História Back to Hogwarts - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Blásio Zabini, Draco Malfoy, Harry Potter, Hermione Granger, Lucius Malfoy, Narcissa Black Malfoy, Pansy Parkinson, Personagens Originais, Remo Lupin, Ronald Weasley, Severo Snape, Sirius Black
Tags Drarry, Filhos, Harry Potter, Hermione, Hogwarts, Mistério, Nova Geração, Pansy, Rony, Zabini
Visualizações 71
Palavras 2.400
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Lidem com essa fanart do Draco Gostoso Malfoy.

Me falem nos comentários com que vcs shippam o:

Scorpius
Orion
Aisha
James
Aline
Cameron
Rose
Lucille
Gwen
Madeleine
Thomas
Orfeu
Teddy
Brenda

Aproveitem e me fala seus TOP 5 personagens favoritos, 5 antigos (como o Harry, Mione, Rony) e 5 dos novos (Thomas, Teddy, Orfeu), por favor, peço que comentem, isso vai ser mt importante pra fanfic.

Capítulo 8 - Trio de Ouro


Fanfic / Fanfiction Back to Hogwarts - Capítulo 8 - Trio de Ouro

Rose Weasley Zabini acordou gritando de dor na enfermaria, a ruiva olhou para o lado, e viu Lucille flutuando no ar.

A Grifinória procurou por sua varinha, mas não a achou em lugar nenhum, então subiu na cama, e tentou pegar sua irmã, mas falhou.

A ruiva continuou no ar, e começou a rodar.

- Socorro! - Gritou Rose 

Gwen Granger estava andando por perto, escutou a ruiva e foi ajudá-la. 

A morena entrou no quarto, e viu a garota tentando pegar sua irmã, que ainda estava descontrolada, mas tinha alguma coisa errada com ela, pequenas gotas de sangue escorriam dos seus braços, como se algo a arranhasse.

A Corvinal conjurou um feitiço, fazendo com que Lucille voltasse para o chão, Rose correu e a abraçou.

- Você está bem? - Perguntou Gwen, a garota tinha esquecido de como o cheiro da ruiva era gostoso.

- Agora que você chegou estou bem melhor...

As duas garotas ficaram abraçadas, por tanto tempo, que nem repararam quando a chuva começou a cair.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

 

Orion tinha ido consolar Madeleine, que estava na mesma mesa que a dele, sobre Agnes.

Mad estava de cabeça abaixada chorando, mas sem emitir nenhum som, a morena não queria demonstrar fraqueza, mas ela estava com tanto medo.

- Me pai me contou sobre todas as aventuras dele - Orion acariciava lentamente os cabelos lisos e negros da garota - Quando Voldemort tentou o matar, ele era apenas um bebê, então não lembra de nada, Harry me disse também sobre sua luta com o Basilisco, até hoje ele ainda tem uma cicatriz, mas quando foi pego no cemitério, durante o Torneio Tribuxo, meu pai chorou, porque viu Cedrico Diggory morrendo, e ele sabia que estava sozinho e que seria o próximo - Os olhos castanhos da garota brilhavam com lágrimas, quando ela encarou as duas esferas verdes de Orion - Harry nunca sentia medo, porque tinha seus amigos, que também eram sua família, e meu outro pai, Draco; mas enquanto estava preso na estátua de Anjo sangrando, ele chorou. Isso não quer dizer que ele seja fraco, todo mundo sente essas coisas, sei que no momento você deve estar do mesmo jeito que meu pai estava, à anos atrás. Mas você não está sozinha Madeleine Granger Parkinson, estou aqui.

Mad abraçou seu amigo e finalmente voltou a sorrir.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Scorpius foi até a mesa da Corvinal para falar com Brenda, a garota estava lendo um livro grosso.

- Nunca li esse - Murmurou o loiro. 

- Que pena, é fascinante.

O garoto se aproximou bem perto dela e disse baixinho - Grifinórios não sabem ler... Rony e Harry passaram todos os seus anos em Hogwarts colando da Hermione - Brincou Scorpius fazendo a morena corar. 

Ela delicadamente se afastou.

O Grifinório sentiu-se confuso, a maioria das garotas e garotos de Hogwarts o achavam muito bonito, a pele pálida, os olhos verdes, e o cabelo loiro espetado só contribuíam para isso, porém o mais importante, ele era simpático com todo mundo, o que deixava as pessoas confortáveis, mas pelo jeito, a Corvinal era a exceção.

- Sempre achei Hermione Granger incrível...

- E ela é mesmo, falando nisso, ainda não sei seu sobrenome.

A garota sorriu discretamente - Eu sei o seu.

- Todo mundo na escola sabe.

- Obrigada por estar sendo gentil, mas... Eu prefiro ficar sozinha, me sinto acolhida nos livros, eles me deixam confortável, e nesse momento, só preciso disso.

Scorpius abriu a boca em surpresa.

- Não é por mal, você é muito gentil, só não sei como falar contigo nesse instante, sou muito tímida - Murmurou Brenda.

O loiro assentiu - Desculpe, não quis incomodar - O garoto foi andando de costas para longe, mantendo seus olhos fixos na morena - Ainda vou descobrir seu sobrenome.

O Grifinório nem viu quando tropeçou em Snape, Scorpius caiu de bunda no chão, e corou quando Brenda soltou uma gargalhada baixinha.

- Você deveria estar na sua mesa - Disse o professor de poções - Agora!

Ele voltou para sua mesa, e deitou a cabeça nela, pensando em como faria para não parecer idiota na frente da Corvinal.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Aline estava sentada na mesa da Sonserina, olhando seu irmão passar vergonha na frente da escola, a ruiva adorando ver aquilo.

Severo continuo andando e parou na mesa da sua Casa.

- Oi tio Sev! - A Sonserina abraçou o professor, que era também seu padrinho, graças a Draco que insistiu nisso.

O homem retribuiu o gesto - Como eu queria que todos os meus alunos fossem como você, aplicados e inteligentes.

A ruiva gargalhou- Acabou de citar qualidades da Sonserina.

- Já estava na hora dessa escola ver uma ruiva inteligente - Orfeu piscou para a garota, e comprimentou Snape - Os Weasleys nunca foram nenhum exemplo de perspicácia. Com licença Senhor, eu queria saber quando o curso avançado de Poções começa...

- Em breve - O professor escolhia alguns poucos alunos para suas aulas avançadas, só os que mais se destacavam em sua matéria, esse ano ele só convocou oito alunos, Melissa Lovegood Longbottom, Aline e James Malfoy-Potter, Orfeu Lestrange Riddle, Cameron Weasley Zabini e as Corvinais Gwen e Brenda, além de Teddy Tonks.

Ele pretendia conversar mais com a ruiva, porém Minerva McGonagol o chamou.

Aline voltou para seu lugar, brava por ter sido interrompida e continuo desenhando.

Orfeu lhe ofereceu um copo de leite 

- Odeio leite puro.

O garoto passou a mão por seus cachos negros e sedosos, e sentou-se ao lado da ruiva - Gostei do desenho, mas por que está desenhando um Salgueiro Lutador? 

- Ontem vi ele e pensei em fazer um retrato. 

- Só isso? Eu juro que esperava uma resposta mais complexa...

Aline o fuzilou com os olhos - Vaza daqui.

- Estou na mesa da minha casa.

- Se quiser ficar de papo furado vá para a Grifinória.

- Tão simpática, como não te escolheram para a Lufa-Lufa?

A ruiva deu um pisão no pé do garoto, que derrubou seu café no desenho dela.

Aline ficou tão brava que pegou sua varinha e apontou para o moreno, que rapidamente se levantou, lançando um feitiço, que fez com que o café sumisse.

- Já concertei meu erro, ainda quer me matar?

- Para falar a verdade, quero sim.

Orfeu gargalhou, e deu um selinho rápido na ruiva - Pronto. Agora pode tentar.

A Sonserina lançou um feitiço no moreno, porém assim que chegou perto dele, sumiu.

O garoto apontou para seu colar, que tinha o símbolo de uma cobra - Enfeiticei ele para que fosse uma barreira, não pode me ferir ruiva - Orfeu piscou novamente - Nós vemos na aula avançada de Poções.

- Não posso te ferir, mas ainda sei socar - Gritou Aline.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

 

Aisha estava sentada na mesa da Grifinória, os alunos já estavam trancados lá a um bom tempo, e ela sabia que o diretor fez aquilo para distraí-los, porém a loira ainda tinha o presente que Sirius lhe deu.

E isso seria muito útil agora.

 

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

 

Harry Potter estava na cama com Draco Malfoy, quando outra carta branca chegou para lhes convocar, assim que ela criou uma boca, o loiro a queimou.

- Onde estávamos? Ah é, na parte que eu te faço gemer - Disse o Sonserino com sua voz rouca.

Duas novas cartas brancas entraram por baixo da porta.

- Puta que o pariu, por Merlin! - Gritou Malfoy - Só porque Dumbledore não transa, ele quer que todos sejam infelizes como ele?

Potter gargalhou - Dray, melhor deixar elas falarem, os Dursleys tentaram me impedir de pegar minha carta de Hogwarts, e elas nunca pararam de vir. 

Draco se deitou na cama, desistindo de beijar o moreno, e ouviu a carta lhes convocando, de novo.

Seu filho James estava quase sendo expulso, de novo.

Enquanto Harry trocava de roupa rapidamente, o loiro murmurou - Tem certeza que a casa dele é a Sonserina? Pra mim ele está agindo como um Grifinório.

O casal ouviu um grande barulho, e a porta da sala deles foi derrubada, Black invadiu o quarto com sua moto, e Lupin na garupa.

- Filho! Temos que ir para Hogwarts imediatamente, meus netos estão em perigo - Disse Remo.

- Por Merlin, vista-se Malfoy, ninguém quer ver sua cobrinha minúscula e albina. - Gritou Sirius 

- Como assim em perigo? - Perguntou Potter.

- A cobrinha aqui sempre deixou o Harry muito feliz, e deu 5 filhos para ele. - Rebateu Draco.

Lupin mostrou o jornal para o moreno.

- Caralho!

O loiro leu a notícia, e se vestiu rapidamente, vou chamar meus pais.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Hermione Granger estava cozinhando, enquanto Pansy a abraçava.

- Como está indo seu caso, o dos Elfos?

- Muito bem - A cacheada se virou para beijar a morena - Senti sua falta hoje...

- Eu também - Parkinson ligou o rádio - Agora que tal uma dança Sra. Granger?

Hermione segurou na mão de sua esposa, e "Send Me an Angel" começou a tocar, as duas se abraçaram e dançaram no ritmo da música.

Quando Mione errava algum passo, Pansy dava risada, as duas estavam tão felizes.

Mas como tudo nessa vida, nada dura para sempre.

Minerva McGonagol aparatou no meio da cozinha delas.

- Sra. Granger e Sra. Parkinson, lamento muito em dizer isso, mas sua filha Agnes está morta.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Lucios Malfoy estava tendo um dia bem agradável na sua Mansão, quando seu filho Draco aparatou lá desesperado, e com um chupão nada elegante no pescoço, juntamente com Harry, que veio seguido por Lupin e Black.

O loiro revirou seus olhos, seus cabelos estavam brancos, mas ele mantinha a classe, diferentemente de Sirius, que se achava um motoqueiro.

- Pai! Mãe! - Gritou Draco - Vamos aparatar agora!

Narcisa Black foi para perto do marido - O que foi?

- Vai salvar o mundo? Achei que tinha se aposentado disso.

- Seus netos estão com problemas! - Gritou Harry.

Lucios e Narcisa se levantaram rapidamente - Por que não falaram logo? Vamos lá, imediatamente.

Enquanto a família sumia, o jornal caiu no chão, era uma matéria de Rita Skeeter, falando sobre um tal de Conde, que tinha acabado de atacar Hogwarts e matar uma enfermeira.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Dumbledore olhava fixamente para Cameron e James, alguma coisa não se encaixava.

O homem sorriu e abraçou Harry, quando o mesmo aparatou em sua sala - Você está muito bem Potter! Não envelheceu nada.

- Obrigado, você também está fantástico.

Os dois riram, enquanto Draco olhava chocado para a cena - Bizarro...

Dumbledore abraçou Sirius e Lupin, e deu um aceno para os Malfoys.

- Chega de baboseira, o que me filho fez dessa vez? - Disse o loiro acabando com o clima.

Foi quando Hermione e Pansy chegaram, acompanhadas de Minerva, as duas estavam acabadas, e dava para ver que andaram chorando ultimamente.

Parkinson se aproximou bem perto do diretor e gritou - Como você pode deixar nossa filha morrer? 

Granger abraçou a esposa - Gritar não vai trazer Agnes de volta...

- Ele não pisou na bola só com vocês - Blásio Zabini chegou com seu marido Ronald Weasley - Nossas filhas foram parar no hospital.

- Meus netos estão bem? - Interrompeu Black.

- Se alguma coisa acontecer a eles, juro que processo vocês - Completou Narcisa.

- Eu sempre falei que essa escola era péssima no quesito segurança - Disse Lucios.

- Silêncio! - Gritou Harry - O que aconteceu exatamente?

- Cameron está culpando James de ter matado Agnes, mas o Sr. Malfoy-Potter acabou de me contar sua história, ele estava andando pela escola depois do horário com Orfeu Riddle - Quando Dumbledore disse isso todos os pais e avôs da sala ficaram brancos - Eles fizeram algumas... Brincadeiras, para ver quem era mais poderoso, por isso ele está machucado; além disso, James afirma que não fez nada, e que Cameron já estava na cena do crime antes.

- E?  - Perguntou Zabini.

- Alguém está mentindo...

- Fantástico Sr. Hercule Poirot, mas quero ver o corpo da minha filha, agora - Exijia Pansy.

- Não tem nenhuma outra testemunha? - Granger tentava controlar as lágrimas que insistiam em cair.

- Temos. Seu filho Thomas.

O Lufano entrou na sala - James diz a verdade.

- Prove - Mandou Cameron - Todo mundo sabe que você tem uma quedinha por ele desde sempre.

- Nosso filho nunca machucaria ninguém - Interviu Rony.

- Ninguém fez nada - Se explicou Thomas, que estava corado - Eu e Cameron achamos a cena antes de todo mundo, e esse covarde me empurrou no sangue para se salvar, e depois culpou o James.

- Mas você estava paralisado - Disse Dumbledore.

- Ele fez isso para me proteger!

Pansy e Hermione olharam para o filho como se ele tivesse perdido o juízo.

- Eu já disse que quero ver o corpo da minha filha.

- Sinto muito, mas Agnes foi partida ao meio e... - Minerva parou quando as duas morenas começaram a chorar.

- Eu não acredito que você estava perambulando com um Riddle por aí - Gritou Potter - Como você pode deixar o filho de Voldemort entrar nessa escola? - O moreno fitava o diretor.

- Todos têm direitos. Não culpe uma criança pelos crimes de seu pai.

- Quem é a mãe? - Draco não sabia que louca daria para aquele homem.

- Bellatrix Lestrange.

O loiro se arrepiou todo, as vezes no meio da noite ele acordava gritando, achando que ainda estava sendo torturado, o Sonserino permanevia com a cicatriz "Traidor de sangue" no braço - Parece que já achamos o culpado.

- Se Orfeu for o culpado, James também vai ser incriminado junto...

- E daí? - Gritou Rony - Pare de defender esse pirralho mimado, por Merlin Harry, ele está andando com a cria de dois psicopatas, no meio da noite, é óbvio que está envolvido. E James vai ter que pagar.

- Incrimine meu filho de novo, e eu te mato - Rebateu Malfoy.

- Seu filho que está tentando jogar a culpa no Cam.

Dumbledore ia falar algumas palavras sábias, porém foi interrompido por uma série de gritos.

Aisha entrou chorando na sala - Ele matou outro aluno...

Harry Potter olhou nos olhos prateados do seu marido, ele sentia no fundo do seu coração, que uma nova guerra estava prestes a começar.


Notas Finais


Obrigada por lerem até aqui 💕.

Não esqueçam de responder às perguntas.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...