História Bath Time - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Winwin, Yuta
Tags Lemon, Nct, Nct 127, Pwp, Winwin, Yuta, Yuwin
Visualizações 289
Palavras 2.279
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Prensentinho


SiCheng nunca se sentiu tão nervoso em toda a sua vida. Tudo bem que ele sempre sentia-se à beira de um infarto sempre que assistia a um jogo do namorado, mas dessa vez realmente sentia que ia explodir de tanto nervosismo.

O jogo entre o time da universidade de Yuta e o time da segunda melhor universidade da região que moravam estava empatado, faltava apenas uma cobrança de pênalti para o jogo acabar e, apenas para aumentar ainda mais o nervosismo, o desempate estava nas mãos do japonês. Mesmo com todo o nervosismo, SiCheng estava confiante pelo simples motivo de Yuta estar puto por causa de uma falta - o imbecil do outro time simplesmente empurrou ele para fora do campo do nada, nem com a bola ele estava - e com certeza ele faria de tudo para não errar aquele pênalti.

Literalmente começou a tremer quando o apito que autorizava o pênalti soou, segurando entre as duas mãos a semelhante de sua sogra, que estava achando a coisa mais fofa do mundo a agitação do pequeno. Yuta afastou a franja castanha dos olhos, analisou a posição do goleiro e a distância que estava do gol por alguns segundos, respirou fundo e finalmente acabou com o pequeno espaço que havia entre seu corpo e a bola e a chutou, sorrindo e correndo até seus companheiros de time quando viu que havia conseguido acertar a rede, assim encerrando o jogo e ganhando de 5x4 do time adversário em seu próprio campo.

Era raro ouvir a voz de SiCheng em público, mas nesse momento ele gritava tanto que até ele não estava reconhecendo a própria voz. Pegou o celular para mandar uma mensagem para sua mãe avisando que o time de Yuta havia ganhado e assim que mandou o áudio sentiu uma mão em seu ombro.

- Acho que tem alguém te esperando... - olhou a sogra curioso e depois direcionou o olhar para onde a mesma apontava, sorrindo ao ver Yuta perto da arquibancada, apenas esperando que fosse até lá.

Guardou o celular no bolso de trás da calça jeans justinha que usava e seguiu até as escadas, não demorando para descê-las e assim que chegou na primeira fileira da arquibancada pulou no colo do namorado, logo lhe dando uma série de selinhos enquanto o japonês o abraçava forte.

- Eu sabia que você ia conseguir! - sorriu enquanto colocava os cabelos do mais velho para trás.

- Viu como o poder do ódio é eficiente? - riu junto ao menor e fechou os olhos quando o mesmo o abraçou pelo pescoço, assim podendo sentir seu cheiro docinho.

- O senpai é o melhor. - deixou um beijinho na bochecha do maior e desceu de seu colo. - Vai tomar banho, você tá todo suado, credo.

- Mas nossa! - fez cócegas no mais novo, rindo junto a ele. - Eu já volto, ok? Ah, os meninos querem ir num bar novo que inaugurou semana passada, você quer ir?

- Hmm... Um bar?

- É, mas não precisa beber, eu também não vou.

- Tá bom. - sorriu e deu um selinho demorado no mais velho. - Vou te esperar aqui.

•♡•

Todos sabem que as coisas nem sempre acontecem como planejamos. 

O plano era: nada de álcool. Mas acontece que Yuta não conseguiu resistir à carinha de cachorrinho pidão que SiCheng havia feito quando seus amigos pediram uma bebida rosa - ele sabia que aquilo iria atrair o namorado de algum jeito, ele amava aquela cor - e depois que descobriram que aquilo tinha gostinho de chiclete foi o fim.

A sorte era que a casa do chinês era ali perto, e também que os pais dele já estavam dormindo quando chegaram quase não conseguindo manter-se em pé. Ao mesmo tempo em que Yuta sentia-se irresponsável também se divertia, Cheng estava com o rosto muito corado e aquilo era engraçado demais.

Se jogou na cama macia e cheia de ursinhos de pelúcia do menor assim que entrou no quarto todo bonitinho, fechando os olhos e sentindo tudo rodar, o que era bem divertido.

- Caralho... - murmurou ainda rindo com a sensação, sentindo uma leve pressão em suas coxas e encontrando "seu menino" - como o chamava - em seu colo, apoiando as mãos delicadas em seu abdômen. - Oi, minha delicinha. - sorriu acariciando a cintura fininha.

- Oi... - riu baixinho e acariciou o abdômen definido do maior. - Você tá muito louco.

- Tô nada, tô melhor que você. - sussurrou, levantando a camiseta do baixinho devagarinho. - Tira...

- Você não tá nem conseguindo se mexer, parece que vai dormir a qualquer momento. - assim como o castanho, levantou a camiseta que ele vestia, só que como ele estava deitado a mesma permaneceu levantada. - Eu vou fazer você acordar rapidinho... - apoiou um braço ao lado do corpo do mais velho e debruçou sobre ele, roçando os lábios carnudinhos aos dele por breves segundos antes de beijá-lo.

Gostava tanto de beijar aqueles lábios, não acreditava que beijar viciava até experimentar os lábios de Yuta. Eram tão macios e quentinhos e gostosinhos de morder, gostava de provocar o japonês afastando-se um pouquinho durante o beijo apenas para vê-lo quase que desesperadamente buscar seus lábios e novamente capturá-los com os seus. Segurava ambas as mãos do japonês acima de sua cabeça com os dedos entrelaçados, apertando-as de levinho e não evitando alguns suspiros conforme o beijo tornava-se ainda mais intenso.

Os estalos molhadinhos ecoavam pelo quarto cada vez que os lábios macios se encaixavam, SiCheng havia sentado-se um pouquinho mais para cima, assim ficando exatamente sobre o pênis semidesperto do maior e apenas para provocá-lo movia o quadril para frente e para trás devagarinho. Já estava todo arrepiado só por sentir a ereção do namorado cada vez maior abaixo de si e quando percebeu já gemia baixinho contra os lábios alheios por pura ansiedade para o que estava prestes a fazer.

- Hmm, que beijo gostoso... - sorriu travesso assim que o chinês encerrou o beijo, fazendo-o rir baixinho.

- Gostou? - direcionou os lábios molhadinhos ao pescoço do mais alto, depositando ali beijinhos demorados e leves chupadas, sorrindo ao sentir Yuta apertar suas mãos e suspirar um tanto mais alto. Ele era sensível no pescoço. - Você foi tão bem hoje... - deixou uma mordida um tanto forte, facilmente marcando a pele alva, enquanto erguia a camiseta do castanho logo depois de soltar suas mãos, não demorando muito para tirá-la e começar uma trilha de beijos em seu abdômen.

- Você vai me recompensar? - mordeu o lábio inferior, levando a destra aos fios negros do mais novo e acariciando-os, sentindo os beijinhos descendo cada vez mais, porém quando achou que SiCheng ia finalmente abrir sua calça, apenas sentiu a mão quentinha acariciando seu falo por cima do jeans. - Tira, bebê...

- Tá ansioso 'pra ganhar seu presente? - perguntou entre as mordidinhas que distribuía pela região abaixo do umbigo do maior.

- Você não imagina o quanto... - não evitou um gemido baixo quando aquela mãozinha travessa apertou levemente seu pau.

Com a ajuda do japonês abaixou sua calça jeans junto com a boxer branca, corando ainda mais ao ver a ereção avermelhada à sua frente. Arrepiou-se com o gemido que o maior deu quando começou a masturbá-lo devagar e mordeu o lábio inferior pensando no que faria à seguir. Estava tão curioso, mas ao mesmo tempo receoso porque queria que tudo fosse perfeito.

Ok, é só ter calma e respirar fundo, pensou antes de aproximar o rosto corado da pelve alheia e levar os lábios vermelhinhos e úmidos até a glande inchadinha, dando um leve beijinho ali e gostando da sensação de ter a pele macia contra seus lábios. Arriscou chupar apenas ali de levinho, vendo Yuta tensionar as coxas e sentindo o gostinho salgado do pré-gozo em sua língua. Arrepiava-se com os gemidos baixos e arrastados que Yuta dava enquanto lambia toda a extensão de seu pau devagar, sentindo as veias pulsarem contra sua língua e notando o quanto ele estava duro.

Arrumou-se melhor na cama antes de segurar a base do pênis alheio e abrigar metade dele em sua boca, sentindo Yuta acariciar seu cabelo e gemer arrastado quando recuou a cabeça sugando. Ah, era gostoso... Ver o namorado reagir daquele jeito aos seus toques o incentivava a continuar chupando-o devagar, mas com afinco, acariciava os testículos agora um tantinho doloridos do mais alto com calma, vez ou outra apertando-os bem de leve, enquanto tentava abrigar cada centímetro do pau grosso em sua boca, quando tentava ir um pouco mais rápido acabava engasgando um pouquinho, mas logo se recuperava e voltava a chupar o pau quentinho como se fosse seu pirulito preferido.

SiCheng estava tão concentrado em dar prazer ao maior que nem havia percebido que estava sendo atentamente observado. Era quase que mágico ver seu pau sumir por entre aqueles lábios inchadinhos e reaparecer totalmente molhado, a língua macia percorria toda a extensão grossa, quando não estava dando uma atenção maior à glande avermelhada, poderia gozar só de ver o rostinho delicado de seu namorado entre suas pernas, tão coradinho e deliciando-se com seu pau, algumas vezes apenas lambendo-o como um gatinho para em seguida voltar a abocanhá-lo.

Aquela era uma cena que com certeza queria presenciar muito mais vezes.

- Que boquinha gostosa, amor... - sussurrou após um suspiro, fechando os olhos e gemendo arrastado sentindo a maior parte de seu pau dentro daquela boca macia. - Deixa o senpai te ver melhor? - mordeu o lábio inferior quando o mais novo se afastou, fazendo um estalo molhado ecoar pelo quarto quando os lábios cheinhos deixaram seu pau.

Sentou-se na cama e não demorou nem mais um segundo para beijar o Dong, acariciando seu cabelo agora bagunçado e gemendo arrastado contra os lábios vermelhinhos ao sentir as duas mãos macias masturbando-o, sorrindo ao ouví-lo gemer baixinho junto a si. Tinha certeza que seu garoto ficaria excitado. Levou a destra até o meio das pernas alheias, tocando o pau durinho por cima da calça jeans que o escorpiano mais baixo usava e sorrindo ao ouvir seu gemido baixinho e manhoso.

Findou o beijo com uma mordida no lábio inferior do chinês e antes que pudesse fazer algo, viu-o ajoelhar-se no chão, tendo mais facilidade em abocanhar seu membro já que estava sentado na beira da cama.

- Cheng, você vai me deixar louco... - gemeu rouco, apoiando uma mão na cama e levando a outra à nuca do mais novo, mordendo o lábio inferior ao notar o quanto ele havia gostado de ter seu pau indo fundo em sua boca pequena. 

- Isso é tão gostoso... - falou baixinho, deixando leves beijinhos pelo pau avermelhado, logo voltando a lambê-lo e arrepiando-se com o gemido arrastado do mais alto.

- Você tá indo muito bem, meu pequeno... - sorriu olhando o menor enquanto esfregava sua glande contra a língua rosadinha. - Isso tá ficando difícil 'pra mim.

- Por que você tá se segurando? - grunhiu e puxou levemente os fios macios entre seus dedos, fazendo SiCheng gemer baixinho.

- O senpai quer tanto foder essa boquinha gostosa. - segurou seu pau e deu algumas batidinhas na língua macia do outro. - Pode, amorzinho?

- U-Uhum. - fechou os olhos e assentiu com a cabeça. - Por favor, senpai...

- Puta merda, Cheng... Abre um pouquinho mais a boca, meu príncipe. - pediu acariciando o queixo do menor, sorrindo quando o mesmo o obedeceu e colocando seu pau inteiro ali, logo iniciando os movimentos ainda lentos de vai e vem com o quadril.

Cheng havia desabotoado a calça e agora acariciava seu pau já molhadinho pelo pré-gozo por cima da boxer rosa bebê, gemia baixinho junto ao maior conforme seu pau ia cada vez mais fundo em sua boca, arrepiando-o inteiro, e com a mão livre arranhava a coxa do namorado. Percebia que a respiração do maior estava cada vez mais pesada e os gemidos cada vez mais arrastados, seu pau deslizava facilmente por entre seus lábios e vez ou outra sentia que os testículos alheios batiam contra seu queixo, porém quando Yuta segurou seus cabelos mais forte soube que acabaria ali.

Gemeu manhoso em reprovação quando Yuta tirou completamente seu pau de sua boca, deixando apenas a glande encostada em sua língua enquanto se masturbava rápido, dava leves lambidinhas ali, forçando a ponta da língua a de leve na pequena fenda e fechando os olhos quando Yuta gozou forte, gemendo arrastado e agarrando seu cabelo. A porra quentinha preencheu sua boca rápido e também havia sentido que alguns jatos atingiram seu rosto, o que era uma visão inesquecível para o maior, que agora acariciava lentamente o pau ainda duro observando o chinês, depois de ter engolido o que havia em sua boca, recolher cada gotinha de sua porra com os dedos finos e chupa-los.

- Meu Deus... - apenas observou seu pequeno subir em seu colo como se não tivesse acabado de lhe dar o melhor boquete de sua vida e roubar-lhe um selinho.

- V-Você gostou? - perguntou baixinho, conseguindo corar ainda mais.

- Não ficou óbvio o quanto eu amei? - sorriu mordendo o lábio inferior enquanto apertava as nádegas gostosas do menor com vontade. - Mas agora... Nós temos que dar um jeito aqui, não é? - acariciou com as costas dos dedos o pênis do baixinho em seu colo, que apenas com isso encolheu mais as pernas e gemeu baixinho.

- É... - suspirou baixinho quando Yuta o deitou na cama e deu-lhe um selinho demorado enquanto afastava suas pernas.

- Deixa que o senpai cuida disso 'pra você.


Notas Finais


voltei com o bônus~ hihi
espero que gostem! se puder me sigam no wattpad também @/winkko-chan

até a próxima~ 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...