História Bad Hyung - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens D.O, Kai
Tags Exo, Fluffly, Kadi, Kaido, Kaisoo, Sookai, Universo Original, Yaoi
Visualizações 307
Palavras 1.442
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drabble, Fluffy, Lemon, LGBT, Shonen-Ai, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais uma Kaisoo pra vocês porque eu amo esse casal demais ^_^
Espero que vocês gostem!
Qualquer erro culpem a Sam (pjyoonmin)
Mentira, não culpem ela não
Boa leitura!

Capítulo 1 - Melhor hyung do mundo


Jongin estava preocupado. Viu kyungsoo calado o dia inteiro e sabia que havia algo errado. O mais velho costumava ser mais quieto mas estava exageradamente recluso naquele dia.

Naquele momento, estavam dando uma entrevista sobre o mais novo comeback do grupo e Kyungsoo não havia pronunciado uma única palavra até então. 

Assim que foram avisados de que a entrevista havia terminado, Jongin foi atras de Kyungsoo, que foi o primeiro a levantar e se dirigir ao camarim. Com poucos passos conseguiu alcançar o seu hyung, percebendo que o mesmo possuía um bico extremamente fofo nos lábios.

Teve que conter sua vontade de lhe apertar por tamanha fofura, sabendo que o menor odiava aquele tipo de contato ou elogio.

Jongin segurou o braço de Kyungsoo, fazendo com que o mais velho finalmente o encarasse, mesmo que ainda com a cara emburrada.

— Hyung — Jongin disse — o que houve?

— Nada. 

A voz de Kyungsoo era seca e um pouco rude, fazendo com que o maior estranhasse ainda mais o comportamento de seu hyung.

—O que aconteceu, Soo? — Tentou novamente. — Você está estranho desde cedo.

O menor bufou audivelmente antes que responder.

— Não é nada, Jongin, apenas estou com dor de cabeça.

Kai sabia reconhecer quando seu hyung estava mentindo, afinal, faziam parte da mesma empresa a anos e namoravam boa parte destes. 

Percebendo que haviam chegado no camarim, Jongin se certificou de que não havia ninguem por perto e fechou a porta do mesmo. Kyungsoo sustentava uma feição confusa, ainda que mantivesse o bico nos lábios. 

Percebendo a confusão estampada na cara do menor, Jongin apenas deu um pequeno sorriso de lado antes de acolher Kyungsoo num abraço de urso e encher seu rosto de beijinhos.  O mais velho tentava de todas as formas se desvencilhar daquele aperto exagerado, ainda que estivesse gostando. Não queria abaixar a guarda e fazer Jongin pensar que ele não estava irritado. Gostava de um drama.

— Ya, Kim Jongin, está deixando a minha cara melecada — reclamou ainda tentando se soltar.

— Você não reclama quando é outra coisa, Soo. — Jongin debochou. 

Na mesma hora o rosto de Kyungsoo adquiriu um tom de vermelho o mais forte possível. Começou a dar tapas, não realmente fortes, nos braços de Jongin enquanto despejava mil e um xingamentos em cima dele.

— Ai! Ai! — o maior exclamava enquanto tentava se esquivar dos tapas, ainda que eles não doessem de verdade — Desculpe. Desculpe, Soo. 

O menor finalmente parou de lhe agredir e sua feição se tornou ainda mais mal humorada, se é que isso era possível. Jongin abraçou Kyungsoo novamente, de forma mais delicada dessa vez, sentindo o mesmo ficar menos tenso, porém sem retribuir seu abraço.

— Quer me contar o que está acontecendo? — falou com um timbre de voz baixo — Estou realmente preocupado e sei que não está assim o dia todo por uma simples dor de cabeça.

 

Quase um minuto depois Kyungsoo suspirou forte e se afastou um pouco de Jongin, finalmente retribuindo o abraço. Hesitou um pouco antes de começar a falar, ainda com a feição de antes, fazendo com que sua fala soasse totalmente infantil e adorável.

— Hoje de manhã, quando fizemos o programa com as crianças, eu fiquei extremamente chateado — fez uma pequena pausa — Ouvi muitas delas me chamando de pior hyung. Eu sei que não sou a melhor pessoa do mundo, mas também não sou a pior — Seus olhos começaram a ficar marejados — Eu não tenho culpa de não ser extrovertido como Baekhyun, ou brincalhão como Chanyeol.

O menor já chorava de verdade e o coração de Jongin se apertava cada vez mais. Percebeu que Kyungsoo ainda não havia terminado sua fala, então apenas continuou deslizando a mão para cima e para baixo nas costas do mais velho, tentando lhe passar alguma segurança enquanto esperava ele continuar. Assim que se acalmou um pouco, o menor voltou a falar. — Fiquei ainda mais chateado quando Chen concordou com as crianças e começou a fazer piadinhas. Por mais que não pareça, esse tipo de coisa me machuca muito, Jjong. Eu sempre gostei muito de crianças e sempre tento fazer o meu melhor por elas, por que é que todos me acham um monstro? 

Jongin queria passar a dor de Kyungsoo para si. Para ele, o mais velho não era nem de longe um hyung ruim.  O Do tentava ao maximo fazer o melhor aos membros, o tempo todo. Nunca faltava com respeito a nenhum deles. Quando dava tapas ou puxava as orelhas de alguns, nunca teve a intenção de ser alguém ruim. Nem mesmo Jongin entendia o porquê de todos acharem que Kyungsoo era um hyung ruim, até lhe deram o famoso apelido de Satansoo, totalmente desnecessário na opinião do maior. 

Nem em milhões de anos Kyungsoo mereceria tal apelido.

Respirou fundo antes de tomar alguma atitude. Retirou suas mãos das costas do menor e aproximou-as do rosto do mesmo, rebendo um olhar confuso em troca. Com um pequeno sorriso travesso nos lábios Jongin posicionou os dedos indicador e polegar das bochecas de Kyungsoo, vendo seu olhar se tornar de espanto quando notou a sua intenção. Antes que Do pudesse se enquivar, os dedos de Jongin estavam beliscando as suas bochechas fortemente. A face de Kyungsoo estava tão, mas tão fofa que o maior não aguentava o sorriso para si mesmo.

— Você é o melhor hyung do mundo, o melhor de todos — falou, ainda segurando as bochechas do mais velho — Nunca mais quero que voce pense que é uma pessoa ruim ou que se deixe abalar por essas coisas. Se aquelas crianças não gostam de você é porque ainda não descobriram o que é bom na vida, não sabem o que estão perdendo. E Chen, com certeza só estava brincando, ele gosta muito de você Soo. Não mais do que eu, até porque isso é impossível — o mais velho soltou uma pequena risada, sendo acompanhado de Jongin — Eu amo você, hyung. Amo sua timidez e tudo o que você pensa serem defeitos. Tudo sobre você só faz com que eu te ache perfeito e o que eu sinto por voce aumenta cada dia mais. Nunca se esqueça disso. Nunca, nunquinha. Eu amo você, hyung, amo como nunca vou ser capaz de amar outro alguém.

Os olhos de Kyungsoo transbordavam e ele não conseguia conter suas lágrimas. Suas bochechas doíam, mas não queria estragar o momento.

— Agora, repita comigo: Eu sou o melhor e mais lindo hyung do mundo — Jongin disse, vendo Kyungsoo negar de prontidão — eu só vou soltar suas bochechas quando você disser, hyung. Eu sei que elas estão doendo.

 

Sentindo seu rosto ficar vermelho de vergonha, tanto pela frase em si, quando pela cena ridícula que seria ele dizendo aquilo tendo suas bochechas sendo apertadas daquela forma, Kyungsoo resolveu falar. Sabia que o namorado não sossegaria.

— Eu sou o melhor e mais lindo hyung do mundo — Sua voz saiu extremamente baixa, mas Jongin conseguia ouvi-la. Mesmo assim, quis provocar o menor.

— Ya, Kyung, fale mais alto, não consigo te ouvir.

 

Fazendo uma careta de irritação, que só o deixou mais adorável na opinião do Kim, Kyungsoo bufou.

— Eu sou o melhor e mais lindo hyung do mundo — Disse novamente, mais alto dessa vez.

Decidindo acabar com aquela tortura, Jongin depositou um selar nos lábios do Do, soltando finalmente as bochechas do namorado.

Colocou suas mãos na cintura do menor, colando seus corpos e beijando-o novamente, deixando que suas línguas se encontrassem e se cruzassem; sentindo o gosto do outro que era o melhor do mundo pra si. 

Kyungsoo entrelaçou seus braços ao redor do pescoço de Jongin, mordendo os lábios do maior durante o beijo. Encerraram o ósculo com pequenos selares, encostando suas testas e vendo suas almas atravéz dos olhos do companheiro.

— Eu te amo tanto. Amo tanto que chega a doer — Kyungsoo afirmou. J

ongin possuía um sorriso que quase não cabia mais em seu rosto. Depositou um beijo demorado nos lábios do mais velho.

— Pode ter toda a certeza de que o sentimento é totalmente recíproco, meu amor. Não quero que se abale por essas coisas, pense em mim e no quanto eu te amo quando algo assim acontecer, ok? 

Kyungsoo balançou a cabeça em afirmação, pensando no quão sortudo era por ter Jongin ao seu lado.  Ficando na pontas dos pés, beijou o namorado novamente, tendo a certeza de ele sempre estaria ao seu lado e que poderia contar com ele a todo o momento.

 

Hoje, te abraçando forte 

Te dou meu coração e minha alma 

Porque você é tudo na minha vida, para a vida toda 

 Mesmo se eu nascer de novo 

Eu não posso ficar com mais ninguém além de você 

 - 

EXO - For Life 


Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Pretendo vir com outros couples do EXO e do BTS, mas só se minha criatividade resolver das as caras.
Obrigada por ler ʕ•ٹ•ʔ
Elogios? Críticas? Nudes do Sehun?: https://twitter.com/ParkByunyl


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...