1. Spirit Fanfics >
  2. Bad Idea >
  3. Missão 1 - Abraço caloroso

História Bad Idea - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Missão 1 - Abraço caloroso


Fanfic / Fanfiction Bad Idea - Capítulo 2 - Missão 1 - Abraço caloroso

_Então se você for abraçada por alguém, isso fará seu coração bater? - Woojin falava consigo mesma enquanto lia um mangá de romance – Droga.. Eu já abracei tantas vezes o Seungwoo e isso definitivamente não fez meu coração bater mais rápido. - estava concentrada - Será que isso funcionará com o Junhee? - falou.

Então ela mandou uma mensagem para Junhee, para eles se encontrarem perto do rio, que ficava entre o bairro de ambos.

...

Já era noite e Woojin estava esperando Junhee.

_Por que diabos você me chamou aqui? – Junhee sentou na escada.

_Que mau humor. – ela o olhou.

_Queria que eu estivesse sorrindo quando você fica me perturbando? – a encarou.

_Você nem sabe pra que eu te chamei. – ela falou.

_Não me interessa. Só pelo fato de eu não gostar de você, eu estou irritado. – ele falou.

_Quanto ódio no coração. – ela levantou - Eu preciso que você me abrace. – estendeu os braços.

_Você tá de brincadeira não é? – ele a olhava perplexo.

_Não. – ela sorriu.

_Você tem o Seungwoo pra fazer isso.. pra que me chamar? – ele levantou irritado.

_Esse é o problema. Abraçar o Seungwoo não é nada demais. – ela falou.

_Você é pervertida por acaso? – ele falou sério.

_É apenas um abraço. – o encarava.

_Você gosta de mim? – ele perguntou.

_Não. – ela riu.

_Então por que quer que eu faça isso? – perguntou.

_Exatamente por não sentir nada. – ela falou.

_Eu não consigo entender. – ele se aproximou dela e então a puxou pra perto.

_Seja carinhoso. – ela falou.

_Como eu vou ser carinhoso com alguém que eu não gosto? – ele falou.

_Apenas finja. – ela sorriu.

Então ele ficou a encarando e se aproximou lentamente dela.

Ele colocou a mão nas costas dela a puxando pra perto dele, e juntando seus corpos.

_Pra quem não queria, você até que está fazendo isso muito bem. – ela falou.

_Fique quieta. – ele falou bravo.

_Tudo bem se eu também retribuir o abraço? – ela perguntou.

_Se eu tiver opção.. não. – ele falou.

Então ela retribuiu o abraço. Envolvendo os braços na cintura dele e apoiando a cabeça em seu peito.

“Sentir o calor do seu corpo e ouvir as batidas do seu coração... fez com que meu coração batesse no mesmo ritmo que o dele.

Era como se nossos corações estivessem conectados.”

_É o suficiente. – ele a afastou.

_Sim. – ela sorriu.

_Por que isso? – ele perguntou.

_Apenas... – ela não concluiu a frase.

_Posso ir embora agora? – ele perguntou.

_Eu não comi nada e estou com fome. Quer comer algo? – ela perguntou.

_Não.. eu não estou com fome. – ele falou e então o estômago dele fez barulho.

_Seu estômago não concorda com você. – ela riu – Vamos. Eu pago. Retribuir pelo abraço. – ela pegou sua bolsa e foi saindo de lá.

_Eu vim de carro. – ele a puxou para o outro lado.

Então eles foram para um restaurante.

...

_Seus pais sabem que você fica ameaçando os outros? – ele falou sério depois de pedirem a comida.

_Não. – ela respondeu.

_Tenho certeza que se descobrirem ficarão bem decepcionados. – ele falou.

_Eles não vão. – ela sorriu.

_E como pode ter tanta certeza? – ele perguntou.

_Por que eles estão mortos. – ela respondeu.

Então ele ficou a olhando em choque.

_Está tudo bem você falar disso assim? – ele perguntou.

_Eu me acostumei.. – ela respondeu.

_Faz quanto tempo? – ele perguntou.

_6 anos? Eu tinha 16 na época. – ela falou.

_Você mora com algum parente? – perguntou.

_Moro sozinha. – ela falou – Quando meus pais morreram eu morei até ficar maior de idade na casa do Seungwoo, com ele e os pais dele. – contou.

_Então vocês são bem amigos? – falou.

_Sim. Quando eu nasci ele tinha 4 anos. Então nós somos tecnicamente irmãos. Nossos pais eram amigos de infância. Então também somos. – ela sorriu.

_E por que eu e não o Seungwoo? – Junhee perguntou.

_Por que é o Seungwoo, eu não faria isso com ele. – ela riu.

_Você não gosta dele? – perguntou.

_Eu o amo. – ela respondeu.

_Romanticamente? – perguntou.

_Como minha família. – respondeu.

_E ele não sente nada por você? – perguntou.

Então ela riu.

_Nós somos mesmo como irmãos. Não só em palavras, mas ações, pensamentos e sentimentos. – pausa – Todo mundo sempre achou que a gente se gostava. Teve até mesmo uma época que eu achei que gostava dele. Ele me disse para parar de ser ridícula e que nós somos uma família. – ela riu – Eu levei um fora sem gostar dele de verdade. – falou.

_E não se sente mais a vontade de fazer isso com ele, já que são tão amigos? – perguntou.

_Me sentir a vontade eu até me sinto. Mas, eu quero descobrir sentimentos que eu nunca tive. Então.. Seungwoo não é a pessoa apta para isso. – ela falou.

_Então você é pervertida e não quer fazer isso com ele por que ele não te excita? – falou.

_Ya.. eu não sou pervertida e nem quero ficar excitada. Eu apenas quero experimentar sentimentos novos. E nada melhor que um estranho para fazer isso. – sorriu.

_Você é maluca. – ele falou e ela riu.

_Talvez. – ela falou.

Então as comidas chegaram.

...

Eles foram pra casar depois de comer. Quer dizer.. Junhee a levou pra casa.

_Junhee-ssi. – ela o chamou assim que saiu do carro.

_Sim? – ele a olhou.

_Vamos a um encontro no sábado? – perguntou.

_Encontro? – a encarava.

_Sim.. – respondeu.

_Eu tenho outra opção? – ele perguntou.

Então ela sorriu.

_Eu te encontro no sábado então. – ele falou e foi embora.

Ela foi pra casa e assim que chegou, começou escrever seu romance.


Notas Finais


Eu tenho dó do Jun.. kkk Woojin é meio sem noção kkkk
Espero que estejam gostando e até o próximo cap 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...