História Barman - Capítulo 1


Escrita por: e hpsunshine_

Postado
Categorias Got7
Personagens JB, Youngjae
Tags 2jae, Eo2jae!pré-debut, Eyes On 2jae Project, Got7, Hpsunshine, Jaebum, Menção!markjin, Traição, Yaoi, Youngjae
Visualizações 195
Palavras 1.030
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, LGBT, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi meus amores jdbsjsns
olha eu de novo aqui e dessa vez debutando em um projeto maravilhoso de um casal maravilhoso sz
espero que vocês gostem, eu me esforcei realmente para fazer :')
e me desculpem pelo lemon mais ou menos, não sou o melhorkj
Boa leitura o/

Betagem por: @caminyx
Capa por: @pcyniceskirt

Capítulo 1 - Capítulo Único


Youngjae pôde ouvir, ao longe, a voz desesperada de Jinyoung lhe chamar, implorando para que voltasse e deixasse-o explicar a situação tão embaraçosa na qual havia sido pego pelo namorado. Era o dia em que completariam três anos juntos, e o Choi mais novo resolvera fazer uma surpresa para o moreno. Só não esperava que, no momento em que abriria a porta, veria-o se atracando com seu melhor amigo, Mark.

 

Não quis nem esperar para escutar o que o mais velho tinha a dizer, tratou de largar o belo buquê de flores no meio da casa e sair porta a fora, mergulhado em seu próprio sentimento de desgosto e ódio. Estava tão puto, mas não por ver aquela cena e descobrir daquela forma, e sim por ter sido um grande trouxa durante todo aquele tempo. Como ele não percebeu, se aqueles dois pareciam tão na cara? Além de corno, era idiota.

Enquanto caminhava pelas ruas, Youngjae finalmente deixou as lágrimas rolarem por seu rosto, iniciando um choro silencioso e doloroso. Nunca achou que seu relacionamento terminaria daquela forma tão trágica, esperava no máximo um “Não é você, sou eu.”, mas o que recebeu foram gemidos e uma lembrança traumática para o resto de sua vida. Não imaginava que Park Jinyoung era um maldito cretino adúltero e que seu melhor amigo era uma naja de primeira. Queria tanto poder afogar aqueles dois no Rio Han e logo em seguida pôr fogo nos dois.

Okay, talvez estivesse indo longe demais.

Trinta minutos depois do acontecido, o Choi mais novo se encontrava numa boate próxima à casa do Park. Iria encher a cara e tentar esquecer os problemas da melhor forma possível. Não que fosse o tipo de pessoa que partia pra outra quando algo não dava certo, mas era um ótimo consolo para quem havia sido chutado da pior forma possível. Bebida, sexo e talvez alguma droga aleatória que as pessoas usavam por ali eram uma ótima solução para tudo, lhe tirariam daquele poço no qual estava.

“Mais uma por favor.” Sua voz saiu em um tom grogue, enquanto a visão embaçava um pouco, evidenciando o quão bêbado se encontrava.

Conseguiu escutar a risada fofa do barman ecoar por seus ouvidos, mesmo que um pouco baixa devido a música alta que preenchia o estabelecimento. Ergueu uma das sobrancelhas e tentou ao máximo focar sua visão no barman que o atendia. E meu deus, que puta barman era aquele!

“Não acha que já chega de bebida por hoje? Você já parece bem fora de si.” O moreno murmurou enquanto seu corpo se apoiava no balcão enorme, encarando Youngjae com um sorrisinho. Um que fez o mais novo ali derreter-se até a alma.

“E quem é você para dizer o que eu devo ou não fazer?” Ergueu uma das sobrancelhas, enquanto tentava alcançar o copo na mão do garoto, sem sucesso. “Vai, só mais um copinho não faz mal.”

Um biquinho surgiu em seus lábios e o garoto negou com a cabeça, se virando para deixar o copo em algum canto aleatório que Youngjae não pudesse alcançar. Voltou para perto dele e apoiou-se novamente no balcão, sorrindo.

“Posso saber seu nome e por qual motivo alguém tão bonito como você estaria sozinho num lugar como esse?” perguntou, sem deixar aquele maldito sorriso sedutor sumir de sua expressão.

“Youngjae. Choi Youngjae, mas pode me chamar de grande amor da sua vida.” Uma risada escandalosa escapou de seus lábios, projetando levemente o corpo para trás. “Mas e seu nome, gostosinho? Posso saber? E em relação a eu estar sozinho, nem queira saber o motivo.”

“Me chamo Jaebum. Im Jaebum, mas pode me chamar de garoto que quer te dar uns beijos.” Sorriu e lhe lançou uma piscadela, aproximando-se mais do mais novo ali.

E puta merda, Youngjae sabia que aquela noite prometia.

 

 

Os gemidinhos manhosos de Youngjae ecoavam abafados dentro da cabine apertada do banheiro. O cheiro de sexo tomava conta do local, a mente do mais novo estava completamente nublada devido ao prazer que lhe era proporcionado pelo Im.

Jaebum o estocava com velocidade, produzindo sons eróticos com as peles suadas se chocando. Beijos afoitos eram trocados, assim como chupões e mordidas eram distribuídas ali, deixando marcas bem aparentes e que, com toda certeza, não sairiam com tanta facilidade assim.

“Youngjae-ah, eu estou quase lá.” A voz de Jaebum soou rouca próxima ao ouvido do mais novo, causando-lhe arrepios.

Uma das mãos fortes do Im abandonou a cintura de Youngjae, indo até o seu membro e o masturbando com afinco, a fim de lhe proporcionar um grande prazer também. Bastou apenas alguns minutos para que o mais novo se desfizesse em sua mão e, logo em seguida, Jaebum preencher seu interior com seu gozo.

O Im se retirou de dentro dele e sorriu enquanto o peito descia e subia, ofegante. Deixou alguns beijinhos por todo seu rosto e, por último, um selar demorado em seus lábios.

“Você foi incrível, hyung.” Sua voz saiu em um tom manhoso, sorrindo para o moreno a sua frente.

Logo trataram de se vestir e deixarem o local apertado. Jaebum voltou para seu trabalho e Youngjae continuou sentado ali, esperando até que seu turno se findasse.

Naquela madrugada fria, os dois voltaram juntinhos para casa, lado a lado, conversando coisas aleatórias. Jaebum segurando o mais novo bêbado para que ele não se espatifasse no chão e rindo de sua situação deplorável.

Passaram o resto da madrugada no apartamento do Choi deitados na cama, aproveitando a presença um do outro, abraçados como se fossem realmente um casal.

Àquele ponto, Youngjae não se importava mais com o fato de Jinyoung estar com Mark, mesmo que ele o fodesse bem demais; Jaebum era mil vezes melhor e, para completar, era um barman fodidamente gosto. E bem, ele estava feliz com aquela situação, afinal, quem se importava que havia sido traído, quando tinha um gostosão daqueles em sua cama?

“Hyung, eu quero sentar em você.”

Jaebum escutou o mais novo murmurar e gargalhou baixinho, negando com a cabeça. Seu garotinho era tão insaciável. Chegava a ser engraçado a forma como era necessitado, mas não o culpava, afinal, conhecia muito bem os dotes que tinha.

 


Notas Finais


Espero de coração que vocês tenham gostado :')
Deem uma olhada no perfil do projeto e sigam para ficar sabendo sempre das novidades <3
Obrigado por lerem, até depois o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...