História Bad Daddy (Imagine Incesto Jeon Jungkook-BTS) - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook)
Tags Amor, Bts, Filha, Gukkie, Hoseok, Hyuna, Jimin, Jin, Jungkook, Kookie, Namjoon, Pai, Suga, Você
Visualizações 1.095
Palavras 1.857
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá ^^
Como vão?
Gente, eu irei postar agora apenas uma vez na semana, por que tenho escola e esses dias estão sendo muito puxado e cansativo para mim! Estou sem tempo para fazer as coisas :/
Espero que entendam...

*Música sugerida: Pompeii (Bastille)

Boa leitura! <3

Capítulo 12 - Melissa


Fanfic / Fanfiction Bad Daddy (Imagine Incesto Jeon Jungkook-BTS) - Capítulo 12 - Melissa

Engoli em seco afetada com suas palavras. Me afastei de seu corpo, e Jeon me olhou. Já sabia que iria ouvir sermão até amanhã.


— O que deu em sua cabeça? Sabe o quão preocupado fiquei?! — Soltei uma risada cínica.


— Preocupado?! Se você estivesse ficado preocupado comigo, não teria me deixado no meio da rua aquele dia. — Cuspi as palavras em sua cara, vendo seu olhar irritadiço. — Você preferiu ir foder com aquela vadia! — Senti minha garganta se fechar.


— Eu estava irritado. — Jeon engoliu em seco. — Eu não queira ter feito aquilo. — O mesmo mordeu o lábio inferior. — Não vai mais se repetir. — Olhei para o chão, pensando ou não se falava o que estava preso em minha garganta.


— Não vai mesmo. — Levei minha orbes para seus olhos. — Somos apenas pai e filha, daqui em diante, sem nenhum relacionamento sem ser de pai e filha. — Doía amargamente dizer aquilo, mas eu precisava.


Jungkook me olhou tão profundamente, que eu jurei, que o mesmo estava vendo minha alma. Minha respiração se tornou ofegante quando o maior me deixou contra a parede e seu corpo. Olhei para seu rosto, tentando transparecer que eu não ficava afetada com suas atitudes.


— É isso que você quer? — Ele gemeu baixo e eu engolir em seco. — Me diz, (S/N)! — Seu maxilar travou.


— É! É isso mesmo. — Fiquei totalmente atordoada quando Jeon me olhou chateado.


— Que seja. — Observei seu corpo ir em direção a porta.


— Onde você vai? — Minha voz saiu baixa.


— Não é da sua conta. — Suas palavras foram como um tapa na cara.


Ele bateu a porta. Fiquei um tempo olhando para um ponto fixo da casa, sentindo meu coração acelerar, que chega doía. Depois de me recompor, comecei a caminhar para meu quarto. Abri a porta do cômodo, sentindo o cheirinho de incenso. Me sentei na ponta da cama, levando minha mente para Jeon. Seria muito difícil olhar para o mesmo, tentando não o tocar, ou sentir seu cheiro natural, ou então, não o ter dentro de mim. Fazendo-me ter os melhores orgasmos da minha vida.


Dei um suspiro um pouco alto e fechei meus olhos. Me deitei na cama, sentindo a maciez do estofado encontrar com meus corpo. Me ajeitei um pouco na cama, enquanto ligava o ar condicionado no mínimo.


Abro meus olhos enquanto sentava na cama devagar. Minha boca se abriu levemente ao escutar alguns barulhos na sala. Me levantei e cocei meus olhos, abri a porta e desci para o cômodo de baixo.


— Pai? — Acendi a luz. — Pai! — Corri em sua direção ao vê-lo jogado no sofá, enquanto mantinha com os olhos fechados.


Mordi o lábio inferior enquanto observava seu rosto bem desenhado. Era incrível o fato de seus lábios serem tão finos e vermelhos, era incrível como seus olhos eram tão redondinhos e grandes, de como seu corpo parecia perfeito para o meu. Engoli em seco e me sentei ao seu lado, Jeon estava dormindo.


— Você é uma babaca, cretino, cafajeste. — Levei meus dedos para sua testa, tirando alguns fios de cabelo, de seus olhos. — Mas eu te amo de uma maneira descomunal, Jeon. — Beijei sua testa, enquanto via o mesmo ofegar.


Me levantei e tentei sair o mais rápido possível daquela sala, porém sentir uma mão agarrar meu pulso. Me virei gelada para o homem e este mantinha seus olhos semi abertos, e a boca entreaberta.


— Repete. — Ele pediu. — Repete para mim.


— Repetir o quê? — Ofeguei alto quando o mesmo me puxou para seu colo.


— Repete que me ama. — Jeon se sentou no sofá e levou sua mãos para meu rosto.


— Não sei do que você está falando. — Jeon sorriu e aproximou nossos rostos, falando bem próximo a minha boca.


— Eu também te amo (S/N). E não é como um pai ama uma filha. — Seu sussurro doce, me enlouqueceu.


Aquelas palavras que saíram de seus lábios doces me fizeram petrificar por alguns segundos. Jeon me puxou para um beijo sem segunda intenção alguma.


[07:39am]


Abro meus olhos com cautela e soltei um suspiro, decepcionada. Claro que tudo não passava de um sonho, até porque nunca Jeon iria me amar. Me levantei devagar, hoje iria começar minhas aulas, eu estava no último ano, e hoje acaba minhas férias de verão. Eu não estava nem um pouco animada para voltar às aulas. Mordi o lábio inferior pensando no sonho, foi tão bom escutar aquelas palavras da boca de Jeon. Andei em direção ao banheiro, onde fiz minhas higienes e tomei um banho rápido. Depois de voltar para o quarto, separei meu uniforme, que era uma saia verde um pouco rodada, uma blusa branca de manga curta com uma pequena gravata e uma meia preta 7/8. Vesti as peças e calcei meu sapato também preto.


Depois de pentear minhas madeixas, passei apenas um rímel e fiz um delineado em meus olhos. Borrifo um pouco de perfume em meu pescoço e no resto do corpo. Me olho uma última vez no espelho e ponho uma gargantilha em meu pescoço. Pego minha mochila e desço para a cozinha.


Jeon estava sentado na cadeira comendo seu café, me sentei um pouco distante de seu corpo.


— Quer que eu te deixe na escola? — Ele nem me olhou.


— Não. — Mordi um pedaço da minha banana.


— Ótimo, coma rápido que eu já te deixo. — O homem se levantou e bebeu água.


Dei um suspiro baixo e continuei comendo. Depois de terminar, levei as louças para a pia e bebi um pouco de água. Jeon e eu andamos em direção a porta e o maior trancou a mesma. Caminhamos para o  carro e Jeon entrou no veículo, entrei logo em seguida e passei o cinto por meu corpo.


— Posso ligar o rádio? — O olhei rápido e ele deu de ombros, sem me olhar.


Engoli a saliva com força e liguei o rádio. Estava tocando Ride, do SoMo. Jeon ofegou e eu mordi o lábio inferior, enquanto fechava os olhos. Essa tradução era incrívelmente sexy. Tentei não demonstrar nada enquanto estávamos alí, percebia Jungkook me olhar se soslaio, o que me fazia corar as vezes.


— Eu não quero ficar nesse clima tenso, pai. — O olhei e o mesmo me olhou.


— Você quer que tudo volte como antes? — Ele levantou uma sobrancelha. — Não é tão simples assim, (S/N). — Jeon suspirou.


— Mas você é meu pai… Eu não gosto de ficar assim com você, papai. — Ditei chorosa.


Jeon suspirou e parou o carro, o mesmo tirou seu cinto e o meu. Jungkook me puxou para seu colo em malícia alguma e pôs uma mecha de meu cabelo atrás de minha orelha.


— Desculpe por ser um babaca com você. — Ele beijou minha testa e eu sorri, completamente derretida. — Vamos prometer uma coisa? — Assenti. — Não vamos mais brigar, e nem ficar em um clima estranho. Está bem?


— Sim. — Sorri e abracei o mesmo.


— Entenda que às vezes eu sou muito babaca com você. — O mesmo nos afastou e olhou em meus olhos. Meu coração estava acelerado, mas eu não tinha culpa. — Mas essa é a minha personalidade. Eu fui criado desse jeito, e eu me acostumei com meu pai agindo dessa forma comigo. Aish, eu não deveria agir assim com você minha princesa.


— Tudo bem, papai. — Meu olhar por alguns segundos desceram para seus lábios, e o percebi morde-los.


Jeon sorriu e beijou minha bochecha. Fechei os olhos aproveitando seu carinho e o maior me tirou de seu colo.


— Vá para a escola, eu venho te buscar. — Assenti sorridente e sai do carro.


Andei em direção ao campus da escola totalmente alegre. Jeon havia se mostrado carinhoso comigo quando estávamos no carro, e eu era completamente boba por ele.


Dois meses depois;


Hoje era meu aniversário, eu estava completamente feliz por completar dezoito anos. Jeon e eu estávamos em uma relação incrível, ele era muito carinhoso comigo, apesar de às vezes dá uma recaída e ser grosso. Eu continuo o amando, mas já me acostumei a não poder tocá-lo de outra forma, a qual eu gostaria. Minha mãe estava ótima com o SeokJin, o mesmo era um bom homem, eu o adorava. Jeongguk e eu as vezes nos olhávamos com outros olhos, afinal, tivemos algo no passado que nunca foi e nunca será esquecido por mim. Muita da vezes meu pai foi a festas da empresa e chegou com marcas de batom e chupões no pescoço. Doeu vê-lo assim? Doeu, mas eu não posso cobrá-lo nada. Jeon e eu somos apenas pai e filha, nada mais do que isso. Nossa relação estava bem, mas eu me irritava quando o maior trazia mulheres para casa e expulsava todas, meu pai passava alguns dias bravo por minha atitude, mas nada que beijos e mais beijos não resolvessem. Eu amava o jeito que Jeon me tratava, amava o jeito de como ele começou a agir depois da nossa conversa no carro. Eu amo aquele homem.


— Filha, você está pronta? — Ouvi a voz do mais velho.


— Quase papai. — Terminei de passar o batom em meus lábios e me olhei no espelho.


O vestido na cor branca, que papai havia escolhido estava lindo em meu corpo. Sorri maravilhada e dei uma checada na maquiagem, a mesma não estava muito exagerada, estava meio termo. Borrifei perfume em meu pescoço e pulsos, enfeite-me com alguns acessórios e ajeitei meus cabelos, estes estavam ondulados. Depois de calçar os saltos, abri a porta do quarto encontrando meu pai no corredor.


— Você está linda. — Ele sorriu.


— Você também está lindo, papai. — Jeon estava com uma calça preta colada, uma blusa social branca e um sapato preto.


O homem sorriu e pegou em minha mão, estremeci quando senti seus dedos gelados tocarem os meus delicadamente. Ofeguei baixo e andamos em direção ao seu carro.


— Está animada para saber a notícia? — Jeongguk sorriu, passando o cinto por seu corpo e dando a partida.


— Muito. — Confessei sorrindo.


— Você irá gostar, até porque você ama essa pessoa. — Soltei um suspiro e sorri.


— Espero que goste. — Olhei para a janela e comecei a cantalorar baixo.


— Você está tão linda nessa roupa, meu amor. — Engoli em seco. Suas palavras ainda faziam efeito em mim.


— Obrigada papai. — Agradeci sorrindo.


Depois de algum tempo, chegamos em um restaurante francês. Sorri um pouco e Jeon saiu do carro, abrindo a porta do conversível para mim. Sai do veículo e andamos lado a lado, parecíamos um casal. Ri pelo meu pensamento mas logo deixei para lá. Jungkook trocou algumas palavras com um garçom e logo seguimos em direção a uma mesa, que ficava próximo ao centro. Sorri com o cavalheirismo de Jeon ao puxar a cadeira para mim sentar e agradeci baixo. Mordi o lábio inferior nervosa, quando vi uma figura feminina vir em nossa direção, sorrindo.


— Melissa? — Meus olhos se arregalaram por completo.


— Sim, a Melissa. — Jeon sorriu.


— O que ela faz aqui? — O olhei sentindo minha respiração falhar, com medo de sua resposta.


— Melissa é minha nova namorada.


Notas Finais


Enton, a parte que ela é Jeon estão no carro ficou bem sem sentido, mas espero vcs tenham entendido kkkkkkkkk :')

Espero que tenham gostado do capítulo, comentem para mim saber o que vocês acharam rs

Meu perfil: @sweetggukkie

Até mais ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...