História BAD THINGS - Capítulo 24


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Red Velvet
Personagens Irene, J-hope, Jimin, Jin, Joy, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Seulgi, Suga, V, Wendy, Yeri
Tags Army, Bangtan Boys, Bangtan Velvet, Bts, Bts E Red Velvet, Fanfic, Hoseok, Irene, J-hope, Jin, Joy, Jungkook, Kim Namjoon, Kim Taehyung, Min Yoongi, Park Jimin, Rap Monster, Red Bangtan, Red Velvet, Seokjin, Seulgi, Suga, Wendy, Yeri
Visualizações 63
Palavras 5.418
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Luta, Mistério, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 24 - 020


FLASHBACK ON

Era sexta. A noite sem nuvens transmitia paz, apenas com as estrelas reluzindo no céu, um clima totalmente oposto ao que havia no bairro de Sinchon. As ruas agitadas exalavam euforia. Era o horário em que as aulas noturnas terminavam, como as da Universidade Yonsei. 
Estudantes agitados andavam apressados em busca de seu próximo destino, seja ele seu quarto ou uma festa; formavam um alvoroço. Um amontoado de pessoas que corriam, acompanhados pelas trepadeiras que se entrelaçam nos muros de tijolos. Grande parte indo para um ginásio próximo à universidade Hongik, que havia sido transformado num ringue para praticantes de boxe das várias universidades. Apenas uma competição, sem um prêmio em dinheiro. Disputavam pelo troféu que levaria o título de campeão para a sua universidade. Era uma questão de honra e não manchar sua reputação, pois, nessa noite era a final das competições, depois de toda a seleção, restaram apenas os melhores. Entre eles estava Park Jimin, o campeão da universidade Ewha, e ele estava disputando o título naquele dia. Entrou no ginásio seguido de aplausos. Seu rosto mostrava confiança, algo totalmente contrário ao que realmente sentia. Estava uma pilha de nervos. Era uma noite de extremos opostos e falsas aparências. Seu rosto estava brilhando por causa do suor. Sorria para as pessoas, acenando com os braços erguidos no ar, uma tentativa de distrair um pouco o nervosismo. 
Naquele dia ocorreria a semifinal. Apenas mais três lutas para alguém sair dali com o troféu reluzente e o título de campeão.
Jimin passou a mão nos cabelos castanhos, ainda não havia pintado de ruivo. Fechou os olhos. Inspirou. Expirou. E repetiu o processo enquanto andava até ficar próximo à seus amigos. Sua luta seria a segunda.
Quem lutaria agora era Baekyun, um estudante da Universidade Yonsei, de cabelos pretos e habitualmente bagunçados, que estava visivelmente nervoso, contra Sehun, da Universidade Sogang, de cabelos castanhos e praticamente exalava confiança.
Os dois entraram no ringue. Se assemelhava à um ringue de MMA, com grades pretas e piso claro. Ambos estavam focados, com o objetivo de serem o vencedor.
O juiz fez o sinal para que a luta começasse e em seguida se afastou rapidamente, ficando longe da briga que se iniciaria logo.
O primeiro soco foi de Sehun. O garoto avançou, dando início à uma luta digna daquela noite, onde apenas os melhores disputavam o título.
Baekyun revidou agilmente, com um soco de direita que teria acertado o rosto de Sehun, caso ele não tivesse desviado.
A luta continuou. Movimentos ágeis, golpes fortes. Os garotos davam tudo de si, porém, em algum momento, Sehun começou a se sair melhor.
Um soco certeiro no abdome levou o garoto a ficar com falta de ar. Um breve recuo foi declarar sua derrota. A guarda baixa, mesmo que por meros segundos, deu uma brecha para Sehun finalizar a luta. Um gancho de esquerda atordoou Baekyun, o que o fez não conseguir continuar a luta. O garoto estava deitado no chão, de olhos fechados. Começara a sentir alguns locais do corpo doloridos por conta dos golpes. Sehun não estava diferente. O de cabelos castanhos levantou os braços em sinal de vitória, sorrindo abertamente e satisfeito por ter dado um passo mais próximo do troféu. 
Murmurou um “boa luta” depois de abaixar os braços. Tal fala que ficou um pouco mesclada com os gritos histéricos de comemoração dos estudantes que assistiam a luta, porém Baekyun ouviu, e sorriu pequeno, um pouco desapontado por ter perdido.
Na próxima luta, quem participaria seria Jimin e Chun-Ho, um garoto tímido da Universidade Hongik, que, apesar de sua personalidade, era o melhor lutador de boxe da universidade que estudava. De cabelos loiros tingidos e lisos, praticamente da mesma altura que Jimin, estava receoso de como aquela luta seguiria. 
Jimin agarrava o tecido da bermuda verde-musgo que vestia, tentando falhamente amenizar o nervosismo. Hora passava a mão nos fios castanhos, hora mordia o lábio inferior. Sua amiga, Jisoo, de cabelos roxo escuro, ria de suas ações. Estava sentada no banco, próxima ao garoto. Tinha a mão em seu ombro, dando leves tapinhas.
-Desfaz essa cara. Você consegue. - Disse sorrindo. Tirou a mão do ombro do garoto para prender o cabelo em um rabo de cavalo. A noite estava quente.
-Eu não sei... Estou nervoso. - Ao finalizar a frase, imediatamente levou um tapa na nuca.
-Se for para ser pessimista nem fala nada. - Apontou o dedo indicador para ele. Contorceu a boca em reprovação ao ato de Jimin.
O garoto bufou. Fechou os olhos e comprimiu os lábios. Tentava disfarçar um pouco o nervosismo. Não pensou que nessa noite ficaria tão ansioso. Não era disso. Em todas as lutas até agora, apesar do pouco nervosismo que sempre estava com ele, não era tanto como naquele momento. Sempre mantinha a confiança, se sentia um pouco decepcionado consigo mesmo por estar nesse estado. 
Tinha certeza que caçoariam dele mais tarde. Chanyeol principalmente.
Chamaram-no, avisando que a luta iria começar. Levantou do banco, recebendo um tapa no ombro de Chanyeol, um carinho nos cabelos de Jisoo, e um comentário de Luhan.
-Vai lá e ganha essa luta. - Apoiou o cotovelo no ombro de Jimin, sorrindo como se já soubesse o resultado da luta antes mesmo dela acontecer. 
O garoto de cabelos castanhos andou até o ringue, reunindo os resquícios de confiança que tinha e acenando para as várias pessoas sentadas nas arquibancadas que aplaudiam ambos os lutadores.
Ele entrou no ringue um pouco depois de Chun-Ho. O outro garoto passou uma mão nos fios loiros, com intenção de tirá-los de seu rosto. Deixando mais evidente a expressão apreensiva e um pouco medrosa que havia em seu rosto. 
Jimin respirou fundo. Assumiu a postura de lutador, fazendo a base e levantando a guarda, com os punhos fechados. 
Chun-Ho fez os mesmos movimentos, um pouco mais rápido que Jimin, e logo em seguida fechou a cara, deixando uma expressão séria no rosto.
O juíz iniciou a luta, em seguida saindo de perto dos dois. A torcida vibrou.
Inesperadamente, quem deu o primeiro golpe foi Chun-Ho, que iniciou a luta com um soco forte com a mão direita. Jimin, por reflexo, protegeu o rosto com os braços e o impacto parou ali, deixando uma marca vermelha. Arregalou os olhos puxados e revidou o soco de direita.
A luta seguiu com sequências de socos. Chun-Ho surpreendeu todos ali, inclusive o próprio Jimin, que se sentiu um pouco mal por subestimar o garoto, afinal, ele não estaria na semifinal se fosse ruim em boxe.
Um hook do loiro levou Jimin à contrair o abdome brevemente. Chun-Ho aproveitou a oportunidade e socou com toda a sua força o rosto do garoto. Buscava um nocaute ou algo parecido. O soco causou um pequeno corte em sua sobrancelha.
O loiro sentia o sangue escorrer por um leve corte em sua maçã esquerda do rosto. Em nenhum momento desfez a postura séria, mesmo que seu rosto ainda assim estivesse apreensivo.
A luta estava se mostrando mais difícil do que achava que poderia ser. Jimin começava a duvidar se poderia realmente ganhar aquela luta. O garoto era muito bom.
-VOCÊ CONSEGUE CHIMCHIM! - Jisoo gritou do banco próximo aos juízes, dando um susto nas pessoas à sua volta. Estava em pé. Torcia para o garoto enquanto dava pulinhos de ansiedade.
Aquela foi a motivação de ele que precisava. Sorriu de canto. Um cruzado de Jimin acertou a região de suas têmporas, em seguida um soco frontal, que o levou a recuar.
Chun-Ho se aproximou dele, passando a lutar bem próximo, tirando a possibilidade de levar mais socos. Depois de alguns socos falhos por parte do moreno, recebeu um empurrão. 
Jimin usou a brecha para acertar o garoto com um soco no rosto, que fez sua visão embaçar com as lágrimas por ter sido acertado no nariz.
Um golpe direto o nocauteou. O garoto loiro caiu no chão, sentindo a dor da pancada em seu rosto. 
Essa luta foi mais demorada que a primeira, com um final, no mínimo, já esperado.
A plateia vibrou. Aplausos, assobios e gritos de comemoração dos amigos de Jimin.
Jisoo era a mais histérica entre os três, pulando e comemorando.
Jimin ergueu os braços. A vitória conquistada após uma disputada luta. Sorriu vitorioso por saber que estava um passo mais próximo de conseguir o troféu.
A final seria naquela mesma noite, afinal, haviam reservado o ginásio, não podiam prolongar as lutas, já que o espaço já havia sido reservado para outras festas e eventos. Como a feira de Ciências e Tecnologia que ocorreria no sábado.
Foi questão de 10 minutos até arrumarem tudo. Os quatro juízes já estavam sentados à mesa. Todos eles professores de boxe dos alunos que ali disputavam as lutas. Eram as pessoas mais qualificadas para tal coisa, tendo sido avisados de que era para agirem com total imparcialidade na hora de julgar o desempenho dos jovens.
Jimin e Sehun foram chamados ao ringue. Jimin sentia suas mãos trêmulas. Suava frio. Era última luta. A que decidiria o vencedor daquela longa competição. Queria levar o título para a Universidade Ewha, estavam contando com ele. Sehun, de cabelos num tom de castanho um pouco mais escuro que os de Jimin, apesar de suar frio, com a ansiedade atrapalhando seu raciocínio, tentava manter ao menos a aparência calma. Colocou um sorriso de canto em seus lábios e entrou no ringue pelo lado oposto ao que o outro garoto havia entrado. Encarava-o convicto de sua vitória.
Jimin mordeu o lábios inferior. Soltou todo o ar de seus pulmões, depois de perceber que prendia a respiração a um tempo. Encarou o garoto à sua frente, que sorria sem mostrar os dentes. Sehun era um pouco mais alto que ele. Nada que fizesse diferença para si. Já havia vencido caras bem mais altos que ele.
O que contava naquela luta seriam as habilidades.
E elas seriam reveladas a partir daquele momento.
O juíz iniciou a luta. Era um diferente do de antes. Este não se afastou muito dos dois após dar início à luta.
Sehun iniciou a luta com um jab com o punho direito. Jimin se esquivou agilmente, revidando com um golpe cruzado, que o garoto rapidamente defendeu.
Um uppercut de esquerda desferido por Jimin no queixo do outro garoto, que o fez cambalear por alguns segundos, mas não abaixar a guarda.
Sehun revidou no instante seguinte, com um golpe frontal, que Jimin bloqueou levando a guarda à frente do rosto, protegendo-o. Apesar de ter bloqueado o soco, quase teve seus próprios braços acertados em seu rosto devido ao impacto. 
A luta estava frenética. Sequências de socos, esquivas. As respirações descompassadas. Os gritos da platéia, que gritava a cada momento emocionante.
Jimin começara a se cansar. Olhava para Sehun, que, fora alguns machucados em seu rosto e a leve vermelhidão em alguns lugares de seu abdômen, estava da mesma forma que antes, agia como se a luta estivesse acabado de começar.
Jimin arregalou minimamente os olhos. Estava lutando com uma pessoa, ou com uma parede?
Não sabia. Mas sabia que, em algum momento, começara perder.
Um soco no rosto fez seu lábio sangrar.
-Dresgraçado... - Limpou o sangue com as costas de uma das mãos, enquanto mantinha o olhar fixo no garoto à sua frente.
Sehun riu soprado. Jimin deu um passo à frente, mirando um soco  na direção do garoto, o qual desviou agilmente, se permitindo revidar com uma cotovelada.
-O que foi? Não consegue me acertar? - Provocou, vendo o garoto mais baixo cerrar os dentes.
Estava se divertindo. Jimin lutava melhor do que imaginava, mas, talvez não fosse o suficiente para vencê-lo.
Passaram a se manterem distantes um do outro. Renovando energias.
-VAI LÁ, IDIOTA! - Luhan gritou da arquibancada.
-VOCÊ CONSEGUE VIRAR ESSA LUTA, CHIMCHIM! - Jisoo pôs as mãos em volta da boca, deixando sua voz ainda mais alta. Dava pequenos pulinhos. Parecia estar mais nervosa do que o próprio Jimin.
-GANHA ESSA LUTA! - Até mesmo Chanyeol se pôs a gritar. Os três estavam em pé. Gritavam animados. Jisoo mais que os outros dois juntos.
Jimin sorriu, não desviando a atenção de Sehun. Apesar daquilo ter levantado brevemente sua autoestima, um incentivo não o faria começar a lutar melhor. 
O garoto mais alto ameaçou um jab na direção de seu rosto. Jimin levantou a guarda para proteger-se. Reflexo. Fez exatamente o que Sehun queria. Ele usou um golpe direto, mais forte que os outros socos que havia dado, acertando em seu abdômen. Jimin curvou-se. Aquilo realmente havia doeu. Um uppercut com a mão esquerda o levou a cambalear para trás. Sua visão estava embaçada. Não sabia se seu nariz estava sangrando ou não. Não sabia nem o que estava acontecendo mais. Tudo a sua volta girava. E escureceu depois de um soco nas têmporas. 
Caiu. 
Sentiu o piso gelado do ringue em suas costas, e, como se estivesse muito longe, o juíz, com um sotaque inglês, gritando “knockout”.
Jisoo tapou a boca com as mãos, arregalando os olhos.
O juíz de sotaque inglês segurou o pulso de Sehun e o ergueu no ar. 
-Sogang University victory! - O juíz gritou para todos da platéia, dando o momento de glória que o garoto tanto almejava.
Jimin reuniu suas forças para tapar o rosto, virar para o lado e ficar ali, ouvindo as várias pessoas gritando o nome de Sehun, outras apenas gritando de animação. 
O garoto de cabelo castanho-escuro aproximou-se dele. Agachou-se. E o cutucou. 
-Hey! Não vai me dar os parabéns? - Sehun disse, apoiando o rosto numa das mãos e abrindo um meio sorriso.
-Vá a merda... - Jimin murmurou, sem sequer olhá-lo.
Sehun comprimiu os lábios.
-Sabe que perder é normal, certo? Quem sabe algum dia não tenhamos uma revanche? - Disse, vendo que o garoto pareceu considerar a ideia, por vê-lo assentir brevemente com a cabeça.
-Vamos ter uma revanche. - Falou por fim. Não sabia se queria apenas restaurar ao menos parte de seu orgulho, ou se queria mesmo socar a cara daquele garoto.
Sehun se levantou. 
-Você luta bem, Jimin. Mas eu fui melhor. - Sorriu de canto. -E a vitória é minha. - Ergueu os braços mais uma vez, ouvindo a platéia vibrar em animação.
Jisoo correu até Jimin, que ainda estava deitado no chão. O garoto sequer se movia, parecia que havia desmaiado, mas era apenas porque os machucados doíam e sua autoestima, junto com sua energia e seu orgulho estavam no chão, assim como ele.
Estava decepcionado consigo mesmo.
Por que fora perder para ele?
Sempre tivera uma rivalidade com Sehun e agora o garoto tinha um belo motivo para caçoar dele. 
Derrota. 
Tanto mental quanto fisicamente.
Bufou. 
-Aish, Jimin! Você está bem? - Jisoo ajoelhou ao seu lado, pondo a mão em seu ombro.
Ele murmurou um “hrm”, mas não se moveu.
-Venha, vamos para a enfermaria pra tratar desses machucados.
-Não. - Reclamou baixo. -Só... Me deixa aqui. - Mantinha o olhar no chão. Não queria olhar para ninguém agora.
-Chimchim...
-Só me deixa aqui. - Pediu mais uma vez, com a voz baixa e um pouco trêmula.
Ela assentiu. 
-Me liga se precisar. - Fez um carinho breve em seus cabelos e saiu do ringue. Acenou para Chanyeol e Luhan para irem junto com ela. 
Os três saíram do ginásio. As pessoas começavam a se dispersar.
Jimin sequer se importou quando os amigos de Sehun caçoaram dele por ter perdido por nocaute. Se encontrava sentado, abraçando os joelhos. Ficou lá por um bom tempo, pensando.
Havia perdido.

       FLASHBACK OFF

Namjoon olhou para Yoongi por um certo tempo, até ter de corrigir a rota da van na pista. Estava avançando a contramão. 
-O quê? - Exclamou, franzindo o cenho, confuso. -Ficou maluco, ou algo do tipo? - Falou, olhando de soslaio para o garoto por um segundo.
-Não fiquei maluco, eu quero que aqueles idiotas paguem pelo o que fizeram. - Fixou o olhar em Namjoon, com os olhos transbordando raiva.
-Então foi para isso que você pediu o endereço? - Cerrou os dentes. -Eu não vou ir até lá só para você ter sua vingancinha, idiota.
-Ah! O que foi? Está com medo? - Provocou, ainda com o olhar raivoso. Iria até lá, nem que tivesse que ir andando.
-Não, Yoongi. Só não quero mais problemas. - Abriu as mãos, ainda segurando o volante com os polegares. Sentia como se estivesse explicando algo muito difícil para uma criancinha.
Yoongi abriu a boca para responder, quando Namjoon voltou a falar:
-Porque para início de conversa, fomos nós que atrasamos o pagamento. - Concluiu, dando a conversa por acabada.
O outro se enfureceu mais ainda.
-E isso dá à eles o direito de sequestrar a Wendy e eu? - Retrucou, apontando o indicador para si mesmo.
Todos ali ouviam a discussão. Jin olhava pela janela, apesar de ouvir atentamente a conversa. Era interessante ver como todos têm problemas. Joy olhava surpresa para Yoongi, não discordava da opinião dele, ao mesmo tempo que não queria, assim como Namjoon, mais problemas com aqueles contrabandistas.
-Estamos nos envolvendo com contrabandistas, você esperava o quê? - Olhou para ele. -Que eles sigam regras? Que sejam moralmente corretos? 
O de cabelos verde-água rangeu os dentes. 
-Eu só quero vingança contra aqueles filhos da - Cortou a fala ao sentir uma mão em seu ombro. Era Angelica. Que se colocou entre os bancos da frente.
Ela olhou para Yoongi, em seguida para Namjoon.
-Eu concordo com o Yoongi. - Apontou com a cabeça para ele, que sorriu satisfeito. -Sei que não somos os certos na situação, - Olhou para trás, vendo como estava a reação das pessoas ali. -Nem acho que há um lado certo nessa situação, mas não posso deixar que alguém que mexeu com meus amigos saia impune. - Disse séria. 
Namjoon bufou.
-Ainda não concordo com isso. 
-Sugiro uma votação. - Yoongi levantou a mão, chamando a atenção das pessoas ali para depois abaixa-la novamente. -Quem concorda em irmos até lá e termos a nossa vingança levante a mão. 
Ele e Angelica levantaram a mão no mesmo momento. Joy balbuciou por alguns segundos, para depois erguer a mão. Jin olhou para os três que o encaravam esperando a resposta. Comprimiu os lábios. Apalpou a lateral de seu quadril, à procura de sua arma, quando sentiu-a, confirmando que estava ali, ergueu a mão, assim como os outros.
-Foi unânime. - Yoongi falou, feliz por sua decisão ter sido apoiada.
-Vamos, Namjoon. - Angelica pediu manhosa.
O garoto bufou mais uma vez.
-Se alguém morrer a culpa não vai ser minha.

     - Norte de Seoul; 8:57 p.m -

A sala da casa era um arco íris.
A de cabelos rosa-claro estava jogada no sofá, jogando para cima sua liga de cabelo preta.
O de cabelos laranjas estava jogando um jogo de corrida no videogame com o de cabelos pretos.
A de cabelos castanhos, a menos colorida dali, folheava um livro de histórias infantis, parada ao pé da estante, interessada no pop-up de uma borboleta que surgiu quando chegou no meio do livro.
A de cabelos pretos com mechas azul-escuro voltava do banheiro com os cabelos pingando. Necessitava de um bom banho depois do que passou nos últimos dias. Teve de usar a mesma roupa de antes. Ignorou o fato e se direcionou até os dois garotos que jogavam videogame. Apoiou os braços nos ombros dos garotos, meio que abraçando-os.
-Aposto no Kookie. - Olhou para a tela esquerda, a de Jungkook, que estava no 2º lugar, na frente de Jimin, que estava no quinto.
-É o que vamos ver. - Jimin se pronunciou, olhando desafiador para Wendy.
A de cabelos castanho-escuro de pontas rosas acabara de chegar, bufando. Após se despedir do de cabelos pretos e lenço xadrez vermelho entrou na casa apressada. Precisava ter uma conversa com o de cabelos castanhos de pontas verde-escuro.
Bateu na porta do quarto de Taehyung. 
Ninguém respondeu. Bateu na porta novamente.
-Vai embora. - Após alguns segundos de silêncio, um murmúrio abafado veio de dentro do quarto.
-Tae, sou eu, a Irene. - Aproximou o rosto da porta.
-Vai. Embora. - Disse, dessa vez pausadamente. Ainda com a voz abafada.
-Eu quero falar com você. - Persistiu, girando a maçaneta, mesmo sabendo que estava trancada.
Ouviu passos lentos do lado de dentro do quarto. O garoto girou a tranca. Irene recuou um pouco. A maçaneta girou e a porta abriu num pequeno ruído. Taehyung se apoiou no arco da porta de madeira.
-Fala logo. - Cruzou os braços, com os olhos semi fechados. Estava quase dormindo.

A van avançava para oeste de Seoul, mais precisamente para o bairro chinês de Yeongdeungpo.
Iam para casa relativamente antiga numa das ruas estreitas do bairro, longe dos vários prédios modernos. A van seguiu até chegar numa calçada, onde era proibida a passagem de veículos. Havia uma boa circulação de pessoas ali, por ser uma calçada cercada de pequenas lojas de comércio varejista. Produtos artesanais, algumas lojas que vendiam petiscos. 
Saíram da van, passando a andar. Namjoon discutia com Yoongi mais à frente. Ainda acreditava que aquilo não era uma boa ideia.
-Nunca tinha vindo aqui. - Jin falou, olhando em volta, com as mãos nos bolsos da calça. 
-Jura? Adoro vir aqui, encontro muita coisa pra montar minhas armadilhas. - Joy comentou, agindo naturalmente, como se o que dissera fosse algo completamente comum.
Angelica andava mais atrás, olhava para um pojangmacha, onde um garoto jovem, de traços asiáticos, vendia Odeng. 
Estava com fome.
-Darkness! - Joy gritou, vendo que a garota havia ficado para trás. -Vamos! - Chamou. A garota fez um bico. Nem parecia que era mais velha. Joy bufou. -Eu compro um pra você outra hora. - O rosto da outra se alegrou, como uma criancinha que acabou de ganhar um doce.
Ao ponto em que foram se aproximando do endereço escrito no papel a tensão foi se instalando. Não sabiam se aquele contrabandista estaria mesmo lá, ou se seriam as mesmas pessoas com que negociaram.

 

Chegaram no endereço que foi anotado no papel pelo senhor Kwan. E ele teria problemas se tivesse passado o endereço errado propositalmente.
Yoongi esmurrou a porta assim que chegaram. Ela abriu no mesmo instante em que ele bateu. Não por uma pessoa. Estava destrancada. O garoto deu um passo largo para dentro da casa, por ter perdido o equilíbrio. Olhou em volta, tudo escuro. A casa com móveis velhos. Algumas maletas abertas com armas, caixas com drogas, papéis amarelados, e bolsas vazias.
Namjoon se aproximou de uma das bolsas jogadas no chão. Virou-a de cabeça para baixo e a sacudiu. Uma nota de ₩50000 caiu no chão. 
-Eles estavam aqui. - Comentou.
Jin andava pela pequena casa. Passou pela cozinha velha e viu a porta que dava para os fundos da casa. Aberta.
-E saíram por aqui. - Falou alto, de modo que todos o ouvissem.
De fato a dedução estava correta.
Angelica andou até a cozinha. Não estava com nenhuma arma. Apenas com sua pequena faca, que sempre levava consigo desde que saiu da prisão. Nada que a pudesse ajudar muito caso ocorresse um tiroteio.
Jin olhava para fora, ameaçava sair, ainda receoso.
Yoongi e Namjoon deram a volta na casa, por um estreito corredor entre aquela casa e outra. A porta dos fundos dava para outra rua, nessa era permitida a circulação de veículos. Lá estava estacionado um carro. Yoongi logo o reconheceu. O mesmo carro enferrujado que haviam usado quando sequestraram ele e Wendy.
Perto dele, dois homens, que colocavam algumas bolsas no porta-malas. Um terceiro estava apoiado no carro, do lado do motorista, de braços cruzados.
Namjoon se aproximou de Yoongi, que havia ido na frente. Viu o garoto sacar sua arma discretamente. 
-Não atira. - Sussurrou, cerrando os dentes.
O outro não quis ouvir. Sabia que chamaria atenção. Não só dos contrabandistas, como das pessoas ali em volta. Era questão de minutos para alguém ligar para a polícia. Esticou o braço e atirou. Namjoon empurrou a mão do outro para cima, querendo desviar a mira, pensando que ele não iria atirar. 
Um barulho alto. Olhares alarmados dos três contrabandistas, que procuravam a fonte do barulho. Gritos assustados das pessoas que passavam naquela rua. Yoongi segurando a arma fumegante. Olhou raivoso para o garoto ao seu lado.
-Idiota. - Namjoon resmungou. Viu que um dos homens se aproximavam de onde estavam. Puxou o outro para baixo, ficando atrás de uma lata de lixo velha.
Um passo atrás de outro. Cada vez o homem estava mais próximo dos dois, mas antes que pudesse fazer algo, recebeu um tiro na perna esquerda. Gemeu de dor, caindo de joelhos no chão, pressionando o local da ferida com as mãos.
Namjoon e Yoongi se entreolharam.
Jin sabia que aquela pistola e aulas de tiro serviriam para alguma coisa.  Abaixou a arma, vendo que os olhares de todos voltaram-se para ele. O homem que havia levado o tiro sacou sua arma, apontando para o garoto. Foi impedido por um chute. Caiu, atordoado. Namjoon olhou para Jin, agradecendo-o silenciosamente. Apenas assentindo com a cabeça. Jin retribuiu o gesto, no instante seguinte teve seu corpo puxado para baixo, um segundo antes de outro tiro ser disparado. 
-Quer morrer, idiota?! - Angelica gritou. -Presta atenção! - Estava agachada junto à ele, segurando seus ombros com força e com uma raiva aparente. O puxou para dentro da casa. Não tinham outro lugar para se esconder a não ser ali. Jin ficou estático, ainda tentando processar oque aconteceu.
Yoongi atirou na direção dos contrabandistas, dessa vez sem ser impedido. Os dois homens usavam o carro como barricada. Joy apareceu ao lado de Angelica. Sacou sua pistola. Com uma das mãos atirou na direção do carro. 
Não tinham como sair daquilo. Até que o homem da cicatriz apontou sua arma, apertou o gatilho e nada foi disparado. Foi produzido apenas um barulho oco. Suas balas tinham acabado.
Namjoon avançou tentando atirar no outro homem, que já se distanciara consideravelmente do local. Corria.
-Desgraçado. - Murmurou, olhando seu “parceiro” correr para longe.
O homem da cicatriz ficou encurralado. Angelica e Joy avançaram por trás. Yoongi ficou frente à frente com o contrabandista. Apontou a arma para ele, errando o tiro propositalmente. Sorriu cínico.
-O que você quer, huh? - O contrabandista falou, cruzando os braços e recostando-se no carro. -Quer de volta o seu dinheirinho? - Zombou, sorrindo de canto.
-Não quero nenhum dinheiro. - Ergueu as mãos, como em sinal de rendição. Depositou um soco bem dado no rosto do homem à sua frente, seguido de outro em se abdômen, fazendo-o se contorcer involuntariamente. Caiu de joelhos. -Só retribuir o favor. - Sorriu sem mostrar os dentes.
O homem começou a rir baixo. Limpou o sangue no canto de sua boca com as costas de uma das mãos. Ergueu a cabeça, com a mesma expressão zombeteira de antes.
-Acha que tenho medo de um pirralho como você? - Disse. Mantendo-se de joelhos. -Vamos, me mate. - Olhou-o desafiador.
Yoongi permaneceu inexpressivo. 
-Sei que não consegue. Ainda é uma criança, não teria coragem de sujar essas mãozinhas. - Riu sem humor. Olhando o garoto à sua frente nos olhos.
Sentiu algo pontiagudo cutucar seu pescoço por trás. Engoliu em seco.
-Talvez ele não. - Angelica girou a faca, fazendo escorrer um pouco de sangue do furinho que formou com a ponta da lâmina. -Mas eu sim. - Mudou a faca de lugar, deixando ela ao lado do pescoço do homem. -Já sujei as minhas mãozinhas uma vez, posso fazer de novo. 
Namjoon deu alguns passos para frente.
Curvou-se, apoiando as mãos nos joelhos, rindo da expressão supresa do contrabandista.
-Isso é só um aviso. Não é, Angelica? - A chamou a atenção antes que acabasse matando o homem. -Não se atreva a mexer com a gente. - A garota bufou, guardou a faca e andou até o lado de Namjoon. -Da próxima talvez você não saia vivo dessa.
Passaram a se afastar. Quando o contrabandista ameaçou sacar a arma, foi surpreendido por um golpe na nuca. Desmaiou. 
-Andam de costas para um cara armado enquanto ele ainda está consciente? - Joy resmungou. Estalou a língua. -Idiotas... - Riu fraco. -Deviam ter o matado. 
Apressou o passo para alcançar Namjoon, Angelica, Yoongi e Jin. Como a garota andava um pouco mais atrás, foi fácil de chamar sua atenção:
-Hey, Darkness! - A garota virou o rosto na direção de Joy. -O que você quis dizer com “eu já sujei as minhas mãozinhas uma vez”? - Disse baixo, com o objetivo de que só ela escutasse.
Angelica sorriu amarelo.
-Nada não. - Respondeu. Passou um tempo olhando para o rosto de Joy, até se lembrar de algo e erguer o indicador, para, em seguida, apontá-lo para a garota. -Você está me devendo um Odeng! - Acusou. -Vamos comprar! 
Joy sorriu. Angelica claramente fugiu do assunto, mas isso era algo que perguntaria mais tarde. Tirou umas notas do bolso, andaram até a pojangmacha de antes e compraram um dos espetinhos de massa de peixe.
Voltaram para a van assim que ouviram o som de sirenes policiais mais ao longe. Óbvio que algum morador dos arredores chamaria a polícia. 
-Achei que estavam demorando. - Yoongi comentou, olhando pela janela.
-Vamos antes que nos achem. - Joy apressou, batendo no encosto do banco de Namjoon.
A van deu partida. Fez um trajeto mais longo, evitando o centro e passando por ruas menos movimentadas para chegar na casa de Taehyung.
No meio do trajeto, Jin, que estava inquieto, chamou Angelica cutucando seu braço.
-Hm? - A garota o olhou. Estava ao seu lado nos bancos de trás.
-Obrigado. - Disse.
-Pelo quê?
-Por ter salvado minha vida.
-Ah sim! - Deu um sorriso pequeno. -Mas não se alegre muito. Numa próxima vez eu posso não estar lá pra te salvar, então fique atento, sim? - Cutucou o nariz de Jin. Ao terminar a frase com uma sobrancelha erguida.
O garoto assentiu.
Jin apoiou o rosto em uma das mãos, passando a olhar pela janela da van. A paisagem passava mais lenta. Ninguém estava com pressa ali. Diferente de quando corriam para Suwon a procura de Yoongi e Wendy. Era um momento de silêncio. Não algo desconfortável, mas um silêncio que ninguém queria quebrar. Talvez por falta de interesse, preguiça, mas não pronunciaram uma sequer palavra.
O detetive repensava toda essa decisão de se infiltrar na gangue. Era um dos muitos momentos em que refletia sobre suas ações, escolhas.
Se sentia um filósofo algumas vezes, por se dar o direito de fazer uma pose de pensador e tomar decisões que julgava ser as mais sensatas.
Porém, ainda tinha dúvidas se infiltrar-se numa gangue afim de obter informações para prendê-los foi uma decisão inteligente ou apenas uma declaração precipitada de suicídio.
Querendo ou não, criou uma certa afinidade com aquelas pessoas. Eram todos jovens, pessoas boas que tomaram decisões que a sociedade julga serem erradas por contrariarem as leis.
Sacudiu a cabeça negativamente.
Não deveria tratá-los como amigos. Eram bandidos, contrabandistas que estavam trazendo desordem para Seoul e pondo em risco vidas de pessoas inocentes a cada tiroteio que iniciavam.
Eram jovens que o fizeram pensar naquele velho ditado “Não julgue um livro pela capa”. 
Tinha de manter o foco em seu objetivo inicial: prendê-los. 
Por todos os anos que estudou, trabalhou duro para conseguir um cargo de detetive e um bom reconhecimento, deveria acabar com aquilo tudo logo.
Um flash do momento em que Angelica salvou sua vida veio à mente. 
Devia sua vida à eles, da mesma forma que eles quase o fizeram perder sua carreira ao mandarem assaltar a maldita loja.
Era inevitável, havia passado a considerá-los amigos.
Talvez fosse melhor desistir do caso. Não sabia se conseguiria olhar na cara daquelas pessoas ao prendê-las, revelando sua identidade e mostrando que as enganou todo o tempo.
Hoseok definitivamente não o entenderia. O policial não compreenderia seus motivos para abandonar o caso e ter escrito em seu histórico que desistiu de algo tão simples: prender duas gangues problemáticas.
Mordeu o lábio. 
Nunca esteve num impasse tão grande.


Joy o olhou. Angelica estava entre os dois, mas, por estar com a cabeça recostada entre os encostos dos bancos, era fácil de ver o rapaz. Parecia inquieto. Joy parou um momento, o analisando. Já havia assumido para si mesma depois das vezes em que conversou ou apenas olhou para ele, Jin era muito bonito, mas lhe parecia familiar. Era como se já tivesse o visto em algum lugar.


Notas Finais


GENTE DESCULPA A DEMORA PARA POSTAR, TA MUITO CORRIDO TUDO. Mas enfim, espero que tenham gostado! XOXO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...