História Bad Decisions - Capítulo 23


Escrita por:

Postado
Categorias Ashley Benson, Justin Bieber, Madison Beer, Ryan Butler, Selena Gomez
Personagens Justin Bieber, Selena Gomez
Tags Drama, Gemêas, Jelena, Justin Bieber, Romance, Selena Gomez
Visualizações 948
Palavras 3.647
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Quem é vivo sempre volta, e eu não fico sem vocês. Ótima leitura! 🌹

Capítulo 23 - Ninguém deveria perder uma garota como você.


Fanfic / Fanfiction Bad Decisions - Capítulo 23 - Ninguém deveria perder uma garota como você.

Uma quinzena depois

Califórnia, Los Angeles. [Outubro]

Justin Bieber — Point of View

Tudo anda uma bagunça. A outra ponta do cigarro queima quando eu o levo até a boca. Eu tinha parado de fumar, sei que sim, mas não tê-la mais comigo me faz passar por isso. É desesperador estar tremendamente apaixonado no colegial por alguém e mesmo assim passar por isso.

— Com licença, senhor. — dou-me o trabalho de mover os meus olhos até a garçonete. Acanhada, seus olhos claros e verdes miram no cigarro e no meu rosto. — É proibido fumar aqui.

Dou uma última tragada antes de fazer a inconveniência de entregá-la o objeto. A loira faz uma careta, mas não é capaz de dizer mais nada. Estou na mesma lanchonete que Selena e eu nos beijamos.pela primeira vez. Sei que foi no estacionamento, mas o local simplesmente me lembra dela. Era magnífico olhar para os seus olhos escuros e ver as luzes vermelhas da Johnny Rockets bem visíveis. O sino da porta soa, e eu o vejo me procurar. Aceno, desanimado, e Mason me olha. Ele solta uma risada antes de se sentar.

— Cara, você está péssimo. — de novo, ele ri. — Sinto sua depressão só de olhá-lo.

— Por que você me chamou pra vir? Todos estão me ignorando, não me importo se fizer o mesmo.

— Estou aqui pra te ajudar a ter a Gomez de volta, não é isso que você quer?

— Eu tentei. Fui na casa dela, subi na janela, mandei mensagens, tentei abordá-la no colégio, ela me ignorou todas as vezes. E quando Ryan estava por perto eu tinha que me afastar. Não sei mais o que fazer.

— Foram duas semanas, Justin. Duas. Se você a ama, tem que lutar pra isso, e essa seu desânimo está me causando nervos.

Mason tira sua jaqueta, e então acena para a garçonete, a mesma que estava aqui há dois minutos atrás. Ela no entanto não vem, e sim uma ruiva.

— Posso anotar o seu pedido?

— Eu vou querer dois milkshakes. Morango e baunilha. — Stacy, pelo o que li no crachá, se afasta após anotar o pedido. — Nada melhor que milkshake.

— Mason, direto ao ponto. — revirei os olhos. Se ele marcou, tem um por quê.

— Não seja apressado. Penso melhor quando estou tomando alguma coisa.

Sou impaciente, sempre fui. Estourava com uma facilidade imensa. Selena era alguém que me trazia paz, que me colocava no chão sem que a gravidade me movesse. É como uma âncora, e sem ela eu me sinto completamente ferrado.

Os pedidos chegam. Mason bate palmas como se a situação não fosse triste o suficiente. Eu nunca fui com a sua cara desde os acontecimentos na viagem, mas ele era o único que estava falando comigo, além dos garotos do time. O meu grupo de amigos está com Ryan, apoiando-o. Mas sei que eles não sentem raiva de mim. Só não podemos deixar que toda a nossa amizade.

— Eu estou pagando, toma isso logo e começa a me contar como isso aconteceu.

Flashback On — Três dias antes do jogo

— Justin, eu e sua irmã estamos saindo. — minha mãe tinha chegado no quarto, ela estava vestida tão elegante. — A apresentação de ballet dela é hoje.

— Ah, eu tinha me esquecido. — me odiei naquela situação, a apresentação era o evento mais importante da Dove desde o começo do ano letivo. — Onde ela está?

— Na porta de casa, está nervosa demais. Não se preocupe, ela nunca se importou com pessoas indo vê-la. — isso era verdade. Dove era o tipo de pessoa que ficava ainda mais apreensiva se a família fosse vê-la. — Eu deixei o seu jantar na geladeira, é só esquentar no forno.

Assenti e então mamãe se despede com um beijo no canto da testa. Quico a bola mais uma vez antes de arremessá-la na cesta. Selena tinha ido ao cinema com Ashley e Vanessa, talvez seja por isso que ela não me respondeu de imediato. Deixei-a em paz, afinal, ela podia se divertir com as amigas e eu nunca seria empecilho para isso. Decido, então, enviar uma mensagem para o grupo do time de basquete. Todos os mais próximos toparam ir à casa do Chaz, o seu quarto era um verdadeiro fliperama. Envio a mensagem para a Selena, deixando-a ciente, no entanto ela não me responde. Era cômico que não nos falávamos há duas horas e eu estava enchendo-a o saco, por isso tinha decidido que não iria ficar perturbando-a mais. Me arrumei em metade de uma hora no máximo. Deixei um bilhete caso mamãe chegasse antes, e tomei em mãos o celular, carteira e chaves. Ao abrir a porta de casa, no entanto, dou de cara com a Hailey. Ela vestia apenas um short curto e um moletom cinza. Outubro em Los Angeles fazia frio, chegava a ter  nevascas mesmo no dia de ações de graça. Seus lábios grossos e cobertos por um batom fosco abrem um sorriso, então ela entra na minha casa. Eu arregalo os olhos, ainda com a porta aberta.

— Hailey, o que diabos você está fazendo?

— Vim ver você. — ela solta uma risada. — Não está óbvio?

— Mais que óbvio. Mas eu estou de saída agora, então…

— Justin, eu preciso de você, não entende? — ela me ignora. Eu fico confuso, até franzo o cenho com a frase repentina. — Me beije apenas uma vez. Selena nunca saberá, eu lhe dou a minha palavra.

A loira coloca as mãos no meu rosto, mas eu seguro e então delicadamente a afasto.

— Nunca mais sugira que eu traia a minha namorada, entendeu? — ela fica quieta e calada. — Hailey, você entendeu?

Ela parece morder a bochecha por dentro. Balança a cabeça e confirma. Me encosto na porta, na intenção de me manter bastante afastado. E então ela fica parada, e num movimento rápido seus lábios se encostam nos meus. Não tive tempo de raciocinar. Empurro seus ombros e seu corpo frágil e leve acaba caindo no tapete de boas-vindas.

— Você é problemática, Hailey. Some daqui!

Eu sei o quão nervoso eu tinha ficado. Fechei a porta novamente, mas pude ouvi-la chorar e soltar um grito de raiva. Aquilo tinha me deixado tão incomodado que eu desmarquei.

Mais tarde, quando eu já estava dormindo, bateram na minha janela várias vezes até eu acordar. A janela do meu quarto era tão baixa, que tudo que você precisava fazer era subir na caçamba de lixo. Sonolento, fui até a mesma, vendo um bilhete. Estranhei rapidamente, mas peguei o papel em mãos e li mentalmente:

“Você é meu desde o dia que se mudou. Estou cansada de tanta rejeição, sendo que eu nunca fiz nada de ruim para as pessoas. Selena terá essas imagens maravilhosas expostas, e você nem imagina o que eu posso fazer com ela, ou quando. Ela saberá o que aconteceu.”

Eu não terminei o namoro, e as fotos vieram à tona.

Flashback OFF

— Mostre a carta para ela. Selena saberá que foi uma armação. — após eu mostrar a carta pra Mason, ele solta a frase como se fosse óbvio demais.

— “Ela saberá o que aconteceu" na carta não tira a ideia de que eu supostamente a traí. Eu não tinha visto as fotos, por isso não fiz nada. Fiquei sentado esperando a Hailey se mostrar uma real louca e acabar com o meu namoro.

Eu estava irritado, e tinha acabado o milkshake enquanto contava. Mason suspira.

— Eu não sei o que fazer, sério. — murmurei entristecido. — É um saco não tê-la.

— Eu estive falando com a Serena sobre vocês. Selena está realmente decidida a te esquecer, mas não está sendo fácil. Ela ainda te ama, e você deve lutar por isso.

Mason fala com tanta garantia quando coloca uma nota de dez sobre a mesa. Ele se coloca de pé, e então eu começo a segui-lo para fora da Johnny.

— Por que está fazendo isso, afinal?

— Estou tentando conquistar a Serena. Talvez seja mais fácil se você e a Selena estiverem juntos. E claro, eu gosto muito da esquilo.

Franzo o cenho quando ele se refere à Selena como esquilo. Talvez seja por conta da semelhança das bochechas. Em outra situação eu iria rir bastante.

[...]

Serena e Mason discutem. Ela o atendeu de bom grado até me ver dentro do carro. A morena dos olhos claros suspira e cruza os braços. Mason me chama com a mão, e eu deixo o veículo. Ela me olha com mais desdém que tudo.

— Mason, só de olhá-lo eu sinto ódio! Não vou conseguir fazer isso.

— Vai sim. — o garoto persiste.

— Serena. — chamo-a atenção. Ela me olha de cima a baixo, calada mas com o nariz empinado. — Eu vim pedir ajuda a você. Sei que agora está bem próxima da Selena, e Ashley não quer se envolver em nenhuma das partes.

— Nem eu deveria. — ela se opõe. — Estou finalmente conseguindo ser uma pessoa melhor e você quer estragar tudo?

— Só ouça o que ele tem a dizer.

Serena ouviu a história novamente, e leu o bilhete. Ao final, ela não parecia confiante.

— Justin, eu não sei como eu poderia te ajudar nisso. Mas faz sentido. As meninas do grupo fizeram pouco caso quando ela se ofereceu pra ficar no lugar da Cassie, eu mesma fiz isso. Seria uma hora perfeita para dar desculpa. E ela é boa com fotografia, talvez tenha feito com que as fotos ficassem reais demais.

— Quem tiraria as fotos pra ela? — Mason pergunta. — Isso é estranho demais.

— Eu só queria uma chance de me explicar para a Selena, mais nada.

— Serena, por favor.

Ela intercala o olhar entre nós dois. Eu sofro com a expectativa, então Serena suspira.

— Selena está lá em cima, no quarto. Estamos sozinhas.

Isso era bom. Nem Ryan nem os pais dela poderiam me expulsar como fizeram nesses últimos dias. Eu a agradeço com o olhar, mas a garota resolve não me olhar mais. Porém, a ajuda foi imensa. Consegui chegar no quarto da Selena. Uma música tocava alta, no entanto eu não conseguia identificar qual era. Eu abro a porta, mas ela parecia estar no banheiro por conta do barulho do chuveiro. Me sento em sua cama, tomando a camiseta largada em mãos. O seu cheiro está lá. É doce e fraco, mas perceptível.

— Justin? — ouço sua voz. Selena segura bem a toalha no corpo. — O que você está fazendo aqui?

— Eu vim te ver. — dou um passo pra frente, mas ela recua. — Selena…

— Justin, desista de nós de uma vez. Eu estou tentando seguir em frente mas você não facilita! — sua voz é alta, mas ela não chega a gritar.

— Eu poderia fazer isso se tivesse feito alguma merda, mas eu não fiz.

Ela ri com sarcasmo.

— Me trair não foi uma merda pra você? Provavelmente porque enquanto você ficava comigo ainda tinha a Hailey nos braços. Me diga, isso acontece há quanto tempo? Quando dizia que me amava, você pensava em que?

Seu olhar é tão duro quanto suas palavras. Eu vi que ela não ia acreditar em mim. Seu coração estava quebrado e a racionalidade ia passar longe dela naquele momento.

— Eu amo você, Selena. É tão grande que às vezes eu sinto que não posso respirar. Sei que você não vai acreditar, mas há uma explicação para isso. Hailey armou pra mim.

— Justin, uma vez na sua vida pare de culpar as pessoas! Admita como um homem!

Ela grita e pega o seu perfume. O vidro se estilhaça quando colide com o closet, por pouco não me acerta, pois fui rápido em abaixar. Seus olhos se enchem de lágrimas.

— Eu vou provar pra você. — minha garganta fecha, eu quero chorar também. — Vou provar que a amo e nunca faria isso.

Selena nem ao menos usa mais o colar de beija flor. Sei que as chances dela ter o jogado fora são grandes. Deixo o bilhete em cima da cabeceira marrom, na intenção de que talvez ela pense melhor. Eu tinha a cópia, e sei que usaria depois.

— E aí, cara? — Mason pergunta quando chego na rua.

— Não adiantou muita coisa. Preciso arrumar um jeito de fazer a Selena acreditar em mim.

 

POV Selena Gomez

Me arrasto pelos corredores do colégio. Não dormi nada essa noite, lendo e relendo o bilhete que Hailey deixou para Justin, isto é, se aquela era mesmo a Baldwin. Mesmo que tinha aquele papel, as fotos eram muito reais. Eu não conseguia e não podia me levar pelos olhos pidões do Justin. Isso não podia acontecer.

Mesmo assim, eu apareço na porta da quadra para vê-lo treinar. Ryan não está no seu time, e isso é muito raro. Meu irmão o odeia agora, e as chances dele apoiar nós dois de novo são mínimas. As minhas também. O horário de educação física começaria, portanto fui ao vestiário, vendo Serena amarrar os seus tênis. Tiro a camiseta para pôr a blusa amarela da aula.

— Você está horrível hoje.

— Estive bastante horrível esses últimos dias. — ela me olha e sorri.

— Selena, você é bonita. Use isso. Desde que terminaram você voltou a usar aquelas roupas que nem Maria usaria.

Eu rio.

— Estou bem assim, obrigada. Aliás, é apenas o colégio. Eu não usaria nada bonito para vir.

Garanto-a. Serena balança a cabeça risonha e deixa os cabelos soltos, ela sempre reclamou da própria testa. E desde o dia que ela me abraçou e me confortou, eu vi que a bondade estava crescendo no seu coração, da maneira rude, grosseira, direta e realista dela. Suas maldades não me atingiam mais porque ela não as fazia. Bem, menos quando era para falar mal das pessoas. Aí ela e Ashley se juntavam maravilhosamente bem.

Caminhamos juntas para o campo. Todas as garotas estão naquele espaço, o treinador porém ficara na quadra. Ele tem costume de nos separar em dias de jogos.

— Cadê a substituta?

— Ela não veio. O treinador mandou jogarmos futebol.

Dois times foram formados de olhos fechados, para não ter nenhuma panela. Felizmente, Hailey não estava no meu time. Eu poderia ficar bem longe dela. Serena e Vanessa, no entanto, estavam.

— Eu vou ser árbitra! — Kylie avisa com um sorriso no rosto e toma o apito em mãos.

— Você sabe as regras do futebol? — uma menina perguntou.

— Você sabe as regras das cores? Azul não vai com vermelho. Pelo amor de Deus.

Rio com a sua careta e vou até a posição. Eu não estava com muita vontade de jogar, só chutaria a bola se necessário.

A Jenner apita e o jogo começa. Como disse, tudo o que eu fiz foi chutar a bola para a garota do meu time mais próxima.

— Selena, você sabe que joga bem. Nos ajude!

— Não estou com ânimo pra isso. — meu corpo estava desanimado e pesado, mas Vanessa não quis me ouvir. Ela puxa a minha mão.

— Jogue direito, anda.

O espírito da morena em jogos era muito patriótico. Toda essa indisposição era pelo meu término com o Justin. De repente eu não queria fazer absolutamente nada. E se eu queria seguir em frente, era bom me distrair. Me pus para jogar, fazendo o possível para fazer gol. Até que tropeço em um pé e meu corpo vai com tudo para o chão. Ouço uma risada nojenta e desengonçada, e sabia de quem era.

— Qual o seu problema, garota? — Vanessa pergunta a medida que eu me levanto.

— Deixa. — limpo a grama do meu short.

— Desculpe. Eu simplesmente não consigo enxergar cornas.

— Chega. Eu não preciso ouvir isso.

Tiro o colete azul e o jogo no chão, começando a sair do campo, mas ouço passos e aparentemente Hailey vem atrás.

— Sabe o que é, Selena? Justin sabia esse tempo todo o que eu tinha feito com você na casa do Chris, e não impediu.

— Hailey, pare. — Caitlin pede, segurando seu pulso.

— O que? Kim, ela precisa ouvir a verdade. — gargalhou. — Justin me ligou, disse que estava se sentindo sozinho e eu fui. O serviço não estava sendo feito direito.

Tento ignorá-la, mas a garota segura meu pulso. Eu sofro um solavanco, e sou obrigada a olhar seu rosto.

— Você foi só um projeto de aposta. A intocada do colégio. E ele me ama, Selena. Ao contrário de você, que é só isso.

Sinto vontade de chorar pelas suas palavras, mas prendo o choro.

— Desde o dia que sua irmã namorou com ele, até o término. As vadias Gomez foram só um passatempo, mas até que a Serena durou. Você? Você não foi nada.

A última frase ela fala baixo bem próximo do meu rosto, mas todas as meninas escutam. Hailey sorri, e vira seu corpo.

— Ei, Baldwin.

Hailey me olha, e então minha mão soca o seu nariz com tanta força que ela coloca as mãos no mesmo, e cai no chão. Eu apoio as mãos no joelho, me inclinando para olhar o seu nariz sangrar.

— Nunca mais se dirija à mim dessa forma, muito menos à minha irmã. Eu tenho a minha dignidade intacta, Hailey. E agora todas viram a cobra que você é. Se acha que eu sou a Selena de antigamente que ouve calada você está enganada. Faça bom proveito do Justin, mas nunca me desrespeite dessa forma. — puxo um bolo dos seus cabelos para perto do meu rosto. — Fui clara?

Ela balança o rosto, surpresa pelo o que eu fiz.

— Serviços comunitários foi só o começo. Se mantenha longe.

É o último aviso antes de eu deixar o campo. Ouço as risadas das minhas amigas e os gritos de incentivo delas. Eu me sinto bem. É uma nova sensação.

A picape é o carro que eu comprei, e eu o uso para esfriar a cabeça e deixar o colégio uma hora antes do que poderia. Não poderia ficar mais lá. O ar preso dentro de mim deixa todo o meu corpo pesado. As palavras da Hailey e as fotos voltam na minha cabeça repentinamente e tudo dói de novo.

Dirijo até a Johnny Rockets. Durante a manhã e a tarde, é mais utilizado para um café do que lanches gordurosos.

— Selena! — levanto a cabeça. Rodrick. — Como vai, menina?

— Estou bem! A lanchonete está cheia esse horário, não acha?

— Sim, costuma ter lotação durante a noite, principalmente depois de jogos durante a sexta. Há grande número de estudantes do colégio dos Snakes.

Observo o moletom e o casaco dos garotos e das garotas espalhados pelas mesas vermelhas e de plástico.

— Bem, o de sempre? — ele se remetia à uma bela xícara de chá e mini rosquinhas.

— Quer saber? Eu vou quer um hambúrguer duplo com uma batata frita média e um copo de coca cola. Do maior que você tiver. Ah, e três anéis de cebola.

O homem arregala os olhos e ri. Eu estava com uma fome grande mesmo, não tinha almoçado. E o lanche daquele lugar era extremamente bom.

Mexo no telefone quando uma garota traz os pedidos. Ela me olha com uma careta, e eu retribuo com um sorriso cínico. Começo a devorar o lanche com vontade, quando um garoto se senta em minha frente. Seus olhos são redondinhos e um castanho claro, como mel. O cabelo também é castanho e alinhado. Engulo a comida com o refrigerante, estranhando ele ter sentado na minha frente. O adolescente ri, e eu vejo no seu casaco de couro as listras verdes.

— Você come bastante, hein?

— Eu estou pagando, não estou?

Sou irônica e mordo mais um pedaço do hambúrguer. Sinto que fui grossa, mas ele ri novamente mostrando os dentes alinhados e bonitos.

— Você é do colégio dos Wolves. — ele conclui. — Te vi no jogo.

— E você é…

— Gregg Sulkin. Sou o vice capitão do basquete do colégio, o melhor amigo do babaca do Travis. Tipo o Bieber e o Butler.

— É, o título de babaca se adequa bastante no Justin. — reviro os olhos, enchendo a mão de batata. Empurro o lanche pra ele, o oferecendo, mas Gregg recusa e em seguida faz uma bolha com o seu chiclete.

— Eu vi o painel naquele dia. Sinto muito.

— Por que se sentou comigo? — fui direto ao ponto.

— Você estava sozinha e eu sou uma boa pessoa. Queria ser sincero em dizer que foi uma merda o que fizeram.

Dou de ombros. Gregg sorri novamente, e eu percebi o quanto ele sorria. Continuei comendo, sem me importar se aquilo seria modos.

— Acho que está um pouco sujo.

Ele ri e me oferece um guardanapo. Aceito e limpo, mas no momento exato minha cabeça dói e meu estômago embrulha um pouco.

— Você está bem?

— Estou, foi só um enjôo. Acho que não vou conseguir terminar. — dispensei continuar comendo..

— O que aconteceu com a sua mão?

Ele muda de assunto, pegando na minha mão e passando o polegar pelos meus dedos. Puxo a mesma, mas ele não se incomodou.

— Soquei o rosto da garota que supostamente deu para o meu namorado.

Ele gargalhou e eu soltei uma risada curta.

— Você é uma garota durona. — ele evidencia e come uma batata. Talvez tinha engolido o chiclete.

— E você acabou de me conhecer.

— Gosto de pessoas novas. Mas eu já vou indo, acho que já te perturbei tempo o suficiente. — Gregg se levanta. Eu balanço a cabeça, mas antes de sair, ele diz: —  Eu só fiquei pensando nisso, não consigo ficar na minha, tenho aquilo de tentar ajudar os outros. — ele encolhe os ombros e sorri doce. — Toma, esse é meu número. Se quiser desabafar com um estranho, sou o candidato perfeito.

— Obrigada. — respondo por educação. Ele acabara de me conhecer, qual a graça que viu em mim?

— Disponha. Ah, e saiba que seu namorado foi um otário. Ninguém deveria perder uma garota como você.

E ele desaparece entre os seus amigos que deixavam a lanchonete. Minhas bochechas queimam porque ele foi o único garoto, além de Justin, que tinha me elogiado. E foi imensamente legal.

“Você tem um fetiche pelo meu amor
Eu te afasto e você volta
Não vejo motivo para culpá-lo
Se eu fosse você, eu também me pegaria
Você tem um fetiche pelo meu amor.

Fetish


Notas Finais


××××× Oi, anjos!
Desculpa pela demora, gente. Mas há dias que eu começo o capítulo e não termino no dia, então demoro uns três dias para finalizar direitinho, por isso eu posto mais de 3k de palavras.
A minha criatividade está uma merda. E eu sinto que vou ter que trocar o que aconteceria na segunda temporada porque eu simplesmente odiei. É um clichê que não me agrada. Mas vocês saberão tudo com antecedência, não se preocupem.
Não tenho certeza se o capítulo foi bom, então me diz vocês. Precisava deles pra mostrar o quanto o Justin ama a Selena e precisa reconquistá-la. E não, ele não a traiu. Eu não acho que seja amor de verdade quando há traição, então eu não leio ou escrevo, NUNCA, nada que envolva traições. Nunca mesmo. É algo que me irrita demais.
Ah, e a Selena não bateu na Hailey porque o Justin e ela ""ficaram"", mas foi algo como honra, entende? E quando ela descobrir a verdade o bicho vai pegar.
Espero que tenham gostado. Eu já vou t e n t a r escrever o esboço do que vai acontecer no próximo capítulo, pra vocês não ficarem sem att. Não se esqueçam de comentar e até amanhã eu já devo ter respondido todos os comentários. Um beijo!

Twitter: kingdomadb
Teaser da fanfic: https://youtu.be/o--tqNVEsSY


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...