História Bakemonogatari Gakuen - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Anko Mitarashi, Asuma Sarutobi, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Itachi Uchiha, Kurama (Kyuubi), Kurenai Yuuhi, Maito Gai, Naruto Uzumaki, Personagens Originais, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Fantasia, Histórias, Mitologia, Narukurama, Naruto, Supernatural
Visualizações 143
Palavras 9.218
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bem, ai está mais um, um pouco mais longo dessa vez.

A imagem do começo do capítulo não tem muito a ver com a história, apenas acho lindo a ideia de, quando tivermos trinta ou quarenta anos, voltarmos lá atrás, quando tínhamos doze anos, com aquele olhar de dúvida, sobre o que eu vou ser no futuro, se conseguiremos alcançar nossos sonhos, e respondermos "vai ficar tudo bem, nós conseguimos sim", é lindo não é ?

Fiquem com o capítulo, boa leitura \o/

Capítulo 6 - VI - O aniversário de Naruto.


Fanfic / Fanfiction Bakemonogatari Gakuen - Capítulo 6 - VI - O aniversário de Naruto.

  Muitos estavam apreensivos quanto à situação de Kiba e Rock Lee, todos sabiam que brigas naquela escola eram terminantemente proibidas, por, além de poder causar danos à estrutura da escola, machucar alguém, muitos achavam que Naruto iria ser severo, e com razão, o diretor não seria brando em sua punição, como uma das três mais responsáveis figuras daquele lugar, deveria dar o exemplo, e punir os dois adequadamente, só esperava que eles acordassem para fazê-lo

  Se passou mais ou menos um dia completos, Sakura ficou furiosa quando soube que ambos os dois destruíram parte do jardim, mas não mais do que Naruto, pois ele mesmo havia montado aquele jardim, mas não faria com que arrumassem a bagunça que fizeram, pois sabia que eles não tinham a mínima noção de jardinagem, ele logo pensaria em algo, e estava a fazê-lo, quando sentiu uma cauda de raposa rodear seu pescoço, e um pequeno peso cair sobre suas pernas enquanto sentado na poltrona de sua cadeira, era Kurama, que sentara em seu colo, dando-lhe um beijo em sua bochecha.

  Sem perceber, seus braços rodearam sua cintura, trazendo-a para mais perto de si, deitando sua cabeça na curva do pescoço da ruiva, a poltrona de sua sala era tão grande e alta que ela conseguia balançar os pés levemente, como uma criança, dando um tom ainda mais fofo à ela, que o olhava, sabia que Naruto estava pensativo, ainda pensando em uma punição apropriada para os dois, foi quando Kurama teve uma ideia.

 

  - Porque não os manda para o Sasuke ? - Aquela frase provocou algo como um estalo na mente do pequeno loiro, que pareceu sorrir, mas não um sorriso satisfeito, um sorriso maligno, feroz e diabólico, e Kurama acompanhava esse sorriso friamente, até que os braços do loiro a agarraram de repente, lhe dando um grande beijo em sua bochecha direita.

 

  - Eu te amo Kurama ! - Quase gritou na sala, deixando a raposa ruiva mais do que vermelha de vergonha, e se alguém tivesse escutado ? E se alguém estivesse vendo aquilo ? Se estivessem sendo observados, Kurama se esconderia por mais de uma semana, morrendo de vergonha com o rosto completamente quente.

  Alguns segundos mais tarde, batidas foram ouvidas na porta, fazendo a pequena ruivinha saltar do colo do loiro, fazendo-o rir um pouco, respondendo um “entre” para quem quer que fosse.

  Quem entrou surpreendeu um pouco Naruto, uma mulher alta, loira de cabelos cumpridos, amarrados em dois rabos de cavalo frouxos, olhos escuros e castanhos, rosto fino e bastante feminino, corpo voluptuoso, seios fartos, coxas grossas e torneadas, usando uma sandália negra com um salto, vestindo um kimono acinzentado sem mangas, e com um generoso decote, mostrando parte de seus seios, um cinto azulado que o mantinha preso à cintura, acompanhando todos os movimentos de seu corpo, calças escuras, coladas ao corpo, demonstrando o quão curvilíneo ele era, havia também um sinal curioso em sua testa, um losango arroxeado, de cor escura.

  Naruto não duvidara de que a loira havia chamado bastante atenção no caminho até sua sala, sem dúvidas, mas o que o deixava curioso era outra coisa.

 

  - É raro te ver aqui senhora Tsunade - Só agora ele percebera que ela carregava uma garrafa de sakê, mas sem indícios de que estivesse aberta.

 

  - Senhora sua avó - Esbravejou, olhando-o com os olhos cerrados, e, mais do que rapidamente, acertando um forte cascudo na cabeça de Naruto, surpreendendo Kurama e fazendo o loirinho se curvar de dor, Tsunade tinha mais de dez mil anos e queria ser chamada de nova ? “Mulheres...”

 

  - Desculpe senhorita… - Disse, acariciando a sua cabeça levemente - Mas… O quê a traz até a minha sala ? É raro você deixar Shizune sozinha na biblioteca, ou melhor,  você sair da biblioteca -

 

  - Shizune ficará bem sem mim, pode acreditar - A interrupção, rápida e cortante, fez Naruto sorrir, Tsunade nunca foi muito paciente em conversas, ainda mais com ele, ainda mais sem beber alguma coisa, de preferëncia alcoolica.

 

  - Vim pedir pra beber comigo -

 

   O pedido fez Kurama ficar atönita, olhando para Naruto, depois para Tsunade, depois para o loiro menor, depois para a loira maior,... Naruto bebia ?

 

  - M-M-M-M-M-Mas… Desde quando !?

  

Tsunade colocou a mão sobre a rolha dá garrafas começando a abri-la lentamente, até que uma mão a impediu, e os olhares de ambos os loiros encontraram a ruiva, com o rosto vermelho.

  - E-Eu... Não quero... - Disse relutante, sabia que Tsunade não gostava de ser contrariada, e Kurama sempre preferiu ser pacífica.

  - Prefere que o seu futuro marido não beba ? - Tanto Kurama quanto Naruto coraram forte e desviaram o olhar da loira, que riu gostosamente ao ver a cena de ambos.

  - Tá bom, só dessa vez - Ele se virou, preparando-se pra ir embora até ouvir o chamado de Naruto.

  - Deixa pra próxima senhorita Tsunade - Naruto acenou, enquanto, cautelosamente, segurava a mão de Kurama, que se escondeu atrás dele, ela sorriu e saiu dá sala, mas não sem antes olhar para Kurama com um sorriso satisfeito.

  - Cuida bem do meu filhote Kurama - E antes que ela pudesse responder, ou ficar ainda mais vermelha, Tsunade saiu.

   - Agora... - Disse, se virando, captura do a ruiva entre seus braços de maneira carinhosa, contornando sua cintura e trazendo-a para mais perto de si

  - ... Onde estavamos ? - Perguntou sorrindo, recebendo um "bobo" como resposta, para em seguida a mais baixa repousar sua cabeça no peito do loirinho, era impossível não notar os sorrisos nos lábios dos dois, mas a felicidade pareceu não durar, pois foram ouvidas batidas na porta, logo eles se separaram, Naruto voltou a se sentar em sua poltrona, e Kurama ficou do seu lado.

  - Entre - Avisou ele, a porta foi aberta gentilmente por mãos femininas, de pele alva e toque delicado, logo, a figura de Hinata Hyuuga surgiu a frente deles, surpreendo um pouco Naruto, que viu os olhos perolados da garota perdidos entre os adornos, prateleiras, janelas, livros e mais livros, chegou a ficar intimidada, e teria saído dali se...

  - Hinata ? - A voz de Naruto, calma e serena, fez a Hyuuga centrar o seu olhar em seus olhos azuis como o céu e o mar, acalmando-a.

  - C-Com licença... D-Diretor - Ela falou fracamente, a voz tímida, o semblante intimidado, fez Kurama acha-la incrivelmente fofa, mas Naruto sentiu outra coisa, bem escondida em seu semblante de voz, olhar, atos, tanto que ele se levantou de sua mesa, chegando a assustar a ruiva ao seu lado.

  - Hinata, o que aconteceu ?- Seu tom preocupado o fazia lembrar um pai, que sentia quando sua filha tinha problemas, fossem eles quais fossem, ele chegou a ir até a frente dela, que gaguejava sem parar.

  - Venha, me diga o que aconteceu - Ele tocou as mãos da garota, com cuidado e carinho, e com graciosidade, a guiou até uma segunda poltrona, fazendo-o sentar gentilmente na cadeira, enquanto que Kurama parecia encantada com a "garota de porcelana", é um pouco enciumada também, pelo modo que Naruto a tratava.

  - Quer um ? - Ele perguntou, gentilmente, enquanto alcançava uma pequena vasilha de vidro vermelho em cima de sua mesa, com algumas balas embrulhadas em papel amarelo, Hinata pensou em recusar, mas ele pegou uma antes que ela pudesse responder.
  Quando ele o fez, depositou a pequena vasilha devolta em sua mesa, desembrulhando a pequena bala de chocolate, e, para a surpresa de ambas, Kurama e Hinata, a pequena bolinha de chocolate começou a se moldar em sua mão.

  - Vamos pequeno cisne, abra a boca - a pequena bolinha de chocolate se tornou cisne, que começou a levitar à medida que o olhar encantado de Hinata parecia voltar à realidade e abrir a boca, o pequeno cisne voou até a boca dá pequena Hyuuga, e, no mesmo instante, ela a fechou, mastigando o doce lentamente, soltando um pequeno o gemido de satisfação com o doce e saboroso gosto do chocolate derretendo em sua boca.
  Kurama quase derreteu-se ao ver a cena.

  - Por que você nunca fez isso comigo Naruto ? - Ao realizar a pergunta ela fez um biquinho fofo, que não passou despercebido por Naruto.

  - Meu alunos têm um tratamento especial Kurama - Disse, fazendo um cafuné na cabeça dá pequena Hyuuga.

   - Mas você já é uma pessoa muito doce - A ruivinha corou com as palavras adocicadas do loirinho, que via a sensação de sabor indescritível abandonar a sua boca, Naruto a havia acalmado.
  Naruto tinha vários dons, mas o que mais se orgulhava de ter era ter o seu coração "transparente", ele conseguia enxergar os problemas nas mentes das pessoas, e os infortúnios em seus corações de maneira clara.

  - S-Senhor diretor... Por favor... Não seja s-severo com... O K-Kiba... - Ele sentiu um lebre tremer em sua voz, junto de um leve avermelhar de seu rosto, Naruto sorriu meigamente ao identificar aquele sentimento, tão feliz, tão... Puro...

  - Não se preocupe pequeno cisne, não serei severo com ele, nem com o lee, apenas ensinarei que não se deve brigar nas dependências da escola, mas eu... Pegarei leve - Sua fala mansa e compreensiva fez Hinata acalmar-se um pouco mais, Naruto sorriu para ela, que tentou falar algo mais, mas desistiu ao ver Kurama também sorrir.

  - O-Obrigada... Senhor diretor
.. C-Com sua licença - Ela levantou-se da poltrona, curvando-se um pouco, em respeito, e logo saiu da sala, deixando para trás um Naruto sorridente, é uma ruiva completamente derretida pela fofura dá Hyuuga, chegando a ficar com seu rosto vermelho.

  - Ela é tão linda que me derrete toda com sua fofura, queria ter uma filha como ela - Disse levando suas mãos ao rosto, enquanto sentia-o esquentar um pouco mais.

  - Então venha comigo... - O sorriso, lupino, dizia que havia algo mais para ser completado, algo incompleto, mas que a chamava, que a incitava a segurar a mão que ele lhe estendia a ela nesse exato momento.

  -... Eu vou te dar uma filha... - Seu rosto ferveu, mas, algo a dizer para segurar aquela mão, e quer saber ? Ela, lentamente, aceitou, e, com gentileza em seu toque, ela a pegou, e sentiu uma chama arder em seu peito, e, em brasas brilhantes como o sol, e quentes e aconchegantes como um abraço no meio do inverno gélido, e, quando um redemoinho de labaredas flamejantes e envolventes se completou, sem danificar nada no local, eles desapareceram, sem deixar resquícios.

[...]

    Eles surgiram na entrada da escola, parecia ser o intervalo, e alguns se reuniam na entrada para ficarem olhando o céu e ficarem hipnotizados pela vista maravilhosa, Kurama ficou envergonhada, pois haviam chamado muita atenção para si, ainda mais com o jeito "chamativo" de Naruto aparecer ocasionalmente, envolto em chamas mais brilhantes que o sol, em um tornado de fogo e labaredas raivosas, porém serenas e calmas como o mais tranquilo e cristalino dos lagos, todos que sentiam aquela chama perto de si, também sentiam-se mais felizes e alegres, como se todos os problemas do mundo desaparecessem para eles.

  - Ela vai chegar em breve - Sua fala mansa, a fez esquecer da vergonha que sentia, e dos olhares dirigidos à eles por quase todos ali, e, além disso, a fez esquecer que ambos estavam de mãos dadas até aquele momento, e então, uma pequena nuvem de fumaça surgiu.
  Essas "nuvens de fumaça", conhecidas como "invocações", era um dos muitos modos de atravessar as três dimensões do colégio, era o modo mais diversificado, funcionavam como um meio de teletransporte, porém, havia um tempo limite para que o seu usuário pudesse ficar em outra dimensão da escola, por exemplo, um aluno da dimensão das trevas, dirigida por Sasuke Uchiha, poderia ficar, no máximo, por dois meses na dimensão das florestas, dirigida por Sakura, mas o tempo variava, na dimensão neutra, dirigida por Naruto, seu tempo era reduzido para menos de um mês, por causa da grande exposição à luz do sol, que causava certos danos aos alunos de raças noturnas, mas eram apenas dores de cabeça ocasionais.
  Depois que o tempo expirasse, eles eram automaticamente enviados de volta para sua dimensão pertencente, junto de seus pertences, todos eles, e, caso o tempo, por algum motivo, fosse atravessado, ou seja, expirado, haveriam consequências, que variam de acordo com o tempo que passou desde que o limite de tempo tivesse sido quebrado.
  Os únicos seres ali que tinham um limite de tempo ilimitado eram os orientadores, bibliotecários e, é claro, os próprios diretores, já que eram as autoridades máximas naquele local.

- Mestreeee - Um grito agudo chamou a atenção de todos no local, todos os alunos chegaram a parar de fazer o que faziam e olharam para ele, que sorria amarelo, em seguida sentiu sua cintura ser rodeada por dois pequenos e finos braços de pele alva, após isso uma risada feliz e alegre, ele sorriu e a abraçou de novo.
  Ela era loira, beirando o ruivo claro, quase tão bonita quanto Kurama, olhos vermelhos e perfurantes, tão parecidos com tubos que chegavam a assustar de tanta beleza, usava roupas escuras, e tinha apenas uma cauda, as orelhas com alguns pelos brancos se destacam, a pele alva, assim como a neve imaculada do inverno, algumas mexas de seu cabelo preso lhe dava um ar a mais de fofura, ela era um pouco mais que uma cabeça menor do que Naruto, é uma de suas presas era saliente, lhe deixando tão incrivelmente fofa que vários ali desmaiaram.
  Ela parecia uma filha para Naruto, o jeito com que ele a abraçava, de maneira possessiva e protetora, quase tanto como Kurama, mas o ar em torno de ambos era tão paternal que ninguém ousou dizer uma palavra sobre.

  - É bom ver você depois de tanto tempo loirinha linda - Sua alegria era mais do que recíproca, eles tinham uma relação quase como a de um tio e sua sobrinha, suas bochechas avermelharam levemente, mas ela não parou de sorrir em nenhum momento, e quando seus olhos se encontraram, ela pulou em seu pescoço, engatando-o com seus braços finos e curtos.
  O sorriso dos dois aumentou, e juntos, ainda abraçados, deram um rodopio feliz e alegre.

  - Você está tão linda - Quando o rodopio parou ela finalmente tocou o chão, mas ainda assim não se separou de Naruto, ela o apertava forte contra seu pequeno corpo, sendo rodeada pelos braços fortes e poderosos da raposa do sol, não existia lugar melhor no mundo para se estar, ainda mais para aquela pequena raposa loira.
  Seus olhos vermelhos lembravam os olhos de Kurama, enquanto que os cabelos loiros semelhantes aos de Naruto, a faziam, em aparência, mais do que uma junção das características de ambos, a faziam parecer filha deles.
  Quando se separaram, Naruto viu os rubis infantis e brilhantes, olhando-o, com lágrimas de felicidade em seus olhos, parecia que o tempo havia parado, é só existiam eles, olhando-o, vendo-se um no outro, até que tudo voltou ao normal, e ficaram instantes se olhando, até o loiro mais velho coloca-la no chão.
  Ela limpou suas lágrimas, olhando-o, até que ela decidiu quebrar o silêncio entre eles.

  - Fazem... Por volta de trezentos e cinquenta anos, mestre... - Ela sibilou, tentando conter a felicidade em vê-lo, falhando, até porque, não queria ter sucesso em contê-la.
   
  - Estou de volta, mestre - Disse ela, cumprimentando-o "adequadamente" enquanto ele abria os braços, lentamente, para ela, recebendo mais um abraço caloroso da pequena raposa loirinha, o ato fez várias alunas que ali estavam, corarem e suspirarem, imaginando como seria ter um marido como Naruto.

  - Vamos ter nossa conversa em um lugar mais... Reservado - Ele tocou a cabeça da pequena loirinha, enquanto que, com a mão esquerda, ele tocou o rosto de Kurama, que corou fortemente, e eles desapareceram em labaredas amareladas e douradas como os raios do sol, deixando para trás várias garotas desapontadas, e alguns garotos entristecidos por serem privados da beleza de Kurama.
  Todos suspiraram e voltaram à seus afazeres, normalmente.

  [...]

- E então, como foi com a Sakura ? - perguntou para a pequena raposinha loira, que respondeu prontamente com um sorriso feliz em seus lábios.

  - Bom, a parte de administração da energia vital foi meio complicada, levei dez anos pra aprender, mas o resto foi muito divertido de aprender - Seu sorriso se alargou, fazendo o de Naruto acompanha-la, ele percebeu que ela olhava para Kurama, questionando-se sobre quem era ela.
  
  - Kurama, essa é Kunou, minha "aprendiz" e "filha"... - Kunou, a pequena raposinha loirinha corou um pouco, Naruto realmente era como um pai para ela, e ela era grata por isso todos os dias, a cada respirar de seu corpo, e ela o amava, incondicional alimente.

  - E essa é Kurama... Técnicamente... É sua mãe - A ruiva estava prestes a desmaiar pela perda de sangue por conta de sua hemorragia nasal, e a mesma coisa valia para Kunou, que parecia que perderia todo o sangue do corpo.
  Porém, algo a mantinha consciente, que era a beleza de Kurama, se fosse mesmo pra ela ser sua "mãe", é tão Kunou não poderia pedir por alguém mais bonita, mas foi então que aconteceu... Kurama desmaiou.
  Porém, em uma incrível velocidade, Naruto a agarrou, carinhosamente, antes que a mesma chegasse ao chão, olhando-o, com o rosto vermelho enquanto estava inconsciente, uma cena que tinha tanto carinho, que fez Kunou corar levemente enquanto a assistia.
  O loiro mais velho sorriu, enquanto levantava-a, repousando-a em sua poltrona, deixando-a confortável.

  - E então Kunou, alguma novidade ?- O diretora e um dos três principais fundadores, lhe perguntou, ela sentara na cadeira em frente à sua mesa calmamente, enquanto depositava suas mãos sobre as próprias coxas.
  
  - Foi legal, apesar de você ficar me vigiando... - Ela fez um muxoxo fofo enquanto virava o rosto para o lado, irritada, Naruto foi até ela, beijando a sua bochecha de maneira que fez um estalo, deixando-a corada.

  - Lá existem no monstros que bem... São perigosos pra você - Ele se ergueu, enquanto caminhava para a janela, olhando a escola, cujos pátios já estavam vazios, indicando que os alunos tinham retornando às aulas normalmente, claro, ele não precisava ver, sentia cada minúscula forma de vida naquele complexo.

  - Não pense que não posso me cuidar...- Ela parecia irritada, claro, na idade em que estava, ela precisava ter o seu espaço, suas coisas, era algo relativamente normal... Não era ?

  - Eu te amo Kunou - O que foi dito por ele a fez avermelhar enquanto ele se virava levemente para ela, chamando-a para ir até o seu lado, e sem questionar, ela o fez.
  Ela ficou perto dele, que passou a mão sobre sua cabeça levemente, repousando-a no seu ombro direito, aproximando-a dele, não houve protesto.

  -Eu construí esse lugar, vários milênios atrás, porque eu amo Kurama - Sua fala era mansa, mas parecia tão... Distante.
  Ele olhava o cruz recordando-se de memórias que, se pertencessem aos homens, agora seriam menos do que pó.

  - Quando conheci Kurama, ela era uma escrava - A frase fez a pequena loirinha olhar para ele, chocada, e em seguida, olhar para a poltrona atrás de si, depois disso, voltou a olha-lo.

  - Houve um homem uma vez, ele era um homem maligno, muito maligno, achava que os monstros eram superiores aos humanos, e incitou uma guerra - Sua fala parecia melancólica, além de parecer se esforçar para se lembrar de algo tão antigo, mas era apenas ilusão, coisas assim não se esquecem, não importa quanto tempo passe.

  - Naquele tempo, ele era o vampiro mais poderoso que existia, líder da família mais poderosa do reino das trevas, a família Uchiha, seu nome, era Madara - Ele disse esse último nome com uma raiva visível em sua voz, algo que Kunou raramente tinha visto até então, mas mesmo assim, continuou calada.

   - Aqueles que se negavam à lutar por sua causa eram escravizados, e Kurama passou quinhentos anos como escrava, não quero nem imaginar o que ela teve que fazer, e a atenção que recebeu de Madara, já que raposas, naquele tempo, eram raras - Ela sentiu sua mão tremer em seu ombro, algo que nunca tinha visto enquanto seus olhos, lentamente, se tornaram vermelhos, em forma de fenda, é aquilo surpreendeu Kunou, muito.

  - Quando eu a liberei, derrotando Madara, junto de Sasuke e Sakura, a liberdade é a paz finalmente reinaram, e o acordo de Valhala pôde, enfim, ser criado - Valhala, na mitologia nórdica, era um local para onde os calorosos guerreiros, mortos em batalha, poderiam ter o seu merecido descanso, para a humanidade, os monstros estavam extintos, então, tinha certo sentido.

  - Mas ainda existem homens como Madara por aí, se esgueirando, querendo destruir o equilíbrio que foi trazido com tanto sacrifício para esse mundo tão desolado, mas quer saber, se algum dia algo acontecer, fique tranquila - Ele a olhou, desta vê com um olhar sereno,enquanto ela se permitia mergulhar em seus olhos cristalinos.

  - Eu farei o impossível para proteger esse lugar, e as pessoas que eu amo - Ele acariciou a bochecha da garota,  que o abraçou, forte, enquanto sorria imensamente, ele prontamente retribuiu, olhando para a poltrona, onde haviam duas orelhas de raposa se mexendo, indicando que alguém havia despertado.

  - Ei "mamãe", vamos dar um abraço em família - Disse ele, abrindo o braço esquerdo, sorrindo, enquanto Kunou olhava para ela, sorrindo, fazendo o mesmo, em frente à isso, Kurama não teve como negar, se levantou vagarosamente e foi até eles, se encontrando em seus braços, permitindo-se sorrir.
  Naruto sempre sonhou em ter uma familia, e ele havia, finalmente, conseguido, uma familia que não se limitava apenas à Kurama e Kunou, mas sim, à todos ali, um local onde poderiam viver em paz, preservando o equilíbrio natural do mundo, sem conflitos, sem guerras, mortes, perdas, tudo isso já havia passado.  
  Naruto afagou levemente a cabeça de Kunou, e apertou ainda mais a cintura de Kurama contra seu corpo, enquanto aumentava o sorriso, até que ele acabou tendo uma ideia.

  -Ainda está na hora do intervalo, quem quer sorvete ? - Ao ouvir isso, os olhinhos perfeitos e vermelhos de Kunou se voltaram para ele, encarando-o, tão vivos e brilhantes quanto a joia mais rara da face da terra, ela não fazia ideia do quanto Naruto gostava de vê-la assim.

  - Eu quero “papai” - Naruto sorriu, enquanto os pequenos braços de Kunou, que rodeavam sua cintura, o apertou ainda mais forte, enquanto Kurama sentia o seu rosto quente, mas ainda assim, sorriu ao deslumbrar o sorriso da pequena loirinha.

 

  [...]

Excursão à ala das trevas.

 

 
   Há muito tempo, Naruto veio planejando este evento para a melhor turma do bimestre, a sala com melhores notas faria uma visita à uma das dimensões alheias, a ala das florestas, ou a ala das trevas, e, com a maioria dos votos, a ala vencedora foi a ala das trevas, onde era noite todo o tempo.

 

  - Muito bem alunos, existem alguns requisitos para que a “excursão” seja feita com segurança, primeiro de tudo, todos os materiais, inclusive aparelhos eletrônicos, na sala, quem não obedecer não irá para a excursão, e acreditem, eu vou saber… -
  A voz de Naruto intimidou muitos ali, que sequer pensaram em desobedecer o diretor, a aula em questão, que seria dada por Asuma, foi trocada, já que Naruto seria o responsável desta vez, assim, Asuma poderia organizar as próximas aulas dele.
  

  - Segundo, fiquem SEMPRE perto de mim, caso algo inesperado aconteça, o que eu duvido muito, eu poderei protegê-los - Disse com confiança na voz, enquanto todos guardavam o material e aparelhos eletrônicos, sob a supervisão de Naruto, logo em seguida, o loiro deu o sinal para que todos fossem para fora da sala.

 

  - Caros alunos… Nossa viagem começa agora - Com um sorriso encandadoramente brilhante em seus lábios, ele estalou os dedos, ecoando no imenso e longo corredor por alguns segundos, e nesse tempo nada aconteceu, porém, logo atrás dele, formou-se uma esfera de vácuo, e, então, um portal se abriu, semelhante à sombras negras e escuras, o portal era grande, mais do que o dobro da altura dos alunos, e a largura equivalia à cinco pessoas, tendo o formato de uma porta.

 

  - Avante - Dito isso o loirinho adentrou portal adentro, sendo acompanhado pelos seus alunos, que se sentiam estranhos, era uma sensação esquisita atravessar aquele portal, era como se seus corpos estivessem mergulhados na água, flutuando, mas sentiam frio, como se estivessem no fundo do mar, e eis que a surpresa surge, ao olharam de novo ao redor de si mesmos, viam uma imensidão azul, com uma grande ilha à frente.

 

  - Bem vindos à dimensão das trevas, onde nunca faz sol, e a escuridão comanda com mãos de ferro - A fala de Naruto impressionou todos ali, que olhavam ao seu redor, vendo o mas tempestuoso, enquanto o céu, negro, insistia em relampaguear e trovejar fortemente, o céu se iluminava com os rugidos fortes dos trovões e relâmpagos.
  Foi quando decidiram olhar para baixo, nesse momento vários se abraçaram com medo, viram que estavam, simplesmente, de pé sobre a água, como se fosse chão sólido, todos escutaram uma pequena risada vinda de Naruto, então os olhares se dirigiram à ele, foi então que perceberam algo
  A água ao seu redor balançou de forma que parecia um grande tsunami, vários redemoinhos e turbilhões se formavam ao seu redor, o vento formava redemoinhos fortes, se não fosse pela barreira criada por Naruto, seus alunos sairiam voando por ali, o loiro olhava a tempestade e, com apenas um gesto de seu braço, ela, imediatamente, foi acalmada, as águas se tornaram serenas e a ventania violenta e brutal, leves brisas frias e úmidas.
  Foi então que todos ouviram um zumbido, e sentiram a água tremer, esquentar, ferver, de maneira que começava a se liberar vapor, tornando o local quente e difícil de respirar, esse zumbido foi aumentando, e, quando deram por si, olharam para baixo, vendo uma enorme sombra se aproximar, com dois brilhos vermelhos grandes e horripilantes cada vez mais perto.
  Dá água, surgiu uma criatura colossal, de uma maneira que apenas o seu olho, era do tamanho de um homem adulto de grande porte, tinha dentes afiados como navalhas, não tinha lábios, o que formava um sorriso medonho em seu rosto, não tinha nariz, nem nada que lembrasse um rosto humano.
  As escamas, esverdeadas, quase negras, o faziam se misturar na escuridão eterna que era aquele lugar, suas costas e corpo, repletos de espinhos, eram intimidadores, tinha dois poderosos braços, semelhantes à humanos, enquanto que, da sua cintura para baixo, haviam duas pernas, semelhantes aos de um sapo, uma cauda gigantesca e musculosa.
  O simples passar de olhos foi insuficiente para deixar os alunos de Naruto mais do que apavorados, a criatura rugiu, tão forte que parecia que iria quebrar o mundo em bilhões e bilhões de pedaços, apenas para depois cara-los e recriar o mundo à sua imagem, um trovão rasgou os céus com seu rugido, fazendo-os tremer, paralisados de medo.
  A criatura olhou para Naruto e se afastou enquanto o loiro andava em sua direção.

  - Você parece maior da última vez que eu te vi - Foi surpresa para todos ali, verem o loirinho falar com a criatura como se fossem velhos amigos.

  - E você parece menor - A voz da criatura era grave, grossa e poderosa, como os trovões mais altos do mundo, prontos para destruir a terra com suas batidas e tempestades incansáveis e imponentes.

  - Faz um tempo que não venho pra cá, tipo, uns quinhentos anos mais ou menos, quer mesmo fazer isso ? - Naruto falava com Naturalidade na voz, como se falasse com um companheiro qualquer, sequer intimidando-se pela voz, altura, ou aparência da figura a frente dele.

  - É a tradição, todos que cruzam, devem lutar - Se afastou de Naruto, enquanto um pequeno brilho surgia ao redor dele, tornando-o iluminado como uma pequena chama na escuridão, o gigante monstro olhava para ele, que logo começou a correr em sua direção, ergueu seus colossais braços e tentou golpea-lo, seus movimentos, apesar do gigante corpo que tinha, eram velozes, e qha ti o seu braço mergulhou na água, uma grande ronda foi criada

  Porém, antes que algo mais acontecesse, todos desapareceram em chamas negras avermelhadas, deixando o "monstro" um pouco desapontado, porém, ele sabia que teria outra chance de se testar contra o diretor da dimensão neutra, depois desse pensamento, lentamente começou a mergulhar, até desaparecer, como se nada tivesse existido ali antes, retornando para as profundezas de onde viera.
  

  [...]

  Todos surgiram em uma sala escura, até mesmo podendo se dizer sombria, com vários livros, poltrona de couro negro, virada de costas para todos, a sala era semelhante à de Naruto, porém mais sombria e assustadora, acima das paredes e das estantes, haviam quatro gárgulas, cada um em um canto do cômodo, que pareciam olhar para eles.
  A poltrona se virou sem fazer barulho, e logo se revelou Sasuke, vestindo um terno negro, assim como as calças e sapatos, uma camisa social azul marinho por baixo do terno, sem qualquer gravata, seu olhar sério e sem expressão fez as garotas corarem e alguns garotos ficarem assustados e temerosos.

  - Que ideia foi essa ? Se eu não tivesse sentido o deslocamento de você ia ter que lutar com... -

  - Me poupe do sermão seu chato, além disso, sabemos qual seria o resultado + A interrupção de Naruto transformou o olhar sério de Sasuke em um olhar irritado, ele se levantou de sua mesa, desaparecendo em uma nuvem negra e vermelha, surgindo à frente se Naruto, que estava com as mãos no bolso, ambos apertaram as mãos e sorriram, em seguida ele observou seu relógio de bolso, constatando o horário.

  - Escutem, enquanto estiverem aqui, serão minha responsabilidade - As palavras saiam de sua garganta como uma melodia suave e entrava nos ouvidos das garotas, as encantando completamente, já os garotos, se sentiam intimidados.

  Logo todos se colocaram a andar, com Sasuke e Naruto à frente de todos, que os seguiam, juntos, ao saírem da grande sala do diretor deram de cara com um homem, alto, extremamente pálido, beirando o branco, cabelos longos e negros, olhos reptilianos de cor esverdeada com marcas arroxeadas ao redor dos olhos, vestindo um terno elegante de cor beige, camisa social preta e gravata roxa, usando luvas que cobriam sua mão completamente, calças negras e sapatos da mesma cor.

  - O que faz aqui Orochimaru ? Você já tem sua tarefas não ? - A voz de Sasuke soava severa, e era mesmo, o Uchiha não admitia falhas por parte de seus funcionários, e os professores eram tão rígidos quanto ele em suas aulas.

  O homem a frente deles curvou-se levemente, colocando a mão em seu peito, um claro sinal de respeito para com Sasuke, e as atuais visitas, a classe de Naruto se assustava um pouco com a aparência do homem, era intimidador, e seu sorriso parecia cruel.

  - As tarefas foram cumpridas senhor diretor, apenas vim entregar meu relatório - Aquele homem, tirando, finalmente, o braço esquerdo de trás das costas, entregou um papel para Sasuke, este que se assemelhava à um pergaminho, Sasuke, ao pega-lo, o fez desaparecer em chamas negras, sem deixar rastros.

   - O lerei assim que terminar de entreter nossos… Visitantes - Os olhos dele rondaram pelos alunos, provocando arrepio em suas espinhas, até encontrar o azul celestial dos olhos de Naruto, e este sorriu.

   -Faz muito tempo Orochimaru - Naruto foi à frente dele e lhe estendeu a mão, tal ato foi respondido da mesma maneira pelo tal homem, agora descoberto atender pelo nome de Orochimaru.

  - Sim senhor Naruto, muito tempo - O aperto de mão se desfez, e, com isso (e a devida permissão de Sasuke) ele se retirou, afastando o calafrio nas colunas dos alunos da dimensão neutra.

 

  - Antes que perguntem, aquele é Orochimaru, secretário de Sasuke, não mexam com ele, muito menos quando ele estiver de mau humor… -

 

  - Ele é uma Yamata no Orochi - Sasuke interrompeu Naruto, fazendo-o criar um muxoxo fofo em seu rosto, mas essa fala fez os alunos do loirinho gelares desde a ponta dos dedos dos pés até o último fio de cabelo.

Yamata no Orochi, uma criatura da mitologia japonesa, possuía oito cabeças, oito caudas e olhos vermelhos. Tinha musgo e árvores em suas costas, era tão grande que ocupava oito vales e oito picos, realmente intimidador.

  O grupo de alunos andava amontoado, intimidados com a imagem que se formara em sua mente da verdadeira aparência de Orochimaru, realmente ele deveria ser temido, se sentiam formigas ali, ou menores ainda do que formigas… pulgas, Naruto, sentindo suas emoções, gargalhou levemente.

 

   - Ei Sasuke, lembra da nossa primeira luta ? - Seu comentário desviou a atenção de todos os alunos, que olharam para ele, mas, ainda assim, continuavam amontoados em um pequeno grupo de garotos e garotas de não mais quatorze anos, haviam poucas variações, algumas raças vivem mais do que outras, um cão d’água demora mais de quarenta anos para finalmente alcançar a idade adulta, já as sereias, nascem praticamente adolescentes

  Ele olhou para o loiro, sorrindo minimamente, enquanto que seus olhos negro como a maus densa escuridão pareciam brilhar, adquirindo um pouco de vida naqueles salões escuros e com pouca vida, cuja altura total não podia ser vista por causa da escuridão, as paredes, feitas de mármore escuro, chegava a refletir seus reflexos como o mais limpo e lustrado espelho, o problema, é que não refletia os reflexos dos alunos que andavam pelos corredores.

  Os alunos de natureza sombria não tinham reflexo, porque sua forma física original não podia ser refletida, tais reflexos quebrariam o mármore em milhões de pedaços, e isso não traria uma imagem positiva do diretor da dimensão sombria, aquilo era magia, relativamente simples de se fazer e se manter,o corredor era tão alto que, se você andasse sozinho, ouviria o barulhos do eco dos seus próprios passos, um após o outro,em pequenos intervalos de tempo..

 

  -Sim, lembro, lembro de você,todo sujo no chão,enquanto eu pisava em você - Seu pequeno sorriso aumentou um pouco enquanto resgatava memórias muito mais do que antigas, porém,o loiro obteve um sorriso maior ainda.

 

  -Engraçado,não é assim que eu me lembro, esta com a cabeça fora do lugar ? Eu posso coloca-la de volta no lugar, tenha certeza - Ele fechou o punho de maneira que seus ossos estralara,m,e,com isso,tiveram a sensação de que aquela dimensão inteira tremera junto.com ele.

  Todos viram os olhos de Sasuke se tornarem levemente vermelhos como o sangue,brilhando como duas luzes frias na escuridão gélida daquele lugar,mas logo se acalmaram e ambos gargalharam,o loiro tocou seu ombro,se apoiando nele.

 

 - Vamos deixar isso para outra hora,temos responsabilidades agora,por favor,apresente a sua ala pra eles - Naruto deu espaço para ele,que se curvou um pouco,começando a falar.

 

  -Aqui,na dimensão das trevas,existe apenas uma regra... - As paredes desapareceram,como se não existissem, ou como se quer um dia houvessem existido,todos se sentiam frios, como se estivessem no fundo do ar,e,quando olharam ao redor deles mesmos, estavam mesmo,porém,ainda respiravam.

  Do escuro,com olhos brilhantes,o mesmo monstro que os recepcionou surgiu, rugindo, enquanto que a água ao seu redor se tornava puro vapor, indo de encontro à outra criatura tão estranha e gigante quanto ele,olhos vermelhos,pele escamosa,se assemelhando com uma serpente,focinho alongado como o de um crocodilo,tinha uma longa cauda,garras longas,espinhos em suas costas,e se encaravam,até irem de encontro um contra o outro,criando uma onda de choque que abalou aquele mar por completo,o rugido de ambos fez todos os alunos de Naruto tamparem os ouvidos.

 Cada um dos socos trocados geravam impactos que eram sentidos em seus ossos,cada arranhão, mordida, cabeçada, doía em sua alma.

 

  -... O mais forte,tem mais direitos -

 

 Após dizer isso, cada um dos combatentes expeliu um rugido de fogo e chamas,um deles de cor amarelada,o outro de cor azul-brilhante, entre eles,uma grande quantidade de vapor se formou, e, em seguida, uma explosão.

 

  - Relaxem,não é possível alguém morrer aqui,apenas ficar inconsciente,suas feridas serão tratadas quando recuperarem a forma humana,pois os ferimentos são os mesmos em ambas as formas, e em forma humana, são mais fáceis de serem tratados - Sasuke parou, ao chegarem à frente de uma grande porta negra feita e esculpida em madeira, maçanetas douradas com adornos prateados, aquela dimensão parecia ser muito luxuosa, na mesma medida em que era rígida, Naruto sempre ria desse pensamento, Sasuke sempre foi muito soberbo, também pudera, ele veio de um clã mais do que soberbo.

  Nos tempos mais antigos, haviam rumores de que os Uchihas, graças à sua força, inteligência, poder, e seus olhos, eram descendentes de grandes e antigos deuses, por mais que tal rumor não fosse real, alguns desses Uchihas se provaram quase deuses, o primeiro que veio á mente dele era Madara, esse foi o inimigo mais poderoso que Naruto, Sasuke e Sakura já enfrentaram, juntos, e, com toda a certeza, o mais terrível.

  Ao abrir a grande porta, todos se depararam com várias camas brancas forradas com lençóis, alguns aparelhos desligados, era uma ampla sala, podendo conter várias camas, e, caminhando até eles, todos viram uma garota, de pele clara, cabelos castanhos que desciam em forma de cascada, uma franja que cobria metade  de sua testa, olhos de uma tonalidade castanha mais clara ainda, vestindo branco, uma camisa simples, por baixo de um sobretudo branco, saia da mesma cor, calçando pequenos tamancos de cor preta, ela andava enquanto olhava para uma prancheta, enquanto que, com sua caneta, escrevia algo.

  Sasuke limpou sua garganta, chamando a atenção da jovem que parecia não ter mais de dezesseis anos, ela levantou a cabeça, e todos os garotos da sala olharam para ela, quase encantados, não havia salvação, garotos eram garotos, e, nessa forma humana, sentiam sim atração por outras garotas, mesmo que não fossem da mesma espécie de monstros, afinal, eles tinham a forma, e, consequêntemente, os hormônios dos jovens, Naruto sempre ria quando se lembrava de como foi difícil se acostumar.

 

  - Essa é a enfermaria, e esta é a enfermeira, Yakumo Kurama - Ela parecia envergonhada e com as bochechas um pouco rosadas, visto que Sasuke havia chamado sua atenção momentos atrás, ela se curvou lentamente, em respeito, em seguida, com o consentimento de Sasuke, ela foi até Naruto, o abraçando gentilmente, surpreendendo todos os alunos, que começavam a pensar.

 

  “Por quê sempre ele?”

  “Eu também quero um”

  “Droga, bem que poderia ser eu”

  Depois desse abraço, que durou cerca de três segundos, ela olhou em seus olhos, e assim, deixou sua forma transparecer, libertando longas e castanhas orelhas em sua cabeça assim como três caudas peludas e felpudas em suas costas, suas bochechas adquitiram três bigodes e seus olhos uma fenda negra no centro destes.

 

  - Sejam bem vindos à ala médica, eu sou Yakumo Kurama, sou uma Genko, vista como um bom presságio em várias culturas e histórias, principalmente a japonesa - Quando disse isso, deu uma pequena piscadinha, fazendo alguns garotos suspirarem, enquanto que as garotas reviravam os olhos.

  - Bom presságio com certeza - Disse Naruto com um grande sorriso, fazendo Yakumo corar um pouco.

 

  - A-Aqui cuidamos dos feridos, qualquer ferimento pode ser tratado, qualquer lesão curada, mas isso não quer dizer que possam simplesmente machucar uns aos outros, combates aqui dentro, apenas permitidos de acordo com as normas, existe toda uma cerimônia que deve ser executada antes de um combate, então não arrumem confusão… Ou vão se arrepender - A útima parte, dita com uma voz macabra, gelou a espinha de todos os alunos de Naruto, que tremeram, Yakumo sempre foi muito conservadora, gostava das coisas no lugar delas, tal ato fez Naruto soltar uma risadinha, porém ele logo se calou quando ela olhou para ele, Sasuke sorriu.

 

  - Bem, vamos continuar, ainda há mais coisas à serem vistas - Dito isso, Sasuke se Curvou à Yakumo, que curvou-se novamente, Naruto lhe deu mais um abraço, e depois seguiu com sua turma, deixando para trás uma Yakumo ruborizada por ter sido pega de surpresa nesse último ato do loirinho, mas o sorriso em seus lábios denunciava o quanto ela havia gostado.

  Andaram por mais um tempo, Sasuke explicava as regras de sua dimensão, enquanto poucos alunos eram vistos nos corredores, indo sempre cumprir alguma tarefa para seu professor, ou indo até a biblioteca, falando nela, todos haviam acabado de chegar nela.

  Havia uma grande porta, tão luxuosa quanto a primeira, quando foi aberta, todos se depararam com várias estantes de livros flutuando devagar, em uma espaço que parecia não ter fim, várias pequenas luzes flutuavam, dando brilho à aquela escuridão, luz demais acabava incomodando a visão das criaturas que moravam lá, a maioria eram criaturas abissais, ou que vivem em locais com pouca iluminação, como cavernas submarinas.

  Assim que entraram, foram recepcionados por uma jovem garota, que parecia bem mais velha do que eles, mas ainda assim parecendo não passar dos trinta, cabelos arroxeados, olhos castanhos sem pupilas, vestindo um sobretudo amarronzado, camisa negra, e ainda assim seus fartos seios eram bem evidentes, usava uma caia que ia até metade de suas torneadas coxas, sandálias de salto alto, andando enquanto lia uma revista erótica, o que fez todos os alunos desviarem o olhar.

 

  - Esta é Anko, responsável pela biblioteca - Anko guardou seu pequeno livro em um dos bolsos internos de seu sobretudo, olhando para todos ali, com seu olhar parando em Naruto, ela se aproximou dele, lambendo seus lábios, de forma sexy.

  À medida que ela se aproximava dele seu corpo mudava, suas vestes desapareciam enquanto que mais de seu corpo era mostrado, uma vestimenta com vários adornos, seus seios eram tampados apenas por um tom com detalhes em metal, sua intimidade por uma peça de roupa que se assemelhava à uma calcinha, asas surgiram, semelhantes às de morcego, assim como chifres, orelhas pontudas e longas, olhos azuis brilhantes, e, em suas costas, uma cauda pontuda, como a de um demônio, a pele, agora arroxeada, lhe dava um ar sensual, os cabelos, agora longos, chamavam a atenção, e o corpo, chamou ainda mais, tanto, que todos olhavam para ela, de olhos arregalados, tirando Sasuke e Naruto.

  Ela se aproximou do loirinho, que era uma cabeça mais baixo o que ele, Sasuke via aquilo tudo calado, apenas esperando para saber o que Naruto iria fazer.

  - Olá Na-Ru-To, veio me fazer uma visita ? - Ela disse, nunca parando de se aproximar dele, com a voz sexy, rebolando cada vez mais, enquanto um não tirava os olhos do olhar do outro, sempre com o olhar fixo nos olhos do outro.

 

  - Temo não estar na forma apropriada para te fazer uma visita, especificamente falando - Ele viu suas bochechas se tornarem rubras, visto que ela não o via como o uma criança, cuja sua forma atual dava á entender, não, muito longe disso, Naruto apenas não tinha a malícia natural das raposas, mas isso não quer dizer que ele seja inocente

  - Bem que você poderia me ajudar de novo… - Anko Mitarashi era uma Succubus, simples assim, O súcubo se alimenta da energia sexual dos homens engravidar a si mesma ou a outros súcubos, e quando invade o sonho de uma pessoa ele toma a aparência do seu desejo sexual e suga a energia proveniente do prazer do atacado. As succubus tendem a ficar mais fortes e mais frequentes em épocas de transição de lua cheia, com isso ficando mais descontroladas e mais sedentas. Estão associados a casos de doenças e tormentos psicológicos de origem sexual, pois após os ataques se seguiam pesadelos e poluções noturnas nas vítimas. De acordo com a mitologia, são seres que podem viver aproximadamente 750 anos. A contraparte masculina desse demônio é chamada de íncubo, ali também haviam eles, porém, em menor escala, visto que essa contraparte da espécie desse “demônio” tinham hábitos diferentes destas.

  Anko as vezes precisava de ajuda com isso, já que algo de gênero sexual não era permitido dentro dos limites das dimensões, então eis que entrava Naruto, mesmo que a energia que rondava as dimensões suprisse as necessidade naturais de cada monstro, Anko precisava disto, ela era uma das poucas que não faziam aquilo para engravidar à ela ou à outra, ela fazia pelo prazer, pelo puro e indescritível prazer, por isso Naruto criar ilusões em sua mente, porém, ele nunca soube com o que ela sonhava.

  Naruto era especialista em ilusões, quando ele lançava uma sobre a mente de Anko, deixava-a livre para imaginar o que quisesse, ele apenas… mostrava o caminho para sua mente e ela fazia o resto, resto esse que Naruto não precisava sabe o que era, nem queria.

  - Isto pode ser arranjado Anko - Ele segurou as mãos dela, enquanto a fazia voltar à sua forma humana, enquanto que os garotos recebiam um cascudo na cabeça, cortesia das garotas, enquanto Anko sorria, abraçando-o fortemente, colocando sua cabeça entre seus fartos seios, fazendo até mesmo Naruto e Sasuke corarem.

 

  - Controle-se Anko - A voz de Sasuke soou rígida, porém, o vermelhidão em seu rosto dizia que era por vergonha, ela sorriu, adorava provocar as pessoas, e voltou a andar para biblioteca, apoiando-se em sua mesa,.

  - Esta biblioteca está sobre os meus cuidados, e dos meu assistente, ou devo dizer minhas assistentes - Ela deu uma leve risadinha, sentindo algo se aproximar deles, e, então, de sabe-se-lá-de-onde, duas figuras, rapidamente, saltaram no pescoço de Naruto, agarrando-o fortemente.

 

  - Bem vindo Naruto! - Duas vozezinhas infantis e fofas gritaram, enquanto Naruto rodeava as duas crianças penduradas em seu pescoço, aninhadas ali com carinho, cada uma balançando o par de caudas que tinham.

 

  - Obrigado Miina, Sora, é bom ver vocês - Ele as colocou no chão, e depois beijou suas testas, Miina era a menor, tinhas cabelos curtos, lisos e ruivos, olhos castanho escuro, vestia uma camisa simples, branca de mangas curtas, calças escuras e sandálias brancas, seu par de caudas acompanhavam a cor de seus cabelos, já Sora tinha seus cabelos da mesma cor, porém negros e com as pontas repicadas, olhos um pouco mais escuros, vestia uma camisa escura de mangas longas, porém, dobradas até seus cotovelos, usava calças claras e sandálias escuras, assim como Miina, seus caudas acompanhavam a cor de seus cabelos,    

  As orelhas de gato em suas cabeças demonstravam ansiedade e felicidade, já que não paravam de se mexer, junto com suas caudas, em seus rostos, dois riscos, assim como dois bigodes de gato, Miina e Sora eram duas Nekomatas, sua espécie fora logo reconhecida por todos da classe, que não ousaram fazer qualquer pergunta, nem interromper aquele momento “paterno” de Naruto, nem mesmo Sasuke o fez.

 

  - Nós… Nós fizemos isso pra você… - Disso isso elas estenderam a mão,e chamas azuladas surgiram, dando lugar á uma pequena caixinha negra, a qual Naruto pegou, sentando-se no chão

 

  - Sasuke, pode leva-lo e continuar mostrando a escola para eles, eu vou alcança-los jajá, e crianças, comportem-se, não quero ter que dizer o que o Sasuke faz com bagunceiros aqui - Dito isso os olhos de Sasuke brilharam em vermelho, arrepiando todos ali, depois de minimamente sorrir, todos continuaram, adentrando mais na biblioteca, até desaparecerem em meio às estantes flutuantes, Miina e Sora acompanharam Naruto, sentando-se com suas pernas cruzadas, enquanto que suas caudas ainda se mexiam levemente, chegando até a se entrelaçarem entre elas, por estarem nervosas.

  Naruto abriu a pequena caixinha negra, cuja tampa logo desapareceu, e, de dentro da caixinha, era possível ver uma pequena joia retangular, de cor verde brilhante, presa em um cordão, Naruto a retirou de dentro da caixa, que também desapareceu segundos depois.

 

  - Não foi fácil fazer, erramos diversas vezes…. - Sora juntou suas mãos do as de Miina, um pouco nervosa,, vendo o olhar surpreso de Naruto para a jóia, as irmãs, apesar de terem pouco mais de cem anos, ainda pareciam crianças de seis anos de idade, o colar, feito nos mínimos detalhes, encantou Naruto de uma maneira que ele não soube descrever, as duas irmãs se entre-olharam, contando mentalmente para falarem juntas.

 

   - Feliz aniversário Naruto! - Elas disseram em uníssomo, em uma voz apenas, fazendo Naruto olha-las longamente, antes de pouco a pouco, um sorriso se formar nos lábios do loirinho, seus olhos azuis brilhando como o próprio sol, seu corpo, sem qualquer tipo de reação, a não ser criar um sorriso em seus lábios, um dos maiores sorrisos que ele já dela até hoje, e, então, ele, lentamente olhou para elas, com olhos brilhantes, um sorriso caloroso, e lágrimas de alegria percorrendo suas bochechas, ele tentava falar, mas não conseguia, havia um nó em sua garganta, ninguém tocava o coração de Naruto como aquelas duas irmãs.

  Cem anos atrás, ele as achou, em um rio, fugindo de um grupo de caçadores, que acidentalmente as confundiu com uma fera selvagem, talvez tivessem feito alguma brincadeira e os irritado, Naruto criou a ilusão de uma imensa fera, que os assustou e os fez correrem para longe, mais tarde, ele olhou no coração as duas, sua querida mãe havia morrido tempos atrás, devido à um trágico acidente, um deslizamento de pedras perto de sua casa, onde havia uma grande montanha, desde então elas havia jurado proteger uma à outra, seu pai era um humano comum, que nunca soube da gravidez da amante, que provavelmente partiu por causa do medo dele descobrir que ela era uma nekomata.

  Então, determinado a cuidar delas, ele curou seus ferimentos e as levou consigo, as criou junto dele, ainda se lembra da dor de cabeça que Sakura havia lhe dado, sobre o quão irresponsável era trazer alguém de fora sem qualquer consentimento, mas qual consentimento era necessário? Ele era um dos fundadores da escola, ninguém estava acima dele, claro, junto de Sakura e Sasuke, mas, no final, ela cedeu, porque ela conhecia o passado de Naruto.

  Ele não deixaria ninguém mais passar pelo que ele passou, ele viu os pais morrerem, assim como toda a sua familia, ele foi escondido por alguém que ele não queria perder, e até hoje não sabe se perdeu, a procurou toda a vida, mas não a achou, sua irmã mais velha, Tsumiki.

  O loiro não deixaria ninguém mais sentir o que ele sentiu, quando sua familia foi tirada dele, quando ele os viu morrer, tudo porque estavam atrás de seu poder,  um poder pertencente à sua familia, um poder que queriam usar para fins malignos, um poder que era almejado por Madara Uchiha.

   E quando Sakura e Sasuke olharam em seus olhos, eles, naquele momento, sabiam que não teriam chance alguma de fazê-lo desistir daquela ideia, que mesmo que eles tentassem força-lo a desistir, falhariam miseravelmente.

  Ele as criou, as viu crescer, se tornarem cada vez mais forte, as ensinou a usar seus poderes, elas, junto de Kunou, eram como filhas pra ele, e, com o tempo, se afeiçoaram à ele, exatamente como um pai.

  Elas, junto de Kunou, e Kurama, claro, eram as que mais tinham facilidade em tocar o coração de Naruto, e elas nunca esqueciam do aniversário dele, apenas depois de trinta segundos chorando, ele as abraçou, não conseguindo sequer falar, todos os presentes que elas deram à Naruto foram guardados com todo o carinho do mundo, ou até mesmo mais do que isso.

 

  - E… Eu amo vocês - Os pequenos bracinhos das garotas, rodeando os dele, apertando-as contra seu corpo, só evidenciavam ainda mais a proximidade que elas tinham para com o loirinho, e, depois disso, foi a vez delas de chorar junto com ele, elas tinham sim facilidade de tocar o seu coração como nenhum outro, mas o vice-versa também era válido.

  Depois de certo tempo assim, Naruto colocou o colar em seu pescoço, dizendo que o guardaria para sempre, e então se lembrou que tinha que alcançar sua sala, se despediu de cada uma delas, abraçando e beijando a bochecha de cada uma, que coraram com isso, Naruto disse que as visitaria mais vezes.

  Quando ele alcançou sua sala, a “excursão” já estava no fim, todos os seus alunos estavam pálidos, provavelmente por causa de algo que Sasuke disse, quando os olhares se encontraram com os de Naruto, todos se esconderam atrás dele.

 

  - O que disse pra eles Sasuke ? -

 

  - Nada demais, apenas expliquei a punição para quem tentar expiar as garotas em seus dormitórios, assim como a punição por bilhetinhos nas salas e desrespeito aos professores -

 

  - Ah… Entendi - A punição por isso chegava a assustar até mesmo Naruto, não seria sábio entrar em detalhes nesse assunto.

 

  - Bem, acho que é hora de voltarmos, eles já viram demais, e não quero traumatizar os coitados - Disse, enquanto que todos os alunos assentiram com a cabeça, ainda um pouco pálidos, Naruto andou até Sasuke, lhe dando um pequeno soco no braço.

 

  - Isso é pelos meus alunos - Depois de sorrir para seus alunos (encantando a população feminina desta) eles foram embora, pelo mesmo portal pela qual entraram, voltando à sua dimensão de origem, Sasuke sorriu, acariciando levemente o seu braço, pouco segundos depois, uma grande dor foi sentida na região ao qual Naruto tocou, e, então, ele foi arremessado para trás por diversos metros, era como se, apenas alguns segundos depois de Naruto o ter tocado, a força tivesse chegado apenas agora.

 

  - Droga Naruto - Dito isso Sasuke riu, enquanto se levantava, limpando suas roupas e voltando par sua sala.

 

  - Você me paga…-

 

  [...]

 

  Logo depois trazer seus alunos de volta (E tranquiliza-los), Naruto voltou para sua sala, chegando até mesmo a parar um pouco para pensar, acariciando levemente o colar que ganhara das duas nekomatas, ficara um tempo pensando, sem perceber que um leve sorriso nasceu em seus lábios, até que escutou algo estranho.

  “Ei, fiquem quietos”

  “Ele vai chegar à qualquer instante”

  “Se preparem”

 

  Ele tocou a maçaneta, e, lentamente, a girou, entrando em sua sala, mas qual sua surpresa ao ser recepcionado com vários gritos, com uma salva de pal,as mais gritos, olhares e sorrisos felizes.

 

  “Feliz aniversário Naruto!”

 

   Foi o que todos gritaram, todos estavam lá, Kakashi, Asuma, Kurenai, Jiraya, todos os professores daquele departamento estavam ali, inclusive Sasuke e Sakura estavam lá, ao Lado de Kurama, Kunou, Miina e Sora também, em cima de sua mesa, havia um grande bolo de três andares, com algumas velinhas, Naruto estava sem reação, enquanto olhava todos rindo da reação dele, Kunou disse que sabia que essa seria a reação dele, enquanto ele via Kurama se aproximar dele, timidamente.

 - Feliz aniversário Naru… - Ela começava, mas parou ao ver o olhar de Naruto sobre ela, enquanto lágrimas começavam a percorrer seu rosto mais uma vez, e um grande sorriso se abrir em seus lábios mais uma vez naquele dia, enquanto ele, inutilmente, tentava parar de chorar e limpar as lágrimas.

 

   “Pai, mãe, familia, se vocês pudessem ver isso...”

  Ficou alguns segundos chorando, até que ele finalmente conseguiu falar.

  - Eu amo todos vocês! -

 

  E, mais uma vez naquele dia, Naruto chorou...


 


Notas Finais


E então, o que acharam? Comentem, sério mesmo, meu orgulho não são os favoritos, mas sim os comentários, interagirmos é importante sabiam ? e ressaltando, se conhecerem alguma criatura de histórias e lendas, e querem vê-la aqui, mandem nos comentários, porque irei inclui-la ok ?
Até a próxima \o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...