História Baekhyun e a Missão dos Mundos - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Baekhyun, Baekyeol, Chanbaek, Chanyeol, Hunhan, Luhan, Sehun
Visualizações 8
Palavras 2.123
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Slash, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Vou começar com o plot dessa história eeeeeeeeeee.
Os capítulos serão enviados com um intervalo de duas semanas, todas as terças, ou seja, o próximo cap não vai ser na próxima terça e sim na outra ainda.
É que estou tbm focando em outras histórias, oq ocupa bastante tempo.
Deixarei o link do meu twitter pra me seguirem lá e receberem informações das histórias.
Enfim, boa leitura.

Capítulo 1 - Prólogo


Baekhyun olhou em volta com cautela enquanto se dirigia até a grande cadeira no centro do salão.

Mordia a parte interior de sua boca e segurava a respiração, seus passos ecoavam pelo local assim impedindo que o total silêncio se formasse. Sentia-se um idiota, mas também não culpava somente a si mesmo por isso, o nome daquele que tinha sido o causador de tudo aquilo ardia em sua boca com ódio, queria gritá-lo e deixar sua raiva extravasar, mas se contentou em sentar na cadeira e esperar quieto.

A luz entrava pelas vidraças e iluminava um pouco o ambiente, que ainda assim continuava escuro e assustador, na concepção do jovem mago. Detestava lugares assim, pois o lembrava das diversas batalhas que tinha que enfrentar que, apesar de acostumado, ainda o deixava com medo.

- Calma, Baekhyun. Não é preciso medo. – soltou o ar pela boca e apertou um pouco sua capa que se estendia até o chão, o que fazia Baekhyun tropeçar várias vezes em sua vida diária.

De repente uma luz forte surgiu na frente do jovem, ele pulou da cadeira e tapou os olhos, assustado com a repentina ação e tentando evitar uma cegueira.

- Baekhyun! – a voz feminina que vinha de dentro da luz disse irritada, o mago se curvou de imediato- O que pensava estar fazendo? – continuou umas oitavas acima.

Ele tentou destapar os olhos, mas a luz era forte demais e o impedia de ver algo claramente, talvez essa fosse mesmo a intenção, refletiu. Pigarreou e voltou à uma postura correta, ainda com olhos fechados.

- Perdoe-me, sei que...

- Incrível, mago. – ela o interrompeu com o sarcasmo presente na voz- Deixar com que aquele demônio fugisse junto às informações que tinha, estou impressionada.

- Sei que errei, só que ele... – Baekhyun sentiu a boca ficar seca, não se sentia no direito de tentar tirar um pouco de sua culpa, não para ela.

Vinha enfrentando aquele demônio há muito tempo, fora um de seus primeiros inimigos e continuava sendo o maior deles, se sentia estúpido por mesmo depois de tanto tempo não ter conseguido mata-lo.

- Não quero mais essa discussão, me irritou o suficiente. – ela disse e a luz pareceu ficar menos forte- Você tem sorte, surgiu uma missão que se encaixou perfeitamente com seu caso.

Ele abriu os olhos.

- Que missão? – perguntou engolindo em seco logo em seguida.

- As informações do demônio eram importantes, Baekhyun. Não envolve apenas nosso mundo. – a voz dela agora era baixa, a seriedade se fazendo presente- Os mundos estão em perigo.

Silêncio. Não sabia o que dizer, nem o que pensar, apenas absorvia a informação. Ele devia ter pegado a criatura, deveria ter sido capaz, aquilo era muito mais serio do que pensara.

- O que quer que eu faça? – sua voz saiu em um fio, não queria perder mais tempo, tinha que tentar recuperar aquele erro.

- Tem um planeta. – a voz feminina parecia um pouco mais distante- Os demônios são apenas agentes do real mal, estão planejando algo grande. – pôde ouvi-la soltar um longo suspiro cansado- Estamos há muito tempo tentando recuperar informações, mas apenas o que conseguimos é que o ponto de partida será em um planeta chamado Terra.

Franziu o cenho com o que ouviu. Tinha escutado sobre aquele planeta outras vezes, mas não era tão relevante, de fato, existiam muitos outros mundos muito mais importantes que a Terra.

- Por que a Terra? – deixou sua dúvida escapar.

- É mais fácil. – ela respondeu- Os habitantes, chamados de humanos, não possuem magia, recompensaram isso com algo chamado tecnologia, mas se comparado com os outros mundos, não é nada. É mais fácil entrar, se apoderar e começar com seu plano, seja lá qual for.

Levantou um pouco seu olhar, a luz estava mais fraca e não passava agora de um leve incômodo. Baekhyun respirou fundo.

- O que tenho que fazer?

- Você é um dos melhores magos, será mandado para lá. Sua missão é descobrir o que está acontecendo e nos informar, fazer de tudo para impedir que alcancem seu objetivo. – agora era um feixe de luz, desaparecendo aos poucos- Mas não terá seus poderes da mesma forma.

- O que? – não pôde evitar o tom de indignação, arregalou os olhos e sentiu sua espinha gelar.

- Poderá fazer as coisas simples, mas o que demanda mais força será muito mais difícil. – ela parou por um momento e pareceu ficar menos tensa- Sei que parece estranho, mas assim será mais seguro, eles não conseguirão te reconhecer tão facilmente. – soltou uma breve risada- Considere como um castigo também.

Tentou ignorar isso e voltou seus pensamentos para o que de fato importava.

- Quando devo ir? – segurou seu chapéu em sua cabeça com força.

- Agora mesmo, deve chegar lá daqui uns dias. – a voz estava muito fraca e longe- Tente achar alguém que consiga lhe oferecer abrigo e proteção. Boa sorte, Baekhyun.

O feixe de luz desapareceu e deixou Baekhyun na pouca claridade que o salão oferecia. O mago fechou os olhos e tentou clarear os pensamentos, se sentia em dívida com os deuses por ter deixado o demônio escapar e também sabia que as coisas poderiam ficar muito sérias se não conseguisse completar aquela missão.

Tirou seu chapéu e visualizou a Terra, era hora de ir.

 

 

...

Chanyeol segurou a chave do apartamento como se fosse a coisa mais importante que existia. Seus braços estavam ocupados com as sacolas do mercado e ele tentava se equilibrar na parede do corredor enquanto se esforçava para encaixar a chave na porta.

Sexta-feira.

Não, muito melhor. Noite de sexta-feira.

Ele sorriu e balançou a cabeça feliz. Finalmente a semana chata de trabalho tinha terminado e ele poderia aproveitar do final de semana, o que, na concepção de Chanyeol, significava ficar o dia inteiro em casa comendo ou dormindo. Isso, essa ideia era perfeita.

Não teria mais que aguentar pessoas chatas em um trabalho chato, onde tinha que se esforçar para ser educado e não pensar só em si mesmo, bem, pelo menos até segunda começar, mas ele não queria pensar nisso.

Conseguiu encaixar a chave e a girou, empurrando em seguida a porta com o pé. Ser alguém grande tinha seus benefícios, como por exemplo suas pernas longas, que conseguiam alcançar longas distâncias sem problemas.

Entrou no apartamento e depois de muito pensar decidiu que seria bem melhor deixar primeiro as compras na mesa da cozinha e depois voltar para fechar a porta.

Chanyeol não se considerava alguém egoísta, pelo menos não por inteiro, mas preferia muito mais ficar sozinho e se preocupar apenas com si, muito menos estressante. Sempre foi assim, tanto que na escola era normal vê-lo sozinho pelos cantos ou com apenas um ou dois amigos, sabia ser bastante social, mas preferia usar isso apenas quando necessário.

Deixou as sacolas pela mesa e suspirou aliviado. Já tinha tudo planejado, primeiro cozinharia seus pratos preferidos, depois ficaria comendo e assistindo alguma coisa e por fim dormiria até tarde, provavelmente repetindo o processo no dia seguinte. Apenas de imaginar ficava animado, ele fazia o possível sempre para que conseguisse seguir esse cronograma nos fins de semana, mesmo que tivesse que rejeitar todos os convites de seu amigo para saírem para a balada.

Chanyeol gostava da presença de Sehun, ainda mais porque esse também era mais reservado e o entendia, mas quando se tratava de finais de semana o garoto ficava insuportável, fazendo Chanyeol questionar como aquela amizade tinha conseguido durar tanto tempo.

Espreguiçou-se e deu meia volta para fechar a porta.

Chanyeol pulou para trás assim que viu um garoto apoiado na porta, o olhando com os olhos arregalados. Ele vestia algo que parecia um vestido comprido e um chapéu, parecido com fantasias de magos, estava todo suado e sujo, respirava profundamente.

Absorveu a imagem paralisado, não sabendo muito bem o que fazer.

- O que está fazendo aí? – perguntou ainda desnorteado.

Uma alta batida no andar de baixo foi ouvida, o garoto entrou no apartamento e fechou a porta, parecendo desesperado.

Chanyeol olhou a cena e franziu o cenho, conseguindo se recuperar um pouco. Agora estava irritado, como aquele estranho simplesmente entrava em sua casa assim? Aproximou-se do outro e puxou seu ombro para que ele o olhasse.

- O que pensa estar fazendo? – puxou o outro e colocou a mão na maçaneta- Saía da minha casa agora!

Ele não esperava o puxão de volta que recebeu, quando viu já estava atrás daquele que tinha invadido sua casa e era prensado na parede. Esse o olhou com desespero.

- Por favor, preciso de ajuda. – sussurrou. Chanyeol só achou aquela situação ainda mais estranha.

- Saía da minha casa! – insistiu e tentou se soltar, mas ele o segurou ainda mais forte.

- Sei que vai achar isso absurdo e que sou louco, mas eu preciso que acredite. – olhou nervoso para a porta quando mais um barulho se fez presente, parecendo mais próximo- Eu sou um mago, não sou desse mundo e tem um demônio me perseguindo.

Chanyeol o encarou por alguns segundos antes de se soltar e empurrar o garoto, era um louco, ele estava ainda mais ferrado, um louco tinha invadido sua casa.

O outro era muito menor do que si e mais fraco, por isso tropeçou no sofá e caiu sentado no chão.

- Você vai sair daqui. – o maior falou e se aproximou da porta mais uma vez, pronto para jogar aquela pessoa fora de sua casa se necessário.

Estava quase com a mão na maçaneta quando alguém bateu forte e com certa pressa em sua porta. Paralisou por um momento, não sabia quem era, mas parecia estar bravo. Agora sim estava com medo.

Olhou para o outro ainda no chão que estava com os olhos ainda maiores e muito mais pálido, esse ergueu o indicador e o pousou sobre seus lábios, o pedindo para fazer silêncio.

Mais uma batida.

O garoto se arrastou e entrou na cozinha, se escondendo. Chanyeol encarou a porta e respirou fundo, deveria abri-la em algum momento e assim o fez, de maneira cautelosa.

Do outro lado estava um homem com roupas escuras e cabelo arrumado, tinha um sorriso no rosto.

- Desculpe incomodar, mas é que meu filho fugiu de mim, ele por acaso de escondeu aqui? – perguntou e olhou por cima do ombro de Chanyeol, tentando visualizar o apartamento- Um pouco mais baixo que você, está usando uma fantasia de mago.

Não sabia o que fazer. Claro que queria dar a resposta verdadeira, mas algo o prendia para isso, não sabia muito bem o que, mas é como se não conseguisse falar. O homem o olhou com um pouco de impaciência e o sorriso pareceu mais forçado.

- Está ou não? – sua voz agora estava mais irritada.

Engoliu em seco e abriu a boca para responder. Um barulho foi escutado na cozinha e Chanyeol arregalou os olhos, aquele em sua porta o deu um sorriso de lado e empurrou o maior sem esforço, o fazendo ser jogado contra a parede.

Suas costas doíam com o impacto e não conseguiu evitar o outro de entrar, meio desnorteado tentou se aproximar, mas esse apenas o olhou e Chanyeol se sentiu ser jogado mais uma vez.

Não entendia o que tinha acabado de acontecer, mas estava com medo. O garoto saiu da cozinha e suas íris brilhavam da cor verde. O outro se aproximou e tentou lhe dar um soco, mas ele desviou e estendeu a mão, dessa saiu uma luz também verde que acertou o homem, esse foi lançado pelo outro lado e caiu na mesinha de centro, a quebrando.

Chanyeol arregalou os olhos e se encolheu na parede, não queria acreditar em seus olhos. O homem se levantou e se jogou contra o garoto, agarrando seus ombros e deixando que delas uma luz vermelha saísse, parecendo queimar o outro. Ele o pegou pelo pescoço e deixou que a mesma luz verde de antes apossasse o outro, o sufocando.

Os dois ficaram naquela por um tempo, se esforçando ao máximo e quando se viu, a luz verde se apossou de todo o homem, que caiu no chão e começou a tremer. O garoto o olhava com as mãos ainda levantadas em ataque, o outro parou de se mexer e pareceu começar a se desintegrar, virando uma fumaça negra que logo desapareceu.

Chanyeol encarou o garoto assustado, sem saber como reagir. Ele abaixou as mãos e a luz sumiu, suas íris estavam escuras como antes. Estava pálido e respirava com dificuldade, caiu no chão e se apoiou no sofá para ficar sentado.

Levantou o olhar e encarou Chanyeol, os lábios se partindo.

- Acredita agora? – perguntou com a voz rouca e baixa.

Revirou os olhos e desmaiou, caindo por inteiro.


Notas Finais


Foi isso, como é só o prólogo é um pouco mais curto, mas acredito que os outros capítulos serão maiores.
O link do meu twitter: @flewswf
Espero que tenham gostado, até a outra terça.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...