História Bahia - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias MasterChef Brasil
Personagens Henrique Fogaça, Paola Carosella
Tags Fagosella, Farosella
Visualizações 153
Palavras 945
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi gente
Sei que tinha terminado a história, mas estava escutando a musica de Jorge e Mateus e imaginei o restinho dessa fic...
Se puderem, escutem a musica - Se o amor tiver lugar ♫ - Beeeem bom!

Capítulo 2 - Dois


Fanfic / Fanfiction Bahia - Capítulo 2 - Dois

A intensidade os predominavam. O que haviam decidido dias atrás, foi como promessas quebradas. Sem conserto. Sem volta. Talvez Henrique não pudesse explicar nem como havia chegado naquele hotel, porque quando viu aquela foto… - bendita a pessoa que postou essa foto que Paola estava de maiô, mostrando todas suas curvas - sentiu saudade. Sentiu desejo. Sentiu amor.

 

- E então, Carosella? Pronta para outra etapa? – Depositou sua mão na bochecha da argentina, fazendo carinho com o polegar.

- Como así? – Estranhou.

- Se veste porque a gente vai sair. – Se levantou rápido e vestiu sua roupa.

Paola se levantou enrolada a um lençol e logo, vestiu-se.

- Estoy pronta. Para onde vamos?

- Aqui pertinho. Promete uma coisa? Todo o percurso mantém os olhos fechados…

Paola revirou os olhos, assentiu com a cabeça e fechou suas pálpebras.

 

O relógio apita dando 2 horas da madrugada.  Henrique  segurou em suas duas mãos e a guiava para fora. O quarto em que ela estava era no térreo, reservado. Tinha uma varanda que dava direto para a praia, a qual essa área era reservada apenas para o estabelecimento. Caminharam a passos lentos, e mais lento por Paola que pisava no chão com insegurança.

- Ai Henrique, no acredito que está me levando à praia. – Sentiu a areia fina  sob seus pés descalços. Ele riu.

- Calma. Apenas sinta. – Falou com uma voz grave e ao mesmo tempo doce. A mesma voz que Paola sentia um conforto tremendo.

- Tá bien! – Suspirou fundo e apertou mais seus olhinhos, podendo sentir a leve brisa em seu rosto.

Caminharam paralelo a água que iam e viam  na areia. Paola já estava ficando ansiosa demais para ver o que vinha pela frente. Fogaça soltou as mãos dela, pedindo para ficar paradinha, mas sem ainda abrir os olhos. Se distanciou um pouco dela se posicionando a sua frente.

- Quando eu disser  “JÁ” pode abrir os olhos. Ouviu?

- Sim, chef! – Riu apreensiva.

- 1, 2, 3 e...JÁ!

Paola abriu instantaneamente e o viu a sua frente, com um sorriso no rosto e uma pequena bolsinha preta em suas mãos. Estava meio escuro, apenas com luminosidade suficiente da magnífica lua que em conjunto com a constelação iluminava todo o cenário. Os mesmos olhos enigmáticos de Fogaça, acendia uma chama em Paola, inexplicável. Ela deu um passo à frente, em direção a ele, sentiu que pisou em um amontoado de conchas e olhou para baixo. Seus olhos vidraram quando pôde ler o que estava escrito com várias em tons de amarelo e branco. Ficaram marejados e enxergou tudo embaçado por conta das lágrimas que ameaçavam cair.

 

- Eu te amo, Argentina. – Falou alto, repetindo o que estava escrito ali.

 

Ela levou as duas mãos a boca, sem tirar nenhum segundo a vista dele. Sentiu as lágrimas rolarem e até sentir o gosto salgado. Tantas sensações que nunca imaginava ter com um grande amigo que se tornou seu grande amor. Ele se aproximou dela, retirou da bolsinha um colar com a corrente prateada e  um pingente que tinha duas pedras rubi, vermelho intenso. Ela não pôde deixar de sorrir.

- No precisava! – Falou com a voz embargada pelo choro.

- Claro que sim. Vira, deixa eu colocar em você.

Paola virou-se, afastou os fios morenos que estava em sua nuca colocando-os para frente. Ele passou o colar a frente dela, e concluiu o ato deixando preso.  As pontas do dedo deslizou por toda a pele alva, provocando-a arrepios. Então, ela ficou  frente a frente, vendo em alternância a boca carnuda e seus olhos sedutores.


Esse amor bateu de frente
Não sai mais da minha mente
Como faz pra segurar?
Já to louco pra beijar ”

 

Fogaça pousou as mãos na cintura fina da argentina, puxando-a mais para perto de si. Ela estava com a respiração ofegante.

- Sabe o que significa uma pedra Rubi e por que são vermelhas? – Tocou nas duas pedras e ela, balançou a cabeça negativamente. - O vermelho é interpretado como a cor da paixão, e algumas vezes o efeito que traz é o mesmo de sacudir uma capa vermelha na frente de um touro. Trocando em miúdos, é que a pessoa foi vencida pela paixão. Eu fui vencido pela paixão. Eu fui vencido por um touro argentino bem teimoso. – Sorriu, logo recebeu um tapa em seu ombro.

- No estraga o clima, vai! – Riu da cara de dor que ele fez.

-  Essa pedra nos ajuda em todos os assuntos de amor, inclusive de amor a nós mesmo. – Completou.

- Que lindo, mi amor! - Segurou o pingente para poder vê-lo melhor. Fogaça levantou o rosto dela segurando seu queixo com uma das mãos. Logo a domando em um beijo. Foi um beijo lento. Apenas aproveitavam o momento.


“ E a areia branca virou nossa cama
Descompasso no vai e vem das ondas
Em janeiro, você vem
Fevereiro, você vai
Mas se quiser, pode ficar uma vida inteira ”


 

Fogaça a levantou, parecia que Paola estava nas nuvens. Rodopiou com ela e então, a colocou no chão. Seus pés ficaram molhados, a água que chegava fraca e fria, provocava mais sensações.

- O mar - como a vida - é pura dança.

A onda vem: mergulhamos ou recuamos. Depende do tamanho da onda e da nossa coragem.

A onda vai: seguimos ou a deixamos ir. Depende do nosso desejo. – Falou com a testa colada na dela. - Meu desejo é mergulhar e seguir essa onda, topa?

- Por uma vida inteira. – Sorriu. - Incrível sentir tudo com você. – Finalizou.

 


“Se o amor tiver paixão
Se o amor tiver lugar
Fica um pouco mais
Fica um pouco mais” ♫

 


Notas Finais


E assim, finalizo. Obrigada e um beijo! ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...