1. Spirit Fanfics >
  2. Back To You >
  3. Karma

História Back To You - Capítulo 22


Escrita por:


Capítulo 22 - Karma


Fanfic / Fanfiction Back To You - Capítulo 22 - Karma

 POV'S OF SELENA GOMEZ 

LOS ANGELES, CALIFÓRNIA.

  — Você conta ou eu conto?

Bieber está me pondo em uma situação desagradável porque as garotas esperam que eu fale logo o que está acontecendo. 

 Céus, como vou dizer: eu e seu pai somos só amigos agora! Do jeito que Caroline é, vai surtar. Elas não entendem o tipo de relacionamento que estou tentando ter com o cretino do pai delas, não quero embaralhar suas cabeças com assuntos que só os adultos entendem.

— Selzinha, o que é?— Pergunta  pela terceira vez com a voz curiosa e imediatamente eu respiro fundo. Caroline não começa! 

— Ela não voltou pro papai.— A outra gêmea acrescenta. Olho para Bieber: tá vendo, não podemos ser sinceros com elas! 

— Mammy, é verdade?— Emory indaga acreditando em suas irmãs.

— Oh céus, parem porque vocês vão me colocar doida!— Ressalto alterada tentando dá um basta.— Seu pai e eu...— Puxo o homem para mais perto porque assim as três vão entender melhor. — Estamos indo com calma no relacionamento, é normal acontecer entre casal. 

— Não é normal pra mim, Selzinha.

Reviro os olhos. A loirinha consegue ser tão intrometida e metida, Caroline não tem jeito.

Engulo seco quando percebo que só eu estou tendo a conversa com elas. Bieber está calado e ouvindo. É um frouxo!

— Oh Justin Bieber, explica aí pra suas filhas.— Murmuro um pouco impaciente. As três começam a discutir sobre nós dois como se não estivéssemos presentes. Quem essas garotas pensam que são para querer mandar em nossas vidas? 

— A mãe de vocês têm razão.— Pela primeira vez ele fica do meu lado.— Selena e eu entramos em um acordo para viver um relacionamento saudável, estamos deixando as coisas do passado para trás...— Seus olhos me fitam desesperadamente para que eu concorde. Mas impossível, aquela defunta sempre vai infernizar nossas vidas! — Estamos felizes assim, e respeitem a nossa decisão.— Ele diz firme, é raro vê-lo usando sua moral de pai para encerrar o assunto.

Júlia e Caroline assentem entreolhando uma para outra desconfiadas. Emory não concorda e nem discorda fica em total silêncio. A bebê chorona é a única em continuar com a mãozinha na boca chupando o dedo. 

 É fome. Acho que todos nós precisamos de comida e vai ser difícil dá alimento as garotas sendo que não temos dinheiro para comprar. 

Saio puxando Bieber para irmos até fora do trailer conversar.

(...) 

Depois de alguns minutos apenas observando os movimentos dos carros transitando pela rua, digo: 

 — Vou ter que vender o meu corpo para conseguir alimento pra elas.— Disparo fazendo o loiro arregalar os olhos bastante assustado. —Bieber não me olhe com essa cara, você acha que é fácil pra mim tomar essa decisão? Claro que não porra, mas eu prometi para as garotas ontem a noite que não deixaria elas passarem fome..— Jogo as palavras sendo bem direta enquanto suspiro fundo.

O loiro pisca os olhos algumas vezes de cabeça baixa. Ele parece pensativo como se pensasse em uma solução: 

— Eu nunca vou permitir que você faça isso, Selena.

Rebate demonstrando estar insatisfeito. Não acho que seja só ciúmes dele e preconceito com a profissão de garota de programa. Na minha opinião ele está tentando arrumar o melhor cenário para gente não ter que recorrer para meios mais severos. 

— Posso arrumar um emprego de garçom ou trabalhar em um bar quem sabe.— Sugere um pouco esperançoso como se as coisas fossem fáceis, principalmente pra ele que é um ex presidiário.

As pessoas não dão emprego a vagabundo. 

— Bieber não é bem assim.— Elevo a voz para fazê-lo cair na real.— Precisamos de dinheiro agora, é questão de sobrevivência.— Digo tentando abrir os seus olhos. 

Vamos tomar a área do Mendes —Direciona o foco para o beco, seu tom é sugestivo, rapidamente engulo seco.

Puta merda vender drogas! Se fosse em algumas semanas atrás seria fora de cogitação, mas na situação que eu e ele estamos não podemos desperdiçar a única oportunidade válida. E fora que os clientes do beco vão comprar a mercadoria a nós. Não vamos passar fome, o único risco é ser presa, porém a minha vida com Bieber é tão cheia de altos e baixos que vale a pena correr o risco para deixar as garotas bem. 

— Já que não tem outra saída...—Dou de ombros, disposta a voltar para os velhos tempos.— Vamos tomar o lugar e impedir que o beco seja demolido. — Completo e Bieber assente sabendo o quanto posso ser ótima nos negócios. Aliás, conheço bem como funciona o sistema. 

Nasci para ser mulher de bandido.

(...) 

Algumas semanas depois... 

Os dias, não só as semanas vão se passando rápido. Os estragos que Shawn Mendes deixou vai evoluindo para um quadro mais favorável para erguer  a  boca de fumo. O fornecedor da droga encarregou vários quilos, eu e Justin estamos conseguindo manter uma média favorável de lucros. 

Conto o dinheiro. Os viciados são os que mais rendem no negócio. Eu cuido da parte financeira e Bieber cuida em repassar a maconha para outros pontos. Como em boate, festa e lugares de aglomerações. 

— Chefe, tem uma mulher aí querendo falar com você.

Ainda não me acostumei em ter capanga que faz o serviço sujo das cobranças, e aliás, eles são bem gostosos. Que Bieber não me escute dizendo isso! 

 Nosso relacionamento não está nos melhores momentos, estamos muito mais ocupados vendendo drogas do que mesmo fazendo amor.

— Ela disse pelo menos o nome?— Pergunto a contragosto enquanto separo os dólares na mesa. 

Sara Sampaio

Meus olhos se arregalam. Como essa mulher teve coragem de vim até mim? 

— Diga para essa vadia que não estou disponível. 

— Ela falou que é um assunto do seu interesse.— O capanga dá ênfase com um certo receio de insistir.— Trata-se da sua filha, Emory.

Bato a minha mão na mesa, colocando-me de pé. Que inferno! Com toda a minha falta de paciência eu concordo em receba-lá. Acendo um cigarro e começo a fumar na tentativa de me acalmar. Porque se for para ela me ameaçar de novo eu mato essa defunta e faço a alma dela queimar bem longe da minha existência. 

Maldito seja o dia que Bieber resolveu me trair com essa infeliz. 

A dissimulada surge com um sorriso no rosto segurando um envelope branco na mão. Ela senta na cadeira e permaneço de pé. Quero que essa praga desapareça de minha vida e leve junto a vergonha na cara. Pois não é possível que tem a audácia de me procurar depois de tudo. 

— Não vai sentar?— Aponta para cadeira vazia, reviro os olhos.

Acabei montando um pequeno escritório que fica em um dos prédios do beco para auxiliar melhor o negócio. Na casa que era minha, deixei como quarto das garotas e montei um local só delas. No domicílio vizinho eu criei como meu espaço, muita das vezes durmo sozinha e Justin costuma ficar no quartinho que fica armazenada as drogas. 

— Não quero, obrigada!— Respondo totalmente grosseira, no entanto a defunta apenas sorri. 

— Qual é Seleninha, eu vim aqui em acordo de paz.— Viro-me em direção a ela indignada com seu tom sarcástico. —Veja só, você deu uma melhorada.

Analisa-me as minhas roupas, seus olhos percorrem de cima abaixo para o meu corpo. Uso um short preto e uma blusa da mesma cor que deixa a metade da minha barriga a amostra.  

— O que você quer, defunta? — Disparo com os olhos tomados de raiva. Novamente Sara sorri. 

— Falar sobre Emory.

— Ela é minha.— Corto logo suas intenções. —Dá o fora daqui antes que eu enfie uma bala na sua cabeça.— Gesticulo apontando para porta, meu tom soa alterado.  Minha vontade é de jogá-la para fora do beco pelos cabelos. 

— Calma, eu sei que ela é.— Diz e suas palavras me chocam. Desde de quando essa praga é compreensiva?— Como é mesmo que diz aquele ditado...— Finge não lembrar, fazendo cara de dúvida.— Ah sim, lembrei! Mãe é quem cria. — Dispara  com um sorriso irônico.

— Então se você sabe, o que veio fazer aqui?— Questiono me segurando para não fazer nenhuma besteira. Em outros momentos eu já teria estourado! 

— Vim saber como ficará a nossa relação com Jus. — A defunta dá de ombros na maior cara de pau. Que merda é essa de nossa relação?

— Olha aqui defunta...— Dou alguns passos para frente decidida a colocá-la para fora. 

Estou tensa e me contendo o máximo para não brigar com essa mulherzinha frustrada que só aparece para infernizar a minha vida. 

Paro alguns metros de distância da mesma procurando não me atingir com tão pouco.

— Eu soube que o relacionamento de vocês estão em crise, gostaria de ajudar...— Ecoa como se estivesse preocupada. Suspiro fundo, incrédula. Ajudar ficando longe? Sim, agradeço!— Você sabe que eu consigo reacender em Jus a paixão..— Diz super convencida, sua cara nem treme. Ela não tem o mínimo de senso em brincar com o perigo.

— Quem é o fofoqueiro que está te passando essas informações erradas? — Retruco querendo descobrir o deduro que fica vigiando o relacionamento dos outros.

— É uma fonte confidencial.— Dá de ombros.— Vamos voltar ao que interessa...— Reviro os olhos tendo que ouvir sua voz enjoativa.

— Se bieber fosse tão apaixonado por você, ele estaria ao seu lado agora.— Profiro e a mesma não parece se abalar. Gostaria de ter a frieza dessa sonsa! 

— Jus só não está comigo porque ele te ama.— Suas palavras me surpreendem. Cadê aquela defunta que adorava me chamar de segunda opção e se colocava no papel de principal da vida dele? — Mas ele é atraído por mim, quando ele te toca, ele me sente. — Acrescenta falando merda. 

— Eu não sou obrigada a ficar ouvindo isso. — Nego com a cabeça injuriada escutando tanta asneira. Ela só pode estar maluca! 

Quero te propor um triângulo amoroso.— Sua cara nem treme em pronunciar as palavras. Olho cética, totalmente abismada para cara de Sara Sampaio. 

Começo a andar pelo cômodo ouvindo seus argumentos mirabolantes. Bieber sendo dividido por mim e ela? lógico que não! Não faz sentido algum depois de tudo que aconteceu em nossas vidas eu me prestar um papel desses. 

Às vezes sinto que mais cedo ou mais tarde serei trocada novamente, se não for pela Sara, será por uma muito mais bonita que ela. É horrível admitir, mas no momento eu e Justin estamos numa fase que o relacionamento precisa de 100% de dedicação para não acabar como das outras vezes.

    Falta emoção

— Como funcionaria?— Questiono indignada comigo mesma por estar dando liberdade para a víbora prosseguir.

—Estaríamos todos fazendo amor juntos.

Ela lança um sorriso malicioso, não entendo a proporção das suas intenções, mas Sara me puxa e uma corrente de excitação sobe em meu corpo. Minha respiração fica descompensada. Meus olhos ficam encantados pela forma que a sua boca remexe com um batom vermelho. Minha intimidade fica molhada  por eu me sentir tão atraída pela intensidade de  seus olhos claros. Eu nunca beijei uma mulher antes, no entanto quando seus lábios dão passagem para minha língua adentra na sua boca é como se a sensação do proibido ficasse ainda mais fascinante. Estou conhecendo agora o porquê de Bieber ter se apaixonado tão rápido, ela beija incrivelmente bem e suas unhas afiadas deslizam sobre meu corpo trazendo-me a sensação oculta do prazer. 

É engraçado como o mundo gira. 

Estou traindo ele com a mesma mulher que ele me traiu.


Notas Finais


Chumbo trocado não dói kkk espero que gostem. E por favor, gostaria de pedir a vocês para adicionarem a fanfic na biblioteca porque algumas das minhas fanfics não estão chegando atualizações. Ate logo amores!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...