1. Spirit Fanfics >
  2. Bad Things- Imagine Sana (Twice) >
  3. Capitulo Único

História Bad Things- Imagine Sana (Twice) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Heyy galerinha espero que gostem desse one short

Capítulo 1 - Capitulo Único


Pov. Narrador

 

Sana se encontrava deitada na sua cama, milhões de pensamento perturbava a mente da japonesa mas no meio da tantas dúvidas um se destacavam na mente da japonesa.

Quando ela começou a deseja tanto sua irmã mais nova?

Talvez tenha sido quando as curvas da mais nova começou a surgir ou quando a brasileira entrou para as lideres de torcida desses acontecimentos que aconteceu nesse meio tempo um se destacava, Minatozaki mordeu seu lábio inferior ao se lembrar desse dia.

Mas o que a japonesa não esperava era que a mesma dúvida se passava na mente da sua irmãzinha.

Pov. (s\n)

 

Porque eu estava pensando na minha irmã desse jeito?

Tá que ela é maravilhosa mas isso nunca aconteceu comigo, porque agora?

Tá talvez seja por causa daquele dia..

 

Pov. Narrador

 

Flashback on

 

A brasileira tentava inutilmente fazer suas atividade de matemática, ela simplesmente não conseguia resolver as  questões.

Ficou alguns minutos olhando por caderno e resolveu ir até o quarto da sua irmã, sabia que ela estava em casa fazendo uma pesquisa por trabalho de sociologia.

Se levantou da escrivaninha com seu caderno juntamente com o estojo, saiu do quarto indo para o da mais velha que era do lado do seu.

Bateu três vezes na porta e esperou uma resposta de Sana, que não veio.

A brasileira cansada de esperar abriu um pouco da porta colocando somente sua cabeça para dentro do quarto.

-Sana? -Chamou sua irmã fazendo a mesma se desperta de seus pensamentos, dando atenção a garota.

-Pode entrar sn - após as palavras da mais velha,a brasileira entrou no quarto deixando visível seu corpo.

Sana engoliu em seco ao ver a roupa que sua irmã usava, um cropped que poderia se assemelhado a um top, deixando visível seu abdômen e um mini short que deixava  à mostra suas belas coxas na opinião de Sana é claro, depois desse momento de silêncio talvez um pouco constrangedor para a mais nova por ver que sua irmã a analisando de baixo a cima, Sana faz um sinal para a mais nova se aproxima 

-Tá com dificuldade no assunto é? - A Minatozaki pergunta ao ver o caderno que a mais nova trazia consigo.

-Especificamente em matemática. - Responde (s\n) um pouco frustrada.

A brasileira se esforçava e conseguia notas boas em todas as matérias menos uma que era matemática, sempre a mais nova pedia ajuda a Sana por saber que a japonesa era a melhor quando o assunto era matemática, tanto que no quarto de Minatozaki havia alguns prêmios de matemática em sua prateleira.

Sana virou a cabeça a procura de uma cadeira para sua irmã.

-Tá procurando o que? - Pergunta a mais nova com um tom de curiosidade na sua voz.

-Uma cadeira pra você sentar… mas acho que não tem aqui no quarto.

-Que quer eu vá no meu quarto pega? - perguntou a brasileira  fazendo menção a sair do cômodo.

-Não, vai demorar mais e eu quero logo acabar com meu trabalho… senta no meu colo. - Fala enquanto dava espaço para a mais nova.

-Tá bom. - (s\n) fala se sentando no colo da japonesa abrindo o caderno na folha das questões.

-São essas aí? -  a brasileira apenas afirma com a cabeça a pergunta da mais velha.

-Ok vou te explicar o processo todo tá. - A japonesa pega o lápis da mais nova riscando algumas fórmulas.

(s\n) prestava atenção na explicação que sua irmã dava, o assunto parecia muito mais fácil agora .

Depois da mais velha explica tudo a brasileira começa a responder alí mesmo caso ela tivesse alguma dúvida, Sana sentia a mais nova se mexendo no seu colo às vezes para apagar alguns erros nos seus cálculos.

A japonesa tentava a todo custo presta atenção na sua pesquisa mas sua irmã se mexendo no seu colo era um trabalho complicado para a mesma, conseguia sentir sua respiração começa a fraquejar toda vez que a garota se movia, causando um atrito prazeroso para a mais velha.

-Sana-chan acabei de responder. - Falou a mais nova fazendo a japonesa a encara.

-Deixe eu ver se está correto. - Sana traz o caderno da garota para perto dela analisando as respostas.

A brasileira acabou por só ter errado em duas questões apenas, prestava atenção na explicação da irmã até senti a mão da mesma em sua coxa.

Sana não sabia o porque estava fazendo aquilo, sentia seu corpo pedir e apenas não conseguia se controlar, as coxas da garota parecia tão atrativa para a mão da japonesa que quando se deu conta já tinha colocado sua mão.

A brasileira tentava prestar atenção na explicação mas tudo foi por água abaixo quando a japonesa começou a movimentar sua mão sob a coxa da mais nova, fazendo leves carícias que estava deixando a brasileira louca.

-(s\n) você está prestando atenção no que eu estou falando? - Ver Sana a encara enquanto ainda continuava a fazer as carícias na coxa da mesma.

-S-sim claro. - Responde dando um sorriso amarelo para a japonesa que parecia pensa se acreditaria na mais nova ou não.

A mais nova respondeu as últimas duas que faltava com o auxílio da japonesa que continuava fazendo as carícias na sua coxa e a apertando as vezes, tirando sua concentração às vezes.

-Prontinho tá tudo certinho… viu que matemática não é nenhum cão de sete cabeças? - Pergunta rindo discretamente da cara da sua irmã.

-Tá agora vou para o meu quarto.. até mais. - A brasileira se levanta do colo da Minatozaki e sai quase correndo do quarto da mais velha em direção ao seu.

 

Flashback off


 

Pov. (s\n)

 

Me lembra daquele dia me trazia sensações que eu nem conseguia definir com palavras.

Fiquei alguns minutos olhando pro teto até que a dona dos meus pensamentos entra no meu quarto.

-O que foi Sana-chan? - Pergunto ao ver a japonesa deita ao meu lado.

-Não posso mais passar tempo com minha irmãzinha? - Pergunta me arrancando uma risada.

-Poder pode mas você sair tanto com suas amigas. - Respondo encarando a japonesa.

-Mas hoje eu quero. - Diz me abraçando.

-Me larga sua chata… só sirvo como última opção para você. -Digo tentando empurra a mais velha.

-É? acho melhor você retira o que disse. - Diz a japonesa.

-E se eu não quiser? - Provoco a minatozaki.

-Você que pediu. - Quando ouvi o que a mais velha falou não entendi de primeira, só quando sinto a mesma começa a fazer cosquinha em mim.

Começo a rir de forma descontrolada, conseguia senti meus olhos lacrimejarem por causa do riso.

-Retira o que você disse? -Perguntou cessando as cócegas.

-Não- Falo observando a mais velha com um sorriso ladino no rosto.

De tanto me mexe na cama por causa das cócegas, estávamos em uma posição totalmente diferente da anterior, eu continuava deitada no colchão enquanto Sana estava praticamente sentada em meu colo, com uma mão em minha cintura e a outra no colchão ao lado da minha cabeça

-Essa é sua última chance de retirar o que disse. - A japonesa fala enquanto me encarava seriamente.

-E se eu não quiser… o que você vai fazer? - Pergunto, eu sabia que estava brincando com fogo… mas quem disse que eu não estava amando?

Não obtenho nenhuma resposta da mais velha, sinto sua mão que estava na minha cintura aperta a região fracamente.

Fecho meus olhos ao senti a respiração da japonesa bate no meu pescoço, me arrepiando por inteira. -Sana. - gemir baixinho seu nome ao sentir um leve beijo ser depositado em minha pele sensível. 

Senti novamente outro beijo em meu pescoço, acompanhando de alguns chupões leves na região.

Não conseguia conter os suspiros e gemidos baixos que insistiam em sair.

-San-sana... e... se- tento falar entre arfares até a mais velha me corta.

-Eles acabaram de sair.- Vejo aquele maldito sorriso ladino no rosto da japonesa.

Sem perceber a Minatozaki começou a subir seus chupões até chegar na minha orelha onde a mesma depositou uma mordida no lóbulo.

-Você não sabe o quanto eu esperei por esse dia. - Sussurra no meu ouvido me fazendo fica toda arrepiada novamente.

-Eu vou te fode tanto, tanto que chego a duvidar se você vai conseguir andar depois. -Diz em um tom rouco e eu puder já começa a senti um desconforto na minha calcinha.

-Mas antes eu vou te torturar tanto até você implorar pra eu te fode fundo e forte. - fala desta fez me encarando de forma intimidadora.

Eu estou fodida...literalmente

Vejo a mesma encara meus lábios, selando eles em seguida, respondo ao seu beijo conseguindo senti um pequeno sorriso da mesma.

Ao terminar o ósculos com um puxão pequeno no meu lábio pela maldita falta de ar, ela desce seus beijos até meu pescoço maltratando a região.

Sinto a mão da mesma na minha camisa puxando a mesma para cima deixando a mostra meu sutiã preto juntamente do meu abdômen.

-Muito gostosa. - sussurra baixo mas alto o suficiente para eu ouvi.

Engoli seco antes de ser beijada, meu lábio inferior era mordido em rápidos intervalos e logo a língua da japonesa voltava a entrar na minha boca, beijar a mais velha é muito bom, era bruto e por minha boca ser tão macia, chegava a também a ter toques suaves.

Vejo suas mãos descerem ao fecho do meu sutiã que por sorte era na frente, logo me livrando daquela peça de roupa inútil naquela ocasião.

Logo sinto sua mão em meu seio brincando com o mamilo já rígido por causa do seus toques enquanto com a boca maltratava o outro.

Não conseguir me segurar, gemi alto e até me contorci, ter a mais velha chupando meus seios enquanto acariciava o outro era uma das melhores sensações que eu já tinha sentido por toda minha vida.

E ela chupava tão bem

Depois de ter maltratado meus seios vejo ela desce até meu abdômen deixando alguns chupões e mordidas pelo mesmo, alguns fracos outros com força, que sem sombra de dúvidas deixaria marcas depois.

Eu só conseguia gemer de forma manhosa, sentia minha calcinha totalmente encharcada só com aqueles toques.

-Sana, vai logo por favor. -Falo de forma manhosa enquanto encaro a japonesa que tinha um sorriso malicioso no rosto.

Sinto sua mão na barra do meu short, logo desabotoando os botões e o puxando para baixo.

-Isso tudo é para mim é?- Vejo o sorriso ladino da japonesa enquanto encarava minha calcinha.

Logo minha calcinha é puxada para baixo, a mais velha ficou com parte do seu corpo sob o meu, sua mão esquerda foi descendo pelo meu corpo de forma devagar.

Senti seus dedos em meu clitoris e levei minha mão ao pano da cama.

Sana começou a massagea-lo devagar, sem pressa alguma.

Soltei um gemido manhoso e bem baixo enquanto a Minatozaki continuava com seus movimentos torturantes.

-Sana… por favor… - Pedi manhosa, vendo a mesma volta a maltratar meus seios.

-O que você quer? - Perguntou cínica, enquanto continuava os movimentos do seus dedos.

-Você saber o que eu quero - Digo com minha voz arrastada e um pouco manhosa.

-Sei… que eu me lembre não? - Olho pra garota que apenas sorri ladino voltando a maltrata meus seios.

Filha da puta

-Me fala o que você quer? - Diz em um tom provocativo.

Senti os dedos da mesma descerem até minha entrada molhada e não hesitei em falar.

-Me… me fo… me foder, Sana - Pedi com dificuldade.

A japonesa pareceu ama ouvir aquilo.

-Fala de novo… - mandou em um sussuro.

Senti seu dedo quase me adentrando e gemi fraco.

-Me fode Sana. - Digo de forma manhosa.

Ela não me dizia nada, enquanto seus dedos continuavam a me provoca cada momento.

-Por favor Sana… eu tô te pedido. -Falei ainda manhosa, com um pouco de dificuldade,

-Eu não quero quer peça, quero que implore. -Falou me olhando, senti seus dois dedos quase me penetrando.

-Por favor Sana me fode. -Falo com dificuldade.

-Me fode com força… eu to te implorando. - Digo já totalmente desesperada pelos seus toques.

-Me fode com força, Sana… por favor. - implorei, vendo a mais velha ama aquilo.

Sem pressa, Sana começou a me penetrar já com três dedos.

Soltei um gemido alto e arrastado, não esperava por aquilo.

Seus dedos seguiam forte e fundo dentro de mim e cheguei a apertar o pano da cama.

Tentava conter meus gemidos mas era praticamente impossível com a japonesa me estocando de forma vagarosa.

Sentia seus dedos entrando e saindo com calma, mas toda vez que voltada pra mim, seguia de forma funda.

-Ah… Sana. - Gemi de forma arrastada e um pouco manhosa.

Comecei a rebolar devagar nos dedos da mais velha.

Sana acelerou suas investidas em mim e eu agradeci por isso… soltei um gemido manhoso e continuei a rebolar em seus dedos.

Seus dedos faziam um movimento de vai e vem repentino, enquanto a japonesa me olhava, querendo ver cada reação minha.

-Ah…- Gemi alto, assim que a garota entrou fundo dentro de mim, foi de repente, o que me fez gemer por impulso.

Suas estocadas começaram a ficar mais rápidas e eu comecei a gemer de forma contínua.

Eu já não conseguia dizer mais nada apenas rebolei na mesma intensidade de seus movimentos de vai e vem.

Seus dedos iam e vinham de maneira realmente rápida e funda,  suas estocadas brutas me faziam quase implora para ela ir mais rápido.

Não demorou muito e eu acabei me desmanchando nos dedos da Minatozaki, assim que gemi seu nome

Senti os espasmo recorrente ao meu orgasmo e tentava relaxa o mesmo enquanto Sana levou seus dedos ao seus dedos a sua boca.

Logo Sana puxou minha cintura com calma me deitando sob ela, fazendo um pequeno carinho no meus cabelos.

Acabei pegando no sono ali mesmo, nos braços da japonesa.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...