1. Spirit Fanfics >
  2. Bad Reputation (Mark Tuan, GOT7) >
  3. Give me a reason to stay

História Bad Reputation (Mark Tuan, GOT7) - Capítulo 25


Escrita por:


Notas do Autor


Saindo do forno esse capítulo.
Boa leitura! ❤️

Capítulo 25 - Give me a reason to stay


Kai

Ao acordar, sorri imediatamente ao ver que Yuna estava com seu braço ao meu redor. Fiquei observando aquela garota e a incrível capacidade que ela teve de perdoar alguém como eu, que a tinha perdido para sempre.

Eu nunca iria conseguir viver em paz sabendo do que fiz, sabendo que desperdicei a única chance de ser completamente feliz ao lado de quem eu realmente amava. Tê-la como amiga era algo muito torturante, de fato.

Sentia-me uma pessoa amarga por ter estragado tudo e, para mim, a amizade dela era o máximo que eu poderia ter, mas não o que eu queria.

A garota se mexeu e abriu os olhos em seguida, sorriu ao olhar para mim e se sentou na cama.

- Bom dia, Kai - disse sonolenta.

- Bom dia, senhorita - falei e me levantei, indo ver Hyeon.

O pequeno ainda dormia, mas previ que em breve acordaria.

- Eu preciso fazer muitas coisas hoje, tenho que ir no banco pegar um pouco do dinheiro que juntei para emergências - Yuna disse.

- Não, não precisa - me virei para ela. - deixe tudo comigo, por favor

- Eu não quero estar dependendo de ninguém, Jongin. Não vou ter você a vida toda para me ajudar

- Não afaste mais ainda as pessoas de você por achar que vai estar atrapalhando se elas mesmas quiserem ajudar. Tudo vai se ajeitar com o tempo, Yuna. No momento você precsa se permitir ser ajudada e não só por mim, ok? - me sentei na cama, ao lado dela.

- No momento, eu só tenho você e sinto que vou estar te sobrecarregando com os meus problemas. Você tem uma vida, Jongin - ela era tão linda preocupada.

- Tudo poderia estar sendo diferente se eu não tivesse... - respirei fundo. - se eu não tivesse sido um completo idiota no passado - a garota imediatamente pôs o dedo indicador na minha boca.

- Shhh, não diga isso - ela falou baixinho. - já está tudo bem, eu te perdoei. Não se torture mais com essas coisas. Promete? - olhou nos meus olhos.

- Eu não consigo - falei.

- Consegue, se eu consegui, por que você não? - sorriu e se levantou, indo em direção ao banheiro que ficava no quarto.

Sorri tristemente e a vi fechar a porta.

Me joguei na cama e suspirei pesadamente, eu iria faltar aquele dia na faculdade, mas era por uma boa causa.



Mark

Meu pai havia feito novamente a antiga proposta para que eu me mudasse para Los Angeles. Pior de tudo, eu estava cogitando em aceitar. Já não tinha mais o que perder em Seoul e ir para LA começar uma vida nova poderia ser minha grande chance.

Mas tinha um porém, como sempre. Qual a surpresa? Era meu pai que estava por trás daquilo. Portanto, claramente haveria um porém.

Jessie iria morar comigo, teríamos que dividir um apartamento de luxo juntos, mas conviver com ela era a última coisa que eu queria no mundo.

Mais uma vez eu me encontrava naquele escritório na casa dos meus pais. Sentado, com minha cabeça apoiada no cotovelo, que estava apoiado na mesa, tentando decidir que rumo tomar da minha vida.

Eu claramente sabia do único obstáculo que me impedia de dizer "sim" ao meu pai. O obstáculo estava em sua casa e provavelmente na companhia de Jongin. Era irônico, de certo modo.

Eu prometi para mim mesmo que não iria mais atrás de Yuna, porém estava sendo difícil acordar e não pensar instantaneamente nela, e somente nela, que mesmo distante, continuava sendo a minha maior razão para tudo.



Yuna

Kai tinha acabado de sair da minha casa, o que sinceramente, era bem estranho de pensar. Minha casa. Minha nova casa.

Ele havia ido resolver tudo para mim e eu não podia estar me sentindo mais culpada por aquilo, mas persisti em tentar relevar aquele sentimento sufocante de culpa me distraindo com Hyeon.

O garotinho mal acordara e ao escovar os dentes, pegou sua fantasia do Homem Aranha e a vestiu, foi até a cozinha, onde eu estava preparando o nosso cafe da manhã.

- Yuna! - ele gritou, fazendo-me virar imediatamente para examiná-lo.

- Uau! - exclamei e sorri. Olhar aquela fantasia me fez lembrar instantaneamente do Mark, que dizia ser o Peter Parker e eu a Mary Jane. - Já que você é o Peter, o que eu sou? - perguntei e me abaixei, ficando mais ou menos na altura do garotinho, ainda um pouco maior que ele, claro.

- Hummm - ele pensou, colocando a mão no queixo. - Já sei! Você é a Viúva Negra e o titio Jongin é o Capitão América! - começou a pular animado.

- Ah mas eu nem sou tão forte quanto a Natasha - brinquei.

- Você é, Yuna. É tão forte quanto ela! - ele disse e começou a bater palmas.

Meus olhos se encheram de lágrimas, mas não permiti que elas caíssem.

- Eu posso te dar um abraço? - perguntei para Hyeon.

Em resposta, ele apenas veio correndo ao meu encontro e abraçou meu pescoço. Peguei o menino no colo e o enchi de beijinhos ao mesmo tempo que ouvi o barulho da campainha soar pela casa.

- Titio Jongin chegou! - Hyeon comemorou no meu colo.

Eu estava achando estranho Jongin ter chegado tão cedo, ele mal havia saído. Será que realmente era ele?

Ao abrir a porta, me deparei, para a minha grande surpresa, com Mark.

Pisquei várias vezes até conseguir associar que realmente era ele.

- Desculpe eu...eu não estava esperando por...você...e... - me atrapalhei totalmente ao tentar completar aquela frase.

- Eu só queria saber como você está conseguindo fazer isso - ele disse de forma séria.

- Hyeon, vá assistir um pouco de TV. Daqui a pouco vou ver algum desenho contigo, certo? - falei para meu irmão e o coloquei no chão. O mesmo assentiu em afirmação e correu para dentro da casa.

- Não tem um dia que eu acorde e não pense em ti, não lembre dos nossos momentos juntos, de como nos ajudamos tanto com nossas dificuldades. Me diga como está conseguindo esquecer tudo isso e viver em paz desse jeito porque eu, eu não consigo! - exclamou amargamente.

- Mark...não pense que está sendo fácil - respirei fundo a fim de evitar chorar na frente dele e parecer extremamente patética ao fazer aquilo.

- Meu pai me fez uma proposta para que eu vá morar definitivamente em Los Angeles e só volte quando ele achar que devo. Mas você sabe por que estou aqui? Porque eu quero que você me dê uma razão para ficar, apenas uma e eu desisto de ir - disse e bagunçou os cabelos, irritado.

- Eu te daria milhões de razões para não ir, mas não posso. É a sua vida e você decide. Não eu - falei e acabei perdendo a luta que estava travando contra as minhas lágrimas.

- Eu falei que não ia te incomodar mais, porém olhe exatamente onde estou e o que estou fazendo! Queria que tudo fosse fácil assim, como um estalar de dedos. São tantos problemas em nossas vidas que eu não sei lidar, mas só de pensar em você eu... - joguei tudo para o ar, não literalmente, e puxei a gola da camisa de Mark, fazendo nossos lábios se unirem em um beijo.

O garoto ficou estático por alguns segundos, mas não demorou muito para que correspondesse o ato.

Ele depositou sua mão esquerda na minha cintura e a outra estava entre os meus cabelos. Segurei seu rosto e nos separamos por alguns segundos para que eu olhasse no fundo dos olhos dele e tivesse a certeza de que aquele homem ali bem na minha frente, era o homem da minha vida.

- Você fala demais, tive que calar sua boca - acabei rindo.

- Da melhor forma possível - ele completou.

- E agora? Você vai ficar? - perguntei.

- Eu nunca me atreveria a sair de perto de você, Yuna - ele me tomou em seus braços de forma carinhosa.

Apenas retribuí e mesmo com tanto medo do que poderia acontecer a nós, me entreguei pela segunda vez ao amor, ainda sem saber o tanto de obstáculos que nos aguardavam.


Notas Finais


Até a próxima! ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...