História Bad Daddy (Imagine Incesto Jeon Jungkook-BTS) - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook)
Tags Amor, Bts, Filha, Gukkie, Hoseok, Hyuna, Jimin, Jin, Jungkook, Kookie, Namjoon, Pai, Suga, Você
Visualizações 2.529
Palavras 1.870
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Tuts tuts olha só quem apareceu :)
O cap está gostosinho por causa do Tae! Por que o resto... 😒

Enfim, espero que gostem!

Não vai ter música hj ksksksksksk
Sorry :')

Boa Leitura!

Capítulo 8 - What dirty touch Uncle Taehyung...


Fanfic / Fanfiction Bad Daddy (Imagine Incesto Jeon Jungkook-BTS) - Capítulo 8 - What dirty touch Uncle Taehyung...

Jeon estava a me observar a algum tempo, pois o mesmo não tinha argumentos para dizer.

Olho para o chão por alguns segundos e depois levo minhas orbes para seu rosto bem desenhado.


— Ela me provocou (S/N), eu estava bêbado e eu sou homem! — Sorrio cínica para ele, o mesmo franze o cenho.


— Quer saber? — Ele se aproxima com uma feição de culpado. — Faça o que você quiser, nós só somos pai e filha mesmo. — Dito seca.


Ando em direção a porta e saio de seu quarto. Vou para meu quarto e tranco a porta, fico de costas para a madeira e encosto meu corpo na mesma. Engulo a saliva com força e solto um suspiro, a ficha ainda não tinha caído.


Jisoo é uma vadia morta, ah se é!


Ando até o banheiro e começo a tirar as peças molhadas de meu corpo. Escovo meus dentes e depois começo a tomar meu banho. Eu estava queimando por dentro, Jisoo teve culpa claro, mas Jeongguk se deixou levar por ela.

Saio do banheiro enrolada na toalha branca e procuro a minha melhor lingerie. A mesma era preta rendada, realmente linda. Passo um hidratante em todo meu corpo e depois visto as peças que escolhi.


O que eu iria fazer? Bem, dá o troco em Jeon Jungkook. Kim Taehyung é um ótimo partido e ainda tem uma voz deliciosa.

Como iria fazer isso? O Kim todos os dias frequenta uma boate que havia aqui perto de casa, nós iríamos transar claro, o banheiro da boate seria um ótimo lugar.


Ah propósito… Já contei a vocês? Jisoo é filha do tio Taehyung. Será um prazer transar com ele… Claro que não irei transar com o Kim só por causa disso, eu também sempre tive vontade de saber como era escutar seus gemidos roucos em meus ouvidos.


Visto o vestido preto decotado que havia escolhido e faço uma maquiagem não muito forte, a finalizo com um batom nude meio rosado e coloco alguns anéis junto de meu relógio dourado. Borrifo perfume em meu corpo me perfumando bem.

Penteio meus cabelos os deixando soltos mesmo e calço um salto não tão alto também preto.


Saio do quarto e não vejo Jeon. Ando em direção a porta e tomo um susto ao sentir uma mão em meu braço.


— Onde pensa que vai? — Me viro em sua direção sorrindo cínica.


— A uma boate, tem algum problema, papai? — Ele se aproxima deixando-me embriagada com seu cheiro natural. O perfume de Jisoo já não estava mais em seu corpo.


— Você não vai a lugar algum! — Solto uma risada baixa.


— Vou sim! — Afirmo e me solto de seu aperto. — Você pode não é?! Por que eu não? — Me aproximo de seu corpo. — Eu vou transar com quem eu quiser sim, e você não vai me impedir, papai. — Dito e saio de casa vendo sua expressão raivosa.


Sorrio convicta e ando em direção a boate. Iria sozinha e andando mesmo, afinal era só duas quadras de casa. Caminho devagar até a boate e em uma esquina antes, consegui ouvir a música que tocava em alto bom som. Sorrio para o seguranças e entrego minha indentidade falsa, entro na boate e vou até o barman.


— Me dá uma tequila. — O homem sorri.


— Eu pago. — A voz do homem ao meu lado me fez sorri. — O que faz aqui? — O olho mordendo o lábio.


— O que se faz em uma boate, titio? — Sorrio maliciosa.


— Muita coisas princesa. — Taehyung toma um gole de seu uísque. — Seu pai deixou? — O mesmo vem até mim, pegando em minha cintura.


— Digamos que não, mas eu não preciso da confirmação dele, não quando ele transou com Jisoo. — Dito deixando o mesmo surpreso.


— Jisoo transou com Jungkook? — Ele sorri, ato que me fez estranhar.


— Sim. — Murmuro pegando minha tequila. — E muito por sinal. — Dou um gole na mesma.


Tio Taehyung ri e eu me levanto do banco.


— Vou dançar um pouco, vem comigo? — O homem sorri assentindo.


— Claro.


Ando em direção a pista de dança com a mão dada ao homem. Sorrio quando ouço a música que estava a tocar, era Earned It. Essa música era extremamente sexy!

Começo a mexer minha cintura no ritmo da música e sinto as mão de tio Taehyung em minha cintura. Mordo o lábio inferior com seu toque, que me instigava a mexer meu quadril contra seu membro. Sinto sua mão descer até minha intimidade.


Que toque sujo tio Taehyung…


— Vamos sair daqui? — Sussurro em seu ouvido completamente insana e ele sorri.


O homem de madeixas loiras pega em minha mão e nos leva na direção de um banheiro. Fecho a porta trancando a mesma e olho em seu rosto.


— Você me parece tão atrativo tio… — Sussurro contra seus lábios.


— Ah é? — Assinto mordendo o lábio inferior. — Então me prova…


Sua voz rouca me fez ofegar. Sorrio e ataco seus lábios em um beijo afoito, deixando todo o desejo dominar meu corpo naquele momento. Confesso que parte de mim estava fazendo aquilo por vingança, mas a outra parte estava fazendo por simples desejo.


Levo minha mãos até seu pau e o acaricio por cima da roupa. Tio Taehyung já estava ficando duro, duro como pedra. Chupo sua língua o fazendo soltar um ofego e aperto meus próprios seios.


— Sempre quis fazer isso… — O mais velho sussurra apertando a carne de meu bumbum.


— Aproveita. — Sorrio olhando para sua boca.


O homem me beija novamente e leva suas mão até a barra de meu vestido, o retirando de meu corpo. Pego suas mãos e levo até meus seios, o mesmo aperta me fazendo morder o lábio pela excitação.

Jogo meu salto em algum canto do banheiro e começo a tirar a camiseta de Tae, este leva sua boca até meu pescoço e começa a maltratar a carne sensível, arrepiando-me completamente.


A música que tocava na boate estava abafada por conta de estarmos no banheiro, mas isso tornava o ambiente mais excitante ainda. Dou um selinho em seus lábios e me fico de joelhos, sorrio para o homem é começo a desafivelar sua calça.


Beijo seu membro por cima da box e aperto o mesmo, completamente excitada. Tiro as peças que me atrapalhavam e começo uma masturbação com a mão.


— Tão grande… — Sussurro olhando seu lindo rosto.


Boto minha língua para fora e rodeio seu prepúcio com a mesma, tio Tae ofega forte e tira alguns fios de meu cabelo que estava atrapalhando. Enfio seu pênis em minha boca dando sucções fortes, fazendo o mesmo soltar um pequeno gemido. Começo a masturbar-lo rapidamente enquanto dava atenção aos seus testículos, ora chupando e ora os acariciando com meus dedos.


— Que boquinha… Hm… — Tio Tae aperta os olhos enquanto ofegava.


Enfio quase todo seu pênis em minha boca, me engasgando algumas vezes. Taehyung contraia seu âmago vez ou outra, gemendo alto.

Olho em seus pequenos olhos enquanto chupava o líquido branco que entrava em minha boca.


— Que boa garota… — Seu sussurro rouco fez minha bocetinha pulsar. — Boas garotas merecem recompensas.


Taehyung solta uma risada sacana e me põe em cima da pia de mármore. O mesmo afastou minha calcinha para o lado e sorriu enquanto olhava para minha intimidade.


— Parece tão apertada! — Tio Taehyung enfia um dedo na mesma. — Oh… Imagina ela apertando meu pau.


Sua íris estava intensa. Solto uma risada sacana.


— A da So-Hyun não aperta você tio Taehyung? — Ele ri baixinho.


— Você é vingativa não é garota? — Assinto.


Taehyung fica de joelhos e passa sua língua quente em meu pontinho, me fazendo ofegar forte. Mordo o lábio inferior seguidas vezes quando o homem começa a mexer seu dedo em mim com força e rapidez. Sua língua fazia um trabalho maravilhoso em meu clitóris, o mexendo para lá e para cá de uma maneira ágil.


— Hm… — Resmungo manhosa apertando os olhos.


Love Is a Bitch era se ouvida em um som abafado, no ambiente. Mas não era deixado de ser sexy, muito pelo contrário, deixava nossa transa mais emocionante. Mordo o lábio inferior quando sinto a sensação de deleite.


— Hum, docinha como eu imaginei. — Taehyung fica de pé novamente, pincelando seu pau em minha boceta.


— Hm, então você já nos imaginou? — Solto uma risada baixa e o homem sorri.


— Não sabe quantas vezes. — Seu tom suave e rouco fez meu corpo arrepiar-se levemente.


Taehyung passa seu pau em minha bocetinha vezes seguidas, me fazendo ofegar.


— Enfia logo… — Murmuro sem paciência.


O homem dá uma risada sacada e me estocada com uma força incrível, me fazendo gemer um pouco alto. Taehyung começa a se mexer, enquanto segurava em minha cintura.


— Eu realmente queria ir em um motel com você. — O homem fala ofegando enquanto me estocava. — Mas você é menor de idade e em minha casa não dá.


Aperto meus olhos e ponho minhas pernas ao redor de sua pélvis. O barulho molhado que fazia era extremamente obsceno e excitante ao meu ver. Taehyung se mexia com rapidez, este era bem experiente em fazer algo assim. Solto uma risada baixa com meu pensamento e olho nos olhos do amigo de meu pai.


Estes me observavam com um brilho indescritível, o que me fez ficar confusa. Tio Taehyung nunca havia me olhado assim.

Sinto meu âmago se contrair com suas investidas brutas, eu já iria gozar.


— Hm… Tô quase Tae!


Sussurro frazindo meu cenho, minhas palavras parecem que fez Tae ir mais rápido, se possível. Abro minha boca gemendo seu nome em deleite, sentindo meu líquido descer pela a base de seu pau.


— Oh…


Falamos ao mesmo tempo. Taehyung se retira de dentro de mim e eu me abaixo, ficando de joelhos e dando de cara com seu pau melado.

Dou algumas sucções enquanto o homem gozava em minha boca e engulo seu líquido.

Me levanto com dificuldade por minhas pernas estarem bambas e começamos a nos vestir.


— Você foi ótima. — Sua voz rouca me fez olhá-lo.


— Digo o mesmo, Tae. — Ele sorri.


— Meu apelido fica lindo em seus lábios. — O homem se aproxima quando termino de calçar meu salto.


— Hm… — Sorrio e selo nossos lábios.


— Quer que te leve para casa? — Arregalo meus olhos quando vejo que já são 01:30 da manhã e assunto rápido para homem.


— Meu pai vai me matar. — Murmuro saindo do banheiro com Taehyung me seguindo.


— Relaxa. — Ele sorri e nos leva até seu Porsche.


Entro no carro e ponho o cinto, Taehyung dá a partida e liga o rádio, onde tocava Gasoline, da Halsey. Começo a cantalorar baixinho e encosto minha cabeça na janela do carro de tio Tae.


[01:50am]


— Chegamos meu anjo. — Olho para o homem.


— Obrigada pela carona. — Rio baixo e ele se aproxima.


— Não mereço nem um beijinho?


Me aproximo de seu corpo e beijo seus lábios. Taehyung sorri entre o beijo e aperta minha cintura.


— Tenho que ir. — Abro a porta do carro. — Obrigada de novo, tio.


Saio de seu carro e ando em direção de casa, sem olhar para trás. Abro a porta e entro no cômodo, me assusto quando vejo Jisoo tentando beijar Jeongguk, mas o mesmo não deixava.


— O que pensa que está fazendo sua vadia?!


Notas Finais


Entom... Vocês já sabem o que vai rolar no próximo capítulo não é? 😂😶

Espero que tenham gostado ;3

Meu perfil: @sweetggukkie

Até maixxxxx 😍♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...