1. Spirit Fanfics >
  2. Badboy Arrogante- Imagine Jungkook. >
  3. Capítulo 01: Provocações.

História Badboy Arrogante- Imagine Jungkook. - Capítulo 1


Escrita por: Angel05

Capítulo 1 - Capítulo 01: Provocações.


Fanfic / Fanfiction Badboy Arrogante- Imagine Jungkook. - Capítulo 1 - Capítulo 01: Provocações.

O primeiro dia de aula, do semestre, sempre é o mais tentador para observar as pessoas. Muitos novatos correndo de um lado para o outro, muitas garotas vestindo suas roupas preferidas na intenção de impressionar quem está a sua volta. É um ciclo monstruoso todos os anos e acredito que em todas as universidades do mundo. Eu até gosto da faculdade em que frequento, tanto que estou aqui no segundo ano consecutivo de administração. Aturando novas pessoas, com personalidades completamente opostas da minha.

A frente da faculdade é o melhor lugar para se manter em silêncio e observar tudo com cautela. Ficar sentado no gramado observando os jovens verem a universidade pela primeira vez, com aquela paixão, é minha parte preferida. Pois, apesar de tudo, sabemos que estudar não é um mundo perfeito.

Uma mulher com enormes seios e cabelo ruivo abraça um garoto de xadrez, e solto uma risada quando ele começa a chorar no ombro da mãe. Que fofo, provavelmente ele saberá se virar muito bem sem ela.

Não consigo imaginar como seria se eu dependesse emocionalmente dos meus pais. Minha mãe sempre foi muito rígida, trabalhando duro enquanto cobrava grandes esforços meu para o futuro. Meu pai, por outro lado, não tinha muito tempo.

— E aí, cara. — Jimin se senta ao meu lado no banco de pedra, acendendo um cigarro. — Quais seriam seus planos para hoje?

Dou de ombros e procuro meu celular para conferir o horário.

— Não sei. Mas acabei de esquecer o celular no meu quarto. Me acompanha?

Enquanto fuma, Jimin me perturba até concordar em me acompanhar. Não é longe de onde estamos, mas acabo por preferir deixar o celular de lado pela quantidade de estudantes tumultuando nos corredores.

Quando chegamos ao corredor do meu dormitório, Jimin está falando sobre uma possível festa de boas-vindas. É sempre a mesma coisa, todo ano uma festa cheia de drogas e transas para satisfazer os sonhos alheios.

Nestes dois anos, tudo é igual para mim. O mesmo pequeno grupo de amigos, a mesma quantidade de sexo, as pouquíssimas festas, as mesmas coisas de sempre mas com pessoas novas.

Estou prestes a entrar no quarto quando Jimin segura meu ombro. Erguendo suas sobrancelhas loiras.

— Não seria melhor bater antes de entrar? — ele pergunta. Estou prestes a responder com grosseria quando ele me corta. — Estou sabendo que esse ano sua companheira de quarto é uma garota.

Eu solto uma risada forçada. Sim, era claro que as notícias correriam rápido sobre companheiros de dormitórios.

— O quarto é meu — respondo, com a mão na maçaneta. — E existe um banheiro para nos trocarmos.

E quando entro, me deparo com uma garota loira toda de rosa, no meio do quarto. Minha companheira de quarto, S\n, está de costas, mexendo em alguma coisa no seu guarda-roupa. Demoro um pouco para recuperar minha postura quando a desconhecida me encara.

— Estamos incomodando? — Jimin pergunta antes que eu possa pegar meu celular em silêncio.

S/n finalmente nos encara.

Mesmo sendo irritante para caramba em apenas dois dias, ela é bonita: lábios carnudos e cabelos compridos. É só o que consigo notar sem parecer interessado demais. Embora eu consiga perceber que ela usa um vestido branco florido.

— Você não — S\n responde. Sua voz é tão confiante que chega a ser irritante.

Olho para a morena, que abre um sorriso malicioso para minha direção, em provocação, e se senta na própria cama para amarrar seus coturnos.

Jimin entende a provocação e também abre um sorriso caloroso, passando sua mão pela cabeleira loira na intenção de jogar charme. Reviro meus olhos.

— Me chamo Jimin. É um prazer conhecer a companheira de quarto do meu amigo.

Não vejo motivo para ambos trocarem muitas palavras, principalmente com essa garota irritante. S\n olha para Jimin com um sorriso de canto.

— Podemos nos dar bem aqui — ele continua, como um galã. — É o espero.

Jimin é cheio de segundas intenções.

Seja quem for a amiga de S\n, parece assustada com alguns pôsteres que coloquei em minha parte do quarto. É calada, tímida, e parece ter medo de qualquer estudante. Ela tem sorte por eu preferir me manter calado esse ano, caso contrário, a expulsaria pelos olhares exagerados.

— Vieram nos observar? Ou melhor, nos convidar para as aulas? — S/n pergunta com desdém, se pondo de pé. Ela passa uma bolsa preta pelo ombro e caminha em direção à porta. — Eu aceito.

— Abaixe sua bola, garota — respondo a morena, e eu percebo que ela me encara profundamente. Seus olhos passam do piercing que tenho na sobrancelha e para meu braço descoberto. Então, percebo que faz a mesma coisa com Park.

O que foi? Está avaliando os dois garotos em sua frente? Sinto vontade de perguntar, mas tenho a sensação de que seu humor não está tão bom como aparentava ser nos últimos dias.

— Me chamo Lalisa — a garota loira diz sem graça, andando atrás da morena. Dou minhas costas. — Foi um prazer conhecer vocês.

Jimin solta uma risadinha forçadamente tímida antes da loira sair completamente do quarto.

Na manhã seguinte, estou perturbado e de mau-humor. Por isso, saio cedo de meu quarto e logo volto. Para começar o dia da pior forma possível, minha companheira de quarto não para de cantar horrorosamente mal no chuveiro. S\n não parece se importar se divide o quarto com um garoto que odeia barulho, ou pelo menos, deve fazer isso de propósito. Quando ela saí do banheiro, está enrolada em uma toalha molhada, e seus cabelos longos estão encharcados. Quando ela leva seu olhar para minha cama, quase solto uma risada pela sua reação cômica. Levo minhas mãos atrás da cabeça e encaro a criatura que faz questão de me incomodar toda hora possível.

— Você não deveria estar com seus amiguinhos nesse horário? — ela quase grita, me observando.

Abro um sorriso porque finalmente a deixei envergonhada, mas resolvo dar de ombros para sua pergunta.

— Você adora se fazer de surdo, não é? Sempre é assim! — a voz dela está mais suave agora, assim como a expressão. Meu sorriso se abre mais.

— Ou você que adora fazer perguntas desnecessárias — respondo finalmente, voltando a desviar o olhar para o teto. — O que mudaria?

Sinto seu olhar queimar em meu rosto por alguns segundos.

— Tudo bem — S\n diz, mordendo os lábios. — É o seguinte: o banheiro está encharcado e minha roupa provavelmente molharia se eu deixasse na tampa do vaso. Você pode sair do quarto?

Ergo minhas sobrancelhas.

Eu não vou sair do quarto depois que ela literalmente pareceu dar ordens.

— Problema seu!

É a única coisa que escuto antes da garota simplesmente derrubar a toalha no chão e ficar somente de lingerie em minha frente. Por um extinto bobo, levo minhas mãos aos olhos, completamente sem graça com a atitude inesperada da garota. Escuto uma risada divertida como resposta, e com isso tenho certeza que minha postura marrenta decaiu um pouco. Não me importava. O respeito é fundamental.

— Já terminou? — reviro os olhos embaixo das mãos. Ainda perdido pela visão de segundos atrás.

— Que tal você parar de agir como uma criança? Não me diga que você nunca viu uma garota semi-nua. Céus — a morena pausa, fechando o zíper de sua saia. — O que acha de uma manchete? Jeon Jungkook assume nunca ter visto uma garota nua antes?

Como é? Eu não pensei que uma garota tão direta pudesse ser tão espertinha. Ela está tentando me deixar sem graça como eu fiz com ela, mas a única coisa que estou sentindo é minha paciência ir pelo ralo.

Enquanto fico olhando para minha colega de quarto com ódio, ela carrega um sorrisinho maléfico em minha direção.

A porta se abre e a garota loira de antes entra, desta vez vestida com um suéter brega lilás.

Reviro os olhos de novo. Claro que S\n seria amiga de uma excluída. Provavelmente a garota entraria para a lista negra da escola junto. Não importa. O problema não é meu.

— Oh, vocês... — ele leva o olhar entre a blusa aberta da amiga e meu rosto, parecendo desesperada. Ergo minhas sobrancelhas em tédio. — Já estão em um nível de intimidade tão grande assim?

S\n olha para meu rosto e eu a encaro. Trocamos breves olhares.

— É, sim — ela responde. — Uma intimidade bem excitante.

É o que me basta para soltar um ruído em palavrão. Lalisa olha para mim, confusa e ofendida pelo palavrão baixo saído de minha boca.

— Nós dois não temos uma intimidade excitante! — exclamo, talvez meio exagerado demais. É o suficiente para S\n rir da minha cara. — Era só o que me faltava! Sair boatos que nós dois estamos juntos ou algo do tipo porque você tem uma imaginação fértil.

A garota parece ofendida.

— Ah, claro! Tinha esquecido o quanto você ficou surpreso quando eu tirei a toalha. Jeon Jungkook nunca viu uma mulher sem roupas de cima, Lisa — S\n para em minha frente e apoia as mãos na cintura na tentativa tola de me repreender. Então, ela se vira para a loira. — Não liga para a grosseria dele! Ele nunca fala nada e quando fala... Céus, é horrível.

Ela ainda está me provocando? Dou de ombros e encaro meus pôsteres.

— Vai acontecer uma festa hoje à noite, você deveria aparecer por lá, Jungkook — S\n diz. Ah sim, como se fôssemos melhores amigos para ela me convidar dessa forma. — Talvez pegar algumas garotas melhore seu humor.

Puxo meu piercing da sobrancelha para me distrair. Olho fixamente para minha frente.

— Talvez você devesse aparecer por lá também, me dar uma noite de sossego sem seus roncos — digo, sentindo o olhar das duas em mim. — Ah não! Você adora ficar na minha cola.

— Na verdade, eu tendo te tirar da minha cola — a chatinha resmunga. Eu mudo de posição e abro um sorriso para as duas; é tudo que posso fazer antes de soltar duras palavras.

— Sério? Então por que está me chamando para te acompanhar em uma festa? — digo. — Ah, esqueci! Porque você se apaixonou e tenta viver o clichê de durona.

— Pensando bem, você é bem idiota mesmo — a morena diz. Ouço seus resmungos antes dela andar até a porta. — Com inúmeros garotos pelo campus, eu vou olhar você? Tô fora.

(...)

— Vamos passar em uma festa antes de irmos buscar Min-Hoo — Jimin avisa enquanto dirige seu carro, me observando pelo canto do olho. — Soube que ela está bem movimentada.

— É claro. Universitários amam isso — eu respondo sem entusiasmo.

Jimin solta uma risada doce antes de virar o volante novamente.

— Vem cá, você não parece se dar bem com sua companheira de quarto, né? Ela é bem diferente de você.

Reviro com os com o assunto.

Como se já não bastasse ter que conviver com a garota, ainda precisava escutar de meu amigo sobre ela.

— Ela é irritante.

— Ela é gata — ele rebate. O encaro. — Se você não gosta dela, tudo bem! Mas vem cá, será que cê poderia me arranjar ela?

Quando penso que tudo pode melhorar, piora.

— Tendo tantas garotas no campus, você vai colocar os olhos justamente na S\n? — pergunto, realmente curioso. — Ela é um porre.

— Porre de verdade é você — Jimin diz com entusiasmo, estacionando o carro em frente à uma casa.

Olho para a cena, revirando meus olhos repetidas vezes.

Vários jovens entram e saem da casa movimentada. Luzes estão piscando a cada segundo, assim como a quantidade de pessoas bebendo no jardim do local. Jimin saí do carro antes de mim, abrindo um sorriso estranho no rosto antes de jogar seus braços pelos meus ombros. Sei que me trouxe aqui de propósito. Que mentiu sobre buscar sua irmã e querer minha companhia.

O garoto entra na casa com facilidade, mesmo com a quantidade de pessoas aglomeradas e se espremendo ali. Quando percebo, Jimin está distante o suficiente para o alcançar em segundos.

Ajeito minha jaqueta de couro antes de empurrar algumas pessoas que se colocam em minha frente de propósito. Por isso odiava badernas e festanças. A música parece extremamente alta e o cheiro de álcool está forte demais.

Uma garota de cabelos rosas me entrega um copo descartável vermelho de repente, se afastando em um rebolado atraente logo após. Passo minha língua pelo lábio antes de tomar meu primeiro gole, me enfiando em um canto qualquer do salão.

Quando olho para minha frente, vejo uma silhueta comum de costas. Os cabelos escuros batendo contra o vestido justo demais vermelho. Sei de quem se trata e meu estômago se embrulha quando vejo a pessoa agarrar um garoto aleatório pela nuca o beijar de forma ousada.

Viro o rosto imediatamente, evitando ver a cena desastrosa que era aquilo. Sinto um incômodo estranho na barriga.

— Você sabe que badboys não ficam escondidos em festas, não é?

Viro meu rosto na direção da voz que me disse aquilo, me surpreendo e me afogando por um momento. S\n está parada ao meu lado, com um copo de bebida nas mãos enquanto carrega um sorriso que eu já deveria ter me acostumado. Ela veste um vestido justo, mas nada comparado a cena que vi anteriormente. Levo meu olhar em direção à outra garota, só agora percebendo que a confundi.

— Não fica na minha cola, não é? — solto frustrado, soltando um risinho por cima do copo.

— Talvez.

Não sei se a vibe colabora com certas situações. Mas foi impossível não sorrir pela primeira vez para a morena em minha frente.


Notas Finais


Perdoem qualquer erro ortográfico.
Comentem suas opiniões se sentirem a vontade.

Não sei se ficou tão bom mas dei meu melhor :((

O que será que acontecerá nessa festa? Jeon incomodado com a possível S\n aos beijos?


Beijosss.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...