1. Spirit Fanfics >
  2. Bad idea >
  3. Toque

História Bad idea - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Toque


Fanfic / Fanfiction Bad idea - Capítulo 4 - Toque

Elle

Fico olhando as árvores balançando sutilmente pelo vento pouco forte pela janela de meu quarto. Era domingo e eu me encontrava deitada pensando no que acontecera entre eu e o diretor na sexta-feira depois do término das aulas.

Eu havia dado meu primeiro beijo com um homem mais velho e ainda por cima diretor do colégio em que estudava. Eu me julgava tanto pelo ato, mas não podia negar que havia adorado. Ainda sinto suas mãos e braços grandes e fortes agarrando, acariciando e apertando minha pele até então não mais intocada.

Ainda posso sentir a sensação gostosa em meu ventre, quando Johnny apertou minha bunda. Droga, era tão bom e tão proibido ao mesmo tempo... eu pensava mais uma vez me julgando.

Mas se ninguém vir ou ouvir sobre, não terá problemas, né Elle? Eu pensava esperançosa. Ora, a quem eu quero enganar, eu o desejo muito e como o mesmo me beijo, acho que o sentimento é recíproco. Adormeço com a pergunta em minha cabeça.

(...)

O Prof. Newman enviava olhares mortais à minha pessoa a todo momento. Velho idiota, penso sorrindo. Finalmente, sua aula acaba e vou direto para a cantina, parando antes para me despedir de Anna lhe dando um beijo no rosto.

Acabo de almoçar e vou direto para a sala do diretor. Para minha surpresa, o mesmo já se encontrava lá e estava com o telefone em seu ouvido.

– Tudo bem Sra. Smith, eu prometo que vou...– ele ia terminando a ligação quando me via parada acuada no meio de sua sala. Eu me encontrava nervosa por encontrá-lo depois de beijá-lo com tanto vigor e o deixar sozinho na sala de manutenção por estar envergonhada ao extremo com a situação. Ele termina a ligação me olhando intensamente.

– Boa tarde, Senhorita Campbell. – indaga baixo me fazendo estremecer.

– Boa tarde, Sr. Depp. – digo mais baixo ainda.

– Suponho que queira falar sobre... – Johnny começa.

– Acho melhor eu organizar sua estante não é, senhor?! – e antes que o mesmo venha querer falar sobre o momento proibido, eu o interrompo, não querendo ficar mais envergonhada com o assunto.

– Hã... tudo bem então. – ele diz meio confuso, pois sua estante estava perfeitamente arrumada, mas eu, Elle, realmente não queria ter aquela conversa embaraçosa e preferia esquecer o ato, pelo menos até então.

Ando até sua estante e começo a organizar os livros em ordem alfabética sobre a mesma. Tento me distrair totalmente com minha tarefa, quando percebo que o mais velho resolveu voltar aos seus papéis.

Em dado momento, dois livros pesados escorregam por minhas mãos e vão para debaixo da estante. Me abaixo tentando pegá-los sem ter que ficar totalmente agachada, mas não consigo. Me agacho totalmente para agarrá-los e assim consigo me levantando rapidamente.

– Elle, venha comigo por um momento, por favor. – ouço a voz levemente irritada e rouca de meu diretor.

Largo os livros sobre a estante e me viro para acompanhá-lo. Estava confusa. Começo a pensar que ele me dará outra tarefa sem ser a última para fazer.

Andamos pelos corredores da escola e paramos novamente em frente a sala do momento sórdido. Arregalo meus olhos imediatamente.

– O que estamos fazendo aqui, senhor? – digo e engulo em seco ao final da frase.

– Entre, Senhorita Campbell. – ele diz entredentes.

Entro hesitante naquela salinha minúscula. Subitamente, tenho lembranças dos minutos proibidos e gostosos que o diretor me proporcionou naquele cômodo.

– Por que... Por que ainda insiste em me provocar, Elle? – começa baixo olhando no fundo de meus olhos verdes.

– Do que o senhor está falando? – confusa, o pergunto franzindo o cenho.

– Porra, fugir da conversa sobre o que houve na sexta e se agachar na estante me dando total visão de sua calcinha... está querendo me matar? – ele diz passando a mão pelo cabelo em um ato de nervosismo.

Somente assim me toco que minha saia batia no meio de minhas coxas assim se eu me abaixasse muito, minha calcinha ficava à mostra. Rapidamente, a vergonha me soca como um saco de pancada e sinto o rubor em minhas bochechas.

– Eu não sabia que estava aparecendo, senhor. – eu olho para o esfregão ainda envergonhada.

– Não sabe o quanto isso mexeu com minha cabeça, Elle. Eu pensei nas coisas mais sujas que um homem pode pensar sobre uma mulher quando vi sua calcinha. – Johnny diz pegando em minha cintura.

– Mas nós não podemos... – eu digo hesitante, colocando as mãos sobre seu tórax tentando afastá-lo mas ainda querendo-o fazendo carinhos e apertos em minha cintura. Droga, por que ele tinha que ser tão sexy?

– Eu sei, amor e é por isso que quero mais... –  diz umedecendo seus lábios olhando para minha boca.

Novamente, sinto seus lábios se chocarem com os meus e não hesito mais. Inexperiente, eu tentava o acompanhar em seus movimentos com a língua. Mais uma vez ele passeia suas mãos em meu corpo, o alisando e apertando. Ele para o beijo encostando sua testa sobre a minha.

– Me deixe tocá-la, Elle, por favor... – inebriada pela sua voz, eu assinto.

Ele desliza suas mãos para os botões de minha camisa e começa a desabotoá-los. Eu me sentia nervosa e excitada ao mesmo tempo. Ele abre minha camisa vendo meu sutiã simples branco sem detalhes. Me soco mentalmente por estar com um sutiã tão sem graça como aquele que usava em meus dias de escola.

Mas, ao contrário do que eu pensava, seus olhos brilham sobre os meus seios parecendo idolatrá-los.

– Porra, Elle – ele indaga abaixando as alças do mesmo mas não o tirando por completo. Ele se aproxima e sinto sua respiração sobre um de meus mamilos, fazendo-o se eriçar completamente. Arfo quando o de olhos negros beija o mesmo e começa a chupá-lo com voracidade.

Sinto a sensação gostosa debaixo de minha barriga aumentar. Como era bom... Johnny logo vai para o outro mamilo, ainda dando atenção para o último o apertando com sua outra mão. Minhas mãos estavam em seu cabelo, massageando-o e de vez em quando, o apertando. Eu gemia baixo com seus toques.

– Tão gostosa e tão boa para mim. – suas falas me arrepiavam extremamente.

Suas mãos largam meus seios e vão para minha barriga acariciando-a. Quando o mesmo levanta minha saia e ameaça encostar em minha calcinha, eu o olho meio insegura, mas ainda sim muito excitada. Agarro seu ombro e arfo.

– Por favor, senhor... eu quero muito... – eu digo meio manhosa.

-– Ah, amor, não faz assim... – ele diz em meu ouvido, abaixando logo em seguida para beijar meu pescoço.

Ele começa a fazer movimentos com dois dedos sobre minha calcinha me torturando e eu gemia fechando os olhos. Até que o mesmo adentra subitamente a minha calcinha, passando seus dedos pela extensão de minha buceta. O ato me faz gemer mais alto e fechar mais uma vez meus olhos. Mordo meu lábio inferior tentando conter os gemidos altos que eu ansiava em dar.

– Como vc está molhada e quente, Elle... – ele diz começando a pressionar e fazer movimentos circulares em meu clitóris.

Começo a respirar mais rápido e arfar mais, sentindo uma outra sensação tomar conta de meu corpo, sendo está mais forte e ainda desconhecida por mim.

– J-johnny, mais rápido, por favor...

O homem dá um sorriso maldoso olhando diretamente em meus olhos e se aproxima de meu ouvido, cheirando meus cabelos.

– Goza para mim, Elle. – e eu sinto a sensação se espalhar por meu corpo, me causando espasmos e e mais um gemido alto. Rolo meus olhos com tamanho prazer que havia sentido.

Observo o mais velho sorrir mais uma vez de lado, retirar seus dedos de minha vulva melada e latejante e os levar a boca, os chupando logo em seguida.

Gostosa...

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...