História Badlands - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Styles, One Direction
Personagens Harry Styles, Personagens Originais
Tags Badlanders, Eaters, Guerra, Harry Styles, Ravena Rowen
Visualizações 271
Palavras 3.162
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Científica, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


notas finais!!!!!!
Personagens;
✝ Blake Steven como Brice Steve;
✝ Nicola Peltz como Ava Holden;
✝ Zach Roerig como Chace Hunter;
✝ Gerard Butler como Noah Grey;
✝Taylor Schilling como Grace Patrick;
✝ Michael Malarkey como David Rowen;
✝ Boa leitura!

Capítulo 2 - 01; Monsters


Fanfic / Fanfiction Badlands - Capítulo 2 - 01; Monsters

"Em uma terra de deuses e monstros, eu era um anjo. Vivendo no jardim do mal, estragada, amedrontada" — Gods and Monsters, Lana Del Rey

Devemos pegá-los antes do nascer do sol, não podemos deixar esses filhos da mãe adentrarem a Reserva — dizia alto o comandante Grail, apertando os dedos nas mãos. — Eles serão servidos no nosso jantar! Não terão para onde correr quando chegarmos no Norte! 

O caminhão atravessava a divisa entre o sul e o norte. A garota de olhos vermelhos mantinha-se escondida entre os caixotes com armas e munição do outro lado do caminhão, apertava suas pernas com os braços e deixava a cabeça encostada sobre um dos caixotes. Sentia seu corpo mover-se para os lados com as rodas, passando por cima das grandes rochas e buracos do Sul. Escutava tudo o que era dito na parte de cima do transporte, enquanto permanência escondida de todos. Levava consigo uma mochila cheia de mantimentos que seu irmão exigia que carregasse, junto com a única coisa de valor que tinha, sua máscara para proteger seus dentes. 

Lembrava-se das palavras do seu pai na manhã daquele dia, não irá jamais sair daqui para ir ao norte. Ela sabia que seu pai iria odiar a ideia de fugir, porém não aguentava mais a triste monotonia de passar seus dias dentro de seu quarto, sem poder ao mínimo sair de casa para ver as Terras Vermelhas de uma maneira diferente. Por mais que seu medo falasse mais alto, negava para si mesma que aquela rotina a deixava nervosa, mas após terminar o último livro que encontrara em sua casa, disse a si mesma que já era a hora de mudar. Desde pequena, fora influenciada a acreditar que nesse mundo existia criaturas de sua espécie e humanos prontos para serem servidos em seu jantar. Havia mais coisas no mundo do que só selvagens que se alimentavam de carne humana e ela queria conhecer essas coisas. 

Não sentia medo algum de ser pega ali, somente de voltar para as Terras Vermelhas e ouvir reclamações de seu pai sobre a fuga. Os pequenos dedos finos tremiam junto ao nervosismo que percorria suas veias, o vento gélido que surgia da pequena brecha da porta do caminhão lhe causava arrepios, ela queria sair dali o mais rápido possível. 

Sentiu os movimentos do caminhão irem parando aos poucos. Manteve seus olhos abertos à espera de alguma voz soar explicando o que estava acontecendo. Seu corpo gelou ao notar a claridade tomar conta das paredes internas do caminhão. Encolheu seu corpo entre os caixotes, viu a forma quadriculada marrom ser puxada para frente, deixando seu corpo ser visto pela pessoa que realizava aquela ação. 

— Ravena — era Grail. Era notável as marcas da idade no Eater, quanto mais os anos passavam, mais sua pele juntava-se ao crânio. — Não deveria estar aqui — dizia o Eater, colocando o caixote para o lado. — O que faz aqui?

Ela levantou do chão frio e sujo, encarando os olhos vermelhos do comandante. 

— Eu vim para ajudá-los — a mentira soou em alto bom som.

— Rave — David disse alto do lado de fora do caminhão ao ver sua irmã. — Conseguiu — o sorriso era enorme nos lábios do Eater. Seu corpo relaxou quando viu David. Sentiu-se segura pela primeira vez próxima a Grail. 

— Papai não me viu — David sorriu como resposta para a irmã. Sentia-se livre finalmente por ser saído das Terras Vermelhas. 

— Ela veio comigo, comandante — David subiu no caminhão, recebendo o olhar calmo de Grail próximo a ele. — Papai já está sabendo do que deve saber, não se preocupe com Raven. 

Fez um leve movimento com a cabeça para que ela o seguisse até o lado de fora do caminhão. Pôs os pés cobertos por suas botas pretas sobre a terra seca e vermelha, olhou ao redor do lugar vendo o vazio entre as grandes montanhas do Norte. Era fim da tarde e o frio começava a se aproximar da região. Raven imaginou a reação de seu pai ao ver que ela não estaria em sua cama naquela noite, porém ignorou seus pensamentos quando ouviu a ordem de Grail para colocar sua máscara. 

O Norte era formado por uma pequena área ao lado das Terras Vermelhas. Com árvores secas e grandes montanhas, a cede dos Badlanders era escondida por debaixo de uma imensa montanha de terra no centro do lugar. O chão era vermelho, mas com uma pequena área ainda marrom. 

— Vamos pegar esses Badlanders e voltarmos para casa — Grail disse por último, antes de dar as costas para o caminhão. Estava se excitando com a ideia de pegá-los logo e iria fazer de tudo para matar todos que encontrasse.

.:. 

O rapaz sentia os fios de cabelo batendo contra seus pés, mantendo os olhos fechados esperando o grande momento se concretizar. Na manhã daquele mesmo dia, recebera a incrível notícia que finalmente sairia do centro de treinamento para uma missão, porém, para ele, não era somente uma missão. Ele imaginava mais coisas, imaginava-se matando um daqueles bichos como fora instruindo a fazer, acabar com as criaturas que causavam a destruição em seu pequeno mundo. Em seus glóbulos vermelhos de sangue que passavam por todas as suas veias traziam a grande excitação que ele possuía dentro de si. 

Ouviu as vozes de seus amigos atrás dele, comentando sobre como estava seu novo corte de cabelo. A máquina parou de soar o pequeno zumbido em seus ouvidos, o tecido fino sobre seus ombros fora retirado rapidamente e seu corpo empurrado para longe da cadeira onde estava. Encarou o reflexo de seu corpo pelo grande espelho preso a parede, seus dedos tocaram os fios curtos em sua cabeça e ele sorriu ao ver sua nova imagem. Era um soldado, como sempre sonhou. Não havia um jovem que não estivesse feliz dentro daquela sala. 

— 01, 02 e 03 — a comandante adentrou a sala com uma prancheta de vidro em suas mãos, viu os cabelos dos garotos todos reunidos no centro da sala e sorriu ao vê-los alegres. — Sigam para a sala de reuniões, agora! — A voz autoritária da loira retirou a atenção dos três jovens que possuíam os números que ela citou. 

Acompanhada pelos três garotos, Grace dirigiu-se para a sala na frente da qual eles estavam. Adentrou-a, encontrando cinco homens e duas mulheres sentados sobre as cadeiras ao redor da grande mesa de vidro atrás do telão. Os olhares dos jovens eram surpresos, jamais imaginaram que seria daquele jeito. Sentaram-se nas primeiras cadeiras vazias da mesa, sentiram o forte olhar dos soldados cheios de cicatrizes e tatuagens ao redor deles. 

— Não se preocupem, eles não mordem — disse a comandante Grace, sorrindo para os garotos. — Como podem ver, esses são os novatos — sua mão foi direcionada aos três garotos. — O primeiro é Chace Hunter, o segundo Brice Steve e por último, Harry Styles.

O primeiro a rir após o ouvir os nomes fora Noah, um dos soldados que lutou durante a última guerra dos Badlanders contra os Eaters anos atrás. Não estava animado com a ideia de ter novos soldados em seu grupo, porém, a morte dos últimos três depois da missão, foi obrigado a aceitar aquela ideia. Ele via aqueles garotos treinando, esforçando-se para chegar onde estavam agora e tomando o lugar daqueles que já se foram. 

Analisou a feição do rosto de Harry. Era um garoto com a juventude a flor da pele, com os fiapos do cabelo ainda caídos por sua camisa branca. Fortes braços sem nenhum tipo de machucado, olhos verdes que chamavam a atenção de qualquer um, principalmente das mulheres que estavam naquela sala. Via a calmaria nos olhos dele, era o mais calmo entre os três, sem nenhuma expressão em seu rosto, somente os olhos vidrados na imagem que acabara de surgir no grande telão na frente da mesa. A qual, mostrava o mapa do país, sete pequenos pontos vermelhos estavam localizados no centro do mapa, logo depois das terras vermelhas. Eles se moviam rapidamente, se aproximando cada vez mais da pequena cede dos Badlands. 

— O que significa os pontos? — Hunter questionou curioso. 

— Eaters — disse Grace, apontando para os pequenos pontos que se moviam. Antigamente, muitos Badlanders sentiam medo em pronunciar aquela palavra, no entanto, Grace fora uma das únicas a já se acostumar com a ideia de que teria que se acostumar com ela. — Eles estão tentando chegar aqui antes do amanhecer, vocês deverão ir pegar somente um deles — ela só queria a morte daquelas criaturas que mataram seus amigos dias atrás. 
— Pegar somente um deles? — Ava, a loira no fim da sala, questionou com o corpo quase caindo da cadeira. — São os mesmos que vieram da última vez? — Não se sentia confortável em saber que deveria pegar um Eater e trazê-lo para a cede. 

— Não sei responder, porém o laboratório pediu um para um experimento. 

— Que tipo de experimento? — A loira voltou a questionar com a voz firme, escondendo quão incrédula estava com a ideia. 

— Transformá-lo em humano novamente — Grace disse por último, antes do silêncio tomar conta da sala. — Atualmente, nossos experimentos vêm avançando de certa maneira — lembrou-se da última tentativa frustrada com um Eater e ele acabou mantando seu parceiro de laboratório. — Acredito que podemos fazer isso agora, tenho permissão do Coronel para isso.

Todos ali sabiam que não havia como transformar um Eater em humano novamente. Desde que essas criaturas surgiram, o homem tentou refazer o seu grande erro ao criá-los, porém, foi em vão todas as tentativas. 

— E se não conseguir? — Noah olhou para Grace ao quebrar o silêncio da sala. — Podemos morrer quando chegarmos lá fora, não sabemos o que pode acontecer conosco — o tom de voz do homem era tenso, as palmas das suas mãos suavam como nunca.

Noah era um dos soldados mais corajosos de todo o seu grupo, temia somente uma coisa, a morte. Não queria morrer, em seus trinta anos de idade, ele jamais vira as Terras Vermelhas tão perto como foi na última guerra que ele esteve. Os Eaters se aproximavam dele e ele apenas atirava as balas de lítio que os matava em somente um acerto, não imaginava ser morto em combate e não iria deixar-se ser morto por uma daquelas criaturas que ele tanto abominava. 

— Vocês não irão morrer, soldado — afirmou a comandante, analisando o olhar baixo dos soldados naquela sala. — Vocês irão até lá e farão o que deve ser feito, matem todos aqueles Eaters e tragam somente um para nós — ela disse alto e claro, desligando o telão atrás dela. 

— Por que há Eaters uma hora dessa da noite em nossa região? — pronunciou-se Hunter, curioso.

— Até onde sabemos, Daniel Rowen criou uma nova regra — Grace levou sua atenção até o rapaz. — Os Eaters só podem retirar humanos da Reserva com suas ordens, eles estão vindo caçar para levar às Terras Vermelhas para o café da manhã — ela tentava transparecer que não estava assustada com a situação, porém suas tentativas davam sempre malsucedidas.

Ava bufou baixo, desgostosa ao colocar seus pés sobre o chão. Levantou da cadeira seguindo para o lado de fora da sala. Viu o arsenal de armas carregadas pelas balas de lítio dentro de um carrinho de metal ser levado por um dos homens dos soldados para o centro de treinamento. O corpo de Noah passou pela porta, encontrando a loira analisando a cena das armas sendo levadas. 

— Precisamos daquilo — ela disse calmamente, sem olhar para ele. 

— Já temos as nossas — Noah respondeu, colocando a mão dentro do bolso da calça preta, sentindo a sua pequena pistola ali. — Vamos matar o máximo que conseguirmos, depois pegar o mais fraco e trazer o mais rápido possível — ela fez um breve movimento afirmativo com a cabeça. 

A informação nova sobre a captura de um Eater conturbava a mente dos três novos soldados. Hunter era o que mais questionava as coisas que via, os outros dois preferiam ficar calados, somente ouvir as respostas dos soldados experientes.

Quando os grandes portões de lítio se abriram, dando a visão das grandes montanhas do Norte com o sol escondendo-se aos poucos entre elas para dar início à noite, os soldados com grandes armas em suas costas, protegidos com uma roupa preta de metal e, principalmente os braços e o pescoço com uma grande barra de metal presa naquelas regiões. 

O lítio era a única coisa que conseguia acabar definitivamente um Eater. Nos últimos anos, a produção de balas estava diminuindo pela falta do elemento natural que os Eaters tanto temiam, e sempre quando encontravam armazenavam nas Terras Vermelhas para que os Badlands não encontrassem. 

Os passos de Harry eram lentos e silenciosos. Sentia um grande incomodo em seu pescoço com aquele negócio cobrindo sua pele ao redor, queria retirar, porém sabia que seria repreendido igual a Hunter quando retirou a proteção. O único que não usara proteção era Noah, o homem caminhava calmamente levando uma arma atrás das costas somente com a calça preta e a camisa com o símbolo da asa dos Badlands cravado no peito.

Se ele queria permanecer sendo um verdadeiro soldado, teria que sobreviver ao mínimo a sua primeira missão.

O ar úmido e frio percorreu suas mãos vazias. Não estava com medo de lutar contra as criaturas que ele via desde pequeno, só queria acabar com elas e ter o mundo como falavam que era antes. Calmo, sem guerras, somente a paz entre os humanos. Seu sonho era ver aquilo antes de morrer. 

O frio não os atrasava, igualmente a falta de luz que tomava conta do lugar. Caminhavam entre as árvores e os arbustos que escondiam os animais que viviam na região. A iluminação da lua chegava aos poucos próximo a eles, os sons dos pequenos besouros causavam medo em Brice, qualquer movimento que causasse algum tipo de som assustava o garoto. Os dois soldados atrás de todos riam da reação do rapaz assustado quando virava a cabeça para os lados com os barulhos, imaginavam que ele provavelmente sairia correndo ao ver um verdadeiro Eater. 

— Parem! — Noah exclamou baixo. Levou seu corpo para o chão por debaixo dos arbustos grandes, retirou a arma das suas costas e todos fizeram o mesmo. — Ava e Brice, vão para a direta. Georgia, Forest, Allen e Casey para a esquerda, Harry e Hunter fiquem comigo. Todos cumpriram as ordens do soldado e foram para seus postos. 

Entre as folhas, Harry viu os corpos caminhando pela pequena floresta. Era um grupo de dez Eaters, todos com as máscaras que ele sempre vira em imagens, escondendo sua boca. Estavam totalmente desatentos, rindo de uma piada que o Eater da frente havia contado segundos atrás. Uma corrente elétrica percorreu seu corpo, o coração batia fortemente dentro de seu peito e os olhos mostravam a determinação que o rapaz sentira.

Jamais tinha visto um tão próximo assim, antes do ocorrido anos atrás antes dele chegar aos Badlanders. Noah posicionou a arma em suas costas em suas mãos, Harry e Hunter seguiram o homem, ficando na mira dos primeiros bichos. 

— Ao meu comando — Noah sussurrou o mais baixo possível no microfone de seu relógio que levava a mensagem até os outros soldados. O sangue percorria todo seu corpo, enquanto ele sentia a pulsação forte dentro de si. Naquele momento, o peso da liderança pesou nos pensamentos de Noah, antes dele dizer a palavra que acabaria com tudo. — Atacar! — A voz do Badlander soou firmemente antes de atirar a primeira bala contra a Eater mais próxima a ele. 

Harry sentiu o forte impacto do seu corpo cair no chão quando atirou pela primeira vez. Estava tonto após o impacto da cabeça contra o chão e seu estômago logo revirou ao ver o sangue escorrer ao seu lado. Ouviu os gritos dos soldados entre os disparos altos, ergueu seu corpo no chão levando a arma em suas mãos. O primeiro corpo que vira morto caído no chão era o de Hunter, uma bala havia passado direto pelo cérebro do garoto levando a morte instantânea. 

Brice estava longe do campo de visão de Harry. O jovem mantinha-se atencioso a cada coisa que acontecia ao redor, mas não conseguia encontrar seu amigo de maneira alguma. Por um momento, lembrou quando tinha visto Hunter pela primeira vez, havia chegado com ele à base, porém era um dos que mais queria saber do que ocorria, o que causava raiva aos comandantes que os levavam para conhecer o que era o Badlands. Mesmo com o jeito irritante do garoto, Harry fora um dos únicos amigos que ele conseguiu naquele lugar. 

O som do grunhido tomou conta de sua audição, ele virou para trás vendo o Eater já sem máscara o encarando com os olhos vermelhas e os riscos das cicatrizes ao redor de seu corpo. Era David, atrás de seu corpo estava Rave sozinha atirando contra os corpos dos Badlands que tentavam se aproximar dele. Ava estava longe deles, atirando o máximo que conseguia, na esperança de somente deixar um vivo. 

As mãos do garoto tremiam. Ele apontava a arma em direção a cabeça do Eater na sua frente, enquanto as mãos suavam junto com seu nervosismo. Nenhum dos dois reagia a nada, somente se encaravam enquanto tudo ocorria ao seu redor. Antes que Noah gritasse mandando ele atirar, o dedo indicador de Harry pressionou o gatilho da arma, atirando diretamente na cabeça do Eater. Os olhos do soldado estavam arregalados, assustado pelo que acabara de fazer. Seus dedos não tremiam mais, mas seu coração ainda movimentava aceleradamente dentro de sua caixa torácica. 

Um grito foi soado alto atrás deles. Ele sentiu a tristeza na melodia do forte grito, surpreso e assustado, que ouvira. Rave se aproximou do corpo do irmão caído sobre o chão com a máscara já caída em seu pescoço. 

— David... — ela disse baixo próximo ao rosto do irmão. A dor que ela sentia naquele momento era inexplicável, ver o irmão morrer na sua frente e ela não pôde fazer nada. 

Os soldados vivos viram os corpos dos companheiros e dos Eaters mortos caídos no chão. Hunter e Casey foram os únicos a partir, o único Eater vivo era Rave sentada ao lado do irmão morto no chão. Com todas as armas apontadas para ela, voltou a pôr sua máscara e levantou-se do chão, cabisbaixa. 

— Bom trabalho — Harry sorriu amarelo ao ouvir as palavras de Noah. — Peguem-na e prendam, vamos voltar para a cede. 

Ava foi a primeira a baixar sua arma e aproximar-se de Rave. Sem realizar nenhuma ação, Rave fora presa minutos depois da Badlander ameaçá-la se fizesse qualquer coisa. Seus braços foram presos a uma corrente feita de lítio e sua cabeça coberta por um saco com tecido preto, impedindo que ela visse qualquer coisa que acontecesse. 

— Sabe que eles virão atrás de nós se descobrirem tudo isso — Forest disse para Noah, enquanto os soldados levavam o corpo da Eater preso de volta para a cede. 

— Vamos matar qualquer um que tentar fazer algo conosco, igual a esses — apontou para os Eaters caídos no chão. — Agora pegue os corpos dos seus companheiros e vamos voltar para casa.


Notas Finais


Antes de qualquer questionamento sobre o primeiro capítulo ter sido resposta, uma pequena explicação: Eu sei a demora para atualizar Badlands, porém eu estava muito ocupada com a escola!!! e tudo estava corrido tipo opa tudo bom contigo tá vivendo amiga? não, eu não tava vivendo, estava sem tempo para escrever e fazer qualquer tipo de coisa. Entrei de férias há um tempinho e vim tentando resolver o meu maior problema com a fanfic, que era o personagem principal. Resolvi excluir os outros capítulos e arrumar algumas coisinhas, mas são bem pequenas, porque é melhor do que excluir do que a fanfic inteira. Peço perdão por tudo isso!
Tive ideias, milhares de ideias para meu bebê terras malditas e irei continuar ela sim!! Em relação a atualização não sei se continuarão tão constantes como eram antes da pausa, mas irei continuar <3
Espero que tenha gostado da fanfic, até o próximo capítulo! Ah, muito obrigada por todos os favoritos em todos esses meses, também agradeço pacas as incríveis pessoinhas que sempre comentam!
ASK; http://ask.fm/Havins_
TEASER BY TELLER; https://youtu.be/wb3tRViBc0g
TUMBLR DE HISTÓRIAS (em breve será estreado somente com coisas de Badlands); http://herquinn.tumblr.com/
all the love
xx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...