História Bad boy - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Katsuki Bakugou, Midoriya Izuku (Deku), Momo Yaoyorozu, Shouto Todoroki
Tags Bakumomo, Bakutodo, Ochadeku, Tododeku, Todomomo
Visualizações 51
Palavras 940
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Cap 2 - as aparências enganam


-- a aula seguiu normal, bom, para bakugou sim. Apesar disse ele não se enportava com nada mesmo, mas uma coisa ele percebeu. Aquela aluna nova era um tanto estranha para ele, ela água com certa cautela, mas, ao mesmo tempo confortavel na conversa com a gótica a castanha do Pará e o deku. Porra deku, ele foi um dos primeiros a falar com ela, Bakugou sentia meio que "ciúme". Afinal, eles foram namorados não? Quem ainda lá no fundo não se preucuparia com o seu crush/amante e bebê. Isso mesmo, bakugou considerava deku como sua "propriedade" mas ao mesmo tempo mandava um foda-se para o esverdeado. Bakugou aturava tudo, a castanha do Pará pegando ele, eles tendo relações e essas coisas. Mas uma coisa bakugou de fato não aceitava. Todoroki shoto, o meio a meio como bakugou chamava era praticamente a sombra do deku, ele vivia colado ou tentando chamar a atenção do esverdeado. Um puxa saco isso sim. Quando a aula "acabou" finalmente chegou a hora do intervalo, era a hora que bakugou ia para a biblioteca. Não para ler, estudar, ou até refletir, mas sim para ouvir música. Ou ler um livro, oque raramente fazia, mas hoje o loiro estava com vontade. Enquanto isso deku está em alguma parte secreta da Yuuei fodendo a uraraka, como bakugou sabia, essa parte secreta era um esconderijo escondido que fica atrás de uma estante na biblioteca. Os três foram juntos "conversado" bakugou às vezes de dava bem com uraraka. Depois de chegarem se separaram, os três eram os únicos que sabiam desde esconderijo. Literalmente em toda Yuuei. ---

-- bakugou seguiu para seu canto prefererido, o quarto andar da biblioteca. Era o único lugar aonde quase ninguém ia, literalmente. Bakugou pegou o elevador andou reto virou o corredor e chegou no seu canto dos sonhos, avia várias estantes nas paredes e algumas iam até mas escadas fazendo curva. Aquela biblioteca era incrível mesmo, o canto dos sonhos de bakugou era uma espécie de sofá que fazia curva em quatro paredes, que eram estantes de livros dentro das paredes, muito interessante na opinião de Bakugou. No meio avia uma enorme janela quadrada, bakugou adorava pegar a maravilhosa brisa fresca, até nos dias mais calorentos oque era raro fazer calor naquela escola, adorava ficar ali para pegar uma brisa. Pegou uma das almofadas, sentou-se de acomodou e começou a mecher no celular. --

-- enquanto isso um andar abaixo alguem o espionava, enquanto ao mesmo tempo enviava informações uma ligação sobre bakugou.-

Momo: on

Estás tudo certo, achei um canto perfeito. Posso inserir?

Pai: pode, mas cuidado, se ele suspeitar todo o plano vai por água abaixo.

Sim, e papa

Pai: oque?

Se eu fizer certo, você. Terá orgulho de mim?...

Pai: so faça Yaoyorozu, se tudo der certo eu terei tanto orgulho que você viverá muito bem minha filha. Agora faz isso pelo seu pai, ouviu?! -- falou com tom de voz grosso-

Sim

Pai: faça direito! Não ouse me decepcionar de novo!

Sim, não vo-. - ele desliga-

-- Yaoyorozu sobe lentamente para o andar que bakugou se encontra, a mesma se esconde atraz de uma estante. Ao perceber que o loiro estava bem distraído, ela retira do bolso da camisa uma espécie micro-ship. Ela usaria isso como câmera e rastreador, quando inserido o ship segue o alvo para todo lugar. E era bem pequeno, era pouquíssimas chances de alguém acha-lo.-

-- a mesma anda fingindo que está distraída procurando um livro, bakugou a percebe mas logo ignora. Por sorte momo realmente acha um livro interesse, ela o pega e se dirige a o "sofá" que bakugou se encontra. Sentando na frente o loiro e logo cruzando as pernas, bakugou olha levantando uma sobrancelha em dúvida, mas logo abaixa dando a mínima. Silêncio, era a única coisa que define o recinto. Bakugou se sentia incomodado, não com momo mas com o silêncio, podia não parecer mas ele gostava de conversar (de "conhecesse" ) a pessoa que estava no mesmo lugar que ele. Então tentou puxar um assunto.--

Bakugou: on

Você veio de aonde?

-- momo nada respondeu, tauvez a castanha do Pará tenha falado algo para ela que fosse. Um tanto, hostil, com bakugou. Mas ele não ezitaria.-

Não vai me responder? Que ignorância -- deu um sorriso sarcástico--

-- momo percebeu oque bakugou pretendia, então aproveitou o tal momento oportuno para o micro-ship. Ela abre lentamente sua mão liberando o pequeno robô, e logo chama a atenção de bakugou para si iniciando uma nova conversa. Bakugou não estranhou, tauvez ela não quisesse falar daonde veio, talvez fosse tímida, ou cautelosa. Isso não era uma coisa de se estranhar, então bakugou seguiu a conversa iniciada pela yaouzouro. Ao mesmo tempo o pequeno robô já se encontram dentro da calça de bakugou, seguindo até o bolso atraz da calça de bakugou. --

Momo: ( fase um, completa) -- da um sorriso maníaco--

Algum problema?

Momo: ah, não é esse livro.

Hum...

-- conseguiu Yaoyorozu conseguiu colocar o rastreador em bakugou. Agora era questão de tempo até o plano de concluir, a família katsuki estará aruinada. --

-- quando o intervalo acabou todos voltaram para a aula, bakugou e Yaoyorozu tiveram uma conversa agradável ( apesar de Yaoyorozu não ter gostado nem um segundo). Mas uma coisa bakugou não sabia, era que ele corria muito perigo, o loiro já corria antes, agora, ele não vai ficar seguro nem na própria casa.--

-- quando as aulas acabaram bakugou foi para casa, sozinho. Já estava de noite e a rua estava escura como breu. O loiro ouvia link park, apesar de ser japonês, ele gostava muito de umas músicas de fora. O loiro ouvia por completo despreocupado, mas mau sabia que era seguido, e seu não tomasse cuidado provavelmente morto.---



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...