História Bahamon (Hiatus) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Fantasia, Originais
Visualizações 17
Palavras 786
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Literatura Feminina, Luta, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Antes de mais nada fica aqui o aviso de que todas as fotos utizadas nessa fanfic são do Instagram
@Wlop

Capítulo 2 - North e Farlan


Fanfic / Fanfiction Bahamon (Hiatus) - Capítulo 2 - North e Farlan

25 anos depois

Palácio de Gretesh - Reino do sul


-Feliz aniversário príncipe North. -Sorriu acanhada após tê-lo acordado com um beijo.

Fingindo ainda estar dormindo North permaneceu à espera de um segundo beijo para o ''acordar'', assim que ele veio, trocou as posições ficando por cima de Farlan.

-Bom dia. -Sorriu vendo o rosto ruborizado de sua namorada.

-Precisamos ir, o Rei pediu para que eu o chamasse.

-Meu pai pode esperar um pouco. Venha. -Se levantou da cama puxando a garota para a varanda espaçosa do quarto, o dia estava terno e suave, as cortinas balançavam calmamente com a brisa marítima que vinha de longe para os cumprimentar.

-Farlan, me desculpe por demorar tanto, você merecia isso antes mas como príncipe, completar meus estudos e idade adequada era minha função. Mas se você permitir, agora minha função será fazê-la feliz; Case-se comigo. -Sorriu vendo a menina paralisar, é verdade que ela esperava por isso já a algum tempo mas devido a realeza North não pode fazer o pedido antes.

-E..E...

A vontade que tinha naquele momento era a de rir descontroladamente devido a expressão surpresa de Farlan, mas achou que isso a deixaria deveras constrangida então fez o que faz de melhor, brincou com a situação.

-Olha, é meu aniversário e eu te mando para a masmorra se for um "não". -Sorrindo de lado Farlan revirou os olhos murmurando um "não tem masmorra nesse palácio seu tonto".

Com um longo beijo o compromisso foi selado e enfim Farlan e North haviam ficado noivos, consequentemente voltaram para a cama, e só depois de muito esforço e insistência por parte de Farlan que, North finalmente se levantou e ambos puderam seguir em direção aos seus devidos afazeres.

Ao contrário do que muitos imaginavam, Farlan era de uma província distante da capital do reino Sovev  (sul), a mesma vinha de Glacinatas, uma província Élfica que vinha crescendo com os anos e se tornando influente na área medicinal do reino. Por conta disso a mesma insistiu muito para ajudar na área medicinal do palácio pois foi ali que recebeu ajuda a muitos anos atrás.

Isto é; Houve uma vez em que North fugiu do palácio pois tinha curiosidade de ver o reino grandioso que lia nos livros disponíveis para si. Na época o mesmo possuía 15 anos e mesmo sem o conhecimento da língua Élfica, que sua mãe, descendente de tão belo povo prometera lhe ensinar, North conseguiu se comunicar de forma quase que natural com Farlan que havia passado pelo inverno de Trosth, uma gigantesca cadeia de montanhas cobertas de neve que separava a cidade Élfica e pequenos vilarejos da imponente capital Sovev.

Trosth é uma palavra inventada pelas crianças da capital para descrever "grandioso guardião", apesar de ninguém saber o por quê ou em que momento essa palavra surgiu e ficou tão conhecida, a mesma é usada até hoje pois faz jus ao nome. Sem a cadeia de montanhas os ventos do extremo sul já teriam destruído toda a capital.

North vendo Farlan quase desmaiar congelada e com fome na divisa montanhosa decidiu a levar ao palácio, claro, recebeu muitas críticas e apesar de sua atenção ter sido chamada várias vezes a rainha Themissa ficou feliz em poder falar sua língua materna e, mesmo que, não tenha demonstrando ficou muito orgulhosa da atitude do filho que percebera a situação da pobre menina e graças a isso agira rapidamente, afinal se ficasse onde estava a garota morreria.

Nas sombras do palácio Sam, irmão mais velho de North, pensava minuciosamente em sua subida ao trono, afinal planejava isso desde a infância e agora estava confiante de que seria ele a governar o reino norte, pensava também que seu irmão era um tolo em salvar uma ninguém, enquanto que deveria estar estudando os outros reinos com o qual tinham uma brigada armada talentosa.

Mesmo agora vendo Farlan, depois de praticamente 10 anos, ele não compreendia como o irmão podia ser tão estúpido ao se apaixonar por uma mulher tão simples.

-Farlan, onde vai com tanta pressa? -Perguntou no intuito de irritar a garota a sua frente

-Bom dia, príncipe Sam. -Reverenciou o mesmo em uma demonstração de respeito, afinal ainda não havia se casado com North, sendo assim se sentia na obrigação de  o fazer.

Com um aceno discreto Sam a comprimentou contendo o sorriso de deboche e desgosto que possuía pela mulher.

-E então? -Voltou a questioná-la

-Ah, sim. Todos estão indo em direção ao salão real, estão dizendo que a grande Rúnica do norte, Seraphin voltou às terras do sul. -Sorriu animada

Sam não foi capaz de conter um sorriso perverso que apareceu em seu rosto, enquanto Farlan seguia seu caminho assim como boa parte dos empregados do palácio, Sam respirou fundo convicto de que aquele seria um grande dia.


Notas Finais


Esse foi um capítulo mais de apresentação, as coisas vão ficar um pouco loucas daqui pra frente. Obrigada por lerem até aqui ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...