1. Spirit Fanfics >
  2. Bastidores Retrato de Uma Jovem em Chamas >
  3. The Midnight

História Bastidores Retrato de Uma Jovem em Chamas - Capítulo 8


Escrita por:


Capítulo 8 - The Midnight


Fanfic / Fanfiction Bastidores Retrato de Uma Jovem em Chamas - Capítulo 8 - The Midnight

-Excuse moi, madame? O menu. - disse o garçom oferecendo o cardápio. 

À mesa do restaurante La Palm D'or,  uma parada obrigatória para quem quisesse jantar bem e caro em Cannes, estavam as atrizes Noemie e Adele e as coadjuvantes Valéria Golino e Luana Bajrami, a produtora Marcelle, além, claro, da premiada diretora Celine Sciamma. 

Aos demais presentes naquele restaurante, restava a surpresa de ter aquelas mulheres em massa reunidas nas disputadas mesas da varanda. 

Não havia quem não as reparasse ao olhar para a vista daquele restaurante situado no famoso hotel Martinez. 

"São as famosas?" - alguns cochichavam entre si. 

"É daquele filme... Mulher em chamas. Jovem em chamas. Algo assim..." - outros diziam tentando lembrar. 

"Qual o seu nome?" - perguntou Celine para o garçom. 

"Antoine, madame."

"Pois Antoine. Em primeiro lugar muito obrigada por nos atender e nos dar esta mesa magnífica com esta vista. Em segundo lugar eu quero uma sugestão do melhor champagne que tiverem. Não precisa ser o mais caro. Isso existe?" 

As mulheres na mesa riram, assim como Antoine que disfarçava timidamente. 

"Ah madame, isto eu não sei se..."

"É impossível não é?" - perguntou Celine piscando para todas que ainda riam. 

"Bem... Eu não sei bem..." - ele riu ruborizando

"Estou brincando. Dê-me o champagne Pierrier Jouet Belle Epoque rose. Obrigada".

"Nossa,  um nome enorme desse. . Uau. Estou curiosa". - brincou Valéria empolgada cutucando Luana que ria. 

"Ela sempre pede esse champagne." -disse Adele para todas. "É a sua marca registrada." 

"Ei mocinha" - interrompeu Celine. "Só peço em ocasiões especiais. A noite de hoje pede isto. E vocês vão gostar do sabor. É rosé, adocicado e suave. Um champagne para festejamos."

"Claro. E cairmos bêbadas em seguida" - disse Adele fazendo as outras rirem. 

"Não é forte. É suave. Você que não aguenta tomar, vai ficar zonza... . Crianças deveriam beber água." - brincou Celine. 

"E também deixarem de fumar" - disse Adele colocando um cigarro na boca, procurando o isqueiro na bolsa. 

Todas riam por qualquer coisa que alguma dissesse ali. O convite de Celine para irem àquele restaurante, o presente dela em bancar aquela pomposa janta, os aplausos na grande sala de exibição em Cannes pouco mais de duas horas antes, tudo aquilo levava todas a um êxtase. 

Porém Noemie era a menos falante. Ela ainda estava emocionada demais para concluir qualquer ideia e limitava-se a sorrir e admirar Celine por ter idealizado aquele filme. 

Até mesmo o nome era criativissimo "Retrato de uma jovem em chamas"... 

Adele era a única que reparara a emoção de Noemie. 

Após a janta e ainda bebericando mais uma garrafa que Celine pedira, a sobremesa de sorvete com calda de cobertura deixara todo mundo em silencio deliciando-se do gosto com a vista. 

"Ainda está extasiada?" - perguntou Adele bem baixo a ponto de só Noemie ouvir. 

"Sim..." - ela respondeu mais baixo ainda, consentindo com a cabeça. 

Celine percebera o breve diálogo e logo disse incomodada:

"Conseguem ouvir a música ao fundo? Que música é essa? " 

"The Midnight. O bome da banda" - disse Noemie prontamente. 

"Que música horrível. Será que não podem tocar nada melhor aqui?" - resmungou virando-se para trás procurando o garçom. 

Mas Antoine estava longe e Noemie continuou :

"Eu gosto do som. É uma mistura de música dos anos 80 com futurismo".

"Qual o nome que você falou?" - perguntou Adele? 

"The Midnight. É estilo anos 80, música sintética, ora instrumental, ora com voz. A batida da bateria é bem característica da época. Ela ecoa lembrando vídeo games. Ora rapidinha. Ora lenta. E tem saxofone também".

"Sax" - disse Adele sorrindo. "Lembra sex". 

"Não gosto". - disse Celine. "Não tem nada a ver com esse restaurante. Deveria tocar numa boate. Não acha?" - perguntou para Valéria e Marcele que tentavam ouvir melhor a música. - "Não acha Luana?" - 

"Não faz meu estilo. Gosto mais das músicas espanholas. Algumas italianas". - respondeu.

"Eu gostei". - disse Adele. "Achei diferente. Não sou tão velha pra lembrar dos anos 80, mas gostei" - falou arrancando uma risada gostosa de Noemie. 

Celine sentiu seu rosto arder por breves segundos ao ver as duas rirem com tamanha intimidade. 

Havia alguma coisa que ela tinha perdido por ali? Não lembrava de tanta intimidade no set de filmagens. As duas estavam tão imersas nas personagens que nem havia tempo de discutirem sobre vida pessoal ou gostos musicais. 

Celine suspirou. Sentia-se ganhando de um lado e perdendo de outro. 

Olhou para a vista e falou. 

"Bem. Meninas... Antes de pedir a conta eu vou contar uma coisa a vocês... Quando vim em Cannes pela primeira vez... E Isso foi há mais de 15 anos..." - sorriu para Adele que sorria de volta. "Quando viemos aqui em Cannes... Éramos apenas duas jovens, duas garotas, quero dizer, eu era uma jovem e Adele uma bebê..." 

"Um feto" - disse Adele para Celine que sorriu cabisbaixa.

"Shhhhh deixe ela falar" - disse Marcelle puxando o saco. 

Celine continou:

"Bem... Eu também era um feto embora não ousasse admitir... Tudo aquilo era novo para mim. Eu me sentia como num barco em alto mar, a deriva, embora admirada com as ondas e aonde podiam me levar... E aqui estou. Aqui estamos. Eu não imaginava isto embora se me perguntassem eu na mesma hora diria que sim... Portanto. Acreditem nos seus sonhos. Eles nunca envelhecem. Eles renovam. Modificam. Permanecem. - disse olhando para cada uma.

"Obrigada por fazerem este filme. Cada uma foi importante. Diria que essencial. Únicas". - finalizou.

Ao se levantarem para irem embora, após posarem em fotos com alguns do restaurante, Noemie surpreendeu a todas na hora de pegarem um táxi de volta. 

"Eu não vou voltar com vocês. Eu vou passar a noite neste hotel do restaurante. Martinez." - disse olhando de volta para o hotel. "Quero estender minha noite aqui." - falou.

"Você vai gostar". - respondeu Celine para Noemie fechando a porta do carro.

"Mas você tem dinheiro? Vai saber voltar para o outro hotel? - disse Adele preocupada.

" Eu me viro. Deixe comigo." Noemie sorriu. 

Adele a encarou sem entender bem o que Noemie estava fazendo. Mas Celine pediu para o táxi ir e Noemie se despediu vendo o rosto de Adele a encarando sumir dentro do carro se afastando. 

Olhou novamente para cima e pôde ver melhor o hotel. Tinha realmente gostado dali. 

"Talvez toda a porra do meu cachê do filme vá embora hoje a noite. Mas eu não vou perder esse hotel por nada". - disse entrando no saguão. 

Sem querer saber o valor, pediu a reserva de uma suíte. 

"A presidencial?" - perguntou o recepcionista. 

"Humm. Não. Não tanto. Pode ser uma suíte normal. Andar alto. De frente para a rua. Para o mar. 

"Andar 27, senhora." - disse o recepcionista após anotar todos os dados e dando-lhe as chaves. 

"27..." pensou lembrando da "página 28" mencionada no filme. 

"O mundo é cheio de coincidências..." - ela bcantarolou andando devagar. 

No quarto do hotel tomou um banho quente. A fumaça subia deixando tudo nublado, exatamente como a sua mente estava naquele dia. Nublada. 

Lentamente colocou um roupão branco, o cheiro era de talco suave, sentiu inalando o tecido ao deitar seu nariz na gola. 

Já devia ter passado mais de uma hora em que ainda estava no banheiro. Se olhava no espelho gigante acima da pia e penteava seus cabelos molhados para trás. 

Noemie se olhava mas não se via. O que estava acontecendo? O que havia sido aquele dia? Era esse lugar de fama que queria? Era o início do que tanto procurou por mais de dez anos? 

Uma campainha soou em seus ouvidos mas ela mal percebeu. Pegou o seu celular na bancada da pia e procurou a música da banda The Midnight. 

"Lost Boys" - foi a primeira canção que apareceu. "Celine não iria gostar" - deu um breve sorriso e apertou o play. 

"Talvez ela tenha razão. A essa hora da noite é uma música meii agitada para relaxar. Talvez não..." - disse com os pensamentos embaralhados. 

Mais uma vez a campainha soava até que Noemie deu por si. 

"É aqui?" - franziu a testa abrindo a porta do banheiro. Apertou mais o roupão meio aberto e foi até a porta que não tinha olho mágico. 

" Quem é? "

" Adele." 

Nomie abriu a porta sem entender. Deparou-se com a outra com a cabeça baixa e vestida agora de jeans e uma blusa vermelha. 

Adele levantou os olhos inclinada na porta e deu um sorriso monalisa

"Posso entrar?" - disse tirando o sorriso e mordendo os lábios sem jeito. 

"Claro. Mas... O que faz aqui? Cadê Celine?" 

"Que música é essa?" - disse entrando. 

"Música?" - Noemie disse ainda perturbada. 

"Essa" - parou Adele apontando pro banheiro. 

"Ah. É do The Midnight". - disse fechando rápido a porta. 

"Voce é fã não?" 

"Não" - Noemie riu nervoso. " Sei lá. Talvez".

"Nao". - disse Adele olhando para os lábios de Noemie. 

"Não o quê?" 

"Sem talvez.". - disse tascando de vez um beijo em Noemie.

Adele segurou para si a gola do roupão da outra sem deixa-lá com chance de se desvencilhar enquanto aquele beijo durava como um vulcão em que Noemie logo correspondia da mesma forma. 

The Midnight agora tocava Collateral e a noite estava recomeçando. 


Notas Finais


The midnight - collateral

https://youtu.be/uRsTOMHlU2o


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...