História Bad Reputation - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Shawn Mendes
Personagens Personagens Originais, Shawn Mendes
Tags Bad Reputation, Romance, Shawn Mendes
Visualizações 353
Palavras 1.177
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Uma boa leitura para todos vocês!

Capítulo 8 - Eu sou seu anjo?


Fanfic / Fanfiction Bad Reputation - Capítulo 8 - Eu sou seu anjo?

Estamos correndo iguais uns doidos, estou tão ofegante que ainda nem sei como estou conseguindo correr... Shawn está a minha frente, mas segura minha mão me puxando, acho que é isso que me dá mais forças para correr. Eu não sei se dou risada, se continuo a correr ou se simplesmente volto para o hospital e peço arrego.

Por mais que eu já tivesse feito várias coias consideradas não muito certas, nunca foi como essa: Fugir do hospital com um "estranho. Shawn já não era tão estranho assim para mim, tirando o fato de eu não saber nada sobre ele... é, Shawn era definitivamente um estranho, por mais que eu não sentisse isso.

— Vem, aqui - Me puxa delicadamente me fazendo virar e entrar em um quintal.

— Esse quintal não me é estranho - Digo colocando minhas mãos sobre os joelhos tentando recuperar o folego, ele dá algumas respiradas fundas recuperando o folego,  mas é notório que ele não está nem a metade tão cansado como eu... realmente eu estou fora de forma.

— Foi aqui que você... - Ele dá uma pausa tentando encontrar palavras certas para dizer — Que você... - Apenas fico o encarando esperando que ele continue — Caiu? - Conclui meio em dúvida. Sim, eu estava no quintal da casa dele, o quintal onde cai e ele apareceu, onde o vi pela primeira vez.

— Trouxe uma fugitiva para sua casa? - Ele dá um sorriso.

— Qualquer coisa eu falo que você fugiu do hospital e me ameaçou caso eu não deixasse você se refugiar em minha casa - Dou uma risada espontânea — Olha só - Diz me encarando com um sorriso no rosto — Desde que te vi essa é a primeira vez que te vejo sorrindo - Fecho o sorriso envergonhada — Hey, não precisa ficar com vergonha - Se aproxima um pouco de mim... ficamos naquele silêncio constrangedor e ele fica me olhando de uma forma que me dá muita vergonha, olho para o chão tentando disfarçar — Bom - Quebra o silêncio — Que tal entrarmos e bebermos uma água? Eu realmente preciso repor as minhas energias - Eu olho e ele já está subindo as escadinhas que dá para as portas dos fundos da casa dele, já que estamos no quinta é onde fica mais perto para entrar — Você não vem? - Pergunta agora me encarando. Eu fico igual a um poste parada.

— Desculpas, mas é que... - Dou uma pausa... como vou falar pra ele o real motivo de eu não querer entrar na casa dele? "Ah me desculpa, mas caso você não saiba a última vez que entrei em uma casa as coisas não deram muito certo!"

— Tudo bem - Diz deixando de abrir a porta e descendo a pequena escada vindo novamente até mim — Conheço um lugar legal para descansarmos, se confiar em mim posso te levar até lá... não é uma casa, é aberto, tem como gritar, correr e fugir, caso eu for te sequestrar - O olho meio sem graça — Não, não vou te sequestrar - Dou um sorrisinho tímido — Eu prometo - Levanta a mão como gesto de "Eu prometo".

— Tudo bem - Assento com a cabeça.

...

Confesso que a gente andou um pouquinho, entramos em uma mata e isso me deixa um pouco apavorada, mas tem várias trilhas e sei que eu posso correr dali a qualquer momento... vocês devem estar pensando: "Claro que coisas ruins acontecem com a Helena, ela entra em uma mata com qualquer estranho que acabará de conhecer." Eu sei que isso soa estranho, mas o Shawn me passa uma certa segurança, e a mata é toda aberta, posso gritar, correr... só sei que estar ali é melhor que estar trancafiada naquele hospital.

— Chegamos! - Finalmente diz. Olho na direção que ele está olhando. Tem uma pedra grande e larga e logo a frente dela tem a vista da cidade toda e um belo lago ao lado.

— Ah meu Deus, Shawn! - Digo indo mais a ponta do "precipicio", aquilo realmente parece um precipicio, mas é apenas uma montanha gigante, com uma pedra na ponta onde temos vista da cidade inteira — Aqui é realmente lindo - Digo impressionada com o local — Parece cena de filme - Viro pra ele que está sentando na larga pedra — É aqui que vai me matar e me jogar do precipicio? - Ele dá uma gargalhada gostosa de ouvir.

— É aqui que eu venho para compor minhas músicas - Vou até a pedra e me sento ao seu lado.

— Você compõe? - Pergunto curiosa. Ele se vira um pouco para mim.

— Sim... é o que eu amo fazer, cantar, compor... sonho em um dia ser um cantor famoso, mas confesso ter um pouco de vergonha de fazer isso em público.

— Um dia gostaria de ouvir suas músicas... confesso que se for ruim eu falo sem dó - Ele sorri sem mostrar os dentes, aquele sorriso tímido que deixa qualquer uma de coração acelerado.

— Quem sabe além das árvores daqui você seja minha primeira plateia.

— Pois é... - Ficamos um olhando nos olhos do outro e aquele silêncio constrangedor volta a aparecer, eu disfarço olhando para frente e ele faz o mesmo olhando profundo.

— Tinha mesma um cachorro te seguindo? - Corta o silêncio. Viro pra ele que continua olhando para o horizonte.

— Oi? - Pergunto sem entender direito.

— Aquele dia que te encontrei no meu quintal... tinha mesmo um cachorro atrás de você? - Agora ela vira para mim. Engulo seco um pouco sem graça.

— Talvez? - Ele faz negativa com a cabeça.

— Não confia em mim, certo?

— Não é isso, Shawn... é que as coisas para mim não são tão simples, sabe? - Ele dá uma respirada funda voltando olhar para frente e eu faço o mesmo.

— Tudo bem - Concorda — Respeito seu silêncio - E volta o silêncio constrangedor.

— É que tinha umas pessoas sem graças me incomodando com algumas atitudes, por isso resolvi correr, fiquei com medo e daí parei caída no seu quintal - Finalmente digo. Tento resumir o mais possível.

— Uau - Sorri — Você realmente tem ima com o chão, não? - Brinca.

— E você em estar nos meus tombos - Rimos.

— Me desculpa pela bicicleta... é que me distrai - Voltamos um olhar para o outro.

— Se distraiu com o quê? - Ele apenas dá um sorrisinho — Ah meu Deus, Shawn... não vai me dizer que estava olhando alguma garota com suas roupas justas de ginastica e se distraiu me atropelando?

— Não sou esse tipo de cara, Helena! - Dá uma pausa — Mas confesso que estava olhando sim para uma garota bem bonita - Ele olha fundo em meus olhos fazendo minhas pernas bambearem. Será que a garota bonita seria eu?

— Ow - Digo apenas.

— Posso te fazer uma pergunta? É que ela está martelando em minha cabeça - Com certeza vai ser sobre o que falam de mim, estava bom demais para ser verdade. Reviro meus olhos já criando coisas na minha cabeça e olho novamente para o horizonte.

— Faça - Digo não muito entusiasmada.

— Eu sou o seu anjo?

Continua...


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Não esqueçam de Comentar/Favoritar!
Fiquem com Deus <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...