História Bad Girl - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amizade, Escola, Falsidade, Família, Romance, Traição
Visualizações 2
Palavras 838
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Prestes a explodir


— Não acredito, Dakota! Como você teve coragem pra fazer isso?

— Não foi difícil, se você quer mesmo saber — Dakota encarou Valentina com tédio estampado no rosto.

As bochechas de Valentina subitamente ficaram vermelhas, e suas feições se contorceram em uma careta de raiva.

— Ela é sua irmã — A ruiva disse pausadamente

— Não é porque eu dormi com o noivo dela que ela deixa de ser — Dakota disse com um sorriso no rosto, sem aparentar levar a sério a amiga que estava prestes a surtar.

— Eu tenho nojo de você! Nojo! Sua vadia hipócrita! Você acabou de destruir a vida da Jess, tem idéia do que fez?

— Não me chame assim Valentina, sabe que eu não gosto — Dakota continuava com um tom entediado.

Dakota pegou uma mecha dos seus cabelos pretos, e começou a enrola-las com os dedos tentando aparentar falta de interesse, ao mesmo tempo em que tentava afastar as lágrimas e a queimação dos olhos.

Dakota Fanning nunca pensou que Valentina ficaria contra ela dessa forma. Imaginou apenas que a amiga, geralmente doce, soltasse apenas algumas frases de repreensão, e não que começaria a ofende-la do jeito que estava fazendo. Ela deveria ter imaginado essa reação. Valentina era tão amiga de Jess quanto dela.

Aquilo doia de verdade. Principalmente pelo fato de que Dakota sabia que o que fizera fora errado.

Mas ela também sabia que não podia deixar Jess se casar com Dylan Só a garota sabia do que ele era capaz de fazer, e ela decidiu — não importava o que precisasse fazer, ou quem magoaria no processo— que iria impedir um possível futuro trágico para sua irmã.

Então ela esperou até que Jess convidasse Dylan para sua casa, e o provocou até que ele tentou algo mais sério. Jess pegou os dois bem no momento em que Dylan tirava as roupas de Dakota, e então saiu chorando. E o mundo pareceu prestes a explodir, desde então.

30 minutos. Foram precisos apenas 30 minutos para que os parentes e amigos mais próximos ficassem sabendo.

— Eu fiz o que foi preciso — Dakota proferiu, ainda encarando seu cabelo.

Valentina apenas lhe deu as costas e saiu, e pela postura dela, Dakota teve a impressão de que a amiga — ou provavelmente ex-amiga — carregava o mundo nos ombros.

Dakota arrastou o corpo até o quarto, o estado de topor da mesma era tão grande que ela só se deu conta de que saira da sala de estar assim que deitou em sua cama.

Jess se encontrava em choro absoluto no cômodo ao lado, e Dakota nunca se sentira tão incomodada com o fato da irmã estar sofrendo quanto agora.

Ela até chegou a cogitar qual seria a reação de Jess se ela aparecesse para tentar consola-la, e criou vários cenários aleatórios na sua mente. Nenhum deles terminava bem.

Aos poucos a inconsciência tomou conta dela. Porém não durou muito. Dakota acordou sendo sacudida bruscamente por ninguém menos que seu pai.

Dakota se preparou mentalmente, desejando poder ficar invisível.

— Muito bem, querida. Você finalmente conseguiu, não foi? Depois de anos tentando — ele sorriu — finalmente conseguiu acabar com a família.

— Pai, eu posso explicar... — Dakota foi interrompida, e agradeu internamente por isso. Ela não tinha uma desculpa. O que ela fez nunca teria uma desculpa boa o suficiente... Aliás, tinha sim. Porém, conta-la complicaria ainda mais o que já estava complicado.

— Não, não, não se incomode, não quero suas explicações ou desculpas. Jess também não. Falei com ela, e ela me contou a situação... Delicada em que você se meteu, mocinha — o semblante não revelava nada, apesar do sorriso que o pai ainda ostentava, porém, os olhos de Jared brilhavam com uma raiva que ela nunca vira no pai. E então ela soube quando um calafrio lhe percorreu a espinha. Sua vida nunca mais seria a mesma.

— Sabe, — ele continuou — eu e sua mãe nunca estivemos presentes na sua vida. Não de verdade. Não te educamos da maneira correta, não tivemos tempo pra isso. Me dói, de certa forma, admitir isso. Mary e eu tivemos você quando éramos muito novos, e um filho é muita responsabilidade. Percebo que falhei com você, Dakota, — agora os olhos de Jared exibiam pesar, e Dakota se encolheu quando percebeu isso — você sempre foi diferente. Impetuosa, e mimada, ah, eu sabia que você daria problema — Jared fez uma pausa e seus olhos ficar distantes, parecendo se lembrar de algo do passado — liguei pra sua mãe hoje, não estamos muito bem, como você já sabe, no entanto precisava da opinião dela pra decidir algo sobre você.

E então o mundo pareceu desabar sobre seus pés. Ela sabia o que aconteceria. Seu pai sempre lhe disse o que aconteceria caso fizesse algo de errado.

Jared sabia que a afetaria, então, deu o melhor castigo que poderia dar a Dakota, a patricinha rica de Nova York, que sempre fez o que queria, e quando queria.

— Você vai morar em Ohio, com sua tia — seu pai a disse com convicção.


Notas Finais


Hello pessoas, quero agradecer quem leu esse primeiro capítulo :) deixem opiniões e críticas - construtivas - nos comentários, assim vocês me ajudam a fazer a história crescer


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...