1. Spirit Fanfics >
  2. Bad Reputation (Mark Tuan, GOT7) >
  3. Selfish?

História Bad Reputation (Mark Tuan, GOT7) - Capítulo 18


Escrita por:


Notas do Autor


Leiam as notas finais, por favor :)
Boa leitura! ❤️

Capítulo 18 - Selfish?


Mark


Fazia um dia e meio desde que havia Tae Yuna pela última vez, ela provavelmente ainda estava no hospital com Kai. Não atendia minhas ligações e nem respondia minhas mensagens. Eu estava tentando não me preocupar ou ficar afetado.

Izzy parecia estar perto de fica louca, me ligava a cada segundo para saber se tinha alguma notícia de Yuna.

Mas naquele instante, eu me encontrava mais uma vez no escritório do meu pai já me preparando para algo ruim.

O mais velho entrou no cômodo com uma olhar de desgosto sobre mim. Seria triste se eu já não estivesse acostumado.

- Eu te dei um prazo - disse e logo depois se sentou de frente para mim. - dois dias para você decidir ir de vez para Los Angeles ou eu acabaria com tudo a sua volta. Aumentei o prazo, te dei mais tempo para pensar e parece que já se decidiu, não é?

- Eu não vou a lugar nenhum - falei convicto.

Meu coração pertencia a Yuna e onde ela estivesse, eu ficaria.

- Muito bem - o homem riu. - você que sabe - deu de ombros.

Saí daquele lugar o mais rápido possível e resolvi ir até o hospital ver a garota, eu poderia apenas olhar para ela e tudo ficaria bem.



Tae Yuna


Estava na sala de espera com Jongin, aguardávamos alguma notícia sobre a mãe do garoto.

- Obrigado por ter ficado - ele sorriu. Sua expressão era de puro cansaço, além das olheiras enormes por não ter dormido nem um segundo se quer.

Na noite do dia anterior, o rapaz havia ido em sua casa pegar roupas para que eu pudesse tomar banho no hospital já que eu havia decidido que ficaria com ele e além do mais, não quis deixá-lo sozinho em nenhum momento numa situação tão complicada como aquela pois sabia o quanto a mãe de Kai significava para ele.

Eu estava usando um moletom cinza de Jongin e uma calça folgada na mesma cor.

- Sua mãe é uma pessoa muito boa, é o mínimo que posso fazer por ela - falei e sorri minimamente.

- Ela ficaria extremamente grata por isso - ele disse e coçou os olhos.

- Você precisa tentar dormir um pouco - eu mentiria se dissesse que não estava preocupada com Kai.

- Só depois de saber como ela está - o rapaz respirou fundo e desabou em lágrimas repentinamente.

Fiquei assustada, não tive reação imediata para aquilo. Mas acabei lutando contra todos os pensamentos negativos que insistiam em adentrar minha cabeça. Apenas levantei e me aproximei de Jongin, envolvendo o rapaz num abraço.

- Yuna - ele soluçava. - se eu perder ela...ela é a única pessoa que eu tenho além de você - era difícil ouvi-lo chorar impiedosamente.

Mesmo depois de tudo, eu não conseguia fingir que era insensível com ele. Eu estava triste por vê-lo naquela situação complicada.

- Shhh...ela vai ficar bem, tudo vai ficar bem

- Eu não mereço nada disso, nada - ele soluçava cada vez mais forte. - Você consegue me perdoar? Se fosse ao contrário...eu não sei se...

- Kim Jongin - me separei dele e segurei em seus ombros. - eu já te perdoei

- Obrigado - ele derramou mais algumas lágrimas e secou o rosto após. - eu vou...vou lavar o rosto - deu um leve sorriso e saiu, indo em direção ao banheiro que ficava depois de um longo corredor perto da sala que estávamos.

Fiquei em torno de cinco minutos sentada numa poltrona branca e assim que levantei, avistei Mark caminhando na minha direção.

- Como você está? - perguntei assim que ele se aproximou de mim. - estou um pouco preocupada com Izabelle...faz algum tempo que não nos falamos - olhei para ele.

- Que roupa...? De quem é essa roupa? - franziu o cenho.

- Do Jongin - falei e Mark revirou os olhos.

- Ah - resmungou e coçou a cabeça.

- Eu vou ficar aqui até receber notícias da mãe dele. E você?

- Eu te mandei tantas mensagens, te liguei várias vezes e Izabelle estava a ponto de ter um surto de preocupação. Por que não me disse ao menos que estava bem? - Mark falou tudo tão rápido que demorei para processar as informações.

- Mas eu estava aqui o tempo todo, não é como se você não soubesse. Eu estou dando o apoio que posso para a mãe de um...amigo - hesitei por um momento ao chamar Kai de amigo.

- Ah, agora ele já é seu amigo? Yuna por Deus... - Mark bufou.

- Você nem sabe o que aconteceu! - aumentei o tom.

- É, eu não sei mesmo. Mas lembra quando ele apareceu e você desmaiou de pavor?! Com certeza não foi algo nada legal que ele fez pra você e agora já o considera como amigo - ele cruzou os braços.

- Você está sendo muito egoísta! - apontei meu dedo indicador na direção do rosto dele.

- Egoísta?! Yuna eu estava preocupado com você!

- Não. Você está de birra porque eu resolvi perdoar o Kai - eu realmente estava perdendo minha paciência com Mark.

- Sabe de uma coisa? Você está certa. Quem sou eu, não é? Quem sou eu pra pedir que você tome cuidado com um cara que já destruiu sua vida? Já que minha preocupação com você é birra, eu não sei mesmo o que estou fazendo aqui - deu de ombros.

- Tae Yuna? - uma enfermeira se aproximou de nós.

- Sim...? - sacudi a cabeça numa tentativa de me concentrar na mulher que acabara de chegar.

- A paciente já pode receber visitas - disse e sorriu docemente.

- Obr...obrigada - sorri de volta e voltei a me concentrar em Mark.

- Já que perceptivelmente está bem, eu já estou de saída - ele disse e começou a caminhar para fora do hospital.

- Mark! - chamei seu nome mas ele ignorou totalmente.

Parecia ironia do destino. Eu estava começando a me entender com Kai enquanto tudo virou uma bagunça entre eu e Mark em questão de minutos. Deveria ter sido apenas uma simples conversa.



***

Após a mãe de Jongin ter finalmente acordado, nós fomos visitá-la. O rapaz quis que eu fosse com ele até a sala em que a mulher se encontrava. Ficamos conversando juntos por algum tempo e a tarde acabou passando rapidamente, já era hora de voltar para a faculdade.

Kai insistiu em me levar de volta no carro e para não quebrar aquele clima de amizade quase reconquistada, eu resolvi aceitar.

- Se certifique de que cuidará da sua mãe, ok? - falei quando já estávamos perto de chegar.

- Com certeza. Agora que ela acordou, eu estou bem mais aliviado - o garoto respirou fundo.

Assim que ele estacionou o carro, descemos juntos e entramos na universidade.

Todas as pessoas, sem exceção, todas as pessoas estavam olhando para nós e cochichavam sem disfarçar. Aquilo estava me incomodando.

- Kai? - olhei para ele assustada, meu coração batia forte contra o peito.

Ele colocou a mão por cima do meu ombro e parecia tão intrigado quanto eu.

- Fica calma e não sai de perto de mim, ok? - apenas assenti.

Fomos nos distanciando de onde haviam mais pessoas e assim que eu e o garoto entramos num corredor de salas, avistei Izabelle caminhando rapidamente em nossa direção. Ela estava com os olhos vidrados em mim.

- Yuna... - disse quando se aproximou. - eu nem sei como te dizer isso - a garota respirava fundo.

- O que? O que aconteceu?! - segurei nos ombros dela.

- Yuna... - ela fez uma expressão de tristeza.

- Izzy! Me diga logo! - supliquei.

- O vídeo...vazaram aquele vídeo - ela falou tudo de uma vez.

Meu mundo havia acabado de desabar novamente em questão de segundos, eu havia perdido toda a força que eu tinha no meu corpo. Kai me segurou imediatamente e olhou nos meus olhos.

- Hey, Yuna. Está tudo bem, isso tudo vai acabar...eu não vou deixar que as pessoas façam isso de novo com você, eu não vou fugir outra vez. Acredite em mim - ele segurou meu rosto.

Eu estava a ponto de desmaiar de pânico novamente. Todo o terror que eu havia passado há anos atrás estava voltando. Eu não seria capaz de passar por aquilo tudo novamente.

- Não vou aguentar uma segunda vez - meus olhos já estavam marejados.

E mais uma vez, o meu maior trauma fez com que o pânico se alastrasse novamente em mim, sem dó nem piedade.


Notas Finais


Eu queria agradecer aos 80 favoritos. É incrível o apoio que vocês me dão todos os dias, eu realmente não imaginava nada disso.
Antes, quando eu postava outras histórias, eu me importava muito com números. Ficava o tempo todo vendo as visualizações e favoritos que minhas fanfics tinham, mas hoje eu sinceramente nem ligo mais pra isso (uma prova viva disso é que simplesmente excluí a minha fanfic que tinha maior engajamento, 200 favoritos e mais de 16.000 views eu acho).
Eu escrevo por diversão e posto porque gosto de ler os comentários de vocês, é bom compartilhar algo que escrevo e guardo as sete chaves de todos ao meu redor (algumas pessoas sabem que escrevo, mas nunca deixei que elas vissem nada).
A gente vai amadurecendo e acaba percebendo o real valor das coisas. Hoje é muito mais gratificante pra mim ler o comentário de vocês do que ver com quantas visualizações ou favoritos a história tem.
Obrigada a todos que colocam um sorriso no meu rosto com as considerações de vocês a cada capítulo da história, obrigada por lerem, pelos favoritos, por tudo! Vocês são incríveis! ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...