1. Spirit Fanfics >
  2. Baldur Odinson (Marvel Fanfic) >
  3. Gorr, O Carniceiro de Deuses Parte 1

História Baldur Odinson (Marvel Fanfic) - Capítulo 60


Escrita por:


Capítulo 60 - Gorr, O Carniceiro de Deuses Parte 1


Fanfic / Fanfiction Baldur Odinson (Marvel Fanfic) - Capítulo 60 - Gorr, O Carniceiro de Deuses Parte 1

POV: Baldur.
Deserto Australiano,2010
No momento em que o deus se desintegrou.



Penso nas palavras que ele me disse ante de morrer as tentando entender, infelizmente não me lembro de ninguém que tenha o título de assassino de deuses, se pelo menos ele tivesse me dado um nome eu saberia na hora, seres da Marvel principalmente os vilões têm centenas de títulos.



(De qualquer forma ele falou que ele está vindo então tenho que me preparar.)



“Alice quero que você coloque todos seus recursos disponíveis para encontrar qualquer nave ou ser que entre na terra, não importa se for apenas um pequeno meteoro eu quero saber.”



“Entendido.”



Eu me levanto é saio da gigantesca cratera, não há nada deixado para trás já que o corpo se desintegrou então não preciso me livrar de nada para não deixar nada cair nas mãos da Hydra, devo voltar para Genosha e ficar em alerta máximo.



Subo em Sleipnir e quando estou prestar a volta para casa vejo o espaço se destorcer do meu lado revelando a Anciã. olho para suas roupas destruídas e vários cortes em seu corpo em choque, não a muito seres que podem a ferir ela dessa forma.



“Oque aconteceu com você?” Pergunto imediatamente.

“Você tem que ir até ela, ela está em perigo!”



Imediatamente sei de quem ela está falando.



“Alice onde está Amora!?”



Alice localiza imediatamente as coordenadas de Amora que está no meio do Egito, vejo que a anciã não está com seu anel para poder criar portais então eu a deixo montar nas minhas costas e disparo com Sleipnir mais rápido que nunca para o Egito.



Do alto vejo um enorme oceano de areia. Demorou apenas um segundo para chegar até as coordenadas que Alice me deu, abaixo de nos vejo um ser em volta de escuridão de costas para mim, ele está segurando Amora pelo pescoço a levantando do chão e na sua outra mão vejo uma adaga negra indo em direção a seu corpo, eu me jogo de Sleipnir e vou o mais rápido que posso para eles.



“NÃOOO SE ATREVAAAAAAA!!!!”



Grito quando vejo que não vou chegar a tempo tentando desviar atenção do homem coberto de escuridão, mas ele não para. Eu vejo a adaga negra perfurar o abdômen de Amora e tudo que sinto é raiva e medo, um segundo depois estou atrás do homem, eu giro Sigel com toda a força que possuo, não foi um golpe habilidoso, foi apenas um movimento bárbaro girando uma lança como se fosse um taco de beisebol, a lança acerta o rosto do homem.



“BOMMMMMMMMMM!”

A força o lançou para o alto tão rápido que ele quebrou a barreira do som cruzando o céu, mas eu não me importo com ele e pego o corpo de Amora antes dela cair na areia. Segurando Amora nos meus braços olho para seus ferimentos, a um grande hematoma cobrindo metade do seu rosto, mas o ferimento mais grave estava poucos centímetros abaixo do seu coração, a ferida não estava sangrando mas posso ver as mesmas veias negras se alastrando pelo seu corpo, o mesmo tipo de ferimento que matou o outro deus.



“Baldur.....”



Ela dá sorriso de felicidade pra mim me olhando apenas com um olho, o outro estava fechado por conta do inchaço.



“Está tudo bem agora, você pode deixar tudo pra mim.”



“Está bem... vou descansar um pouco então.”



Depois dessas palavras ela desmaia nos meus braços.



“Sleipnir”
 


Quando chamo Sleipnir desce dos céus e pouso poucos metros de mim com a Anciã ainda montada nele, carrego Amora até eles e a coloca na frente deixando a Anciã a segurar.



“Por favor a ajude.”



“Não se preocupe, vou fazer tudo o possível para a curar.”



Anciã tem muita mais experiencia com magia do que eu, se tiver alguém na terra que pode curar esse tipo de ferimento é ela. Tiro um dispositivo de formato quadrado prateado do meu cinto e a entrego.



“Se precisar de qualquer coisa de Genosha basta aperta o comunicador, Alice já está ciente da situação você agora tem a total disposição do meu reino eu não me importo se você pedir a própria lua, eu garanto que  vou buscar para a você, apenas por favor a salve.”



“Vou fazer meu melhor.”



“A leve aonde quiser Sleipnir.”



Sleipnir bate os cascos e levanta vou cruzando céu na direção contraria em que vimos me deixando sozinho no deserto, apenas aguardando.



“BOOOMMM!”



Não demora muito até que uma explosão acontece poucos metros a minha frente. Depois que a areia se afasta eu posso ver o meu inimigo, ele tenha uma pele azulada quase branca e olhos amarelos, seus dentes eram finos e pontudos como de um tubarão, ele não possuía cabelos apenas duas coisas que pareciam ser tentáculos saindo do topo de sua cabeça. Não posso ver nem um machucado do golpe que dei nele anteriormente.


(Ótimo. Eu não quero que ele morra tão facilmente.)



“Qual é o seu nome?” pergunto.



“Isso importa? Você estará morto em breve.”



Sua voz era fria e me cortava como uma faca. Mas ele não estava errado, o nome dele não importa, ele estará gritando de dor logo.



Nós movemos no mesmo instante e atacamos no mesmo momento, eu girando minha lança e ele criou uma espada de escuridão, quando nossas armas se chocam todo o deserto senti.



“BOOOOOOMMMMMMMMMM!”



O choque das nossas arma vez a areia do deserto girar criando um furacão com nos dois no centro, dou um passo para trás e ataco novamente dessa vez com a lamina de Sigel em chamas douradas.



“BOOOOOOMMMMMMMMMM!”



Mais uma vez ele defende, e as chamas agora transformam todo a areia do furacão em vidro, estamos agora no centro de uma torre mal feita de vidro, meu inimigo cria outra espada com sua mão e me ataca visando cortar minha cabeça, movo meu corpo para trás desviando por um fio e chuto o peito dele e com a força do chute pulo para dando uma cambalhota me afastando do meu inimigo.



“HAA!”



Sinto uma dor no meu tornozelo e quando olho para trás vejo um espinho negro saindo do meu pé, as sombras dele também podem se estender. Não perdendo a chance ele me ataca mais uma vez com suas duas espadas.



“BOOOOOOMMMMMMMMMM!”
“BOOOOOOMMMMMMMMMM!”
“BOOOOOOMMMMMMMMMM!”
“BOOOOOOMMMMMMMMMM!”



Cada golpe que defendo e uma explosão ou nosso redor, a força dele e ridícula e só está aumentando, seus ataques também estão ficando cada vez mais rápidos, se eu ficar nessa situação vou ficar em desvantagem. Em cima de nós uma lente dourada de vários metros de largura aparece nos cobrindo.
 


“Queime!”



O gigantesco pilar de luz cai da lente nos cobrindo, eu não sofro qualquer dano, mas duvido que seja o mesmo para ele. Quando o pilar de luz desaparece poucos segundos depois para minha surpresa a primeira coisa que acontece é uma espada negra atravessando meu ombro.



“HAAAAAAAAAA!”



Sem ter tempo para sentir dor eu foco na segunda espada vindo em direção a meu pescoço, sem poder me mover para trás seguro Sigel com força e libero uma explosão de calor e energia do meu corpo comi fonte.
 


“BOOOOOOMMMMMMMMMM!”



A explosão me transformou num pequeno sol que fez meu inimigo recuar retirando sua espada do meu ombro. Com o inimigo longe olho para minha ferida ativando minha magia para a curar, mas para minha surpresa a ferida não está se curando não importa o quanto de energia eu use.



“Interessante. você é o primeiro deus que me deu tanto trabalho, que tipo de deus você é? Um deus da guerra? Eu já matei centenas deles, deus da morte? Eu adoro ver seus rostos de medo quando estão prestes a morrer.”



“Você vai acabar descobrindo.” Falo para ele.



Transformo a chama na ponta de Sigel num enorme chicote de chamas, meu inimigo também faz o mesmo com suas sombras e os dois chicotes se batem espalhando chamas e trevas por todo deserto, o impasse não durou quando meu chicote se enrolou no tornozelo do meu inimigo, parece que eu tenho um controle melhor. Puxei Sigel e girei o ser negro o fazendo bater nas dunas de areia o girando feito um pião, quando ele atingiu a velocidade máxima eu o lancei para cima e depois o puxei para baixo com toda força que eu tenha.



“BOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOMMMMMMM!”



Ele se chocou contra o chão com tanta força e velocidade e as areias do deserto explodiram para o alto como uma erupção de um vulcão que depois se transformou numa tempestade de areia. Eu sei que isso não é o bastante para o deter e pouco depois vários tentáculos de escuros saem da tempestade tentando me acerta, eu desvio de todos que posso e contra-ataco aqueles que não posso desviar.



“HAAAAAAAAAAAAA!”



De trás de mim escuto o grito de raiva e quando viro eu  o vejo balançando um machado negro tentando me dividir ou meio, girei meu corpo e defende o machado com o cabo da Sigel, mas os tentáculos não pararam e perfuraram minhas costas, faço força para não gritar de dor, os tentáculos estão tentando me consumir, mas se eu desviar vou ser cortado ou meio pelo machado do meu inimigo. e ele sabe disso, ele solda uma de suas mãos e uma adaga aparece nela, ele então ataca mirando meu olho esquerdo, viro minha cabeça desviando do golpe e quando faço isso ele perde o equilíbrio me dando tempo o bastante para dar um soco no seu rosto o fazendo recuar. Faço minhas chamas cobrirem meu corpo destruindo os tentáculos negros que estavam me perfurando.



(A tempestade de areia se tornou uma desvantagem.)



Meu corpo libera minha energia dourada quando eu decolo para os céus em alta velocidade.



(Tenho que achar um lugar melhor para continuar a luta.)



“Onde você está indo? Todos vocês tentam fugir no final, mas todos eles acabam sendo torturados até pedirem para morrer quando eu os pego.”



A voz veio de minha frente aonde o ser em volta de negro está voando numa velocidade superior a minha, ela se choca contra mim e segura meu pescoço, não tenho espaço para brandir minha lança então dou um soco no seu rosto com toda minha força. Para minha surpresa ele não pareceu nem sentir.
 


“Me deixe me dar uma prévia da dor que você vai sentir!” ele me dá um sorriso macabro enquanto fala.



A escuridão que cobre seu corpo se transformou em vários tentáculos com pontas tão finas como lanças e todos elas atacam todo meu corpo.



“HAAAAAAAAAAAAA!”



Continuamos subindo até que saímos da atmosfera da terra, tudo que posso fazer e resistir a dor que os tentáculos estão me causando, todos os tentáculos estão lentamente perfurando minha pele até minha carne e depois de um tempo até meus ossos, se eu não estivesse no vácuo do espaço meus gritos seriam escutados por todo o mundo.



Durante nossa viagem no espaço sei que só tenho uma maneira de sair dessa situação. matar esse desgraçado, eu aumento minha velocidade o máximo que posso. Ele não quer me matar e sim me torturar então ele não vai me matar imediatamente, estamos cruzando o universo cada vez mais rápido atravessando galáxias em pouco tempo, quando sinto que estou longe o bastante da terra eu  começo, sugo as energias negra que está torturando meu corpo para dentro da minha dimensão diminuindo minha dor tempo o bastante para formar uma estrela de prótons na minha mão, o mesmo golpe que destruiu uma boa parte do reino dos gigantes de gelo.
 

Não pode nunca mais usar esse golpe por conta do seu poder destrutivo, se eu usar isso na terra toda ela seria incinerada e destruída em segundos.


Para ele não descobriu eu a fiz com a palma da mão fechada e quando ela estava completa e o idiota ainda estava sorrindo vendo minha cara de sofrimento eu o surpreendo quando abri a palma da minha mão, dentro da minha palma está uma estrela dourada que o brilho ilumina toda escuridão do espaço, meu inimigo entende que eu estava planejando algo e com sua mão livre cria uma espada negra que tenta me matar. mas eu sou mais rápido, bato com a minha palma aberta bem no seu peito fazendo a pequena estrela explodir numa grande supernova.


A explosão de luz e calor da supernova devorou tudo a nossa volta, vejo vários planetas e luas desconhecidos destruídos pela explosão inicial. só posso rezar para que eles sejam desabitados, a explosão nos jogou em direções contrarias em velocidades espantosas, tudo que pude ver antes de desmaiar de dor por conta dos ferimentos foi uma bela supernova dourada queimando todo o vácuo do espaço.


Notas Finais


Esse so foi o início da luta, Gorr não é um inimigo que possa ser morto tão facilmente. Espero que tenham gostado do capítulo e do início dessa luta.

Qualquer erro por favor me avisem.

Obrigado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...