1. Spirit Fanfics >
  2. Batata e Caviar >
  3. Packer

História Batata e Caviar - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Olá! Como estão? Lavando bem as mãos????

Perdão pela demora, mas com essa pandemia e um pequeno bloqueio criativo eu estou ocupado demais, estou recebendo um trabalho atrás do outro por EAD pra fazer, por tanto, demorei mesmo, mas eu não abandonei nem abandonarei a fanfic!
Espero que o capítulo de 3 mil palavras compense! <3

TW: MUITO sexo explícito; primeira vez; possível disforia; efeitos de gravidez; baixa estima.

Capítulo 6 - Packer


Fanfic / Fanfiction Batata e Caviar - Capítulo 6 - Packer

Beth, Rory, Jules e Jimi. Beth, Rory, Jules e Jimi. O loiro pensava em um loop enquanto subia as escadas do prédio segurando um casaco de grife em um braço e com a mão do outro braço dentro de sua própria jaqueta. Pensara nestes nomes de bebê durante o dia enquanto trabalhava na loja, adoraria homenagear o seu ídolo colocando o nome dele no seu filho, contudo, também amava os nomes que recordara e estava ansioso para sugerir todos para Freddie.

Assim que se aproximou do apartamento com a chave em sua mão, ouviu música vindo de dentro do apartamento, era Foxy Lady do Hendrix, Taylor se sentia a pessoa mais sortuda do mundo sempre que Mercury colocava o guitarrista para tocar no toca-discos dos músicos, pois sempre quis achar um cônjuge que tivesse o mesmo gosto musical que si. 

Entrou no apartamento e fechou a porta, estava com os ombros e pernas doloridos de tanto que trabalhou o dia todo e só queria tomar um banho e se deitar - talvez fosse ler um pouco antes de dormir. O baterista entra no quarto, dando de cara com o moreno segurando um pênis de borracha.

-Freddie? Onde você conseguiu isso? - Larga o casaco de grife em cima do cabideiro e tira sua jaqueta, ficando mais à vontade. O cantor olha para Roger - Boa noite, meus bebês! - Lhe dá um selinho e depois um beijo na barriga de Freddie, nunca deixava de fazer isso.

-Oi, Roggie! Isso é um packer - Mostra, como se o loiro ainda não tivesse visto.

-E o que é um packer? - Senta ao lado do marido e tira seus tênis, sentindo alívio nos pés.

-É um pênis “realista” que geralmente serve só pra fazer volume nas calças, mas o meu tem quatro funções! - Conta animado - Serve pra fazer volume, pra eu conseguir urinar de pé, também pra transar e se masturbar!

-Que engenhoso - Sorri leve, arrumando um pouco a postura e sentindo suas costas darem um estalo - Não sabia que você tinha isso - Se levanta indo até o roupeiro e escolhendo uma roupa para dormir, pois logo iria tomar banho.

-Eu tenho faz um ano, mas nunca pude usar pra transar, eu estava colocando a vértebra nele pra ver como que funciona - Mercury comenta direcionando os olhos novamente para o tal packer.

-Vértebra? - Roger vira de frente para o pianista, confuso, definitivamente não sabia coisa alguma sobre aquele objeto e sobre o que o Freddie estava falando. O moreno sorri.

-Vem aqui, vou te mostrar - Chama, e o loiro se senta ao seu lado novamente - A vértebra é isso aqui - Mostra um objeto longo e fino, de silicone, com uma pequena bola um pouco esticada em uma das pontas, parecia com um refil fino de cola quente, apenas com a largura menor - Você coloca ela aqui - O cantor introduziu aquele objeto dentro do packer, fazendo com que o mesmo ficasse ereto - Aí você vai prender esse pênis num cinto especial pra isso e vai foder alguém, ‘tá vendo essas ondinhas? - Aponta para um local dentro do packer - Elas vão estimular o clitóris de quem está fodendo pra dar prazer pra nós também!

-Nossa! - Roger estava boquiaberto - Quem inventou isso merece um prêmio! Isso é genial! Como nunca me mostrou esse pau aí antes? - O moreno ri levemente.

-Isso é jeito de falar com o meu pênis, Roger? - Taylor o acompanha na risada brevemente - A gente não era marido e marido, e sei lá, não sabia que tinha interesse em conhecer!

-Se eu fosse responsável por quem ganha prêmio Nobel, eu daria pra quem inventou esse negócio! - Se levanta novamente.

-Eu adoraria usar pra saber como é essas ondinhas quando se fode alguém, mas como nunca pude, eu só usava pra urinar em pé, as vezes de masturbador, e pra ir nos banheiros públicos, só Deus sabe como esses lugares são nojentos!

-A gente pode tentar - O loiro diz mexendo nos cabelos, verificando se precisam de lavagem, e enquanto isso, Mercury o encara - Qualquer dia desses, quando você quiser…

-Verdade? - Freddie tinha receio de falar sobre com o baterista por achar que ele iria se reprimir como fizera com todas as outras coisas, pois mesmo pra quem já aceitou sua sexualidade, não era muito fácil estar “okay” com a ideia de dar a bunda especialmente pelos boatos de dor, entre outras coisas.

-Claro! Por que não? - Roger pega um amarrador de cabelo, pois não pretende lavar o seu. Que bom que você aceita, Roggie, porque eu acordei cheio de tesão hoje!

-Você vai tomar banho?

-Vou - O loiro sorri leve para o marido, já na porta do quarto - Não se preocupe muito com a comida hoje, eu ‘tô mais focado em tomar banho e deitar na cama - O pianista acena positivamente com a cabeça, sorrindo um pouco, Taylor retribui o sorriso e vai direto para o banheiro. Seria fácil não me preocupar se eu não estivesse pensando em comer você no jantar.

O baterista sai do banheiro e estende sua toalha em um pequeno varal de ferro que é parafusado na parede, fica um pouco surpreso, pois o álbum Are you Experienced? de seu grupo favorito está tocando novamente, desde o início, e depois de todo esse tempo, ele deveria estar já na metade. Quando chega no quarto, molha os lábios ao ver o cantor deitado de frente para a porta, nu, e o packer acoplado num cinto logo ao lado.

-Você ‘tava demorando, achei que ia ter que começar sozinho! - O moreno senta usando as mãos de apoio de tronco, Taylor anda devagar até a cama - Eu estou morrendo de tesão - fala dando ênfase - Mas você ‘tá parecendo cansado, prefere que eu te deixe dormir ao invés de tentarmos fazer isso hoje? - Pelo semblante do loiro, Mercury sabia que ele queria transar, Roger não costumava negar uma oportunidade para sexo somente por um pouco de sono.

-Você ‘tá mais gostoso que o habitual, sabia? - Sobe na cama apoiando as mãos na mesma e deixando o corpo do marido logo abaixo do seu, e chupa seu pescoço aproveitando para marcar completamente.

-Ah Roggie, tem certeza que quer ser o passivo? - Freddie pergunta já puxando a camisa do outro e a tirando, então pega no pau de Roger por cima da calça e massageia, iria provocar para incentivar o loiro a aceitar ser passivo embora também entenderia se ele não quisesse aceitar a proposta. Taylor arfa no ouvido do mais velho.

-Quero, Freh - Deixa beijos no pescoço de Mercury e os desce até os mamilos, passando as mãos pelo corpo inteiro do mesmo, no momento não estava se preocupando muito com o que tinha aceitado fazer, mas logo isso mudaria.

O casal já tinha trocado muitos beijos e carícias, pra quem estava super cansado anteriormente, Roger tinha uma disposição incrível para beijar o corpo inteiro do moreno, já tinha lhe distribuído beijos no peito, nos ombros e pescoço, na barriga e nas coxas, agora, beijava e chupava o clitóris do marido com vontade, se tinha uma coisa que o loiro gostava no mundo, era fazer oral do homem que amava, e não se pode dizer que Freddie não gostava de receber tanta atenção assim. As calças do baterista já tinham ido para o chão há um bom tempo. O mais velho levou as mãos até o rosto do outro e o afastou um pouco de si, soltando uma arfada.

-Ah Roggieh, você… - Arfa levemente - Você tem a melhor boca do mundo - Acaricia os lábios do homem dos olhos azuis, usando o polegar, sentindo a mesma completamente úmida pela saliva. Roger sabia que quando o outro o afastava de sua vulva, era porque poderia chegar ao ápice a qualquer momento, por tanto, usou a língua e deu uma última lambida no clitóris de Mercury, que sentiu o corpo arrepiar completamente enquanto gemia baixo.

-Você - Roger falava e dava beijos no corpo de Freddie a cada palavra que dizia - é tão, mas tão - E direcionava os beijos pelo corpo do outro retornando para cima - tão perfeito! - E então o beijou um pouco, não durou muito porque o mais velho levantou, ficando de joelhos na cama.

-Que tal se você se apoiar na cabeceira da cama, uh? - E desliza as mãos das costas do loiro até a sua bunda, segurando nas nádegas e as massageando um pouco, e finalmente Taylor começa a se sentir nervoso. Freddie o beija mais um pouco e leva as mãos para o resto do corpo do outro, era sua vez de decorar cada curva.

Taylor se afasta um pouco e vai até a cabeceira, levando suas mãos até a barra de ferro bege que compunha a cabeceira, enquanto isso, o pianista tratou de vestir o cinto com seu packer acoplado, e certificou-se de que a vértebra estava bem colocada e as ondinhas do objeto estariam bem colocadas em seu clitóris.

-Amor - Mercury pega o tubo de lubrificante da cômoda, e deixa beijos carinhosos pelo pescoço e ombros de Roger que está, claramente, tenso - Deixa eu te dar uns beijinhos pra você relaxar uh? - Pega no pau do loiro e o masturba devagar, fazendo-o arfar levemente.

-Isso dói muito? - Freddie sentiu vontade pegar o mais novo e colocar em um pote cheio de amor e carinho, e somente tirá-lo de lá para abraçar. Ah Roger, você é tão fofo e sensível. O moreno deu uma breve arrumada nos travesseiros.

-A princípio, não - Não tinha certeza da resposta já que não sabia se Roger conseguiria relaxar - Mas se você achar que está sendo muito ruim, você pode me dizer que a gente para, não tenha medo de me avisar porque eu não quero tornar isso uma experiência horrível pra você, tudo bem? - Derrama um pouco de lubrificante no membro do baterista enquanto masturba, no intuito de o deixar mais calmo, não que Roger tenha ficado sereno, mas o ato o acalma um pouco.

-Certo… - Freddie o conduz para apoiar os cotovelos nos travesseiros, e então trata de deixar muitos beijos molhados pelas costas do marido, marcando alguns locais e apenas beijando outros, faz uma trilha dos ombros dele até as nádegas, sem parar de o masturbar, Taylor larga alguns gemidos baixos e muitas arfadas no trajeto todo.

O cantor deixa chupadas breves pelas nádegas, e então direciona sua boca para a entrada do loiro beijando-a, e salivando para deixá-la bem lubrificada e molhada, o mais novo sente arrepios leves e procura manter o foco em relaxar. Freddie se mantém beijando a entrada até perceber que esta está descontraindo, aproveita e penetra devagar a língua no marido, que sente desconforto mas se esforça ao máximo para não se contrair novamente. Em todo o processo, o moreno o masturba.

Mercury procura entrar com a língua aos poucos, deixando-a dobrada para não se tornar grande demais para o outro, no momento, o baterista acha a sensação “gostosinha”. O mais velho então procura masturbar Taylor mais rápido enquanto abusa de sua própria língua na entrada do outro, aos poucos, o loiro arfa mais forte, o ato permanece assim por um tempo, com o pianista alternando a velocidade da masturbação para não fazer o marido gozar antes da hora. Então Freddie volta a língua com calma, e para de masturbar o outro.

-Tudo bem, amor? - Pergunta e deixa mais beijos pelas costas de Roger, e então começa a lubrificar seu packer, tomando cuidado para deixar o objeto bem lubrificado. Escuta um “sim” arfado do outro em resposta - Posso? - O loiro sente o packer roçando em sua entrada, e não responde à pergunta, Freddie se mantém usando as mãos pelo corpo de seu amado e deixando muitas carícias, não o penetrará até que ele esteja certo disso.

-T-tudo bem, pode… - O baterista responde depois de um tempo, e Mercury torna a masturbá-lo numa velocidade razoável, para o relaxar novamente.

O moreno penetra a glande e a mantém dentro do outro, pretende ir aos poucos da mesma forma que fez com sua língua, Taylor sente desconforto novamente e procura se manter relaxado, mas isso se torna um pouco difícil quando Freddie o penetra mais um pouco, um pênis era completamente diferente de uma língua.

-Você está bem, Roggie? - Pergunta, pois seu marido está muito quieto e assim Mercury não sabe se procede ou não.

-I-isso dói um pouco - Confessa.

-Eu vou aguardar você relaxar, não se preocupe, a menos que você queira parar.

-Não, tudo bem… - Roger respira fundo. O moreno permanece deixando beijos e carícias no outro, o masturbando ainda, o loiro segura na mão de Freddie e a afasta de seu membro, pois após tanto estímulo, achou que poderia chegar ao ápice - Pode continuar - Avisa.

O mais velho entra mais um pouco, agora usa as duas mãos para acariciar o corpo do outro, e assim vai aos poucos até que seu membro finalmente esteja todo dentro do loiro, que ainda sente um pouco de dor, mas não acha insuportável ao ponto de querer parar.

-Posso estocar, amor? - Pergunta Freddie, levando uma mão para o packer para controlar melhor a velocidade com que vai fazer isso. Após receber uma resposta positiva, o moreno estoca devagar e com calma, Taylor aperta um pouco o travesseiro com as mãos - Tudo bem?

-Espera um p-pouco - O baterista têm seu pedido atendido pelo outro, e procura tentar se acostumar, sente felicidade e gratidão pelo parceiro estar sendo tão amável consigo. Ele respira fundo e depois expira, relaxando - Pode continuar - E o moreno estoca mais uma vez, cuidando para ser com calma.

Roger não pede mais para parar, pelo contrário, afirma que Mercury pode continuar sempre que ele lhe pergunta e, por tanto, o mais velho permanece o estocando devagar, e depois de algumas estocadas, o loiro começa a arfar em cada uma. Freddie percebe, mas não acelera ainda o ritmo, quer ter certeza de que está ficando gostoso para o companheiro.

-P-pode ir mais… - Taylor não termina a frase, mas sabe que o moreno entendeu, pois o mesmo acelera um pouquinho o ritmo, e o mais novo começa a mover a bunda de encontro com o quadril do outro sem perceber, Freddie segura em suas nádegas e as massageia, decide por aumentar o ritmo mais um pouco.

E assim ficam por alguns minutos, aumentando o ritmo aos poucos, até que Roger começa a gemer baixo, e depois mediano, alto… Mercury está estocando rápido, passando as mãos do início das costas do loiro até a bunda, gemendo um pouco por sentir as ondinhas do packer roçarem em seu clitóris, mas nada se compara a ver e ouvir Roger Taylor gemendo e rebolando com vontade como um pedido para ser mais fodido do que já está sendo. O moreno o envolve no peito e o puxa para levantar o tronco, pois quer alcançar seu ouvido para gemer pertinho do mesmo, o baterista segura novamente na barra de ferro da cabeceira.

-’Táh gostoso, Rogeh? - Freddie pergunta arfando no ouvido do outro, que arrepia e geme por isso, e então estoca com mais vontade quando acha que seu marido vai responder à pergunta, como resposta, o outro geme mais alto.

-’T-táh p-perfeitoh - Taylor responde como pode, pois prefere gemer o nome do marido à conversar agora.

-Ah Roger, eu sempreh quis saber como erah comer essa suah bundinha - Passa a estocar mais rápido conforme fala, e ainda retorna sua mão para o membro do companheiro masturbando na mesma velocidade com que estoca, fazendo-o sentir que pode gozar a qualquer momento - Éh a coisah mais gostosah do mundo todoh - Diz cada palavra arfando na orelha do baterista, o fazendo arrepiar completamente.

E não demora mais muito tempo, Freddie sente sua mão quentinha com o líquido do outro enquanto o ouve gemer realmente alto, acredita que talvez os vizinhos não gostem nada disso - e sabe que eles ouviram, pois foi mais alto que o volume da voz de Hendrix saindo de seu toca-discos. O moreno vai parando de estocar e de masturbar aos poucos, pois quer tentar prolongar o orgasmo de Roger, que logo se sente sem forças, é como se o cansaço de antes tivesse triplicado e caído por cima de seus ombros, mas isso não significava que ele deixaria de agradar o marido agora.

Mercury sai devagar de dentro do outro para não o machucar, sabe que com o orgasmo, o baterista deve ter se contraído, e quando sai por completo, tira o cinto e o reserva em um canto da cama para lavar depois, acaba sendo pego desprevenido por Taylor que o abraça e o faz deitar na cama, e o beija com intensidade.

O loiro leva os dedos até a vulva do companheiro e os lubrifica com o próprio muco que sai da mesma, o masturba o mais rápido que consegue, arrancando gemidos do moreno.

-Como vocêh ‘táh molhadinho, Freeh - Força algumas arfadas e gemidos no ouvido do amado, pois sabe que o mesmo ama ouvir coisas “sujas” - Gostah assim, uh? - O masturba com a ponta de um dedo mirando certinho no clitóris do outro, e procura manter o ritmo extra rápido com que faz isso. Mercury não tem tempo de responder, ou sequer de pensar numa resposta, pois logo chega ao ápice também, gemendo alto e arranhando levemente as costas do companheiro, que também para de o masturbar aos poucos para prolongar a sensação do orgasmo. Roger se deita ao lado do companheiro, extremamente cansado, e o envolve já no intuito de dormir.

-Amor, não posso dormir ainda - Freddie passa as mãos pelo peito do loiro como uma forma de carícia - Tenho que lavar o packer e por pra secar - Dá-lhe um beijinho, sorridente, Taylor o encara um pouco, com um sorriso bobo nos lábios - Você gostou de ser passivo?

-Eu não gostei - Diz Roger ainda negando com a cabeça, então a testa de Freddie se franze, pois os gemidos do companheiro não batiam com a resposta - Eu ameeeei - Responde escondendo o rosto no pescoço do moreno, que ri levemente, logo sente uns beijos do outro. Mercury larga um gemido de dor de repente, e faz o louro o encarar - Que foi, amor? Te machuquei?

-Não, é o bebê… - Pega na mão do marido e a direciona para a sua barriga, o loiro sorri totalmente ao sentir aqueles chutes, já estava acostumado a sentir isso, mas sorria bobo todas as vezes - Estou preocupado com uma coisa, como ele vai ser amamentado? - Taylor direciona os olhos para o moreno.

-Eu esqueci que você não podia amamentar depois de fazer mastectomia, eu posso pedir pra minha mãe, que tal? - Sugere, os olhos do cantor ficam grandes.

-A sua mãe sabe sobre mim? - Sente um pouco de medo com a possibilidade.

-Claro que não, eu só contei pra ela que serei pai, ela queria saber quem que eu tinha engravidado mas eu disse que não podia contar, acho que ela pode nos ajudar, eu posso inventar algo pra ela tipo, sei lá… A mãe morreu no parto… - E dá de ombros.

-Que horror, Roger! - Mercury sente calafrios - Você não acha que ela poderia me aceitar? - No fundo, tem um pouco de esperança, pois Winifred (mãe de Roger) sempre foi muito querida consigo, e nunca aparentou ter algum tipo de preconceito.

-Acho que ela ficaria muito confusa com isso, e talvez fosse ficar falando que você é mulher - O loiro percebe o marido estremecendo - Mas eu também acho que ela não contaria pra ninguém, pois seu bebê é o meu bebê, ela não tentaria ferrar com sua vida porque assim vai ferrar a minha também, e eu não acho que ela me brigaria nem nada… Eu só acho que seria confuso demais pra ela - Acaricia os cabelos do amado para o confortar.

-Entendo… Mas então… Se ela pode nos ajudar com isso, pode contar sobre mim…

-Tem certeza, amor? - Taylor faz carinha no rosto do amado, que assente levemente.

-Eu nem perguntei como foi o seu dia… - O cantor se dá conta do fato agora, a mão de Roger que está em sua barriga a acaricia, e o mais novo direciona seus olhos para a mesma.

-Foi cansativo, e não aconteceu nada demais, a melhor parte foi quando eu voltei pra casa - Diz com sinceridade, fazendo o marido sorrir levemente - Eu pensei em nomes - E olha para Freddie, que fica curioso - Era Jimi e Beth… Acho que Rory também, o outro eu nem lembro mais... 

-Rory é lindo! Eu pensei que podia ser Olívia também… - Se levanta e anda até o toca discos parando a música, e logo retorna para a cama no intuito de ouvir somente a voz de Roger.

-Olívia é maravilhoso, você tem ideias melhores de nomes do que eu - Taylor retorna a acariciar a barriga do amado.

-Eu quero que o bebê puxe a sua aparência, tudo em você, e sua personalidade também!

-Mas aí você vai ter um enorme bebê Roger e um mini bebê Roger pra aguentar - Brinca o loiro, o outro ri levemente.

-Melhor isso do que o bebê ter quatro dentes a mais! - Roger encara o pianista, um pouco mais sério - Ah, não me dá sermão agora! - Cruza os braços na esperança de que seu marido não venha lhe repreender.

-Não vou dar sermão, to cansado demais pra te criticar por falar mal de si, mas você acha que essa criança vai ser feia por ter os mesmos dentes que você? Por mim, ela vai ser ainda mais bonita se for assim…

-Eu não quero que ela sofra preconceito na escola da mesma forma que eu sofri! - Um breve silêncio se instala entre o casal. Roger suspira.

-Eu sinto muito, mas ela vai ter coisas minhas e coisas suas, e ela vai ser perfeita de qualquer forma, e se ela tiver os seus dentinhos perfeitos, terei o prazer de educá-la a aceitá-los e fazer você perceber como vocês dois são maravilhosos assim! E vou colocar ela num curso de luta pra garantir que ninguém mexa com ela - Freddie ri um pouco - Eu tô falando sério! - Taylor sorri.

-Esse bebezinho é nosso filho, acha mesmo que um curso de luta vai fazer ele saber se defender? - Ambos dão risada da observação.

-Tem razão… - Roger olha novamente para a barriga de Freddie, e se abaixa um pouco na cama para ficar perto dela - Papai não vai deixar com que te façam mal, nunca! Porque você e seu pai são a coisa mais importante da minha vida, ‘tá entendendo? - E deixa beijos na barriga, fazendo Mercury sorrir da forma mais pura possível - Vocês são a melhor coisa que já me aconteceu, prometo ser sempre um símbolo de proteção e confiança pra você…

-AI - Freddie grita, o loiro o encara assustado - Filho da puta! ‘Tá chutando minha costela! Para ou eu vou aí! - Reclama bravo, e o baterista ri levemente - Não é engraçado Roger, vocês homens cisgêneros não fazem ideia do que é passar por um chute nas costelas! - E começa a reclamar sobre estar grávido.

Taylor lhe beija e abraça, e quando o mesmo pega no sono, Freddie aproveita para lavar seu packer e comer uma maçã - que fora o desejo mais “normal” que tivera até agora. Quando retorna para a cama para, enfim, dormir, leva a mão do loiro até sua barriga novamente e o observa um pouco, as palavras dele estavam circulando por sua mente. Símbolo de proteção e confiança… Você vai ser o melhor pai do mundo Roggie, e seremos a família mais feliz de todas! 


Notas Finais


Espero que tenham gostado do hot que vocês pediram rs
O próximo capítulo será o último k, mas mesmo assim espero que eu tenha entretivo vocês um pouquinho, especialmente agora em época de quarentena :c
Até breve! Beijos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...