História Bad Together - Capítulo 13


Escrita por: e anxietygirl

Postado
Categorias MasterChef Brasil
Personagens Ana Paula Padrão, Erick Jacquin, Henrique Fogaça, Paola Carosella
Tags Ana Paula Padrão, Masterchef Br, Pana, Paola Carosella
Visualizações 306
Palavras 2.345
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi querida amiga de Cláudia, tá aqui o ultimo capitulo, obrigada a quem acompanha, quem não le o que tenho a ve? rs

Eu finalmente finalizei a fic, o capitulo é rapido e objetivo, pq tiro e morte tem que ser assim com sangue quente. De uma vez só. Quem gostar, gostou, quem nao gostar o processinho ta aí. O banquinho logo ali. Processa, senta e chora.

Cês sacaram que a fic é comunista petralha pois acaba justamente no capitulo 13, que significa que o Lula ladão roubou meu coração. Vem, presidentão! <3
Mas sem mais delongas... Fui.

Capítulo 13 - The End


POV Paola

 

Desde o dia na casa de Jacquin e nossa dança compartilhada, eu e Ana demos um novo inicio em nossa relação. E quando digo "novo inicio" é quase que literalmente. Tivemos um primeiro encontro, uma primeira noite, um pedido de namoro... E ja estamos juntas há pouco mais de seis meses.  Algumas vezes Ana dorme em minha casa, outras eu e Fran quem dormimos com ela.... Ah, Fran está cada dia mais apegada à Ana, parece que nasceram para serem amigas. Minha filha também ganhou uma tia,  a Guta.

 

Gravamos a nova temporada amadores, e hoje é o grande dia, o dia da final. Fogaça se voluntariou a fazer algumas filmagens dos bastidores, Ana está em seu camarim talvez passando seu texto, ela gosta de fazer isso com privacidade e é o único momento em que eu e os meninos não estamos ali para perturbá-la. Henrique  já passou no meu e já gravamos alguns minutos de video, logo depois as meninas vieram me maquiar e arrumar meu cabelo, sob os olhos curiosos de minha pequena espoleta.

 

-- Mama, Tia Ana já está pronta? - Por toda a confiança que deposito nas pessoas que nos cercam nos estudios da Band, eu deixo que Fran transite por ali, desde que não vá para qualquer lugar sem nos avisar.Enquanto as meninas arrumavam meus cabelos e maquiagem, olhei para o reflexo de minha filha que parecia entediada.

 

-- Não está gostando de ficar com a mamãe? - Minha filha soltou o ar pela boca e negou com a cabeça quase que de forma imperceptivel. 

 

 

-- Eu to entediada, e a tia Ana deve estar falando sozinha. Depois eu volto pra fazer a trança da Frozen, ta bom? - Rimos olhando para ela, eu acho que a entendo no final das contas, realmente era muito mais animado no camarim de Ana mesmo tendo somente ela lá dentro. Deixei que minha filha fosse e logo terminaram de me arrumar. 

 

-- Paola, cabei de ver Fran correndo. Essa menina non para de crescer hein? -- Erick disse entrando em meu camarim, com um brilho diferente nos olhos com aquele sorrisão que tanto amo e o sotaque fortíssimo e conservado.

 

-- Me parece que não, Jacquin, a pediatra me disse que ela vai crescer com velocidade até os 11 anos. Imagine o quanto ainda tem para crescer! - Falei sorrindo orgulhosa, o tempo tem passado muito rapido para nos, mas eu consigo aproveitá-lo da melhor maneira possivel ao lado da minha pequena. 

 

as meninas logo terminam seus trabalhos e eu fui ao camarim de Ana para ver minhas meninas. Ao chegar la, ela já estava com maquiagem e cabelos prontos, faltava apenas o vestido. A porta estava meio aberta e Francesca estava sentada quietinha no sofá de Ana, os olhos quase fechando enquanto ouvia minha namorada discursar. A voz de Ana acalma Francesca que apesar de não demonstrar estava nervosa e ansiosa na torcida pelo Hugo. Não me atrevi a entrar, queria que minha mulher se concentrasse e que minha filha descansasse, passei direto e fui para o estúdio, precisava passar pela ultima vez meus textos.  

 

[...] 

 

 

-- Shhhh, você não poe falar os segredos de trás da coxinha -- Falei rindo para Fogaça que a esta altura estava rindo também, Jacquin meio deslocado mais ao fundo, parecia um pouco pensativo, mas não me senti preocupada com isso. Ele deve estar apenas ansioso com a chegada de Ro, ela trata sua esposa como uma rainha, é lindo de se ver. Falando em esposa, procuro com os olhos minha namorada e tenho certeza de que meus olhos brilham quando no exato momento ela entra no estudio, segurando o vestido longo preto e transparente, tento não parecer uma idiota.... Tento.

 

-- Chegou, chegou chegando bagunçando a zorra toda! -- Solto uma risadinha e Jacquin de trás de mim solta um gritinho, o acompanho, Fogaça como sempre, ri. Ana com o tempo aprendeu a não ficar vermelha com toda essa situação e elogios, ja que eram feitos todos os dias, mas ainda assim estava sem graça. Completamente sem graça. 

 

-- Zuzu bem... Nada que eu não esteja acostumada, cês sabem, né? - Ela disse enquanto se preparava para por o microfone, mas pelo visto nao conseguiram, então ela veio andando em nossa direção. -- Eu quero saber como se prende microfone nesse vestido, eu tava aqui tentando dar um jeito nele, mas fico preocupada de estragar alguma coisa...

 

QUando ela vem se aproximando mais, Fogaça ampara para que ela passe sem se machucar ja que segurava a barra do vestido e eu não consigo evitar as palavras que saem da minha boca.

 

-- Ah lá... Papai, ma-ros-ca... Mamita! - Digo olhando uma, duas, três vezes de cima a baixo e de baixo a cima, ela realmente está espetacular com essa roupa. 

 

-- Tá elegante, hein? Hã?! - Fogaça diz admirando minha namorada e ela sorri, logo é a vez de Jacquin. 

 

-- Ta meio transparente, hein? - A camera corta a gravação, enquanto nosso amigo frances continua a implicar com o vestido de minha namorada e eu ainda sorrindo seguro seu braço para que ela pare de caminhar. 

 

-- Vem, eu te ajudo com isso. - Os meninos se afastaram, Fogaça chamou Jacquin para gravar algumas palavras. Pela respiração de Ana podia sentir sua tensão, deixei ela virada de costas para mim e subi as mãos para seus ombros iniciando uma massagem breve, pude sentir seus musculos relaxarem imediatamente. -- Calma, Aninha, já fizemos isso muitas vezes.

 

-- Sim, mas minha intuição sagitariana me diz que teremos surpresas... - Ela diz meio brincando, meio séria e me olha por sobre o ombro.. Dou uma risadinha. 

 

-- Não são os escorpianos os intuitivos? -- Ela murmura um "também " e sorri. Antes de colocar seu microfone, abraço seu corpo por tras e dou um beijinho em seu pescoço, sei que ela fechou os olhos. Buscou apoio em meu corpo e logo depois nos sorrimos.

 

-- Anda, coloque meu microfone. - Roubou-me um selinho e logo depois se desvencilhou de mim. Com cuidado coloquei seu microfone e logo depois virei seu corpo para mim, queria poder admirar os olhos jabuticaba de pertinho. Como eu amo esses olhos curiosos e alegres! 

 

-- Você é a mulher mais linda desse lugar. - Ela sorri, passa os braços pelo meu pescoço e nega brevemente.

 

-- Chef, você está enganada. A mulher mais linda daqui é a minha namorada. E eu estou louca para beijá-la - Disse a ultima frase com os lábios já quase colados aos meus, mas logo se afastou novamente -- Mas Carol nos mataria. 

 

Ana saiu e tudo o que pude fazer foi suspirar.  

 

[...] 

 

 

O programa já começou e nos estamos em uma salinha assistindo as partes que são passadas na TV, ainda somos filmados para o canal do Henrique.  Enquanto eu e Ana nos distraímos conversando, Jacquin colocou seu blazer sobre a TV impossibilitando nossa visão.

 

- Oh Fogaça, quem foi que fez isso? - Ele vira para nós e olha para a TV em seguida.

 

-- Ah... quem? - Ana repete sua pergunta de forma retorica, me olhando -- Só tem duas chances. 

 

-- Ai, que malcriado! - Jacquin as vezes parece uma criança e mesmo que isso me irrite muito, não consigo deixar de gostar de suas palhaçadas, apesar de que estou um pouco nervosa. Ana levantou e tirou o blazer de lá, antes que eu começasse a reclamar como uma rabugenta, como ela e os outros dizem.

 

-- Meu Deus do céu, fala sério... babá de chef! - Depois de algum tempo voltamos para o set, Ana em seu lugar e eu junto com os dois chef no meu. A essa altura francesca já acordou e está com Larissa ou Carol, com certeza. Mas de onde quer que esteja ela está assim como eu com os olhos fixos em cada movimento de Ana. Enquanto a apresentadora fala, todos nós ficamos em silêncio, observando e absorvendo todas as suas palavras. 

 

 

[...]

 

-- VOltamos  agora ao vivo dos estúdios da Band, vivendo agora um momento muito especial com a grande final do Masterchef 2018. Eu não sei como é que vocês dois está aguentando essa tensão! - Ana disse olhando em direção aos finalistas. Meus olhos já cheios de lagrimas de alegria, eu, Erick e Henrique já sabemos o resultado, óbvio, mas ainda assim isso não me impede de me emocionar.  Ana prosseguia com seu discurso, falando sobre Hugo. Quando eu o vi pela primeira vez, acreditei em seu potencial e mesmo com muitas falhas e tropeços, eu sabia que ele iria longe, independente de vencer ou não o programa, e olha onde ele está! Meu coração não poderia estar mais orgulhoso por ver que ele realmente se dedicou e estudou cada segundo de seu dia para progredir. É disso que as cozinhas precisam. 

 

Do outro lado, temos Maria Antonia que passou por cima do medo de suas falhas e se superou em cada prova, em cada erro. Suas referencias vindo sempre de dentro, como um bom cozinheiro deve ser mostrou que não desistiria fácil. Juntos fizeram essa final linda e memorável. 

 

 

-- Maria Antonia e Hugo emocionaram e conquistaram todo o Brasil, Todo... todo o... - Algo chamou a atenção de Ana Paula para atrás das coxias e Jacquin começou a mexer em seu ponto. Meus olhos atentos focaram de um para o outro freneticamente tentando entender o que estava acontecendo. -- O que é isso, Mimi? - Ana perguntou olhando para Mimi que entrava no set e ignorou completamente sua pergunta, entregando a caixa na mão de Jacquin que agora estava vermelho, sorridente e com os olhos marejados. O corpo de Ana enrijeceu e seus olhos se tornaram ainda mais atentos, eu nada preocupada, sorri. Estava apenas curiosa.

 

-- Calma, Ana! - Ele disse olhando para a minha namorada que levou a mão a boca do estômago em puro nervosismo?

 

-- O que que é isso? - Sua voz quase falha, continuo quieta olhando para eles. No estudio uma musica de suspense, e isso parece matar Ana aos poucos pois sua cara só piora.

 

-- Bom... Ah, tudo bem, gente.- Meu amigo frances diz com a caixa na mão, olhando para mim e Fogaça. --Tranquilo, é um presente, hein?! Eu não falei pra vocês, mas... É... O Masterchef é muito especial para mim, eu quis contar antes mas não contei... - Ana quase se revirava em seu lugar. Coitada da pequena ansiosa! -- Mas eu vou ser pai! 

 

Todos os estúdio começaram a gritar, a noticia levou um milésimo de segundo para chegar ao meu cérebro. Tempo o suficiente para ele colocar a caixinha de presente sobre o púlpito e meu me abraçar em seu corpo, quase o jogando no chão. 

 

- AI, CARALHO! - Grito em plenos pulmões enquanto todos aplaudem, nós três que estamos sobre o palco nos abraçamos e parabenizamos o futuro papai. Não poderia ser mais especial. Nós não poderiamos estar mais felizes com essa noticia. A noticia de que nossa família está aumentando é a coisa mais maravilhosa que eu poderia ouvir! Ana Paula ainda fica parada em seu lugar por alguns segundos enquanto eu, como um furacão nao enxergo nada na minha frente além de Rosangela. Como não tinha percebido isso antes?  Toco seu rosto com as duas mãos com delicadeza e logo depois abraço seu corpo com cuidado e muito amor. Seu abraço me aperta, partilhando sua felicidade conosco, que bênção! Logo, a outra tia babona vem em nossa direção e abraça a nova mamãe, com um sorriso iluminando seu rosto. Fico ainda parada por alguns segundos quando logo me lembro de voltar para o meu lugar ao lado do meu amigo E Ana para o dela, quando ouvimos a voz de Jacquin.

 

-- DOIS BEBÊ, São dois bebe, Ana! - Ele diz orgulhoso do feito e então presto mais atenção, ele disse dois?

 

-- O que? Dois? - Ele acena com a cabeça e eu sinto que meu corpo vai pender para trás com tantas surpresas para hoje. Nos abraçamos novamente, e Ana corre em nossa direção, nossa família se sufoca  em um grande abraço em comemoração. Acho que no calor do momento, apenas senti os braços de Ana envolvendo meu pescoço e eu acabei erguendo levemente seu corpo do chão enquanto seus olhos enchiam de lagrimas, assim como os meus. De repente, dado a sequencia de acontecimentos espontâneos, senti os lábios de Ana tocarem os meus em um beijo repleto de bons sentimentos e eu correspondi aquilo como se minha vida dependesse daquele gesto. Esquecemos de onde estamos, e quando ouvimos os aplausos e gritos se tornarem ainda mais intensos, ao inves de nos separar, eu aprofundei o beijo. Já estava feito, certo? Sem arrependimentos, sem recuas. 

 

 

[...]

 

 

O vencedor foi anunciado. Sim, vencedor. Hugo venceu essa temporada da competição por seu talento e toda a sua garra. Sei que a essa altura as redes sociais não devem parar de falar sobre essa noite. O vencedor, os gêmeos, o beijo... Mas nada disso me importa nenhum pouco agora que estamos em casa, eu e minhas pollitas. Enquanto entramos nós três, Fran em meu colo mexendo em meus cabelos, Ana trancando a porta.

 

-- Mamãe, aquele beijo foi de verdade? - Perguntou com a cabeça deitada em meu ombro. 

 

-- Qual seu palpite, meu girassol? - Pergunto olhando nos lindos olhos azuis da minha filha que sorri sapeca.

 

-- Eu acho que sim. Então agora todo mundo sabe que você e a tia Ana são namoradas e ela vai poder vir dormir mais aqui? - Pergunta esperançosa e olha para Ana.

 

-- E existe possibilidade de ser diferente? -- Pergunto piscando para a minha filha enquanto minha namorada se aproxima de nós duas. Nós sabemos que não há mais volta e nem queremos voltar. Ana me ajudou a elevar um nivel de felicidade em minha vida que não sei se seria capaz de alcança-lo nas condições anteriores. Ana me ensinou que existem pessoas  que vem e vão. 

E outras que vem.... E ficam. 


Notas Finais


Foi a final que a gente pediu sim. Vejo voces em No Tiene Nombre. Quem ainda não lê eu só lamento, estão perdendo uma fic do caralho de boa. Beijão.

Que a deusa Pana ilumine vocês pro demonio Farosella nunca puxar vossos pés. Como diria o menino Ney, é tois


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...