1. Spirit Fanfics >
  2. Baronesa >
  3. Aguas correntes

História Baronesa - Capítulo 26


Escrita por:


Notas do Autor


[Avizinho no final do capítulo]
"Nobre dama, os defeitos do homem são gravados no bronze, mas as boas qualidades nós as escrevemos"
26

Capítulo 26 - Aguas correntes


Hoseok estava indeciso sobre o que deveria fazer. Talvez não devesse ser tão radical ao ponto de findar a vida daquele mero servo, que por mais audacioso que seja roubando sua esposa de si, ainda era uma vida. Depois da pequena lição que aplicará em Taehyung, ele não seria capaz de desafiá-lo novamente, ou seria? As mãos másculas se contorciam até encontrar o copo cristalizado com uma pequena dose de Whisker. Sobre a mesa, havia um monte de documentos para serem preenchidos, isso o angustiava e causava sua fúria diária.


— Céus...-suspirou o homem, não tinha tempo algum para aquilo, enquanto não resolvesse de uma vez sua vida.
Ele precisava saber como, como aniquilaria de vez. Todavia, ele sabia. Sabia como resolver tudo e assim faria.


🥀


A tarde havia chegado mais depressa que o esperado. As mucamas apressavam o jantar dos senhores para que tivessem tempo o suficiente para ajeitar as coisas que faltavam na comemoração. Um sorriso se fazia presente em sua face "de orelha a orelha", você estava grávida. Um fruto crescia em seu ventre e você tinha toda certeza que era de seu amado. ba estava preocupada. a mais velha temia tudo que poderia acontecer com essa criança.

— Ba! Já colocou a capa no lugar certo?- indagou alegremente enquanto arrumava as madeixas do seu cabelo que não estavam no local correto.

A alguns dias, você havia trocado cartas com Taehyung, pelo fato de está sendo vigiada pelos capatazes de seu marido. Maldito seja. Entre tantas cartas, o loiro lhe convidou para um encontro às escondidas em um lugar calmo onde poderiam apreciar a companhia de ambos, usariam a chance de distração da festa dos escravos. Você aceitou, estava com o coração em declínio por não ver o rapaz de madeixas douradas, sentia saudades do calor dos lábios finos e rosados contra os teus pobres e necessitados beiços.

— Sim, sinhá...sinhá?- Respondeu o mais velha se aproximando calmamente do seu corpo

— Diga.

— Não tens...receio de que algo de mal lhe aconteça?-iniciou-se a senhora. Repousando a escova, delicadamente, sobre a penteadeira, você se levantou encarando a mulher.

— Não, bá, não tenho medo algum. Faz semanas que estou tranquifiada nessa casa sendo muito bem vigiada, sem poder vê-lo bá! Sem ver Taehyung!-Falou logo esboçando um sorriso singelo nos lábios. Seus olhos brilhavam apenas por proferir o nome daquele por quem seu coração pertencia.

Suspirando cansada, a serva continuou.— Só lhe peço para tomar cuidado. Não de um passo maior que as pernas possam dar, tenha cuidado com essa criança que cresce em você, minha menina.- com um abraço maternal a senhora se retirou deixando-a sozinha com seus pensamentos em turbulência.

🥀


O dia já havia se posto, os servos já estavam arrumados para cultuar seus orixás. você já estava atrasada, mas Taehyung a esperava ansiosamente. Estava ao precipício da loucura por passar mais alguns dias sem te ter nos braços, Taehyung desejava envolver seus lábios aos dele, acalentar-lhe entre seus abraços...ah, isso ele desejava. Você se arrumava cuidadosamente, mas ainda nervosa, pois estava ficando tarde iria perder toda linda cerimônia que bá vem lhe contando a semanas, porém, nada lhe deixava mais feliz em saber que havia alguém lhe esperando ali isso lhe deixava eufórica. Com os passos silenciosos, você caminhou até os fundos, vestia um lindo vestido em tons turquesa que reluziam sua pele, tudo para ficar ainda mais bela que já era. Entrou no pequeno cubículo onde já encontrou sua capa devidamente coberta por lençóis negros e logo vestiu-se com ela, corria até o mais perto da senzala, porém, sua velocidade não impediria a velocidade os olhos negros daquele sedento por vingança. Seus recados escritos por dias em pequenos pedaços de papel, eram entregues e recebidos por mucamas confiáveis do casal, porém, um dia toda segurança falhou é uma das cartas parou nas mãos alvas do Yoongi, o qual fez questão de levar até seu "querido" amigo. Esse foi o estopim para Hoseok chegar em sua final conclusão.

Você ainda não havia chegado, pois Taehyung ainda estava em frente a porta da senzala. O maxilar do Seok estava travado. Estava tudo dando certo como planejou no mesmo momento em que leu a última palavra escrita. Yoongi estava ao seu lado com os olhos atentos sedento para que tudo inicia-se. Seus passos iam ficando lentos ao se aproximar da senzala e notar a silhueta masculina, você sorriu abertamente vendo o homem vir em sua direção segurando um cesto trançado e contornado por uma toalha bordada em tons avermelhados. O Kim não esperou se quer se aproximar e logo lhe puxou pela cintura fazendo com que ambos os corpo entrassem em choque. Palavras não foram trocadas, não tinham tempo, a saudade não permitia! Taehyung deslizou os dedos entre seus cabelos e os enlaçou calmamente admirando sua face que havia se iluminado da mesma forma que a lua estava, a mesma que velava o casal tão apaixonado que juntos tinham concebido um belo fruto que crescia lentamente. Você pôs as mãos na cintura do mesmo o trazendo para si fazendo o beijo ser trazido com a ajuda do loiro que selava seus lábios com tanta saudade que sentiam as lágrimas se acumularem. As mãos do homem que observa ser traído, apertava em fúria a sela do cavalo negro e nem ao menos se aliviou quando começaram a se movimentar em conjunto com o casal encapuzado.

🥀


Taehyung havia lhe prometido uma linda surpresa e assim fez. Era lindo, uma colina repleta de flores e mata, o som da água correte fazia seu corpo relaxar e assim fez após colocar seu quarto cacho de uva na boca e se deitar no lençol que foi estendido pelo garoto que tinha um sorriso divertido nos lábios enquanto terminada de mastigar um dos pedaços de bolo que havia levado para o encontro.

— Não sabia que estava com tanta fome assim, era para ter pegado mais uvas.- riu nasal, batendo ambas as mãos limpando os farelos e se deitando ao seu lado observando o céu estrelado.

— Sinto muito, minha fome está aumentando com o passar dos dias.- Disse você rindo com o mesmo. Estava na hora, esse era o momento de contar para Taehyung que esperava um filho dele.

— Não sinta, minha amada. Amo te vê com os olhos tão vivos.- Os dedos do rapaz acariciavam suas madeixas que o encantavam muito.

— Tae, eu- iniciava, porém foi interrompida pelo grito animado do Kim.

— Espera! Não diz nada! Tenho uma surpresa pra você.- Disse lhe beijando lentamente, enquanto se levantava indo para o meio da árvores.

— Eu também tenho... — você sussurrou acariciando seu ventre coberto. Esperava pela volta de seu amante de forma inquieta, ansiando revelar a existência da vida que crescia dentro de si. Porém, a preocupação aumentava a medida em que Taehyung demorava para voltar, apenas se intensificando quando ouviu um barulho alto vindo dentre as árvores, acompanhado de um grunhido que você nem queria imaginar de quem seria.

— Ótimo, todo temos surpresas! Deixem-me começar. — a voz rouca soou atrás de você, fazendo todos os seus pelos se arrepiarem como um sinal de mau agouro e o seu coração disparar em choque e desespero. Seus lábios secaram instantaneamente assim que teve forças para virar-se e ver a silhueta masculina montada em seu belo cavalo negro. Hoseok sustentava um maldoso sorriso entre os lábios o que lhe fez temer o pior.

— Tae! Tae! Taehyung! — gritou em desespero ao não notar sinal de seu amado.

— Isso! Grite! Ah, como eu amo essa parte do show. — riu balançando as mãos como se fosse o maestro de uma orquestra de puro terror ao ver o medo estampado em teu rosto. — Venham! Tragam o desgraçado. — ordenou o Seok rindo como um sádico, seus capazes seguravam o corpo do loiro desacordado brutalmente, que pendia a cabeça para o lado. Da testa escorriam filetes de sangue e machucados estavam presentes por todo o seu rosto.

Ao ver o Kim naquele estado deplorável, o desespero tomou conta de ti. Você queria protegê-lo, precisava. Afinal, como poderia viver sem o grande amor de sua vida? Sem pensar duas vezes, você correu em direção ao Taehyung, mas antes que pudesse realmente chegar perto do mesmo, ele foi derrubado no chão e chutado duas vezes na barriga, gemendo e chorando enquanto se encolhia tentando estupidamente achar uma forma de proteger -se.

— Avance mais um passo e eu faço ele desejar a morte. — ditou Hoseok, deixando um sorriso de canto escapar ao ouvir o Kim soluçando jogado ao chão. Ele estava tomado pela raiva, e por mais cruel que fosse a situação, poder dar um fim àquele casalzinho de merda era tão satisfatório que realmente não importava o quão maldoso ele fosse. No fim o resultado seria o mesmo, a morte de Taehyung. — Joguem esse estrupício no rio. É uma pena ter de poluir as águas.

— Não! Não, por favor! — você implorava enquanto via Taehyung ser levado para o rio próximo dali. Sentia-se tão impotente quanto uma pequena vida perante um vendaval. O que poderia fazer? Como poderia salvá-lo da morte certa? — Meu marido! Eu faço tudo que tu quiseres, apenas poupe a vida dele por favor. — pediu em meio as lágrimas, curvando-se completamente ao Seok.

— Como tens coragem de pedir isso, sua libertina!? Saibas que é por tua culpa que a vida deste homem será ceifada! Se não fosse por tuas ações impensadas, se tu não tivesse traído teu marido, as coisas não teriam acabado desta forma! E eu espero que queime até o inferno com esta culpa. — disse Hoseok por fim, deleitando-se com a vista do Taehyung cheio de sangue sendo jogado no rio já inconsciente.

Finalmente tinha se livrado daquele que perturbava seus sonhos.

Um grito feminino foi ouvido como plano de fundo de tamanha desgraça, seus passos se sessaram ao sentir uma fina e perturbadora pontada vinda de seu ventre o que fez seu corpo ir ao chão repleto de dor e lágrimas, a única força que você teve foi para virar a face e encarar o Seok que fazia o mesmo, porém com superioridade.

— Céus! Que Deus tenha piedade de vossa alma, barão. Pois eu não terei. Queimará na última é mais dolorosa chama do inferno nem que eu tenha que levá-lo com as minhas próprias mãos. Eu lhe repúdio! Com toda força, eu lhe repúdio, saiba apenas que você nunca acabará com o amor que eu sinto pelo Taehyung, nunca!- não sabia de onde havia tirado uma voz tão potente, porém o fez. Todas as palavras saíram amargamente entre seus lábios e eram molhadas pelas lágrimas daquele por quem seu coração e filho pertenciam. Como viveria sem o seu amado? Como viveria seu o pai do seu filho?! Você viveria no meio de cobras para criar seu bebê e assim faria, o fruto que aquele por quem sempre pertenceu lhe deixou.

Taehyung está morto.


Notas Finais


Oi gente! Olha quem ressuscitou! Depois de tanto tempo, sinto muito por isso, juro que não queria isso, porém foi necessário meu afastamento da escrita para focar em outros assuntos pessoais. Esse capítulo foi feito com a ajuda da minha melhor amiga psynan
❗️❗️aviso❗️❗️
GENTE EU TO COM TWITTER BLZ?! ME VISITEM LÁ! RECLAMEM, não sei kkk( vai tá lá na minha Bio)

https://twitter.com/_vangguk/status/1205875746914414593?s=21


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...