo ainda mais nas cobertas e sinto minha cabeça doer um pouco, deve ser o efeito colateral de tantas horas em frente ao notbook.

Passo as fotos uma por uma e sinto-me ainda mais só. Não que eu seja festeiro ou algo do tipo, porém eu realmente queria ter saído para me distrair hoje.

Passo uma foto, mas volto nela rapidamente.

O que eu estou fazendo ali? Ou melhor o que a Avery foi fazer naquele tipo de lugar?

Levanto-me de forma rápida da cama decidido a ir atrás da terrorista e tira-la daquele lugar imundo, mas uma tontura me pega desprevenido. Procuro pelas pantufas que eu usava mais cedo e assim que me abaixo para pega-las debaixo da cama sinto novamente uma pontada na cabeça. Me apoio na beirada da cama e respiro fundo.

 Sem entender de onde surgiu esse mal estar me sento na cama. Procuro por meu celular e já são onze e cinquenta e nove, assim concluo que terei que resolver esse mal estar primeiro e depois dou um jeito de achar a Avery.

Me deito novamente na cama ainda usando as pantufas nos pés. A sensação que tenho é que o cérebro da terrorista está sendo amassado, dores terríveis me fazem contorcer-me.

E antes mesmo de eu poder me levantar para procurar um remédio sinto as vistas escurecerem e apago.

 

.................................................                        Algumas horas depois

 

Aonde será que eu estou? Sinto meu corpo doer mais que o normal. Nem um alongamento de espacate me deixa tão dolorida assim.

Abro meus olhos vagarosamente e me deparo com o teto do meu quarto. Gostaria de saber como cheguei aqui já que a ultima lembrança que eu tenho é de ir de cara com o chão na festa de não sei quem.

Me sento e estranhamente estou vestida com um moletom, mas não era essa roupa que eu coloquei ontem a noite antes de ir naquele lugar barulhento.

Lentamente me levanto e caminho em direção ao banheiro, massageio uma de minhas têmporas que insiste em latejar de forma louca.

Minha bexiga dói com ânsia de ser esvaziada, depois de fazer minhas necessidades fisiológicas vou escovar meus dentes.

Ainda de cabeça baixa coloco a pasta de dentes na minha escova e assim que levanto o olhar me espanto com meu reflexo no espelho.

Aparentemente eu sou eu mesma.

Apalpo meu rosto e até belisco o meu braço para ter certeza de que estou acordada. E sim! Eu estou aqui, Avery Johnson, neta de Arnold Johnson, estudante na KNSU, 22 anos, ruivinha e de volta ao meu corpinho.

Me animei instantaneamente. Depois de higienizar minha boca me animei a tomar um banho.

A água quentinha caia sobre meus ombros me libertando de toda pressão do dia anterior.

Diversas vezes me perguntei se realmente havia sido real toda essa loucura de viver um dia no corpo de Park Chanyeol. E sim tudo foi real, mas a forma com que foi resolvida me alegra demais. Agora tudo voltará ao normal.

Irei as minhas aulas e treinos, me prepararei para a competição que está chegando e irei curar meu coração de toda mágoa e insegurança que Kris deixou.

Não entendo o porque da vidente ter escolhido justamente eu e Chanyeol para pregar essa peça, só espero que nunca mais isso se repita. E eu prometo que se eu ver essa mulher na rua eu vou pagar o dinheiro dela, isso depois de dar-lhe uns belos tapas.

Terminei meu banho e me arrumei para ir à aula que teria naquela manhã. De forma simples coloquei o uniforme da ginástica e por cima um agasalho do curso, fiz um rabo de cavalo em meus cabelos e calcei meus tênis. Verifiquei meus materiais e sai em direção a minha sala.

Estranhamente tudo estava mais tranquilo hoje. Passei na lanchonete do campus antes de ir para aula e ela estava bastante calma, nos corredores não havia quase ninguém a não ser por poucas pessoas comentando sobre seus assuntos, de vez em quando eu sentia alguns olhares sobre mim, mas deve ser somente impressão minha.

Cheguei a minha sala e ajeitei-me em uma carteira qualquer, verifiquei meu celular e ainda faltavam vinte minutos para que a aula começasse.

Distraída tomando meu café quase não percebi uma presença ao meu lado.

Era Chanyeol. Que sorria e me encarava de maneira despreocupada.

- Bom dia Avery! Lindo dia não? – comentou animado.

- Bom dia Chanyeol, o que faz aqui?

- Eu somente queria confirmar que estava tudo bem, já que eu estou ótimo. Novinho em folha. – falou enquanto apontava para si.

O olhei de maneira desconfiada. Afinal nunca fomos amigos.

- Vamos esquecer o que aconteceu ontem tá? Tenho certeza que não vai acontecer de novo. Bom é isso que eu espero. – ao ouvir minha fala ele somente concordou com a cabeça.

- Qualquer coisa me liga Avery. Fica bem.

Esse Chanyeol é muito estranho mesmo, disse isso sem mais nem menos e saiu. Foi embora deixando uma interrogação enorme na minha testa.

- Você pode me explicar o que houve com você Avery? – ouvi a voz melódica da Keila ao meu lado. Sua expressão não era nada boa. – Por onde você andou ontem o dia todo hein? Porque não me atendeu? Não me diz que estava chorando pelo idiota do Kris.

Minha amiga realmente estava nervosa comigo, nunca vi essa brasileira tão brava.

Ela se sentou ao meu lado esperando por respostas. Mas o que eu ia dizer para ela? Que havia passado o dia no corpo de um homem? Que uma vidente havia me lançado uma praga, mas que parece não ter dado certo, já que estou aqui no meu corpo novamente.

Até ter certeza de que tudo estava bem eu precisava guardar isso só para mim, afinal de contas nem eu acreditaria em uma história assim.

Olhei para o lado e vi que ela ainda me encarava com a cara fechada.

- Eu só tirei o dia para descansar Keilinha, por favor, não briga comigo. – falei manhosa e terminei de beber meu café.

Ela não disse nada mais e resmungou alguma coisa que não tentei entender.

Na hora certa eu abro o jogo com a minha amiga. Sei que ela vai compreender.

 

Chanyeol PVO

Não entendo o porquê de ter ido até a Avery verificar se ela estava realmente bem. Mas parece que agora eu me importo com ela, ainda mais depois de saber as babaquices que o ex-namorado dela fez.

Ela parece ser uma pessoa boa. Mesmo sendo mandona e me ameaçando de morte, eu acho que tudo que a gente passou ontem deixou ela bem chateada.

Mas se os deuses quiserem nunca mais iremos passar por tal situação.

Além de todo o constrangimento de cuidar de um corpo feminino ainda passei pelo inKairrogatório hoje de manhã.

As mais diversas perguntas foram feitas a mim. Desde o porque de tampar meus olhos quando ele estava trocando de roupas até sobre meu desinteresse na festa e por fim o meu desmaio repentino.

O que eu pude comprovar é que quando deu meia noite eu e Avery voltamos para os nossos corpos, por isso a dor de cabeça e o mal estar.

Mas ainda não dava para falar sobre isso com o Kai. Ele ia rir da minha cara e ainda ia-me dizer que estou usando drogas.

Minha resposta foi estar cansado e estressado com os jogos que estavam se aproximando.

Ele não perguntou mais nada e eu resolvi não estender mais o assunto.

E falando em assunto não sei o porquê das pessoas cochicharem e ficarem me olhando de cara torta. Será que alguém percebeu alguma coisa sobre a troca? Mas nem estamos trocados mais.

Caminhei em direção ao vestiário masculino com minha mochila nas costas. Já imaginando o falatório do treinador seguido da punição pela minha falta de ontem, é inadmissível que o capitão do time falte aos treinos, e eu como capitão falhei e faltei ontem.

Assim que estava chegando próximo à entrada do vestiário Kris hyung praticamente se materializou a minha frente.

Sem entender nada eu tentei passar por ele, que me impediu empurrando meu peito com as mãos.

Me desequilibrei um pouco, mas busquei o equilíbrio e rapidamente corrigi minha postura.

Nossos olhos faiscavam desafiando um ao outro, meu corpo tornou-se rígido e tomei uma postura defensiva.

Ele caminhou lentamente até mim e bem próximo ao meu rosto fez a pergunta mais absurda que já ouvi.

- Quem você pensa que é para ter alguma coisa com a Avery Johnson? 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


E então amores será que realmente tudo voltou ao normal? E esse Kris dando uma de valentão?

Então meus amores vou deixar aqui os links das minhas outras fanfics e de uma drabble que fiz do J-hope... Deem uma olhadinha!

Lucky one - Oh Sehun
https://www.spiritfanfiction.com/historia/lucky-one--oh-sehun-13588147

Don't leave me again - Jeon Jungkook
https://www.spiritfanfiction.com/historia/dont-leave-me-again--jeon-jungkook-12032102

Ela é minha esperança - Jung Hoseok
https://www.spiritfanfiction.com/historia/ela-e-minha-esperanca--jung-hoseok-13589651

Por hoje é isso pessoal! Não esqueçam de comentar o capítulo me falando o que acharam... ajuda muito!

Sigam meu perfil spirit: @_Gabis / Wattpad : @_gabys

Até a próxima amores!!!

XOXO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...