História Bathroom Wall - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jung Hoseok (J-Hope), Personagens Originais
Tags Bangtan, Bathroom Wall, Bts, Dayanedutra, Hoseok, Hotfic, Jhope
Visualizações 377
Palavras 2.152
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Hentai, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oieeeeee pessoas lindas,

Voltei com a última parte da história. Obrigada a todos os favs e a todo o carinho por essa twoshot!!

Eu vou deixar o link da música que me inspirou a escrever essa twoshot.

Tenham todos uma boa leitura 💜💜

Capítulo 2 - Paredes rabiscadas.


Fanfic / Fanfiction Bathroom Wall - Capítulo 2 - Paredes rabiscadas.

O som dentro do banheiro da boate era abafado, mas ainda era alto e criava uma atmosfera lúdica para o ambiente. Quase como um convite para algo diferente.

Eu demorei um pouco mais do que deveria para entrar porque tinham homens dentro do banheiro e não importa como, seria simplesmente estranho se eu entrasse lá sem nenhuma explicação racional.

O banheiro masculino tinha uma iluminação curiosa. Eu nunca tinha entrado em um banheiro de boate e achei até mesmo engraçado. A iluminação era azul, causando quase uma sensação de fantasia. Será que o banheiro feminino era assim também?

Por que eles iluminavam o banheiro da boate assim?

Aproveitei que o banheiro estava vazio e caminhei apressadamente para o último box, eu sentia minha veia pulsando no pescoço de tanta expectativa. Por Deus isso era loucura, mas era uma loucura tão insanamente gostosa. Eu apenas não conseguia refrear minha excitação para fazer algo proibido.

Graças ao Hoseok esse meu lado, infratora vinha à tona com força, me fazendo aceitar e fazer coisas que eu jamais imaginei. Dei uma batida na porta do ultimo box conforme ele tinha informado e ela instantaneamente abriu.

A imagem do Hoseok sobre aquela luz azulada com aquele sorriso ladino vestido naquele terno vermelho, me tirou o fôlego. É verdade, nossas aventuras eram maravilhosas, mas não seriam maravilhosas se não fosse por ele e sua mente pervertida. A verdade mesmo, e eu só percebi agora, é que eu só me submetia à essas loucuras porque era ele. O perigo não seria tão excitante se não envolvia Jung Hoseok.

Sua mão de dedos longuilíneos pegou em meu braço me dando um solavanco puxando-me para dentro do box do banheiro e meu corpo chocou contra o dele. Sua respiração era pesada e tinha um ar sexual impressionante.

Jung Hoseok exalava sexualidade e masculinidade quando queria e tudo isso com um sorriso no rosto como se não fosse nada demais. E era óbvio que nesse momento ele queria.

-Você gosta de me provocar? - perguntou sussurrando. Eu sorri olhando para ele, mas na verdade meus olhos olhavam para sua boca, meu corpo ansiava por seu toque atrevido e despudorado, mesmo naquele lugar apertado e nada comum.

No segundo seguinte à sua pergunta, ele estava girando meu corpo para que eu ficasse de costas para ele e com o rosto rente a parede de azulejos pequenos e brancos toda rabiscada com nomes, palavrões e citações de conotação sexual. O que no fundo deixava tudo com o ar ainda mais propício.

-Você vai sentir na pele o que significa me provocar - ele sussurrou em meu ouvido de novo, com sua voz grave, fazendo com que eu soltasse um suspiro pesado contra a parede do banheiro. As mãos dele percorreram as laterais meu corpo descendo até encaixarem-se em minha pelves, estando segurando ali ele simulou uma estocada, me empurrando de encontro com a parede, fazendo com que eu sentisse toda sua ereção. - Consegue sentir como você me deixou?

Sua pergunta só me fazia ofegar mais desejosa, se ele soubesse como eu estava nesse momento! Eu me sentia pulsando, uma excitação quase dolorida demais para aguentar e um calor indescritível, calor esse que me levava a umidade. Meu corpo estava pronto para receber todo o seu desejo.

As mãos dele desceram mais um pouco encontrando a barrada da minha saia e a levantando. Segurando as carnes da minha coxa ele projetou de novo sua ereção em mim, esfregando seu membro rígido e pulsante despudoradamente. Logo em seguida seus lábios macios encontravam as carnes do meu pescoço, mordendo e lambendo, fazendo-me soltar gemidos incontidos.

Eu esperava que a música alta da boate pudesse mascarar nossa aventura no banheiro. A mão esquerda dele que estava livre veio de encontro ao meu pescoço e o apertou, a força que ele utilizava não era sufocante, nem dolorida, pelo contrário era excitante e fazia com que eu me sentisse extremamente redida à ele, era o suficiente para apenas me subordinar aos seus desejos.

Com a outra mão ele desabotou a minha camisa social, fazendo-me estar apenas de sutiã, ainda me segurando pelo pescoço e se deliciando com as carnes da minha clavícula, que agora era onde ele explorava por estar exposta por falta de roupa.

Eu queria toca-lo também, dar-lhe a mesma sensação de prazer que ele estava me dando, estender nossas preliminares até que nossos corpos não aguentassem mais a excitação, porém sua mão em meu pescoço me impedia de fazer qualquer coisa, eu apenas estava com a cabeça tombada para trás recebendo todas as suas dolorosas e deliciosas provocações em meu corpo.

Aproveitei que ele deu um afrouxo no aperto que me dava e girei meu corpo, fazendo com que minhas costas encostassem na parede fria do banheiro, ficando de frente para ele.

Jung Hoseok era muito bonito, mas quando estava excitado, conseguia ser surrealmente lindo, apenas porque ele assumia aquela expressão séria, uma expressão carregada de luxúria, que travava seu maxilar e o deixava ainda mais bem desenhado, trazendo-lhe traços perfeitos.

Não demorei para chocar meu corpo contra o dele, fazendo aquilo que eu mais tinha vontade. Beijando-o, saboreando de seus lábios, que agora tinham uma mistura de desejo com os drinks doces que tínhamos bebidos. Minhas mãos espalmaram-se por seu peitoral esguio, livrando-se dos botões que impediam-nas de tocar em suas carnes. Separei a blusa branca que ele usava, tocando seu corpo, passando a mão por seu abdômen magro e definido em pequenas ondinhas, abracando-o e tocando também a pele de suas costas. Aproveitando tudo dele.

Cravei minhas unhas nele, fazendo-o soltar um grunhido rouco. Sorri satisfeita. Eu sabia que quando ele rosnava assim significava que seu lado mais selvagem estava desperto e totalmente pronto para me atacar.

Com uma mão ele segurou na minha nuca e com a outra na minha cintura, me apertando em seu abraço, pondo seus lábios sobre os meus em um beijo voraz, fazendo-me sugar toda a sua língua, uma espécie de amostra grátis para outra coisa que eu pretendia sugar.

Quando ele me permitiu fazer qualquer movimento de novo, beijei seu corpo começando pelo pescoço e descendo pelo peitoral, até ficar de joelhos diante dele. Me olhando com toda a sua seriedade, assisti à ele desafivelar o cinto e abaixar um pouco a calça, exibindo sua ereção endurecida para mim.

Sua glande avermelhada estava lubrificada, o que indicava claramente seu desejo. Sorri satisfeita passando a língua e apreciando de seu sabor. Ele vincou as sobrancelhas assistindo a minha atitude e eu não tirei os olhos dele.

Logo nas primeiras sugadas ele tombou a cabeça para trás agarrado aos meus cabelos, movimentou seu quadril de encontro a minha boca, enfiando todo o seu membro, fazendo-me engasgar, mas era tão prazeroso que eu apenas pedia por mais e mais, sugando tudo, umidecendo, dando-lhe tudo de mim.

Meu intuito era dar-lhe prazer, porém eu já conhecia bem ele, mesmo usando minhas mãos para estimula-lo, usar minha língua e suga-lo por completo, ele não se entregava. Eu sabia o que ele queria e eu sabia que ele se divertia no ato de prolongar ao máximo, era cheio de energia e disposição e não se cansava com facilidade.

Fiquei de pé dando-lhe mais um beijo antes de me virar de costas para ele subindo minha saia e oferecendo-lhe o que ele queria. Não precisávamos de palavras, se tinha uma coisa que nossos corpos faziam bem, era conversar entre si. Logo ele afastou minha calcinha e eu me empinei para ele, recostada na parede do banheiro esperando sua próxima ação.

Bem no momento em que senti sua ereção me penetrando ouvimos pessoas conversando, e a porta do box ao lado do que nos estávamos abriu. Ouvi uma risada quase sádica vindo do Hoseok e logo em seguida uma estocada bruta, que me invadiu abrindo minhas carnes úmidas e causando-me êxtase.

Mordi o lábio com força para não gemer, meu corpo estava sensível ao seu toque e revirei os olhos com o prazer que estava sendo proporcionado fazer aquilo. A hipótese de sermos descobertos tornava tudo ainda mais interessante.

Fui invadida com novas estocadas e acabei não conseguido segurar os gemidos, então uma das mãos dele encontrou minha boca me silenciando. Suas estocadas eram rápidas e certeiras eu me faziam querer gemer alto me entregar, fazê-lo ouvir o que me causava, porém sua mão me impedia, mas até mesmo isso era pertubadoramente excitante.

Não demorou muito para estarmos sozinhos de novo no banheiro.

-Você gosta do perigo? - ele sussurrou em meu ouvido dando uma estocada em mim. Concordei com a cabeça fazendo ele rir. - Safada. - um estalo alto em minha bunda e ele estava fora de mim.

Virei-me para encara-lo, mas sua expressão era indecifrável, um pensamento me ocorreu: ninguém jamais imaginaria como Jung Hoseok é um pervertido e que me fodia quando bem queria. Aquele sorriso iluminado e divertido, escondia um homem sexualmente disposto, interessante e que a cada dia eu sentia mais vontade de tornar só meu.

-Coloca o pé aqui - ele apontou para o vaso sanitário e assim eu o fiz, levantando minha perna e colocando em cima do vaso, abrindo-me para ele. Um braço dele passou por debaixo dessa perna que estava suspensa e outro agarrou minha cintura dando-me algum apoio e na sequência penetrou-me de novo.

Era uma posição que eu nunca tinha tentando, em um lugar que eu nunca imaginaria fazer sexo, com um homem que me excitava apenas com um sorriso, não preciso dizer que essa combinação era uma bomba que me fazia gemer descontroladamente sendo silenciada por seus lábios em uma tentativa (considerada por mim) falha de tornar as coisas um pouco mais discretas.

Eu estava totalmente entregue e deixei que ele me fodesse em uma posição desconfortável, mas que eu não me importava, minha perna doía, bamba com o prazer, mas eu não cedi. Permanecia ali recebendo ele, sugando seus lábios e aproveitando do momento.

-Jung Hoseok, seu filho da puta - soltei sentindo-me em êxtase, misturada ao calor do ambiente. Ele sorriu ainda me estocando. - Vamos nos assumir - falei de repente.

Ok, eu sei que não era hora nem lugar para revelar a ele que eu queria nos assumir, mas todo aquele ambiente e atmosfera me faziam querer ser dele e de mais ninguém, me faziam querer não deixar ele escapar, me faziam querer essas aventuras por muitos outros dias em minha vida.

Ele parou com as estocadas me encarando por um momento. Eu sabia que quando se tratava de sexo ele não era muito carinhoso, nem muito sentimental, sexo parecia ser algo mais como uma diversão e lazer para ele do que uma espécie de laço sentimental, mas seus olhos carregavam um brilho diferente. Eram quase sentimentais demais sob aquela luz azul.

Um sorriso parecendo sincero brotou em seu rosto e logo em seguida ele me beijou de forma doce. Eu tinha conseguido surpreender Jung Hoseok. Mas quem não ficaria surpreso não é mesmo? Afinal eu estava falando de namoro no meio de uma transa dentro de um banheiro ermo de uma boate qualquer.

Com um impulso ele fez com que eu passasse minhas pernas em volta de sua cintura e voltou a penetrar-me, me segurei em seus ombros e aproveitei os últimos segundos antes de ser invadida pela onda do orgasmo que varria minha sanidade por alguns segundos para longe. Ele continuou estocando-me por mais um tempo contendo seus próprios gemidos de prazer e esforço físico.

Me abaixe diante dele quando o mesmo estava preste a ter o seu orgasmo e o suguei com toda a minha vontade, recebendo seu jato de gozo bem no fundo da minha garganta fazendo-me engolir tudo muito rapidamente.

Todo o meu corpo pulsava. E uma tapa de leve foi deixada em minha bochecha antes que ele me ajudasse a ficar de pé. Sorri dele, que estava com os cabelos todos desgrenhados.

Levei minhas mãos até seus fios os arrumando. Nesse momento éramos a melhor bagunça que duas pessoas podiam ser.

-Você estava falando sério? - ele perguntou enquanto abotoava sua camisa e a colocava para dentro da calça de novo.

-Sobre? - perguntei instintivamente enquanto vestia a minha blusa de novo.

-Nos assumirmos, nós podemos mesmo? - perguntou-me e ali eu soube, soube que ele queria isso mesmo e me senti em paz com a escolha que eu tinha feito. Talvez ele não fosse ser a decepção que eu acreditava que ele seria, porque nem todas as pessoas são iguais e o Jung Hoseok era muito único em seu jeito se ser. Não era o tipo de pessoa que eu podia descartar da minha vida.

-Devemos - falei dando-lhe um beijo rápido. Ele saiu do box primeiro e antes que eu pudesse sair, dei uma olhada em volta nas paredes rabiscadas de palavras desconexas e sem sentidos. As paredes que agora eram marcadas pelas nossa aventura e que faziam todo o sentido para nós.

As paredes rabiscadas de um banheiro onde nossa relação estranhamente se iniciou. 


Notas Finais


No final das contas eu escrevo uma coisa quente que acaba sempre doce... Eu não tenho jeito mesmo!!

Vcs gostaram?? Me digam o que acharam por favor.

Aqui o link da música que me inspirou a escrever essa fic:

https://youtu.be/ulPM1Z3_Buo

Obrigada por lerem e por gostarem. Não deixem de me seguirem para novas aventuras @DayaneDutra, dêem uma vasculhadinha no meu perfil para novas fics.

É isso, até a próxima aventura!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...