História Bad Romance... - Capítulo 13


Escrita por: ~ e ~Lakcunf

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jhope, Jimin, Jin, Jung Kook, Médico, Rap Monster, Romance, Suga
Visualizações 143
Palavras 1.864
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olaaaaaaa

Kisses da Tia

Capítulo 13 - Remember


Fanfic / Fanfiction Bad Romance... - Capítulo 13 - Remember



- Eu que te pergunto, o que você está fazendo no quarto de Elle Sullivan?? – O indaguei.



♡♡♡



Elle POV'S



Me despedi de Jimin e logo depois de Tata.

Ela tinha razão, eu tinha que tomar uma decisão senão iria acabar magoando tanto ele quanto Hoseok.

Mas Jimin... ahh Jimin... ele me fez me sentir tão especial ontem, o que era pra ser um jantar pra tirar o que tanto queria acabou se tornando o meu mais puro deleite. Não era a Elle que dominava ou que gostava de estar por cima e sim a Elle menina que se perdeu lá atras.

Jimin me fazia querer ser meiga, pura, única... sim, sem malícia ou algo do tipo. Desde que fomos ao Parque e depois jantamos me vi embrenhada em pensamentos que só o tinha como protagonista, ele conseguiu desenterrar sentimentos que até então eu havia matado dentro de mim. Sempre me fechei pros homens e por mais que Hoseok tentasse, nunca me abri serem por cento pra ele, agora Park? Me conquistou em nosso primeiro encontro.



Após acabar de me arrumar, peguei minhas chaves decidida a ir ao hospital e conta-lo tudo, mesmo sendo loucura e arriscar minha carreira, eu o queria E se eu o quisesse tinha que ser verdadeira com ele e comigo mesma.

Dirigia feliz, meia incerta talvez por ser algo novo – mesmo que já tenha experimentado isto uma vez – Mas mesmo que fosse algo momentâneo eu queria experimentar dessa tal felicidade que tanto busquei e apenas encontrei nele.

Parei no sinal vermelho e enquanto esperava para poder prosseguir viajem, senti um impacto inesperado em meu carro. Sinto-me fitar várias e várias vezes até que enfim teve fim.


Tudo em mim doia, deitada e prensada de cabeça pra baixo via tudo embaçado. Escutei burburinhos de pessoas enquanto minha cabeça latejava enquanto eu via pingos de sangue cair no lado oposto em que me encontrava no carro.



- Ela tá morta? – Escutei uma voz ao longe.


- Está apenas inconsciente. – Escutei outra voz se não conseguia distinguir se era homem ou mulher. – Chamem logo a ambulância pois ela pode vir a óbito a qualquer momento.



Mais uns segundos ali e escutei apenas um barulho ensurdecedor de sirene. Meus olhos já não conseguiam se manter abertos e meu corpo queria perder as forças.

Vi pessoas me tirando do aperto em que eu estava E logo depois vi as mesmas me colocando em uma maçã e me conduzindo a um veículo.



- Traumatismo craniano, três costelas quebradas, perfuração no fêmur e várias escoriações no corpo. – Escutei aparentemente um homem dizer enquanto me encaminhava dentro daquele veículo. – Desfibrilador rápido. – O escutei dizer e depois pressionar algo em meu corpo me fazendo sentir um choque por todo organismo. – Aumenta a voltagem, ela está tendo uma parada cardíaca. – Gritou o homem que antes me examinava.



Dizem que a vida passa diante de seus olhos enquanto você caminha para a morte. Nunca tive medo dela, pois era a única certeza que eu tinha na vida e quando ela chegasse, queria ter vivido tudo que eu teria direito.

Me lembrei de quando eu não tinha nada e conseguia a todo custo tentar o melhor pra mim e minha mãe. Lembrei do dia que conheci Paul e o quanto amei um desgraçado que apenas me fez sofrer. Em minha lembranças passaram também o dia que conheci Hoseok e Tata e o quanto aqueles dois era importante pra mim. Mas o que estava marcado era a última lembrança que tinha de Jimin, seus lábios macios tocando nos meus me fazendo sentir a pessoa mais única e completa neste mundo.

Talvez ele fosse aquele que me tiraria das minhas próprias trevas que nem eu mesma conseguia. Mas era tarde... tarde demais para que eu assumisse todas as sensações que ele causaria em mim. E ditando um “Me desculpe” apaguei.



[...]



Com certa dificuldade abri meus olhos e vi Hoseok e Jimin se interrogando em minha frente. Eu queria contar a verdade a Jimin, mas não desse jeito.



- Vamos Hoseok me diga, o que está fazendo aqui afinal? – Disse Park meio assustado.


- Ele veio me visitar. – Emy entrou abraçando Hoseok, o que achei muito estranho. – Como está Oppa? Eu disse que estaria no quarto 7 e não no 10. – Ela dizia pra ele é como assim Oppa?


- Estou bem. – Alternava seus olhos entre Jimin e Meu que nem sequer notaram que eu havia acordado. – Só achei estranho o que Jimin fazia aqui.


- Eu sou um médico, esqueceu Hoseok? – Ele disse sorrindo e que médico. – Bem, eu vou deixar vocês aí e depois eu volto pra ve-la. – Ele disse colocando uma mão no ombro de Hope e depois saindo.


- Que história é essa de eu te visitar? – Ele disse para Emy. – Tá escondendo algo DongSaeng? – Eu estava mais perdida que cego em tiroteio.


- Coisas minhas Hoseok. – Ela respondeu se virando pra mim. – Olha quem acordou.


- Elle!! – Veio até mim e me dando um selinho. – Está bem meu amor? – Emy fez uma cara de nojo.


- Estou sim, mas – Coloquei a mais na cabeça sentindo uma pontada ao tentar me levantar. – Estamos em New York? - O vi negar com a cabeça. – Então o que está fazendo aqui?


- Tata me ligou desesperada dizendo do acidente então peguei o primeiro vôo para cá. – Respondeu fazendo carinho em minha cabeça. – Bem, só vou ali na recepção acertar os papéis como deu tutor. – Deu selinho em minha boca. – Já volto okay? – Assenti para o mesmo.



Logo ele saiu dali e ficou apenas eu e Meu nos encarando.



- Não vai me agradecer? – Disse com os braços cruzados. – Acho que seria o mínimo Não?


- Pelo o que? – Disse sem saco a fitando.


- Por eu ter evitado que Jimin descobrisse sobre meu irmão e sua bendita entrevista. – Soltou. – Caso contrário veríamos uma briga aqui.


- Não sabia que era irmã de Hoseok – Disse ainda surpresa.


- Mas eu sabia da sua existência. – Disse se aproximando de mim. – Meu irmão não parava de falar sobre você e quando disse que a lhe pediria em casamento fui buscar seu histórico. – Respirou. – Ele também me contou sobre essa entrevista me fazendo repudiar cada vez mais esse relacionamento. – Sentou na beirada de minha cama.


- Então porque me ajudou se me odeia? – A indaguei confusa.


- Eu não te odeio. – Me fitou. – Mas o que me irrita é que você não é verdadeira com o Jimin nas suas intenções e nem com meu irmão, pois tenho certeza que você não contou a Hoseok sobre seus casos para subir. – Eu fiquei surpresa.


- Como você sabe disso? – Perguntei assustada.


- Pesquisei tudo sobre você, já que meu irmão disse que te pediria em casamento queria saber quem ia ser minha cunhada. – Fiquei mais assustada ainda. – Eu não te desejo nenhum mal Elle, apenas quero o melhor para meu amigo e meu irmão, e se você for verdadeira com eles eu te apoiaria com qualquer um dos dois com certeza. – Sorriu para mim. – Mas agora te peço a colaboração, pois Jimin me contou sobre como vocês estão e meio que se Hoseok saber disso vai acabar gerando confusão, já que Park é o melhor amigo dele. – Ela finalizou.


-Mas e se... – Eu tinha medo de algo desse errado quando ela me interrompeu.


- E se nada. – Protestou. – Você fala com o Jimin depois e o explique as coisas, depois seja verdadeira com meu irmão. – Disse se levantando. – Qualquer coisa eu irei dar um jeito, não vai acontecer nada errado. – Completou.


- Por que está me ajudando? – A indaguei.


-Não pense que sou sua amiga ou algo do tipo, mas não quero que você cometa o mesmo erro que cometi no passado. – Ela fechou os olhos suspirando. – Bom até mais tarde. – Disse saindo dali antes que eu perguntasse algo.


Emy não era minha amiga ou coisa do tipo. Mas o fato de querer me ajudar simplesmente para evitar uma briga era imenso pra mim. Eu vou fazer o que ela me pediu; serei verdadeira com os dois e evitar que eles sofram.



Jimin POV’s



Achei muito estranho Hoseok estar no quarto de Elle , sendo que ele não havia me contado que viria pra cá. Olhei pros lados a procura de Tata até ve-la ao lado de SeokJin.



- Tata? – A chamei. – Achei que estarei com Elle no horário de visitas.


- Não. – Ela sorriu. – Hoseok está lá. – Como ela o conhecia? – Ahhh ele é o chefe dela. – Ela percebeu minha cara de confusão.


- Então a Elle trabalha pra ele? – Ela assentiu. – Entendi. – Ela sorriu e eu fui visitar outros pacientes.



[...]



No caminho, fiquei pensando naquela visita repentina de Hoseok mais cedo enquanto checava alguns internos.

Mas foi ai que me caiu a ficha, Emy mentiu pra mim e estava aparentando muito nervosa enquanto eu perguntava a Hoseok o que ele fazia ali... ESPERA!!!! Atinei, claro que ele estaria ali.

Lembrei da nossa ultima conversa... Lembrei de quem Elle era e principalmente, lembrei que ele falava dela ao dizer que estava apaixonado!

Corri até a sala que ela estava internada, precisava tirar isso o mais rápido possível a limpo.



Taehyung POV’s



Eu estava sentado no refeitório na companhia de JungKook. Logo vi Biah passando sorrindo e aquilo acabou me fazendo sorri involuntariamente. Quando olhei mais ao longe vi Namjoon sorrindo também, foi quando vi que os dois se cumprimentavam.



- Cara, ta descendo uma baba aqui ó. – Disse JungKook me despertando.


- Não está descendo nada. – Voltei a bebericar meu café.



Vi os dois conversando a meio risinhos tímidos dela e aquilo estava me deixando irritado. Foi quando vi Namjoon roubar um selinho de Biah.

Aquilo pra mim foi a gota d’agua, Jungkook até assustou por eu amassar o copo descartável do café.



- Cara, se tu gosta dela porque não disse antes? – Me indagou. – Agora não adianta ficar assim.


- Eu não gosto dela. – Tentei desconversar olhando pra aqueles dois que não mudavam nem um pouco as caras de apaixonados.


- Sei e eu não sou louco com a Nay. – Me fitou. – Eu sei muito bem que você a desprezava mas ao mesmo tempo a queria perto. – Arqueei o cenho. – Você gosta dela Tae, mas sabia que o Namjoon também gostava e como amigo dele você se absteve desse sentimento.


- Você não sabe de nada. – Rosnei.


- Sei sim, mas por esse sentimento besta e idiota vai acabar ficando infeliz. – Levantou. – Converse com ela e conte o que sente, e converse com o Nam também, aposto que ele vai entender você e vai te ajudar. – Saiu dali.



Será que JungKook tinha razão? Não! Você é um pegador Taehyung e continuará sendo.



Elle POV’s



Estava em meu quarto sentada na cama, já não aguentava mais ficar deitada quando Hoseok chegou.



- Oi amor, como você está? – Disse sorrindo bobo pra mim.


- Estou bem. – Disse sorrindo também. – Tenho que conversar com você. – Disse seria.


- Eu também mas antes. – Ele ajoelhou. – Eu sei que não sou o cara mais perfeito do mundo, prova disso é o que estou prestes a fazer dentro de um hospital, mas mesmo com todos os defeitos quero dar um passo grande com alguém incrível como você ao meu lado. – Disse sorrindo e tirando uma caixinha de veludo vermelha quando apenas escutei a porta ser aberta. – Você aceita se casar comigo? – Olhou fundo em meus olhos quando escutei uma voz baixa e rouca soar.






- Então é ela a sua namorada Hoseok? – Era Jimin que me fitava com a decepção em seu olhar.




Notas Finais


Fuiz :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...