História Bad Girl - Capítulo 1


Escrita por:

Visualizações 189
Palavras 1.806
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ecchi, Ficção Adolescente, Fluffy, Harem, Hentai, Musical (Songfic), Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem ^^

Capítulo 1 - Audição


Lucy 

- Acordada a essa hora? Caiu da cama? - olhei pra Acno entediada, ainda passando os canais da TV, não achando nada interessante - ei, essa é minha blusa e a minha calça - veio até mim, me apontando acusadoramente 

- Esqueci de trazer roupa, e daqui a pouco papai vai vim me buscar - bocejei

- A Revy tá aqui? - falou aspirando fortemente - sinto cheiro de queimado 

- EU OUVI ISSO - gritou a citada da cozinha 

- É, ela tá aqui - de repente um monte de homens de terno entram na sala, assustando tanto a mim quanto o azulado que estava do meu lado - ele gosta de aparecer né? - comentei com um que estava atrás do sofá, que se limitou a assentir 

- Tudo isso pra te buscar? Loira, que que tu fez pra ele? - levantei, não sentindo mais o estofado macio nas minhas costas 

- Nasci - pisquei, me sentindo ser carregada pra fora da casa. Me estressei - EI, EU SEI ANDAR SOZINHA! OE, MINHA CALÇA! QUER ME DEIXAR PELADA CARA? TÔ FALANDO CONTIGO! NÃO ME IGNORA CACETE - e sou jogada com tudo pra dentro de uma limousine, batendo no vidro da porta - ai - resmunguei, encarando o homem a minha frente, que folheava despreocupadamente o jornal - precisava disso tudo? 

- Não, mas eu quis desse jeito - revirei os olhos - por que está apenas com uma camisa Lucy Heartfilia? Cadê a parte de baixo de sua roupa? - olhou para minhas pernas desnudas 

- Se perdeu no caminho até aqui - fui sarcástica, recebendo um olhar entediado como resposta 

- Pegue, aqui está a papelada pra finalizar a sua matrícula e algumas regras da escola - jogou uma pasta pra mim, a qual peguei sem muito esforço - posso saber o que estava fazendo na casa daquele marginal? - peguei uma caneta de um bolso de um dos seguranças, assinando a primeira folha

- Não e ele não é um marginal. Devia começar a tratar melhor seu filho - ouvi ele ranger os dentes 

- Ele não é meu filho - esbravejou. Não liguei, continuando a assinar a papelada - ele é um bastardo Lucy, apenas você é minha filha legítima - levantei meus olhos, me deparando com os seus 

- Acno sempre será meu irmão e ele sempre será parte da família. É o que ela quis - ficou quieto, bufando - como assim vou ter que usar uniforme? - exclamei indignada, lendo as regras escritas no papel 

- Como pode considerar um traficante de merda como seu irmão? - terminei de assinar os papéis, guardando-os na pasta e entregando para um dos seguranças 

- Eu também não gosto do caminho que ele tomou papai - encarei ele, fria - mas o culpado por tudo isso, é você - engoliu em seco, desviando o olhar pra janela. Ficamos um tempo em silêncio, apenas sentindo o saculejar do carro, até que ele o quebra 

- Assim que chegar lá, tu terá que fazer uma audição 

- Como assim audição? Pra que se eu já estou matriculada? - deu de ombros

- Serão duas músicas. Espero que se saia bem, afinal, não estou pagando aquele lugar a toa - o olhei boquiaberta 

- Foi você que quis pagar esse internato pra mim 

- Shiu Lucy - me calei, revirando os olhos e prestando atenção no percurso.

Em menos de 20 minutos chegamos no internato. Jude fez questão de me levar pra dentro, alegando que queria ver minha apresentação. Mal tive tempo de ver o meu quarto, sendo levada diretamente para o auditório, o qual estava cheio, de alunos e professores. Passei as músicas que eu iria cantar pro carinha que cuidava da mixagem e fiquei vendo o grupo que ia apresentar sua última música. Li os nomes dos garotos : Bakugo Katsuki, Todoroki Shoto, Midorya Izuku, Kirishima Ejirou e Kaminari Denki. Assim que a batida começou a tocar, reconheci na hora, cantando junto, achando as vozes deles muito fodas. 

Just for fun
Let's go!

Came I break rules with a break beat
And I'll break bread up in the back said
And they can cut checks and I'mma cash these
I'm gonna marry kate and fuck the ashley's
We got a full house coming with a full deck
Sipping on the ace of spades and I ain't fold yet
No, never, and I'm all in
My phone ring, she calling
Now she alex trebek-ing me questions
Bek-ing me questions, bek-ing me questions
Bek-ing me, bek-ing me, bek-ing me questions
Bitch, trebek doesn't ask any questions

 

Fiquei encarando eles, vendo os passos ousados e super ritimados que faziam com destreza.

The roof is on fire, we ain't going nowhere
The roof is on fire cause you know we don't care

 

Mordi o Lábio, com a visão deliciosa deles sensualizando

Who started the fire
We don't care who sparked the flame
Can't take this roof any higher
So we just light it up and burn it just to watch it blaze
Watch it blaze, watch it blaze

 

Terminaram a música, repetindo alguns passos durante toda a coreografia. Parece que agora é minha vez. Eles desceram do palco, se sentando em uma fileira vazia. Assim que meu nome foi chamado, eu caminhei até o centro do palco. Descalça e com a poupa da bunda aparecendo, já que a blusa não chegava nem na metade da minha coxa. Ainda bem que minha calcinha é bonitinha, já pensou, vir com uma velha? Credo!

Os professores que estavam avaliando os alunos que passavam por ali, se engasgaram ao ver o meu "traje". Quase ri, quase

- Não tem uma calça não menina? - perguntou uma loira chata 

- Deixa ela, gostei da sua ousadia - sorriu pra mim, fazendo a mulher ao seu lado bufar e anotar alguma coisa na folha perto de si - Lucy não é? - assenti - me chamo Midnight, fique a vontade pra começar - sorri, levantando os olhos, me sentindo como um bife assado, que acabou de sair da churrasqueira pra um prato, com um monte de gente faminta em volta. Sinalizei pro carinha, que iniciou a primeira música.

I love myself, I wanna see it
(Eu me amo, eu quero ver isso)

When I turn around, look in the mirror
(Quando eu me viro e me olho no espelho)

And if you don't like it, you can leave it
(E se você não gosta pode ir embora)

'Cause it's my own and I'll keep owning it
(Porque é o que eu sou e continuarei sendo)

If you don't like what I'm wearing
(Se você não gosta do que eu estou vestindo)

Well, you're only bothered 'cause you're staring
(Bem,você está incomodado porque está olhando)

And you'll never talk me into caring
(E você nunca mudará meu jeito de me cuidar)

'Cause it's my own and I'll keep owning it
(Porque é o que eu sou e continuarei sendo)

I'ma do just what I want on the regular
And it's really not my fault if you're scared of a
(Eu sempre faço o que eu quero, e na verdade não é minha
culpa se você tem medo de uma)

Sweet little unforgettable thing, unforgettable
Sweet little unforgettable thing, so incredible
Know that I'm not sorry, I'm just loving my body
I don't care if you scared of a sweet little unforgettable thing
(Algo doce, pequeno e inesquecível, inesquecível
Algo doce, pequeno e inesquecível, tão incrível
Não, eu não sinto muito, estou apenas amando meu corpo
Não me importo se você tem medo de algo doce, pequeno e inesquecível)

 

Desci as escadas, indo pra perto dos professores, que se levantaram e começaram a dançar junto comigo.
 
I love my ass, I wanna shake it
(Eu amo minha bunda, eu quero rebolá-la) 

 

Me virei de costas, descendo até o chão e subindo de volta, rebolando. Assim que me virei, mandei uma piscadinha para os garotos, que estavam corados e me encarando selvagemente. Infelizmente, não tinha garotas por perto, o que me desanimou legal, mas ok.
 
You can thank my mama 'cause she made it
(Você pode agradecer a minha mãe porque foi ela quem fez)

Don't you waste your breath tryna change it
(Não desperdice seu fôlego tentando mudar isso)

Just mind your own and I'll keep owning it
(Apenas cuide do seu e eu cuidarei do meu)

We gotta learn to stick together
(Temos que aprender a nos unir)

Love your color, gender or whatever
(Ame sua cor, gênero ou o que quer que seja)

'Cause your happiness don't need a sensor
Just mind your own and we'll keep owning it
(Porque sua felicidade não precisa de um sensor
Apenas cuide do seu e nós cuidaremos do nosso)


Repeti o coro, finalizando assim a primeira música, subindo pro palco de novo e já me preparando pra coreografia que criei pra essa música em especial. 

Come here, rude boy, boy, can you get it up?
Come here rude boy, boy, is you big enough?
Take it, take it (yeah), baby, baby (yeah)
Take it, take it (yeah), love me, love me (yeah)
(Venha cá, garoto, garoto bruto, você pode faze-lo levantar?
Venha cá, garoto, garoto bruto, você é grande o bastante?
Pegue, pegue, querido, querido
Pegue, pegue, me ame me ame)


Olhei pra platéia, encontrando feições chocadas e outras desejosas. Sorri, completamente desinibida.

Tonight I'mma let you be the captain
Tonight I'mma let you do your thing, yeah
Tonight I'mma let you be a rider
Giddy-up, giddy-up, giddy-up, babe
Tonight I'mma let it be fire
Tonight I'mma let you take me higher
Tonight, baby, we could get it on, yeah
We could get it on, yeah
(Esta noite vou deixá-lo ser o capitão
Esta noite vou deixá-lo fazer o que sabe, sim
Esta noite vou deixa-lo ser o guia
Depressa, depressa, depressa, querido
Essa noite eu vou deixar queimar
Essa noite vou deixar você me levar mais alto
Essa noite, querido, podemos botar pra quebrar
É, podemos botar pra quebrar)

 

Me virei de costas, descendo meu tronco até o chão e me empinando o máximo que eu conseguia, ouvindo assobios e até mesmo alguns gemidos. Esse povo safado, hein?!

Do ya like it, boy?
I want, want, want what you want, want, want
Give it to me, baby, like boom, boom, boom
What I want, want, want is what you want, want, want
Nah, nah-ahh
(Você gosta disso, garoto?
Eu quero, quero, quero o que você quer, quer, quer
Dê pra mim, querido, tipo boom-boom-boom
O que eu quero, quero, quero o que você quer, quer, quer
Nah, nah-ahh)

 

Terminei a música, completamente ofegante, ouvindo aplausos. Em meio a multidão encontrei o rosto do meu pai, que balançava a cabeça, me repreendendo. Dei de ombros, apenas curtindo os meus cinco segundos de fama. 
 


Notas Finais


e então? oq acharam? comentem pra deixar a tia feliz ^^
músicas usadas :
https://youtu.be/uGjCUY59B_0
https://youtu.be/e82VE8UtW8A
https://youtu.be/KYAdOD8Gwx8

Kissus ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...