História Badlands - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Styles, One Direction
Personagens Harry Styles, Personagens Originais
Tags Badlanders, Eaters, Guerra, Harry Styles, Ravena Rowen
Visualizações 135
Palavras 2.803
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Científica, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


olá, jovens, voltei finalmente!!!!
✝ gostaria de agradecer a todos que continuam acompanhando a história, muito obrigada por cada comentário e favorito sz
✝ peço desculpas desde já pela falta de atualizações, estou ocupada com a escola e não tenho muito tempo para estudar, espero que entendam!
✝ também peço desculpas aos erros no decorrer do capítulo;
✝ eu tenho muitos planos para a história, quero tanto realizar cada um deles, porém falta-me tempo para isso :/ um deles é voltar as atualizações constantes, espero que eu consiga;
✝ uma boa leitura!

Capítulo 4 - 03; Human


Fanfic / Fanfiction Badlands - Capítulo 4 - 03; Human

“Você não pode acordar, isso não é um sonho. Você é parte de uma máquina, você não é um ser humano” — Gasoline, Hasey

O garoto quase dera um pulo quando a Eater virou a cabeça em sua direção. Assustado, o corpo de Harry bateu contra uma das mesas atrás de seu corpo. Ela parou de bater e deixou o braço fraco cair sobre sua coxa. Os olhos vermelhos de Rave mantinham-se fixados na imagem do garoto que matara seu irmão, a dor era a acompanhante de seus músculos e o gosto amargo de sangue predominava sua boca e a tristeza permanecia em seu rosto.

— Me tira daqui — a voz de Rave soou baixa dentro da cela, as pálpebras pesavam e dores tomavam conta suas juntas por todo o corpo. — Me tira daqui! — seu tom de voz aumentou, misturando-se com a raiva que ela sentia do Badlander.

A máscara cobria metade de seu rosto. Ravena se lamentava mentalmente por ter saído do seu quarto escondida, por ter enfrentado todo o caminho pelas Terras Vermelhas até chegar na base dos soldados. Imaginava a raiva que seu pai sentira ao descobrir tudo o que havia ocorrido, agora, seu irmão estava morto e ela presa na central dos Badlands, acorrentada, com um dos humanos que ela queria a carne a encarando.

Os olhos curiosos de Harry analisaram a imagem da Eater caída no chão. Ravena apoiou as palmas das mãos sobre o chão e levantou vagarosamente, juntando o pouco de forças que possuía em seus músculos.

— Assassino — Rave aproximou rapidamente do vidro, batendo seu corpo contra o mesmo com força. Os olhos queimaram de raiva ali mesmo, queria gritar, cair em suas próprias lágrimas pela amargura que corria em suas veias.

Não quebrava de jeito algum e Harry sabia bem disso.

Continuou a encará-la não muito próximo, poucos passos de diferença do Eater. A sensação ruim voltou a tomar conta de seus sentimentos, por lembrar-se do que tinha feito para ela.

Foi o certo, Harry, foi o certo. A culpa voltava a dominá-lo.

Não parava de repetir as palavras sua mente, observando a raiva corrompendo ela por dentro. Os sentidos de Harry estavam fragilizados após todo o ocorrido mais cedo, estava confuso novamente, seu estômago revirava em sua barriga, causando-lhe o forte incomodo de náuseas pelo nervosismo que lhe acompanhava.

— O que faz aqui? — questionou Ravena, posicionando as palmas pequena das mãos sobre o vidro.

Simplesmente não sabia o que responder naquele momento.

As pontas de seus dedos gelavam em decorrer aos segundos que se passavam, os lábios ressecados receberam a presença da língua, enquanto os globos oculares cogitavam em permanecer estáveis em Ravena. Buscou ar em seus pulmões antes de dar pequenos poucos e passos para frente, o estalo dos pés ativou a audição dela, fazendo-a logo ignorar sua presença próxima ao vidro.

Nunca ficou tão próxima de um humano que não tentasse capturá-la ou matar ela assim que a visse.

A curiosidade era um dos principais defeitos de Ravena, sempre queria saber mais e mais, quase sempre acabava se perdendo por conta disso. A raiva fora passando aos poucos dentro dela, seus olhos vermelhos e estreitos baixaram até seus pés sobre o chão de cor cinza, encarando a corrente da mesma cor que o chão em seu pé esquerdo acima da bota escura.

— Ouvi somente as batidas na parede — Harry enfim respondeu, com o corpo parando na frente do vidro. — Deveria estar dentro de uma cela de verdade — olhou ao redor do corpo de Ravena, vendo somente o vazio por trás da sombra.

— Já mandei me soltar — ela falava com a autoridade que não tinha em sua voz. — Eu vou matar todos vocês assim que encontrar meu pai.

— E quem é seu pai? — as sobrancelhas de Harry franziram-se.

— O Coronel Daniel — ele cruzou os braços, mostrando a falta de interesse para esconder seu desconhecimento. Ela era a filha do coronel dos Eaters, porém Harry ainda não sabia. — Ele vai matar cada um de vocês — disse firme as últimas palavras e deu mais um tapa contra o vidro. — Principalmente você — seu dedo indicador foram em direção ao rapaz parado centímetros longe dela.

O medo fora o que passou longe de Harry com as últimas palavras captadas por seus tímpanos. Não havia como ela sair dali, mesmo que saísse, a cada esquina da Central havia um guarda armado, pronto para matar qualquer um Eater que invadisse o local. Estava totalmente segura e tinha certeza daquilo.

— Nenhum Eater passa daquele portão, o lítio afasta vocês.

— Ele afeta nossa mente, é outra coisa — o tom rude na voz de Ravena era evidente nas poucas palavras que soava com sua voz fraca. — O lítio é somente uma droga que afeta nossa cabeça e nós prejudica a pensar e locomover — levou os dedos em direção a sua cabeça, sabia bem a sensação de tortura daquele elemento químico tão aterrorizante para ela.

— Ele mata vocês — disse o jovem moreno, firmemente. Ravena apenas estreitou seus olhos vermelhos, expressando sua raiva.

O lítio era uma substância utilizada em remédios no tratamento de indivíduos com transtorno bipolar, ele era o responsável por diminuir os transtornos e controlava a mente das pessoas que possuíam qualquer coisa relacionada a mente. Os Eaters eram criaturas descontroladas em relação a matar e comer, não tinha controle de si mesmos próximos a carne humana e a vontade de matar um animal ou até o mais próximo deles.

Seu olhar por toda sala, encontrando os resultados de pesquisas com assinatura de Grace com os dados de Ravena. Viu o nome da Eater e logo cruzou seus olhos em direção a ela, não sabia que criaturas como ela tinham família. Não havia muita coisa sobre o Eater, somente o nome, do seu irmão e sua idade.

Harry deu as costas para ela antes que ouvisse mais alguma palavra sair da boca do Eater, com sua face pálida exibindo a expressão séria e inocente de sempre.

— Assassino! — Ravena voltou a gritar. — Você matou meu irmão!

Saiu do laboratório, batendo os pés com força contra o chão.

.:.

Skye possuía uma certa força que chegava a assustar os outros soldados, principalmente os homens. Sua força explicava bastante coisa sobre o destaque dela em tudo que fazia.

Todos os grupos de soldados estavam divididos na área de treinamento. Era um campo aberto, com a grama fresca e verde, iluminado pelo céu com cor laranja. Nenhum humano conseguiu entender como a coloração do céu havia mudado, os soldados sempre ouviam histórias de como ele era azul antes da dominação dos Eaters, o sonho da maioria era ver aquela cor novamente no céu.

— Uau — disse Ava, surpreendida com o que acabara de ver.

O corpo magro de Skye retirara o corpo de Noah da grama com suas pequenas mãos brancas, jogou o mesmo para cima dela e devolveu para o chão com força, fazendo ele gemer alto com a dor que sentiu em suas costas. Harry foi o primeiro a rir de Noah, pela primeira vez ele achou algo engraçado em seu grupo.

Noah olhou para o soldado mais afastado com uma cara nada agradável. Odiava que as pessoas rissem dele, ainda mais os novatos.

— Venha cá, homem, lute comigo! — o homem caído no chão recompôs seu corpo, ficando de é novamente. Os braços fortes e cheios de tatuagens mostravam a força do soldado e a aparência séria e raivosa a sua personalidade forte.

— Não vou lutar com você — Harry respondeu, chamando a atenção de todos com a resposta.

Ele não queria lutar. Não se sentia bem desde que saiu do laboratório com o Eater.

— Por quê? — Noah achava que ele não sentia-se capaz para lutar contra ele.

— Porque ele vai lutar comigo — Skye colocou as mãos sobre a cintura e sorriu para todos. Queria tanto fazer aquilo.

— Não vou lutar com nenhum de vocês — deu as costas para os soldados. Brice estranhou a atitude de Harry. Sempre quando havia lutas ele era o primeiro a pedir para lutar.

Seus passos eram lentos sobre a grama fresca do lugar. Ele observava os outros soldados lutando contra os membros de seus grupos, em busca de derrubar o maior deles, somente para mostrar quem era o melhor entre eles.

— O que está incomodando o favorito do comandante Jared? — questionou Brice, aproximando-se de Harry. Trazia nos lábios um sorriso minimamente aberto e o tom de voz que deixava qualquer confortável com sua curiosidade para o momento.

— Não estou me sentindo bem— Harry respondeu baixo, guardando as mãos dentro dos bolsos da calça preta. Passou a língua pelos lábios, lembrando-se do homem que Brice citou minutos atrás. — Favorito do Jared? — ele sorriu com suas palavras.

— Sim — fez um acesso com a cabeça rapidamente. — Você era o único que o agradou naquela turma.

Nos primeiros dias na Central, os recrutas foram colocados dentro de uma sala vazia com as paredes de aço que refletiam seus corpos ofuscados. O comandante Jared era um dos homens que sobrou do caos contra os Eaters, a experiência dele era notada a partir das várias cicatrizes que ele levava em seu rosto e nos braços. Foi o primeiro instrutor dos dois e o único que morreu antes de vê-los na primeira missão. Um homem admirado por todos os Badlanders, era o instrutor favorito de Harry, ele quem o ensinou a ficar de pé em todas as lutas e a atirar uma faca diretamente na cabeça de um Eater.

— E por quais motivos não quer lutar, Styles? — a voz baixa de Noah tomou conta da audição de Harry. Olhou para o soldado atrás dele, com uma expressão séria em seu rosto e o estilo de cabelo militar que ele insistia em manter diferente de todos com mais cabelos para os lados.

— Porque eu não quero derrubar você — deu os ombros.

A resposta dele causou raiva de Noah.

Skye riu alto com as palavras de Harry, ela estava louca para ver Noah com raiva novamente.

 — Vocês deveriam parar de bobagem e ver quem acabou de chegar — disse Grace ao chegar nos soldados, acompanhada por uma garota ao seu lado.

Ela era baixa, com os cabelos escuros igualmente aos olhos. Usava as roupas pretas dos soldados Badlanders, com um colar levando um pingente com o símbolo dos Badlands em seu pescoço.

— Aris — Skye fora a primeira a se pronunciar, estava feliz em ver a companheira de batalha novamente. — Vejo que voltou bem das Terras Vermelhas — Aris concordou com a cabeça antes de sorrir para sua amiga.

Aris aproximou-se do corpo de Skye, envolvendo os braços ao redor de seu corpo magro. As duas estavam juntas desde que haviam chegado na cede dos Badlands, Aris veio da Reserva acompanhada com seu irmão que morreu dias depois de um ataque dos Eater próximo a montanha. Conheceu Skye quando foi colocada no grupo feminino de Grace em seus primeiros dias como Comandante.

Grace olhou para Harry e Brice mais afastados de todos. Seus olhos azuis analisaram a imagem de Harry cabisbaixo, com um leve sorriso no rosto após ouvir Brice falar sobre o garoto que acabara de cair do grupo ao lado deles. Ela deu poucos passos em direção aos dois rapazes, recebendo olhares instantâneos deles.

— Eu preciso de um de vocês — disse baixo o bastante para nenhum outro soldado ouvir. — Vão ao laboratório após o jantar — seu tom era sério e apreensivo.

Harry estranhou o olhar preocupado de Grace.

— Para quê? — os olhos de Brice expressavam a curiosidade que corria nas veias do jovem soldado.

— Quero que um de vocês vá para as Terras Vermelhas ainda essa noite — Harry surpreendeu-se com o que ela dissera.

As Terras Vermelhas era um lugar aterrorizante para os Badlanders. Todos tinham um certo medo de chegar próxima a cidade ao lado da Reserva, por conta da grande quantidade de Eaters que havia no Sul. O Norte sempre foi o melhor lugar para os Badlanders, uma área vazia e com pouca coisa que restara do antigo mundo antes da guerra. Poucos animais e plantações, diferente da Reserva de humanos do Eaters, onde eles tinham uma vida de verdade.

O máximo que eles sabiam da Reserva era que eles escondiam os humanos lá e fingiam que não havia nada do que acontecia no mundo atualmente, era um verdadeiro circo aquilo. Os Badlanders conseguiram tirar alguns humanos de lá anos atrás e não sabiam como estava o andamento de lá nos últimos dias.

O pedido de Grace ligeiramente afetou a mente de Brice, fazendo-o ser controlado pelas lembranças de seu passado antes de chegar ali. Um jovem garoto, possuía apenas cinco anos e corria entre as terras do vermelho deserto, com os joelhos cheios de marcas vermelhas e os músculos do corpo latejavam, andava a horas e não sabia onde e quando iria para com aquilo. Horas antes, via a imagem dos olhos vermelhos entre a escuridão da noite entre a pouca vegetação existente naquela região, recebeu o recado para correr e até aquele momento prosseguia as ordens. Não lembrava de muito, somente da ação do Eater vindo em sua direção e ele caindo sobre o chão, sem vida e o sangue negro escorrendo por sua cabeça.

— Harry vai — a resposta de Brica foi automática.

Harry entreolhou o amigo com os olhos estreitos, surpreendido com o que ele dissera. Pensou em todas as noites mal dormidas, aguardando o amigo dormir para desligar a luz do quarto. Ele sabia de todo o medo que Brice sentia em relação ao Deserto Vermelho.

— Você é o melhor para ir sozinho — ele negou com a cabeça rapidamente, não queria ir de jeito algum, havia coisas para resolver dentro da cede antes de sair. — Styles...

Continuava a negar com a cabeça. A única vez que saiu da Central foi para a missão e não pretendia voltar para o lado de fora muito cedo.

— Se quiserem ir juntos, podem — Grace interrompeu Brice. — Mas só há uma máscara feita pelo Filmy, as outras são falsas.

— Deveríamos ter pego dos outros Eaters — lamentou Brice, cruzando seus braços. Tinha tanto medo de sair daquela montanha. — Eu só quero um de vocês para irem o mais rápido possível, a central não sabe dessa missão.

— Por que não contou? — Harry questionou, franzindo suas sobrancelhas.

Grace suspirou, nervosa.

— Porque eu tenho dúvidas do Eater que vocês capturaram, eu quero que consigam o sangue de um diferente para testar — colocou as mãos sobre a cintura. — Só quero uma amostra de sangue.

Harry encarou Brice rapidamente. Ele cruzou os braços, buscando ar em seus pulmões.

— Um de vocês apareça no laboratório após o almoço — voltou a repetir aquelas palavras antes de se afastar deles.

Brice dizia os milhares de motivos de não querer ir para as Terras Vermelhas, seu era maior que tudo, impedindo ele de realizar suas ações com medo de errar ou ser morto antes de tudo. Harry dizia que queria saber o que tinha com aquela Eater, naquela noite, ele iria voltar ao laboratório somente para descobrir o problema dela.

Ele passou os dedos pelos fios negros em sua cabeça, seus músculos contraíram-se na mesa encarando seu jantar, assustado.

— Você irá — Harry disse firmemente para Brice, ele apenas fechou os olhos e respirou fundo.

— O que você tem com os Eaters agora? — direcionou a mão direta até seu queixo. — Porque você queria matar eles, agora se arrepende, depois muda de ideia e agora quer saber o que tem com eles — estava irritado com a mudança de comportamento de Harry nas últimas horas.

— Não ouviu o que a Grace disse? — largou a colher sobre o prato cheio de comida. — Eu vi a Eater, eu matei o irmão dela e não me arrependo por isso — ele estava se engando com as próprias palavras. — De manhã eu vi ela de novo, agora a Grace disse que tem algo de estranho com ela e eu quero saber o que é isso — baixou o tom de voz ao ver os outros Badlanders voltando a atenção para ele.

— Eu posso ver por você — Harry negou novamente com a cabeça. — Eu posso! — exclamou baixo.

Harry que Brice hesitaria assim que visse Ravena levantada.

— Você tem que vencer seu medo, Brice — era a única coisa que ele desejava. — Você quer ser destaque, se conseguir o sangue do Eater, consegue ser o destaque — sabia bem como manipular Brice. — Vai até as Terras Vermelhas essa noite, pega o sangue do Eater e volta antes do amanhecer, eu vou em busca do que o Eater tem — a confiança de Harry chegava a irritar Brice, nunca viu ele assim.

— Se eu morrer, eu volto para pegar você — seus pés tocaram o chão e ele levantou seu corpo magro da cadeira.

Retirou-se do refeitório, levando nas mãos a bandeja de cor prata, ainda com o prato cheio de comida e o rosto acompanhado com um sorriso mínimo nos lábios. Harry riu das últimas palavras do amigo, antes de prosseguir o que estava fazendo.


Notas Finais


espero muito que tenham gostado e obrigada por terem lido até aqui <3 até mais!
recomendações; https://spiritfanfics.com/historia/alguns-calos-na-alma-7883153
https://spiritfanfics.com/historia/amputado-7215366
ask; http://ask.fm/Havins_
tumblr de histórias; http://herquinn.tumblr.com/
all the love
xx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...