História Barreiras do amor (Castiel) - Capítulo 23


Escrita por: e JulietS2

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Bia, Boris, Castiel, Debrah, Kentin, Kim, Lysandre, Melody, Nathaniel, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya
Tags Amor Doce, Cassy, Castiel, Docete, Drama, Melissa, Romance
Visualizações 67
Palavras 1.093
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oieee <3
Juliet chegando com mais um capítulo quentinho!

Boa Leitura!

Capítulo 23 - Precisamos de você aqui


Castiel on

Depois de buscar Henrique eu volto para casa, ainda pensando no que havia acontecido. Como algo tão grave aconteceu? Como eu deixei isso acontecer? Se eu não tivesse me exaltado...

Suspirei e continuei dirigindo, viro um pouco o rosto para trás vendo Henrique sentado na sua cadeirinha meio quieto.

- Oque aconteceu filho?

Suas boxexas ficam vermelhas e ele olha para mim rapidamente.

- Eu... (ele se embola nas palavras) gosto da Helo...

Ao dizer isso, eu sinto meu corpo gelar. Não, não, não, não! Isso não pode acontecer! Não que eu proíbe meu filho de gostar de alguém, (mesmo ele sendo muito novo) mas a Helo é irmã dele, só que eles não sabem disso. E eu não posso contar.

- A-ah que bom filho... e oque mais?

- Ela disse que também gosta de mim! (Ele sorri animado e bate palmas) depois eu fiz que nem você e a mamãe!

- Fez oque?

- ahn... eu encostei as nossas bocas, para selar o nosso namoro.

Acho que esse garoto tá muito evoluído, nem me lembro do meu primeiro beijo.

- Isso é bom, tudo oque te deixar feliz.

Eu digo e ele sorri para mim.
Estáciono o carro em frente a minha casa e suspiro ao lembrar da Debrah, e em como ela deve estar zangada. Não que eu ligue, mas não gosto de ficar escutando seus gritos agoniantes.

Abri a porta e desci do carro, tirando Henri do mesmo. Peguei as chaves e destranquei a porta, entrei e me deparei com Debrah sentada no sofá de pernas cruzadas e uma expressão raivosa no rosto.

- ONDE ESTAVA?!

- Por que quer saber? (Falei pegando Henri no colo e tampando seus ouvidos, ele não merece ouvir esses berros)

- COMO ASSIM POR QUE? EU SOU SUA NOIVA! TENHO ESSE DIREITO!

- DA PARA PARAR DE GRITAR! PORRA, MAS QUE SACO! (tratei de apertar mais Henri na hora do palavrão)

Debrah muda a expressão rapidamente, fingindo um choro falso.

- Eu... e-eu estava tão preocupada com você gatinho! Você sumiu do nada e ainda levou nosso filho com você...

- Você é bipolar? Olha, se for para você parar de ficar no meu pé eu digo tá legal? Ocorreu um acidente na estrada...

- Só isso?! E isso é motivo para você sumir?! (Ela diz em um tom arrogante sem se importar)

Bipolar da porra.

- É Sim! Poque a pessoa que estava no carro era a Melissa! E eu fui visitá-la no hospital.

- Ela sofreu um acidente? Oh não! Que pena, tomara que ela melhore. (E ao dizer isso ela pega as chaves)

- Onde Vai? (Perguntei)

- Por que quer saber?

- Ah foda-se também, não me importo. Faça oque quiser. (Disse isso e ela range os dentes)

Subo até o quarto do Henri e o coloco na cama.

- Por que você não dorme em? (Perguntei e ele sorriu, deitando de lado)

Suspirei e fui ao meu quarto, tomei um banho demorado para esfriar a cabeça e logo depois me troquei.

Me sentei na cama e peguei meu celular vendo as horas.

- 19:00..

Não está tão tarde, mas mesmo assim estou cansado pelopelo dia de hoje.

Com tudo que aconteceu...

Me deitei e apaguei a luz, fechei os olhos mas o sono não vinha, eu apenas consegui pensar na Mel, em como ela estaria agora, se estava Bem, se vai se recuperar, se... vai se lembrar...

Eu preciso que lembre.

Rosalya on

Helo aparece dando pulinhos de alegria na sala, sorrio fraco vendo sua animação, ainda um pouco atordoada com o acidente. Como ela ficaria se soubesse?

- Ei (Eu a chamo) oque foi em garotinha? Está feliz?

Ela ri e vem saltitando até mim, senta ao meu lado no sofá e segura meu rosto, apertando minhas boxexas.

- Você gosta do tio Leigh né? (Ela pergunta e eu concordo com a cabeça meio confusa) e é por isso que se beijam?

- Sim é por isso, pessoas que se gostam fazem isso. Por que minha flor?

Ela fica um pouco vermelha e desvia o olhar ainda sorrindo.

- Eu beijei o Henri! (Ela cobre o rosto com as mãos e se joga para trás no sofá)

Eu Paraíso.

- C-Como?

- Ele disse que gosta de mim e me beijou! Agora estamos namorando!

- m-mas... você não acha que está muito nova para isso Helo?

- Tem idade para gostar de uma pessoa tia Rosa? (Ela pergunta inocente) eu gosto dele...

- Tá bom, tá bom! Só não diga ao tio Luz! Se não ele vai brigar com você viu mocinha! (Eu faço cosquinha nela e a mesma ri alto)

- Haha tá bom! Não vou dizer! (Eu a puxo e a abraço) Tia Rosa....

- hum?

- Quando a mamãe acordar... ela também vai brigar comigo?

- N-não meu amor... fiquei tranquila...

Não posso culpar ela, Helo é apenas uma criança, não tem como saber que o Henri é seu irmão. Eu sinto um peso nas minhas costas por estar mentindo, mas não posso simplesmente jogar essa informação na cara dela.

Suspirei e me levantei do sofa com Helo no colo.

- O tio Lys e o tio Leigh já foram dormir, acho melhor nós irmos também. (Digo para ela)

- Tudo bem...

Eu subo com ela e lhe dou um banho, logo a pondo para dormir. Fiz o mesmo e me deitei ao lado de Leigh.

A imagem da Helo rindo invade minha mente, como ela ficaria sem a mãe? Se isso acontecer eu não vou me perdoar.

Você precisa acordar amiga...
Precisamos de você aqui.

Debrah on

Eu saio de casa furiosa. Se aquela ridícula pensa que só porque bateu o carro pode ficar roubando o meu marido está muito enganada.

Entro no carro e acelero até chegar no hospital, paro no estacionamento e desço do mesmo. Entro lá e vou até a recepção, me encosto no balcão e faço uma expressão preocupada.

- M-minha a-minha ela... ela... (Eu digo entre soluços falsos)

- Se acalme senhorita, oque aconteceu?

- Ela sofreu um acidente! Não consegui vir de tarde! Estou tão preocupada! Ela está Bem?!

- Muitas pessoas deram entrada no hospital hoje. Poderia me dar o nome dela?

- Melissa...

- hum... (a moça meche no computador) e qual sua relação com ela?

- S-sou amiga dela!

- Certo... Acine aqui por favor. (Ela me entrega uma folha e uma caneta)

Eu assino e lhe devolvo.

- Onde...

- 2° andar, primeira porta a esquerda.

Ela diz e eu saio correndo, entro no elevador e aperto o botão com força.

Hora de fazer uma visitinha...


Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Comentários e sugestões são sempre bem vindos! <33

Beju, até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...