1. Spirit Fanfics >
  2. Bad boy está no chão! >
  3. Bad boy causa ciúmes

História Bad boy está no chão! - Capítulo 9


Escrita por: e Softsintese


Notas do Autor


Atenção: pode conter gatilho de violência e relacionamento abusivo > NÃO ROMANTIZADO <

Capítulo 9 - Bad boy causa ciúmes


Depois de toda aquela enrolação, Hosook e eu fomos embora, porque também iriamos viajar para Daegu, aproveitar que hoje estamos com o dia livre e amanhã ainda seria domingo.

 

Tínhamos que viajar agora que a barriga dela ainda não estava muito grande.

 

Preocupados com o bebê na barriga dela, nós fomos para Daegu de ônibus, e não com a minha moto.

 

Chegamos em Daegu quase escurecendo, minha mãe já nos aguardava, veio nos buscar de carro na rodoviária.

 

E céus quando a Hosook viu a dona Yoonji arregalou os olhos encarando ela e depois eu.

 

Pois é, a semelhança era assustadora, eu sabia.

 

— Crianças! Entrem logo, eu estava esperando por vocês! — minha mãe disse quando Hosook e eu fomos no banco de trás do carro. — Minha nossa Hosook você é muito bonita mesmo, bem mais do que nas fotos que o Yoongi mostrava!

 

— Obrigada, err... Senhora...?

 

— Que mal modos os meus, nem me apresentei! Prazer, meu nome é Yoonji, sou a mãe do Yoongi como já sabe — falou e nesse momento arregalou mais olhos ainda.

 

— Yoongi... — ela se aproximou sussurrando baixinho no meu ouvido. — Por que você tem o mesmo nome que a sua mãe na versão masculina?

 

— Ela é um pouco exótica — sussurrei de volta envergonhado.

 

— Ele nasceu tão bonitinho que eu tive que dar o nome da pessoa mais bonita do mundo — explicou.

 

 — Ah sim, com toda razão senhora...

 

—Ela é tão educada Yoongi, como você encontrou essa garota?

 

— Em um elevador da empresa — respondi pegando meu celular quando eu comecei a sentir ele vibrar.

 

Ele não parava, e Hosook me olhou daquele jeitinho "o que está aprontando?".

 

— O meu celular tá meio doido, não para de chegar notificação — expliquei já que ele chegou a travar. Ainda mais que ele é velho e não aguenta nada.

 

— Que notificação Yoongi? — Hosook perguntou, mas só de eu clicar em ligar ele não carregava muito.

 

— Não sei... Parece ser do twitter... — olhei confuso, mas que estranho, nem seguidores no twitter eu tinha. — Não consigo nem entrar no aplicativo, meu celular trava — expliquei e então minha única opção no momento era desligar por completo ele para parar.

 

— Quando chegarmos na casa da sua mãe a gente tenta arrumar... Mas é estranho que tenha tantas notificações do twitter assim.

 

— Pois é, e eu nem público nada.

 

— Deve ser por estar sem memória...

 

— Deve ser porque ele é mais velho que a minha mãe — retruquei.

 

— Cadê o respeito Yoongi? — minha mãe me bronqueou.

 

— Esqueci no útero — sorri cínico.

 

— Garoto, eu ainda posso torcer a sua orelha — avisou.

 

— Você pode tentar, mas lembre-se: eu corro rápido.

 

— Os meus pés podem não te alcançar Yoongi, mas a minha chinela pode apostar que vai — mamãe disse e então eu pude ver Hosook rir. — Pois é minha filha, acha que só por que meu bebê tem um rostinho bonito eu peguei mole com ele? Não, eu tive que ser uma mãe rígida e por esse moleque levado em seu lugar.

 

— Imagino senhora Min! Como o Yoongi era quando era criança? — ela perguntou e a minha até acelerou mais o carro de tanta emoção.

 

— Era o menino mais lindo da vizinhança e da escolinha!

 

— Que mentirosa, eu era bochechudo, bom... ainda sou.

 

— Então era lindo mesmo — Hosook afirmou e eu olhei pra ela com a minha melhor cara de cu.

 

— Mas o Yoongi apesar de ser muito bonito minha filha, me deu um trabalho. Sempre arrumava briga na escolinha, e não era com os garotos da idade dele, era com os moleque mais velho.

 

— Meu deus Yoongi, você me disse que odeia violência — Hosook comentou.

 

— Eu odeio ué... A culpa não era minha se eles partiam pra cima, não sabiam perder pra um garoto mais novo.

 

— Aí ele aparecia todo esfolado e eu batia mais pra ele aprender de ser trouxa — a minha mãe falou.

 

— Agora você entende porque eu fugi para Seul — Yoongi comentou fingindo sussurrar.

 

— Minha nossa — e novamente ela pareceu segurar o riso. — Mas ainda bem que fugiu, assim eu te encontrei.

 

— Pois é — concordei sentindo a sorte grande.

 

— Eu já tinha perdido as esperanças do Yoongi me apresentar alguma namorada... Já estava começando a achar que ele era gay, mas ele sabe que eu não sou homofóbica, poderia muito bem apresentar um namoradinho pra mamãe.

 

— Você sabe que eu não curto caras e que também não sou mente fechada — dei de ombros.

 

— Sei sim, ainda lembro do dia que te peguei beijando aquele seu amiguinho Namjoon e você me disse que estava apenas estudando a boca dele.

 

— Obrigado por expor como perdi o bv, muito obrigado mesmo — revirei os olhos.

 

— Você perdeu o bv com um cara? — Hosook sorriu.

 

— Coisas do passado, prefiro não me lembrar — respondi.

 

— Como não? — questionou.

 

— Apenas queríamos saber como era dar um beijo. Mas foi horrível e a minha mãe ainda chegou na hora...

 

— Desde então eu tive certeza que ele era gay e que todas as meninas que eu peguei saindo de casa antes de eu voltar do trabalho era ele tentando provar o contrário.

 

— Meu deus você era mesmo um cafajeste, eu estava certa — Hosook falou negando com a cabeça.

 

— Pois é, sou tão cafajeste que te engravidei — zombei. Só que eu tinha esquecido por um segundo que a gente ainda não tinha dado a noticia a minha mãe.

 

E foi nessa hora meus irmãos, que a senhora Min deu um freio que a Hosook e eu quase voamos para frente, ainda bem que estávamos de cinto e ela não provocou nenhum acidente.

 

— É O QUE? — minha mãe gritou.

 

E bom, agora não tinha mais o que esconder, a merda já estava feita.

 

— Surpresa! — eu disse tentando amenizar a situação. — A senhora vai ser vovó!

 

— Mas você tinha dito a uns dias mesmo que nunca iria ter filho...

 

— No mesmo dia que disse isso ela me contou que estava grávida — expliquei e aconteceu, minha mãe voltou a dirigir normal, enquanto ria debochadamente da minha cara.

 

— Ai meu deus do céu Yoongi, é por isso que eu te amo meu filho, você é tão fodido e azarado.

 

— Obrigado.

 

— Mas eu estou feliz de verdade que vou ter uma netinho ou uma netinha. O que precisarem de ajuda podem contar comigo.

 

— Obrigada senhora Min — Hosook agradeceu.


 

— Ahh e pode ficar sossegada, Hosook, Yoongi já sabe trocar fraldas, pode não parecer, mas ele é ótimo com crianças, ainda mais quando era adolescente e queria dinheiro e ficava de babá, era outro menino. Nem parecia a peste do meu filho.

 

— Mãe, por que você abriu essa boca? Agora vou ter mais trabalho ainda como pai  — reclamei. Meu plano era fingir ser desajeitado pra que Hosook não aguentasse ver e fizesse tudo sozinha.

 

Se sou filho da puta? Obvio, sou filho da minha mãe.

 

— Mas tem que ter trabalho mesmo, você vai ter um mini Yoongizinho pra te atormentar, vai ver o quanto eu sofri todos esses anos pra te criar e botar algum juízo nessa cabecinha... Tudo bem que não adiantou muita coisa afinal você continuar um desajuizado e...

 

— Mãe! — reclamei.

 

— Ok, ok, parei! — ela disse. — Finalmente terei folga, eu vou mimar essa criança demais, coisa que eu nunca fiz com o Yoongi. Vou estragar essa coisinha fofa demais sem preocupação, afinal de contas agora eu vou ser a vovó!

 

— Pior que eu não saberei ser rigoroso, essa função vai ser da Hosook.

 

— Ah não, não deixa a parte chata pra mim, eu também quero mimar meu bebê — minha namorada reclamou.

 

— Relaxa o Yoongi vai ficar com essa parte tenho fé.

 

— Vou nada, quando eu ver a criança fazendo bagunça com a farinha eu vou olhar, fechar a porta e deixar pra Hosook descobrir.

 

— Sei — minha mãe falou sacana. — Ai ai Yoongi, você vai pagar com a língua cada coisa que está dizendo. Tenho certeza que será um bom pai.

 

Aham — rolei os olhos, pior que a minha mãe sempre acertava quando eu ia pagar com a boca.

 

Credo, até parecia praga de mãe!

 

Mas não, eu não vou ter paciência com um bebê, não vou saber educar uma criança minha.

 

— Tenho certeza que o Yoongi vai me ajudar bastante, pelo visto ele teve um bom exemplo — Hosook disse.

 

— De pai não, mas de mãe... Aí sim ele teve um bom exemplo. — minha mãe disse.

 

— É verdade Yoongi, você nunca me falou do seu pai... — Hosook comentou.

 

— Nem vale a pena — respondi  não querendo tocar naquele assunto.

 

— Ele não fala disso nem comigo querida, não se sinta excluída — a minha mãe explicou. — Quando eu me separei do pai dele, Yoongi acabou indo morar com o pai porque eu não tinha muito dinheiro.

 

— Ahh, isso é um assunto tão chato — reclamei, odiava pensar naquele desgraçado.

 

Tudo se resolvia com violência, foi quando eu passei a odiar aquilo. 

 

Minha mãe podia dizer que me batia quando eu chegava machucado criança em casa, mas ela é uma mentirosa, ela chorava junto comigo cuidando dos meus machucados.

 

Quem me batia era o verme do meu pai.

 

O tempo que eu tive que passar na casa dele era um verdadeiro inferno, principalmente quando chegava bêbado. Ele sempre dizia que a culpa era minha da minha mãe ter se separado...

 

Mas sabe, eu não ligava quando ele me insultava ou dizia não gostar de mim.

 

O que me fez pegar raiva dele de verdade foi por todas as vezes que ele humilhou a minha mãe, e a xingava. Por sorte a questão não era nem a violência física em si, pois quando aconteceu a primeira vez pelo que eu me lembre a minha mãe já pediu o divórcio.

 

Eu era só uma criança na época, apenas queria que meus pais fossem felizes juntos, mas com o tempo percebi que contos de fadas não existem. Infelizmente eu não sabia identificar quem era vilão e quem era herói na época, mas foi depois de morar com o meu pai que eu percebi que não queria mais nenhum tipo de contato com ele.

 

E hoje em dia ele podia estar morto que eu não iria querer saber.

 

Foi a minha mãe que cuidou de mim de verdade a vida toda, com amor, carinho e broncas. Louca do jeito dela, mas sempre foi uma boa mãe, e é só a ela que eu agradeço.

 

— Você sabe que eu sinto muito Yoongi, eu nunca iria querer deixar você morar com ele — ela falou chamando a minha atenção quando o clima ficou tenso. — Mesmo você não falando eu posso imaginar os anos que passou com ele não foram nada fáceis, já que quando você voltou tinha mudado completamente.

 

— Yoongi aconteceu algo muito sério? — Hosook perguntou e eu senti a mão dela sobre a minha.

 

— Relaxa Hosook isso é passado.

 

— Mas era algo sério?  — insistiu.

 

Como já fazia muito tempo eu achei que não fazia mal falar. Antes eu escondia porque tinha medo da minha mãe ir atrás dele e ele a machucar.  Hoje se eu visse ele tentando fazer qualquer mal a minha mãe eu o encararia. Não tinha mais medo dele e nem era mais aquele pirralho mais fraco.

 

— Ele me batia por qualquer coisa, ainda mais quando se tornou alcoólatra. Sempre dizia que a culpa do divórcio era minha e essas coisas de fracassado. Mas sério, de boa, já passou, não tem porque você querer conhecer ou saber sobre essa parte da minha família — foi o que eu disse e a minha mãe novamente freio nos levando pra frente. Ai minha nossa, espero que ela não bata esse carro com a gente dentro.

 

— Você nunca me contou dessa parte dele dizer que a culpa do divórcio era sua, Yoongi — mamãe disse.

 

— Eu não queria que a senhora se sentisse mais culpada do que já ficou na época — respondi.

 

— Eu odeio esse nojento, a única coisa boa que ele me deu foi o Yoongi... Como pude ter tanto dedo podre para homem? E o pior de tudo, fiquei tanto tempo em um relacionamento abusivo sem perceber?

 

— A culpa não foi sua senhora Min — Hosook falou parecendo delicada nesse assunto. — Tem muito homem ruim nesse mundo e quando conhecemos nem damos conta. Eu mesma conheci o Yoongi depois de passar por um cara muito babaca.

 

— Sério? Como foi a história de vocês? — perguntou curiosa.

 

— A gente se conheceu em um elevador, eu estava péssima, fazia pouco tempo desde o termino. Eu terminei com ele quando ele me agrediu fisicamente a primeira vez, meu pai me obrigou a terminar.

 

— Ele te agrediu? Ah se soubesse disso eu tinha matado ele aquele dia — falei nervoso.

 

Covarde desgraçado.

 

— Calma Yoongi, já passou — apertou a minha mão ainda mais.

 

— Continuando, o elevador parou né, aí tinha o Yoongi lá, eu fiquei tensa, porque eu estava com receio de homens, mas ele foi gentil e me ouviu, eu estava com medo de ficar presa no elevador. Não sei bem, eu não senti nada de especial por ele, apenas achei que o que ele me disse tinha algum sentido. Eu precisa esquecer meu ex, me divertir e sair com os meus amigos. Então eu pedi o numero dele e disse que talvez fosse ligar.

 

— E você ligou? — mamãe questionou. Que burra, claro que ela ligou se não você não teria um netinho agora.

 

— Sim, depois que eu me divertir com as minhas amigas e me senti feliz novamente eu pensei: Quero ficar com alguém, mas não quero compromisso, não quero mais namorar, isso nunca mais. Ai eu lembrei do Yoongi, com aquele seu jeito claramente de cafajeste. Ele não era um desconhecido, ele trabalhava na empresa, eu descobri que ele era produtor e que tirando ser cafajeste não tinha nenhum defeito. Então liguei e fui bem direta e a gente ficou pela primeira vez.

 

— Sim, ela foi tipo a mulher do sonho, linda que não queria relacionamento — comentei.

 

— Cafajeste — riu. — Enfim, Yoongi era muito doce, tipo... muito estranho do que se espera de um cafajeste. Então eu quis ficar de novo com ele porque ele me fazia sentir confortável. E fomos só ficando, até que na véspera de natal eu perguntei se podia passar lá, não estava esperando nada, mas quando cheguei a casa estava arrumada, tinha uma ceia toda fofa, até luzinhas e árvore de natal senhora Min — comentou e eu comecei a me sentir envergonhado.

 

— Sério? Mas o Yoongi é um preguiçoso... e não é fã de natais.

 

— Ele ainda soltou naquele dia que só ficava comigo e que não tinha vontade de ficar com mais ninguém. Eu levei um susto sabe... não estava esperando isso nunca dele. Eu fui para casa e não tirei isso da cabeça, e aí chegou o ano novo.

 

— Sim, passamos o ano novo juntos novamente — falei.

 

— E foi então no meu aniversário que a gente começou a namorar — Hosook disse. — Ele escreveu uma música pra mim que foi gravada pelo meu grupo favorito... Foi tão lindo senhora Min!

 

— Ahh, eu sempre soube que o Yoongi era romântico! — mamãe disse. — Te pedir em namoro no dia do seu aniversário, que coisa mais linda.

 

— Na verdade ele só deu a música mesmo, quem pediu em namoro fui eu — Hosook confessou.

 

— Ahh sim ele havia mencionado que foi você que pediu, tinha esquecido. Yoongi, por que você é assim, daqui a pouco ela que vai ter que te pedir em casamento.

 

Quando minha mãe disse aquilo eu senti meu rosto pegar fogo de vergonha.

 

— Eu já pedi e ele disse que agora não é o momento — Hosook me entregou.

 

— Como assim não é o momento? Vocês vão ter um bebê! — minha mãe disse.

 

O velha, custa ficar do meu lado?

 

— Eu não tenho dinheiro pra um casamento mãe, além do mais é isso, vamos ter um bebê, e um bebê da gastos demais.

 

Ao menos era um só.

 

Eu não seria aqueles caras azarados que se descobrem ser pais de quadrigêmeos.

 

— Vocês não precisam fazer uma super festa Yoongi — retrucou.

 

— Meus pais até ofereceram pagar tudo, mas Yoongi não quis, acho que é orgulho de homem — Hosook falou.

 

— Que orgulho de homem o que meu anjo, Yoongi que está sendo bastardo.

 

— Eu não estou — menti, minha mãe conhecia a cria dela bem. — Quando eu tiver dinheiro pra pagar ao menos metade do meu próprio dinheiro eu vou sim querer me casar.

 

Ainda bem que serei falido fodido pra sempre.

 

Então bastava continuar mentindo que estava tudo bem, Hosook iria entender.

 

— Eu mal vejo a hora de ver você vestido com um terninho fofo, Yoongi! — minha mãe disse. — Oh, chegamos em casa! — ela disse e então acionou o botão automático do portão, colocando o carro pra dentro da garagem.

 

Fazia tanto tempo que eu não vinha aqui que nem me lembrava mais o caminho.

 

Assim que ela desligou o carro, Hosook e eu saímos.

 

Tudo como eu me lembrava... Ou aí menos eu tentava me convencer que lembrava. A cor da parede estava diferente, e tinha uns vasos de plantas novas ali perto da porta.

 

— Eu fiz questão de arrumar o seu antigo quarto pra vocês dois Yoongi, vão lá guardar suas coisas que eu vou esquentando o jantar que preparei, temos muito ainda que conversar — minha mãe disse. — Hosook você precisa ver as fotos do Yoongi bebê tomando banho, ele era tão fotogênico, teria uma bela carreira hoje em dia fazendo nú artístico.

 

— Sai, você não vai mostrar isso pra ela — segurei a mão da Hosook e puxei ela pra vir junto comigo para o meu quarto.

 

— Poxa Yoongi eu queria ver o mini Yoongi sem roupas — reclamou. — Devia ser tao fofo.

 

— Para, já passei vergonha demais hoje — falei a abraçando me sentindo extremamente emburrado.

 

As vezes eu me sentia mais novo que a Hosook nesses momentos. Não sei o que acontecia comigo, perto dela eu agia de um jeito infantil tão estranho.

 

— Sua mãe é bem legal — ela disse retribuindo meu abraço, eu acabei escondendo meu rosto no meio de seus peitos por estar envergonhado.

 

— Ela é louca — respondi.

 

— É divertida — retrucou. — E é a sua cara...

 

— Já sabe como eu vou ficar quando ficar mais velho, só que a versão sem peitos, já pode largar de mim — brinquei tentando amenizar o clima e então eu levantei o meu rosto.

 

Mas caralho, quando eu encarei o rosto de Hosook foi como se tivesse um imã eletromagnético juntando a gente, eu não resisti e acabei dando um beijo naquela boquinha macia dela.

 

— Eu não vou deixar você escapar — sorriu abertamente abraçando meu pescoço me dando beijinhos também.

 

Ah, eu me sentia o cara mais sortudo do mundo, mesmo sabendo que seria pai.

 

Só que a sorte foi pro brejo quando o telefone da Hosook começou  a tocar e eu vi de relance o nome do contato que a ligava: papai.

 

Senhor Jung tinha que estragar tudo mesmo.

 

Me sentei na minha cama e deixei ela falar com aquele cara chato enquanto eu lamentava a minha chance de ganhar beijinhos antes do jantar.

 

— Alô, papai? — Hosook o atendeu. — Eu estou viajando com o Yoongi... Sim, eu estou em Daegu... É, ele está comigo sim, por que?... O que?! — então nessa hora ela arregalou olhos e me encarou perplexa.

 

Ok, eu fiquei com medo agora, eles estavam falando de mim e pelo visto aconteceu uma merda muito grande.

 

— Não, não vimos não... — continuou a falar. — Eu sou a namorada dele papai!

 

— O que está acontecendo? —perguntei a Hosook.

 

— Ok, vou falar com ele, mas acho que não deve ser nada demais.. — ela me olhou brava. 

 

— Também te amo pai, até mais. — Min Yoongi que história é essa do Red Velvet ficar postando coisinhas sobre você no  twitter? Desde quando você tem intimidade com elas?

 

— Não sei do que está falando.

 

— Nem eu, mas eu vou ver isso agora — falou se sentando ao meu lado entrando no twitter das garotas. Fazendo eu descobrir um dos grandes motivos do meu celular travar todo.

 

@RedVelvetOficial: Nosso oppa é demais!  Suga-ah é um ótimo produtor, além de muito bonitinho >< [arquivo]

 

 

— Oppa? Suga-ah? Bonitinho? — Hosook me olhou mortalmente, pude até ver sua mão começar a tremer.

 

— Não faço a mínima ideia do que elas estão falando, nem falo com elas direito.

 

— Se não fala com elas porque tem uma foto com elas?!

 

— Como eu sou o produtor alguns artistas pedem pra tirar fotos — dei um sorriso amarelo meio sem jeito porque a Hosook parecia com ciúmes e ela nunca sentiu isso de mim antes. Na verdade nem fazia sentido claramente as garotas não estavam dando em cima de mim. Só estavam sendo simpáticas.

 

— Vários é?  Então por que somente elas postaram?

 

— Ah Hosook aí eu não sei. Elas me pediram uma foto quando eu estava ajudando, o outro produtor que compôs o álbum recente delas ficou doente. Ficaria chato negar isso. Nem sabia que elas iam usar essa foto.

 

Para piorar meu dia o celular dela vibrou notificando que o Twitter notificou mais uma mensagem. E se meu dia não podia piorar ele piorou.

 

@RedVelvetOficual: Ele não é  fofo explicando como a Yeri deve fazer o rap? Ele devia virar um cantor! [Arquivo].

 

 

Hosook  soltou o vídeo eu falando como que devia fazer cantando a parte dela e ela repetiu.  Até aí tinha nada demais. Na verdade eu nem lembrava direito que quando ela conseguiu finalmente fazer a parte dela, Yeri pulou me dando um abraço rápido e feliz e todo mundo no estúdio comemorou.

 

— Por que diabos a Yeri te abraçou? — Hosook questionou e eu percebi que ela estava muito incomodada mesmo, estava até com um tique tremendo o olho.

 

— Eu não sei — fui sincero levantando as mãos em um sinal de paz. — Talvez ela só queria comemorar?

 

— Min Yoongi estamos na Coreia! Não é normal uma mulher abraçar um homem assim em público! Ainda mais exibir em uma rede social cheia de seguidores, te chamando de fofo!

 

— Ai eu realmente não entendo, afinal de contas nem fofo eu sou — falei tentando descontrair.

 

— Eu mal estou gravida de um filho seu e você já está dando bolas para outras mulheres?

 

— Eu não estou dando bola para elas, Hosook — neguei me defendendo.

 

— Pois deveria dar, elas são jovens, bonitas, famosas… — o que? Ela estava com ciúmes e acaba de citar as qualidades das garotas?  Eu definitivamente não entendia as mulheres!

 

— Não. Eu nunca olhei dessa forma para elas, eu só tenho olhos pra você meu amor. Além do mais essas coisas são antigas, eu nem sei porque elas postaram! Você não precisa ter ciúm…

 

— Eu não tô com ciúmes! — ela disse nervosinha, visivelmente com ciúmes.

 

Aquilo era chato, mas era errado eu achar Hosook extremamente fofa com ciúme de mim?

 

— Não precisa ter ciúmes de mim. Esqueceu que é  um mulherão da porra? — perguntei.

 

— O que eu não esqueci é  que você é  um mulherengo!

 

— Não, calma lá. Sei que nunca fui de ter relacionamento sério, mas eu não era tão "pegador" assim. Só mulheres com gosto estranhos e peculiares se interessaram por mim.

 

— Está me chamando de estranha?

 

— Pra você estar comigo e sentindo até ciúmes de alguém como eu. Sim, tô te chamando de estranha e ainda bem porque quero só você.

 

— Eu e o Red Velvet todo!

 

— Nunca peguei ninguém do Red Velvet!

 

— Mas de outro grupo sim? Cachorro sem vergonha!

 

— Mas eu era solteiro e nem tinha nada com você...

 

— Isso não impede que pegue agora — falou com um biquinho nos lábios. — Eu vou engordar, virar uma bola carregando essa criança, você vai olhar para mim e notar o quanto eu fiquei feia e então vai me trocar por outra mulher mais bonita…!

 

— Amor, eu nunca vou te trocar por uma mulher, muito menos uma mais bonita afinal de contas isso é impossível. Você já é a mulher mais bonita do mundo, não tem quem te supere… — tentei acalmá-la.

 

— Uhum...— resmungou com um biquinho nos lábios. — Promete que não vai dar bola pra elas?

 

— Eu nunca dei — garanti e era verdade. — Não sei porque fizeram isso, mas eu nunca dei bola.

 

— Sei... você deixou ela te abraçar. 

 

— Os garotos vivem me abraçando acho que só levei na esportiva.

 

— Os garotos é?  — desconfiou.

 

— Ah não!  Ciúmes de homem você não tem porque ter. Eu só beijei um e não gostei.

 

— Era bv. Ninguém gosta do primeiro beijo. Além do que você gosta quando eu toco sua bundinha...

 

— Só porque é  você e eu não deixo sempre!

 

— Uhum, sei... talvez você tenha curiosidade de algo que eu não tenho e não posso te proporcionar...

 

— Hosook, não, de jeito nenhum — neguei. — Eu não tenho preferência disso, você sabe... eu não sou gay!

 

— Pode ser bi e não descobriu... — falou.

 

— Acredite eu tive todas as chances de descobrir e não quis — deixei claro.

 

— Tecnicamente se vamos casar quando ganharmos dinheiro, significa que estamos noivos, né? — mudou de assunto, essa mulher é doida?

 

— É... tecnicamente sim — sorri amarelo.

 

— Então devíamos usar alianças — ela disse. — E agora como até meu pai sabe do nosso relacionamento a gente devia se assumir pra empresa.

 

 — Claro, como preferir.

 

Se eu dissesse que não acharia uma boa ideia porque seria ruim para mim ser associado como o noivo da filha do chefe, ela acharia que quero trair ela. Então resolvi nem queimar neurônios discutindo com ela sobre isso.

 

— Você devia querer isso também...

 

— As alianças eu quero. Mas assumir que estou noivo da filha do chefe vai criar a impressão que só estou na empresa por isso. Vão começar a achar que sou privilegiado ou sei lá o que. Isso seria chato. Mas se você quer tudo bem eu não quero que a gente brigue por besteiras.

 

— Você é incrivelmente talentoso, ninguém pensaria isso! — Hosook falou.

 

— Claro que pensariam — eu disse suspirando. — Eu não quero que pensem que eu estou usando privilégios.

 

— Você não está usando privilégios, nem eu que sou filha uso!

 

— Hosook você tem uma hidromassagem na sua suite, já eu não tenho dinheiro nem pra pagar um motel decente pra gente — respondi.

 

— Já disse que status social não me interessa nenhum pouco. Meus pais podem ser ricos, mas eu não sou. Meus pais podem ser os donos, mas eu sou só uma estagiária — falou.

 

— E herdeira — completei.

 

— Isso não vem ao caso. E também quem liga para o que os outros pensam? 

 

— Por isso eu disse que se é  o que quer por mim tudo bem.

 

— Não quero te obrigar a isso — falou.

 

— Não está me obrigando por mim tanto faz. Estamos juntos de verdade e eu não quero esconder isso nem nada.  Se você vai se sentir mais segura expondo isso por mim tudo bem.  Eu já cansei de dizer que só tenho olhos pra você.

 

— Você sabe como ciúmes é  estranho... — disse envergonhada.

 

— Eu não sinto ciúmes de você. Sei que se está comigo é  porque quer estar. Porque tem muito caras por aí mais bonitos que eu. Se você tem problema na cabecinha sorte a minha.

 

— Não sente nenhum pouquinho de ciúmes de mim?

 

— Hosook olhe pra mim e olhe pra você… você é muita areia pro meu caminhãozinho, se um dia eu ver que você achou uma pessoa melhor eu vou apenas achar que fez o óbvio — falei.

 

— Mas iria ter ciúme, né? — questionou.

 

E bom, eu teria ciúmes de Hosook? Eu aguentaria acordar um dia e saber que apesar de tudo ela não estava mais do meu lado e sim com um bombadão alto que eu nunca chegaria aos pés?

 

Ao imaginar aquilo eu senti o meu coração apertado, mas não podia ser ciúmes… eu nunca senti ciúme de ninguém. O que Hosook estava fazendo comigo?

 

— Poderia até sentir, mas nunca contaria pra não interferir nas suas decisões.

 

— Você nunca conta nada mesmo... até hoje nunca disse um "eu te amo" — reclamou.

 

— Isso é  brega. Além do que você nunca disse também.

 

— Disse sim mas você sempre estava dormindo...

 

— Viu só? Não tinha como eu saber já que estava dormindo — respondi e então a puxei, fazendo ela se sentar do meu lado na cama. — Nem sempre palavras dizem o que queremos dizer, Hosook, atitudes valem bem mais — eu disse a olhando, e então a beijei.

 

Hosook pareceu relutar no início, mas então logo me retribuiu.

 

— Yoongi...

 

— Não vamos mais brigar, ok? Você e eu somos uma família agora, estamos na casa da minha mãe... É pra ser um dia bom hoje.

 

— Se eu ver você arrastando essa asinha pra alguém eu quebro ela — avisou se dando por vencida.

 

Acabei apenas rindo. Eu sabia que as coisas não seriam fáceis agora que eu seria pai... mas era um bebê só. Eu já fiz bico de babá.  Eu daria conta.

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado!!!

Até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...