História Baunilha - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Got7
Personagens JB, Youngjae
Tags 2jae, Got7, Jaejae, Youngbum
Visualizações 133
Palavras 1.374
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Algo bem random que escrevi. A ideia não era seguir um fluxo +18, mas seguiu e está tudo bem.
Espero que gostem! Foi escrito bem rapidinho e não tem revisão, qualquer coisa me avisem nos comentários
Boa leitura (+_+)

Capítulo 1 - Capítulo único


Fanfic / Fanfiction Baunilha - Capítulo 1 - Capítulo único

Eu moro no sétimo andar, no último apartamento do prédio, especificamente. No momento, me encontro sentado, com os dedos sobre o teclado do notebook, mas com o olhar vagando janela afora, distraído. Não era como se eu estivesse sempre cheio de palavras para descrever o que eu realmente sentia. Na verdade, eu precisava pensar sobre os meus sentimentos e encontrar palavras para então escrevê-los.

O dia está monótono, cinzento e adornado por uma névoa no horizonte, mas ali, dentro do meu conforto eu me sentia completamente protegido, mesmo que lá fora tudo parecesse estar prestes a acabar. Eu amo dias como estes.

No entanto, apesar de todos esses pequenos detalhes, o maior motivo do sentimento que parecia me preencher e me satisfazer com uma felicidade imensa era devido ao garoto deitado sob colchão e abaixo dos meus lençóis.

Era tão bom amar Youngjae que mesmo apesar da pequena distância entre o meu corpo e o dele, aquela mínima distância entre a escrivaninha e a cama, eu o queria mais. Queria dar todo o meu tempo para ele e desejava receber o mesmo. Me vi afeiçoado pela expressão serena dele adormecido.

Mas a vida adulta não é sobre viver como desejamos, sem preocupações e despreocupadamente, temos responsabilidades das quais não podemos renunciar.

O vi acordar lentamente como ele sempre fazia, se esticar sobre a cama de forma preguiçosa e suave. Inconscientemente eu sorri, observando-o sair da cama. E ele sorriu de volta.

—Bom dia, amor —disse ele sonolento.

—Bom dia, Youngie —respondi, abrindo as pernas quando notei ele se aproximar e se enfiar entre elas, me abraçando.

—Por que acordado já tão cedo? —disse ele enquanto segurava minha cabeça em seu peito, acariciando meus cabelos com aquelas mãos fofas e quentes.

—Perdi o sono, pensei que talvez pudesse escrever um pouco. —respondi, respirando o cheiro de sorvete de baunilha de Youngjae, este devido ao perfume que ele sempre usava.

—Inspirado? —ele riu levemente e desceu as mãos para os meus ombros, colocando uma leve pressão na área que me fez suspirar.

—E tem como não ficar com uma criatura divina dormindo na minha cama? —eu consegui ouvir os batimentos de Youngjae sobre o meu ouvido em seu peito e notei que eles aumentaram significadamente após minha resposta.

—Oh… —ele ficou sem palavras por um bom tempo, assim como o seu coração ficou acelerado. —E no que o escritor anda trabalhando agora? —ele tentou bisbilhotar o notebook, mas eu me levantei rapidamente e escondi a tela de sua visão, indo em direção aos seus lábios doces porém machucados pelo mal costume dele mordê-los, eu já havia o repreendido sobre isso, mas não adiantava.

—Nada, exatamente —eu murmurei, decidido no meu próximo ato.

—Jaeb…

Então o beijei. Tinha o gosto de hidrante labial de framboesa e de Youngjae. Ele era gostoso e macio, o que fazia minhas mãos sempre irem automaticamente para a cintura fofa que ele tinha e apertar a pele. Youngjae não era do tipo magro eu amava cada pedacinho dele.

—Jaebeom, nós ontem a noite...

—É apenas carinho, Youngie, carinho, não iremos fazer… —eu acariciei o rosto dele, deixando claro que lembrava muito bem da noite anterior em que fizemos amor várias vezes. Permanecemos apenas aos beijos e carícias, e não demorando notei que a pele de Youngjae estava arrepiada e ele estava começando a se contorcer levemente abaixo de mim. Eu sabia que ele estava excitado, mas como eu havia prometido…

—Jaebeom… Seu desgraçado!

—O que foi? —me afastei dos lábios dele, mas continuei a beijá-lo no pescoço, ouvindo-o resmungar sobre ter que tomar banho para ir trabalhar. —Estou sendo um empecilho? —sorri.

O ouvi suspirar e cortei sua fala ao morder seu pescoço.

—Chega! —ele me empurrou e saiu da cama, tapando a boca com a respiração desregulada. Seus olhos brilhavam e ele estava visivelmente excitado, notei em sua cueca azul bebê. —Você me provoca… —ele deu as costas e foi pegar a toalha, correndo em seguida para o banheiro e eu fiquei deitado observando como ele estava frustrado andando pra lá e pra cá, com um bico enorme nos lábios como uma criança que faz birra.

—Youngie… Por que você está bravo? —bati na porta após vê-lo trancar e encostei o rosto na madeira.

—Porque hoje é domingo e eu queria ficar em casa com o meu namorado, mas tenho que trabalhar!

—Youngie, abre pra mim…

Silêncio.

—Im Jaebeom…

—Abra.

Silêncio.

—Youngjae, abra a porta agora.

O trinco fez barulho e eu girei a maçaneta, o encontrando de costas para mim e de frente para o espelho. Sequer me dei o trabalho de fechar a porta, me aproximei e o virei de frente para mim, notando as bochechas vermelhas em seu rosto o beijei novamente, mas com mais vontade que antes.

Removi toda a roupa dele, com exceção da boxer azul bebê. Risquei com as unhas seu abdômen plano e sem definição porque Youngjae nunca foi de gostar de fazer exercícios e adentrei o cós da última roupa restante, primeiro alisando a virilha dele antes de finalmente tocar o membro ensopado dele.

—Você está tão quente e molhado, baby.

Ele não conseguia tirar os olhos dos meus. Youngjae me encarava de uma forma que quase me fez perder a confiança no que eu estava prestes a fazer. Ele sabia que podia me controlar facilmente se quisesse.

Não perdi muito tempo acariciando-os com as mãos porque ele ainda precisava trabalhar, dei-lhe um último beijo e agachei para colocá-lo em minha boca. Youngjae estremeceu e suspirou profundamente, me olhando de cima com expectativa e o que julguei ser amor. Eu faria tudo por ele e ele sabia disso.

—Jaeb… Oh… Eu... Eu acho que quero mais, mais... Seu dedo, em mim, por favor —ele parecia estar perdendo as forças das pernas e prestes a cair a qualquer momento, e se apoiando sobre a pia ele levantou uma das pernas e a colocou sobre o meu ombro, abrindo espaço para o que ele me pedia para fazer. —Mete seu dedo, me fode... Só um pouquinho, por favor… —e neste momento ele me pareceu irresistível, eu soube que faria qualquer coisa que ele me pedisse.

Ainda com a boca em seu membro, alcancei sua entrada, sabendo que não seria tão difícil e longo porque na noite anterior eu havia gozado dentro dele pelo menos três vezes, estava fácil entrar e sair sem que ele se sentisse desconfortável. Foram dois de uma vez. Ele sentiu, gemeu e se contorceu. Na posição que ele estava a penetração era mais profunda e ele tinha o poder de controlar, se quisesse.

—Mais… Jaebeom, mais…

—Sem essa, você está tão necessitado de ser fodido, baby. Nem parece que fizemos ontem a noite.

Ele mesmo controlava o ritmo, rebolando em meus três dedos em seu interior e gemendo tanto com a minha boca em seu membro.

—Vira de costas que eu vou te foder com o meu pau.

—Isso, eu q-quero isso…

Ele se apoiou sobre a pia e empinou aquela bunda gorda em minha direção, se oferecendo para ser maltratado por mim. Eu o via com o olhar nublado através do espelho e o modo em que ele mordia os próprios lábios.

Separei as bandas da bunda dele e inseri dentro dele lentamente, sentindo-o estremecer a cada avanço meu, ele me apertava e era quente.

—Delicioso —sussurrei ao olhá-lo pelo espelho e morder sua nuca.

—Mais rápido, eu vou me atrasar para…

Eu cortei a frase dele ao puxá-lo para o chuveiro e girar o registro.

—A água tá gelada! —ele tentou fugir, mas eu o segurei na água fria enquanto ela esquentava aos poucos e metia dentro dele.

—Vamos te lavar completamente para que possa trabalhar limpo. Não quero que fique se lembrando do que aconteceu aqui no trabalho, pode te distrair, baby.

—Eu vou… te…

Youngjae veio e eu em seguida. O deixei tomar banho antes para que pudesse se trocar para ir trabalhar. Assim que saí do banho o vi pronto, no terno e gravata. Ele me deu um beijo de despedida e se foi, deixando seu perfume de baunilha na casa toda.

Fiquei pensando no quão inspirado ele me deixava, mesmo que fosse seis horas da manhã. Todos os dias. Youngjae era meu amigo, amante e meu chão.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...