História Bad Behavior - Capítulo 76


Escrita por:

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, Jinson, Markjin, Markjinson, Markson, Yugbam
Visualizações 265
Palavras 3.432
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Slash, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Agradecemos aos favoritos e a todos que comentam!!! :D

Para mais informações ou se quiserem bater um papo com as autoras,
nos sigam no Twitter: @giseledute | @isidoroka ;)

Capítulo 76 - Capítulo 76


 

Era finalmente o dia do show e Mark estava uma pilha de nervos. Eram tantas coisas para resolver e em tão pouco tempo, mas pelo menos as atrações principais estavam bem e com as vozes perfeitas, então não parecia um completo desastre.

Contudo, tinham as partes ruins. A dona da empresa não parava de aparecer a todo momento, querendo garantir que seus artistas também teriam palco — muito mais tempo do que o necessário, na opinião de Mark —, e até Yang viera aporrinhar, como se tentar estragar a reputação de Youngjae com um filho que nem era dele, não fosse o suficiente.

— Irmão, você precisa relaxar — pediu o mais novo, indo rapidamente para as costas do mais velho e fazendo uma massagem, na qual o ruivo reclamou no mesmo instante. — Mark, você vai ter um troço assim.

— Ótimo, pelo menos não verei isso tudo sendo um desastre.

— Deixa de ser exagerado!

— Eu? Exagerado? E você que se esforçou para caralho só para isso?! — disparou o ruivo. — E é por isso que esse show tem que ser perfeito, para o meu irmãozinho brilhar!

Yugyeom pareceu surpreso, até dar um sorriso fraco.

— Você não precisa fazer isso por mim, Mark.

O ruivo revirou os olhos levantando o rosto do tablet que tinha nas mãos e fitando o irmão.

— Eu faço tudo por você, Yug.

O mais novo sorriu e não resistiu a puxar o ruivo para um abraço. Nem tinha discussão, pois Mark era o melhor irmão do mundo.

— Quando eu subir no palco, espero que você possa ver.

— Não perderia por nada. — Mark sorriu. — Vou filmar tudo igual aquelas mães corujas e depois vou mostrar para todo mundo!

Kim franziu o nariz.

—  Ai, que vergonha!

— Assim que é bom. Quanto mais envergonhado ficar, é porque mais elogios merece.

O mais novo revirou os olhos e somente abraçou o irmão outra vez. Estava feliz e as coisas pareciam certas de novo, então somente esperava que fosse bem no show e talvez Youngjae finalmente o chamasse para Ars. Estava confiante.

— Mark, eu tenho que ir me aquecer agora.

— Vai lá, irmão.

O moreno ainda deu um beijo na bochecha do mais velho antes de ir para área de aquecimento. Mark sorriu e não deixou de pensar em como tinha orgulho do irmão. Ele lutou tanto para estar ali e ao fim tinha conseguido. Tuan sabia que ainda havia muito mais para o rapaz conquistar, contudo estava feliz com como as coisas estavam caminhando.

Após aquilo, o americano terminou o que fazia e resolveu andar, procurando os amigos.

O primeiro que ele encontrou foi Bambam, que estava com uma câmera andando para lá e para cá enquanto a tudo filmava.

— Mark! — Bambam riu, puxando o ruivo para um abraço, que de início ficou surpreso, mas logo aceitou o gesto carinhoso. — Eu estava te procurando! Queria te filmar…

— Uma entrevista?

— Também, mas você fazendo coisas… Será que pode?

O ruivo mordeu o lábio inferior e balançou os ombros. Confiava em Bambam para retirar qualquer coisa que não pudesse ir para o Youtube.

— Claro, por que não? — Mark sorriu. — Eu tenho um tempinho agora… Se você quiser fazer as perguntas e depois é só me seguir.

— Ótimo!

Bambam colocou o tripé e Mark pensou em como ele estava carregando aquilo para todo lado. Era um pouco engraçado, mas o tailandês amava todo aquele trabalho, então Tuan estava bem com aquilo.

— Pessoal, estou aqui com Mark Tuan, manager de Youngjae — Bambam anunciou para a câmera e Mark deu um sorriso e acenou para a câmera. — Mark, então… está há quantos anos trabalhando com Jae?

— Cinco anos. Eu virei o manager dele assim que ele debutou — explicou o ruivo, sorrindo. — Eu digo que nós nos achamos, pois não era muito esperado que ele fizesse tanto sucesso logo de cara e por isso o colocaram comigo, que tinha acabado de entrar no emprego após os estudos. Mas… as coisas deram certo e olha onde estamos hoje, né?

— Vocês viraram amigos logo de cara, né?

— Sim, sim… É bem difícil não ser amigo de Jae. A personalidade dele atrai todo mundo em volta.

— Isso é legal, queria ser assim!

— Ah, ‘tá que você não é. — O manager revirou os olhos. — Pare de mentir para quem nos assiste, hn.

Bambam riu alto e Mark se fingiu de irritado.

— Então, para não tomar mais o seu tempo… Diga para quem está assistindo, o que esperar desse show?

— Esperem algo grande e inesquecível.

Wow!

Os dois riram e Bambam finalizou a gravação.

— Agora, eu vou atrás de Jae para garantir que está tudo bem — disse o ruivo, sorrindo para o amigo. — Você pode me seguir, se quiser.

— Opa, bom que entrevisto Jae.

O mais velho concordou e seguiu para o caminho que acreditava estar Youngjae. Momentos antes do show, ele sempre ficava no camarim, concentrando-se para a performance.

O ruivo então abriu a porta do camarim de uma vez, afinal não havia muita surpresa em nada que visse do melhor amigo, afinal até nu já tinha o visto, então nada mais poderia lhe chocar.

Assim, quando viu Youngjae no colo de Jaebeom enquanto se beijavam cheios de paixão, não ficou exatamente chocado, talvez com um pouco de raiva pelo sumiço do outro, mas não falaria em voz alta, pois seu melhor amigo pediu para ele não brigar com Lim, afinal tinham sido dias difíceis para todos.

— Oh, oi...

Jaebeom pareceu sem graça e Mark pensou em como aquilo era o mínimo, afinal ainda estavam em um local de trabalho, onde algumas regras deveriam ser respeitadas.

— Oi — Mark disse, sério. — Você já fez a maquiagem, Jae?

Youngjae não pareceu muito afim de responder, mas ainda assim murmurou uma resposta positiva.

— E mesmo de maquiagem, você a borrou todinha com a boca nesse aí!

Bambam levantou as sobrancelhas e ficou em silêncio. Então, Mark ainda estava com raiva de Jaebeom mesmo Youngjae tendo perdoado o namorado. O tailandês não sabia muito o que opinar, afinal ficara com bastante raiva de Lim, contudo já havia superado tudo aquilo. Nunca gostara  de ficar brigado com as pessoas que amava.

— Ai, Mark. Para de frescura — reclamou Youngjae, suspirando pesado. — Para de tratar JB dessa maneira.

Jaebeom pareceu envergonhado e somente sorriu fracamente, acertando o seu cabelo com os dedos.

— Tudo bem — disse o moreno. — Eu mereço.

— E merece mesmo — disparou o ruivo.

— Não merece nada! — rebateu o loiro. — Para já com isso! JB passou por um momento ruim e precisa de compreensão.

— Você também precisava de compreensão!

— Chega! — Youngjae gritou, olhando o melhor amigo com raiva. — Sai daqui, Mark. Eu já estou arrumado e já sei a hora de entrar, então me deixa em paz!

Argh!

Mark ia saindo do camarim quando sentiu uma mão o segurando no lugar e ao fitar a pessoa, viu ser Jaebeom. O ruivo quis gritar, mas não fez para não ouvir mais reclamações de Youngjae.

— Vamos conversar — disse o moreno, com um olhar sério. — Agora.

Tuan quis dizer que o outro não mandava e nem tinha nada a ver com a sua vida ou suas escolhas, contudo engoliu a seco e concordou. Talvez fosse melhor assim, colocassem todas as cartas na mesa de uma vez, parecia o correto.

O ruivo então concordou e seguiu o outro para o lado de fora do camarim, sabendo que Youngjae estaria atento a qualquer coisa estranha que ocorresse no corredor.

— Jae, eu posso te entrevistar?

A pergunta de Bambam acabou fazendo o loiro mais velho se distrair e esse foi o momento ideal para Mark e Jaebeom conversarem sem que Choi prestasse atenção.

O local estava bastante cheio por conta do show, com bastante fluxo de pessoa indo e voltando por todos os corredores então isso logo os fez observarem que talvez não fosse ideal conversar, mas por sorte Mark conhecia todo aquele lugar e sem demora encontrou uma sala vazia para poderem ter aquela conversa.

— Pronto, agora me diga o que você quer.

Mark não estava afim de conversar com Jaebeom e deixava isso bastante claro.

— Quero pedir desculpas.

Claramente, pela reação do manager mais velho, ele não esperava por aquilo, contudo logo voltou a expressão neutra, tentando não mostrar como estava surpreso com a fala de Jaebeom.

Hm… — Foi o que Mark acabou dizendo.

— Eu quero te pedir desculpas — repetiu o moreno, suspirando pesado. — O que eu fiz foi injusto com todo mundo. Você ainda nem tinha superado o falecimento da sua avó e eu simplesmente sumi por não conseguir lidar com os meus problemas. Foi injusto você ter que cuidar de Jae e… da cerimônia a minha mãe quando eu que deveria ter feito isso tudo. — Jaebeom parou um instante, para organizar as palavras na sua mente. — Obrigado… por mesmo com raiva, ter feito tudo isso.

O ruivo revirou os olhos e riu sem humor.

— Você é mesmo um idiota — disparou Mark. — Eu não cuidei de Jae somente porque você foi embora, ele é o meu melhor amigo! Eu posso estar na pior das situações, eu sempre irei cuidar dele, assim como ele cuida de mim. Não pense que tem relação com o seu desaparecimento idiota.

— Tudo bem… Mas ainda assim: obrigado.

Mark coçou a nuca, irritado.

— Você é tão idiota! Pensa com o próprio umbigo! — disparou o ruivo, apontando o dedo para o moreno. — Fica nessa de sumir quando as coisas apertam. Você acha que isso é um relacionamento, hn? Acha que Jae vai aguentar você sumir outra vez do nada? Duas semanas! Duas!

Jaebeom concordou com a cabeça, mas logo fitou os próprios pés. Estava tão envergonhado das suas atitudes.

— Eu… não irei mais sumir.

— E quem garante isso? Você?! Porque eu não confio em você! — Mark bateu o pé no chão. Céus, estava tão irritado que sabia estar sendo infantil, contudo não ligava. — Vai ser assim agora? Acontece algo de ruim e você não será encontrado por quinze dias? Ignorando mensagens e quando responde para xingar o meu namorado.

— Jin… já me desculpou.

— Foda-se! — gritou o ruivo. — Você acha que eu sou ele? Que desculpo as pessoas rápido? Então, uma novidade: eu não sou Jinyoung!

Jaebeom sinceramente não entendia o porquê daquela reação do outro, mas somente concordou, não sabendo exatamente mais o que falar. Mark estava possesso com ele e tinha razão, Lim nem tentaria discutir tal coisa, contudo ficava um pouco magoado pela forma como Tuan estava o tratando, contudo deveria merecer tal coisa.

— Me desculpa. — Jaebeom não sabia quantas vezes já havia repetido tal coisa para o  ruivo, contudo tentaria outra vez. — Eu te prometo que nunca mais… irei deixar Jae.

— Idiota!

— D-desculpa…

— Babaca — falou o ruivo. — Seu babaca, idiota.

O moreno não sabia mais como pedir desculpas, então nada falou.

— Olha para mim! — mandou o mais velho. — Olha nos meus olhos!

Lim não queria mais ser xingado, mas ainda assim fez o que foi pedido pelo outro, assim o fitando no fundo dos olhos, esperando conseguir seu perdão de alguma maneira.

— Eu morri de preocupação, idiota.

Jaebeom piscou confuso. Mark então respirou fundo e se aproximou do outro, levando as mãos aos ombros do manager e não deixando Jaebeom sair daquele enlace.

— Você sumiu e eu morri de preocupação.

O moreno então arregalou os olhos.

— Nunca mais faça isso, seu idiota! — disparou o ruivo. — Nunca mais, okay?

— E-espera… você não está com raiva de mim?

— Estou! Por quase me fazer morrer do coração!

O mais velho então puxou o amigo de uma vez e lhe deu um forte abraço. Céus, se Jaebeom soubesse como tinha sido difícil aquelas duas semanas nunca mais faria algo do gênero. E, céus, era isso o que esperava, pois não aguentaria passar por todo aquele medo de precisar saber o que tinha acontecido com uma das pessoas mais importantes da sua vida.

 — Achei… que ia apanhar — afirmou o moreno.

Nah, eu te amo demais para mim.

— Oh, divindade! Você me ama?

— Sim! — Mark riu, ainda apertando o outro em um abraço. — Só não fale por aí para não estragar a minha reputação.

E então, foi a vez de Jaebeom de rir, sentindo-se infinitamente mais leve depois daquela conversa ou o que quer que tivesse sido aquilo. Mark não o odiava, somente estava preocupado pelo o seu sumiço.

— Ei — Tuan disse, afastando-se do outro. — Não faz mais uma coisa dessas, okay?

— Okay, não farei.

— E… também não beba tanto?

Jaebeom sorriu abertamente.

— Tudo bem, hyung. Não se preocupe.

— Eu sempre irei me preocupar com minhas seis joias — afirmou o ruivo.

— Ah, você é tão fofo preocupado! Tão brega…

— Ei!

— É a verdade! — Jaebeom riu. — Mas não se preocupe, o seu segredo está seguro comigo!

— Acho bom…

Os dois riram juntos e mais uma vez se abraçaram. Mark ainda estava nervoso com toda a situação com Jaebeom, contudo agora, depois de conversarem, sentia-se melhor com tudo o que tinha acontecido. Aquelas duas semanas sem notícias tinha acabado com ele tanto quanto ter que ver seu melhor amigo aos pedaços tanto pela mãe quanto por sentir falta do namorado. O que podia fazer? Preocupava-se demais.

— Agora, é melhor você ir logo antes que Jae pense que eu te matei.

— Será que ele me vingaria?

— Provavelmente.

Eles riram, mas logo se despediram, pois, o show logo começaria e não podiam mais perder tempo.

Mark ainda ficou um tempo na sala, averiguando o seu tablet, mas quando viu que tudo estava certo foi atrás das pessoas que sempre sentia falta quando não via a toda hora. Poderia ser bobagem, mas ficar sem seus namorados sempre deixava o seu dia bem pior. Assim, quando bateu na porta do camarim de Jinyoung e lá o encontrou com Jackson, o ruivo sorriu abertamente, logo trancando a porta atrás de si.

— Oi, baby — Jinyoung falou, terminando de acertar seu blazer. — Já está na hora?

— Não, só fiquei com saudades — garantiu o mais velho.

Jackson sorriu.

— Nosso namorado é muito apaixonado — implicou Jackson, saindo do sofá que estava sentado e indo na direção de Mark. — Nós também sentimos saudades.

Wang então puxou o ruivo com delicadeza e deixou suas mãos encontraram as bochechas do outro enquanto o beijava com cuidado e carinho. Mark nunca deixaria de amar os beijos do loiro e nem do moreno, que veio logo em seguida quando Jinyoung tomou sua cintura e apertou a derme com um pouco de força ao mesmo tempo que sua língua encontrava o caminho para o céu da boca do manager.

Estava tudo bem e Jackson até ria quando Jinyoung se afastou do mais velho e o fitou seriamente, para em seguida levar o que Mark acreditou ser a boca até seu pescoço, mas logo notou que foi o nariz, o que o fez dar uma risadinha com as cócegas.

— De quem é esse perfume? — disparou Park, fitando o namorado e em seguida voltando a cheirar o ponto anterior. — Hm… eu conheço esse cheiro. Você andou se agarrando com Jaebeom?

Jackson agora estava mais interessado na conversa e assim se apoiou na parede, cruzando os braços e fazendo uma expressão bastante séria.

— Foi… um a-abraço — Mark disse, arregalando os olhos.

O loiro e o moreno se encararam, mas sorrirem de lado em seguida. Mark engoliu a seco, sabendo o que viria e céus, seu corpo já estava preparado para a cena que ocorreria após o show, quando os três tivessem sozinhos. Provavelmente Wang observaria e falaria tudo o que iria acontecer e não seria bom para Tuan.

— Alguém merece uma punição, amor — disse o loiro, levantando a sobrancelha. — Talvez ficar amarrado?

Nah, ele gosta de ficar amarrado — explicou Jinyoung. — Mas talvez, ficar amarrado enquanto tem um vibrador e sem poder nos tocar enquanto nos beijamos na frente dele seja algo bom.

— Horas dessa maneira… Parece o ideal — comentou Jackson. Ele ainda sentia que sempre estava em aprendizagem na hora de falar aquele tipo de coisa. Era divertido, quase uma brincadeira. Continuava sem realmente sentir nada de tesão e sabia que seria sempre assim, porém era bom ver os namorados felizes com a maneira que encontraram de se entenderem. — O que acha, Mark?

— Sou de vocês, façam o que quiser comigo.

Os mais novos ainda mantiveram as expressões sérias, mas sabiam como estavam daqueles momentos. Agora, tinham encontrado como funcionavam as coisas para eles e na maioria das vezes Jackson nem chegava a ficar nu, contudo aproveitavam da mesma maneira, era sempre intenso e cheio de amor.

— Okay, nos aguarde depois do show — afirmou Jinyoung, piscando um dos olhos e saindo do personagem, para sorrir. — Agora, nos diga, tudo bem com Jaebeom?

— É, fez as pazes com Beom?

Mark revirou os olhos.

— Fiz. — Tuan também sorriu. — Falei para ele que morri de preocupação e também pedi para não beber igual um louco.

— Tomara que ele te escute. — Jackson suspirou pesado. — Beom sempre se deixa levar quando as emoções são muito fortes. Ele se mantém calmo por muito tempo, mas quando desaba, é de uma vez.

— Vocês dois são iguais — Mark afirmou, estalando a língua. — Eu sou o único forte emocionalmente.

Ih, ‘tá se achando. — Jinyoung revirou os olhos, dando uma batida na bunda do mais velho. — Pode parando com essa atitude.

— Ainda mais quando é outro que guarda tudo para chorar igual um maluco.

— Ei!

O ruivo se fingiu de muito irritado, mas não demorou muito para outra vez estarem se beijando, deixando que Jinyoung tirasse um pouco do nervosismo que estava sentindo, mas não queria comentar. Contudo, não tinha problema, pois os namorados o conheciam bem para nada falarem e somente agirem de uma forma que deixasse o cantor mais relaxado.

Assim, muitos outros beijos ocorreram, tantos que Jinyoung ficou com a boca inchada, o que gerou risos entre eles. Os quefazeres estavam indo muito bem e depois de tudo aquilo haveria uma mudança significativa da empresa que Park estivera por tantos anos para uma outra que ainda nem tinha sido aberta, contudo ele confiava em Youngjae, assim como confiava nos namorados, sabendo que ficariam ao seu lado sempre que sentisse que tudo a sua volta parecesse estar saindo do controle. Afinal, sabia que haveria problemas e muito mais do que um ou outro, todavia saber que ao menos duas pessoas maravilhosas estariam segurando em suas mãos, as coisas pareciam bem mais fáceis de serem enfrentadas.

Eles estavam curtindo juntos quando escutaram uma batida na porta.

— Cinco minutos, Park.

Logo, a voz se foi e eles nem identificaram direito quem era, mas era a hora de ir. Estava perto do grande momento e sinceramente, Jinyoung não via a hora de brilhar.

— Boa sorte, amor — Mark foi o primeiro a dizer, beijando o topo da cabeça do moreno, que sorriu com o gesto. — Você será perfeito.

— Mais que perfeito! — disparou Jackson, sorrindo. — Será… sei lá, o melhor!

Park riu e também deixou que o loiro beijasse sua testa. Ele nunca sabia expressar corretamente todos os sentimentos que borbulhavam no seu interior quando estava com os namorados.

— Eu amo vocês — Jinyoung disse.

— Nós também te amamos.

Tanto Mark quando Jackson falaram a frase, o que fez com eles rissem uma vez mais antes de Jinyoung sair do camarim e seguir para trás do palco. Estava animado para como seria o show!

— Você não vem? — Jackson perguntou, com um sorriso.

— Já vou, tenho só que terminar uma coisinha — garantiu Mark. — Sabe como é, o trabalho nunca acaba.

— Tudo bem, mas não perca a abertura que a coreo que fiz está perfeita — disse o loiro, deixando um rápido beijo nos lábios do ruivo. — Não demore!

Jackson foi o próximo a sair da sala com pressa e Mark sorriu, indo até o pequeno sofá e buscando o seu tablet para finalizar o que fazia. Não demoraria muito e sabia que chegaria a tempo de ver a abertura. Tanto que após alguns cliques, ele outra vez estava se levantando e seguindo para trás do palco, onde assistiria o show junto com o namorado e os amigos.

Assim que Mark saiu da sala viu uma pessoa parada por ali. Ele olhou rapidamente deu um sorriso, mas quem quer que fosse, não se mexeu o pareceu fazer outra coisa, na verdade, ficou no lugar, como se o esperasse.

Hm… Está esperando alguém?

A pessoa somente balançou a cabeça negativamente, fitando o chão. Mark concordou com a cabeça, não dando muita atenção, pois não queria se atrasar para o show. Mas, assim que deu um passo à frente, sentiu alguém o segurando por trás e colocando um pano no seu nariz e boca.

Tuan tentou lutar de alguma maneira, mas a pessoa era forte ou o quer que estivesse no tecido parecia o deixar cada vez mais fraco e sem forças.

Mark ainda tentou gritar por ajuda, contudo logo a escuridão o dominou.

 

 


Notas Finais


Gostaram do capítulo? Divulguem a fic!

E, por favor, deixem comentários com as suas opiniões; amamos lê-los.

Até amanhã ;*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...