1. Spirit Fanfics >
  2. Bdsm >
  3. Capítulo Unico

História Bdsm - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


AMORECOSS!

Estou a UMA SEMANA escrevendo essa lindinha e assim que terminei corri para postar KKKKKKKKKKK....
Digamos que estou feliz com The Best Choice, mas trouxe uma coisinha mais 'direta' para vcs, se é que me entendem!
Antes de lerem um unico avisinho:

1) Como o próprio nome diz, essa fic é sobre BDSM!! Ou seja, teremos um pouquinho de sadismo e masoquismo aqui! Caso nao goste, já sabe...
Aviso dado!

Conversamos nos comentários!!

Enjoy it!

Capítulo 1 - Capítulo Unico


Jared e Jensen estão juntos a cinco anos, juntando namoro, noivado e casamento. E para os dois esses foram os melhores e mais intensos cinco anos de suas vidas.

Os dois se lembram até hoje a maneira incomum que se conheceram, incomum pois foi em um clube de BDSM, sim, isso mesmo, um clube de BDSM. Jared era um Mestre novo na cidade que não tinha seu submisso e Jensen era um Submisso local que não tinha um Dom e assim que um colocou os olhos no outro não conseguiram mais se separar.

Para Jared ele tinha em suas mãos o seu encaixe perfeito, feito sob medida para si, e para Jensen ele tinha encontrado o seu céu e inferno particulares em uma só pessoa.

Tudo estava andando perfeitamente bem, sua firma de advocacia estava prosperando e as músicas que Jensen escrevia estavam sendo compradas e gravadas por artistas famosos, bom, isso até algumas semanas atrás, quando o casal precisou escolher uma nova palavra de segurança, já que para Jensen “vermelho” era chato e comum, foi quando Jared sugeriu a palavra “desisti” ou “desisto”, o loiro aceitou a palavra sem reclamar, mas de um tempo para cá o moreno percebeu que o marido não usava a palavra durante as cenas, o que resultava em desmaios.

Jared devia saber que a natureza competitiva de seu garoto não deixaria com que ele dissesse que desiste de algo e isso estava mexendo com os nervos seus nervos intensamente.  Quem pode imaginar que o problema que estão enfrentando é o excesso? O excesso de prazer ou melhor, o orgulho em excesso.

E por esse motivo Jared está agora, na frente de seu melhor amigo pedindo conselhos médicos sobre como resolver o probleminha que vem enfrentando.

— Cara é bem simples! Antes de vocês fazerem uma cena prepare uma refeição completa, não muito pesada como um hambúrguer. Faça algo balanceado, como legumes cozidos e salteados na manteiga, uma salada fria colorida, pode até mesmo fazer alguns cogumelos na manteiga, um file de frango e de sobremesa meia barra de chocolate, espera um tempo para a digestão e inicie a cena, não se esqueça de mantê-lo hidratado durante a cena, assim ele não vai desmaiar e você conseguirá dar a ele uma lição.

— Certeza?

Bill encara o amigo com uma sobrancelha arqueada e aponta para o próprio jaleco como quem diz: eu sou um médico renomado querido, sei o que estou falando.

— Está parecendo que uma lâmpada acendeu em sua cabeça Jay! Vai me contar sua ideia ou vou precisar implorar?

— Digamos que depois eu te conto, preciso ver se dará certo primeiro...

— Droga, você sabe como eu sou curioso...

— Deixa de curiosidade, me conte sobre o Alexander...

— Cara! Esse garoto é perfeito para mim você acredita que ele....

Jared ficou ouvindo o amigo contar sobre suas aventuras com o novo submisso, que segundo ele ama um petplay, enquanto planejava seus passos em sua cabeça, em seus lábios o sorriso sádico já estava se formando.

Há tantas possibilidades de como torturar seu menino sem machucá-lo seriamente, Jensen entraria na linha de um jeito ou de outro e digamos que Jared irá se divertir muito com isso.

Porém a natureza esperançosa do mais velho gritou, e mesmo sabendo como iria torturar seu garotinho ele decidiu dar uma chance a Jensen, então, assim que se despediu do melhor amigo, com uma promessa de que contaria seus planos, ele correu para casa.

Jared conversaria outra vez com Jensen, conversariam sobre os limites e sobre a possível mudança da palavra de segurança, o mais novo precisa entender que é para mantê-lo seguro que ela existe, para eles não extrapolarem os limites e caso a conversa não desse certo, Jared já sabia exatamente o que fazer.

O moreno passou em uma pizzaria e comprou a pizza de queijo preferida de Jensen, seguindo para sua casa com um pensamento fixo: “Não vou deixar ele extrapolar hoje”. O advogado tem certeza disso, e como diria sua mãe: “o primeiro passo é a convicção de que tudo dará certo! ”

Porém, mesmo com todo o pensamento positivo do mundo, o conhecimento da teimosia de seu marido deixava Jared com um pé atrás, ou melhor, com os dois pés atrás, a conversa não adiantou antes, e não adiantaria agora. Sua confirmação chegou no momento em que abriu a porta e se deparou com o loiro totalmente nu no sofá se esfregando em uma das almofadas. O moreno decidiu que mesmo diante desta cena a esperança é a última que morre, sendo assim, se agarraria nela com os dois braços.

— Amooooor... – Jensen chamou com um sussurro se apertando mais contra a almofada – Eu to com muito tesão....

Jared soltou o ar pela boca e fechou os olhos, concordando internamente com o marido, afinal ele, definitivamente, também está com tesão. Indo contra todas suas vontades de fazer o loiro pagar por ser tão malcriado, o moreno apenas se aproximou da mesa de centro para deixar a pizza ali, percebendo o chicote estrategicamente posicionado ao lado do sofá, em um conte claro, com letras em neon garrafais para ser usado.

Os dois não usavam chicote há alguns dias, mais especificamente, não usavam desde a última sessão de spanking, aonde Jensen havia provocado tanto o marido que se exaltou, acabando com o loiro com verdadeiras feridas por seu corpo.

Jared ficou tão irritado por não ter parado, por ter se deixado levar pelas provocações e pedidos por mais de Jensen, prometendo que nunca mais usaria o chicote no loiro, mas estávamos falando de Jensen, o ser humano mais teimoso e convincente da face da terra, ele daria um jeito do marido usar o chicote.... Oh se daria.

Jensen olhou para o objeto e olhou para o advogado, mordendo os lábios cheinhos de forma pidona e sexy, enquanto empinava sua bunda branca e redondinha para o ar.

Jared estava, com toda a certeza do mundo, fodido! O moreno pegou o chicote e parou ao lado do corpo do amado, passando a pontinha do objeto pela pele branquinha e cheia de sardas de Jensen, observando todos os efeitos que esse pequeno ato causavam.

— Não podemos fazer isso agora! – Jared apertou o cabo do objeto com força, o moreno utilizava todo seu autocontrole para aplacar a vontade de estalar o chicote na bunda bonita do marido, ele quer ver as marcas vermelhas na pele dele, mas se contém.

— Eu concordo! – o loiro lançou um olhar sobre os ombros para o marido, encarando-o decididamente – Antes você precisa me levar para o nosso quarto de jogos e me pendurar pelos pulsos, o que acha?

Jensen está realmente jogando, ele sugeriu uma das cenas preferidas de Jared o que é um golpe muito.... Muito....  Muito baixo.

A guerra mental na cabeça do moreno havia começado, de um lado a vontade imensa de marcar toda aquela pele com seu chicote do outro a certeza de que isso não daria certo, mas mesmo antes que pudesse decidir o que fazer, o loiro puxa o marido pelos braços o levando em direção ao lugar especial deles.

Jared só rezava agora para as coisas não saírem do controle. Tudo que ele precisa fazer é prestar a atenção aos sinais e isso poderia ser feito sem nenhum problema certo?

Os anos de experiência como dom estavam de prova, ele é responsável e inteligente, então conseguiria sim prestar atenção nos sinais que o marido mandaria durante a cena. Jared ajustou de forma correta os pulsos do marido sobre a cabeça para suspende-lo, deixando apenas que as pontas dos dedões dos pés do loiro encostassem suavemente no chão.

Jensen olhava para o marido com expectativa, sentindo seu pau tão duro e dolorido pelo que iria acontecer. Ele observou o marido tirar o paletó e a gravada, colocando os dois em cima de uma poltrona no canto o quarto, voltando a passos lentos para perto dele enquanto dobrava calmamente as mangas compridas da camisa até o cotovelo. O loiro viu o marido pegar o chicote e começar a passar as tirinhas de couro em seu corpo sensível, que estava totalmente entregue as vontades do advogado.

Jared não conseguiu segurar a vontade de atingir o marido e então deferiu a primeira chicotada, acertando a lateral da coxa do loiro que gemeu audivelmente com o ato, que sentia seu corpo tremer de gratidão pela ardência e dor vinda da ação do marido.

Jensen procurou os olhos de Jared, buscando transmitir todo seu prazer ali enquanto balbuciava seu agradecimento em meio a gemidos:

— Obrigado, Mestre!

Jared engoliu seco quando ouviu o agradecimento do marido, ele respirou fundo e deixou outra chicotada, sentindo-se em êxtase com o gemido suplicante de Jensen. Ouvindo, novamente, um “obrigado, mestre”, sussurrado e suplicante, quase inaudível, o corpo do loiro estava implorando por mais.

Com apenas duas chicotadas Jensen já estava destruído, com os olhos suplicantes e o corpo tremulo por conta das sensações fortes que lhe invadiam.

Era por causa de vistas como essa que Jared se lembrava do porquê amava tanto as cenas de spanking com ele e o moreno sabe que Jensen também ama esses momentos.

Enganava-se quem pensa que Jared mandava o marido agradecer pelos atos de spanking, Jensen fazia isso por livre e espontânea vontade, ele se sentia realmente grato por cada sensação que invadia seu corpo. O loiro era capaz de chorar para ser um pouco mais surrado e de fato derramava algumas lagrimas, tanto de desespero (por pensar que não teria mais daquilo) quanto por gratidão (por cada novo impacto contra seu corpo).

Jared nunca saberia o que o tirava mais do eixo: a) dar prazer ao marido ou b) poder surra-lo e fazer o que quisesse com o corpo dele. Afinal Jensen até pode ser teimoso, orgulhoso e petulante, mas nunca negaria se submeter as vontades do mais velho. Jared pode fazer o que quiser com ele, que Jensen agradeceria e gozaria sem pudores.

O advogado já tinha perdido as contas de quantas chicotadas havia deixado no corpo do marido que a esta altura já tinha vergões evidentes e tremia inteiro.

Jensen implorava por mais enquanto sentia seu pré-gozo escorrer, o pau do loiro estava completamente sensível por conta de um orgasmo que não conseguiu segurar quando sentiu a vigésima chicotada ser deixada com força em sua bunda.

Jared se sentia nas nuvens, aquela imagem é completamente linda. Os cabelos loiros estavam grudados na testa, olhos verdes dilatados de prazer, pele vermelha com marcas de seu chicote, boca vermelha por conta das mordidas que Jensen deixava nela em uma tentativa – falha – de conter os gemidos de prazer e o rosto corado de prazer.

O moreno queria ajoelhar e agradecer a todos os deuses por ter um marido perfeito para si, mas ao invés de fazê-lo, o advogado se ajoelha e toma o membro suplicando do marido em seus lábios, lambendo e sugando cada gota de prazer enquanto ouvia Jensen gritar de prazer e se contorcer de forma desesperada.

— Sim, mestre! Hmmmm...... me chupa

Jensen não estava preparado para ser chupado, ele estava sensível demais pelo orgasmo durante as chicotadas, assim como não estava preparado para sentir sua bunda ser espalmada com força, o que gerou uma jogada de quadril que foi responsável por entrar com seu membro ainda mais na boca de Jared.

O loiro já tinha gozado uma vez, aquela era a sua segunda ereção, seu corpo estava ardendo em prazer e sensibilidade. Ele não tinha se alimentado muito bem naquele dia, muito menos tinha se preparado para uma cena tão intensa quanto essa, mas sabia que não podia desistir, ele perderia a consciência em qualquer momento, mas o prazer que estava sentindo era tão deliciosamente sufocante e gostoso que Jensen não conseguia se ver pedindo para parar.

Seus olhos desfocados encaravam Jared se engasgar em seu pau enquanto deixava tapas em sua bunda, ele sabia que estava pronto para gozar novamente e seria tudo a garganta do marido.

O estopim do prazer veio queimando de dentro para fora, quando um tapa mais forte que os anteriores atingiu em cheio sua bunda. O loiro não sabia se tinha gritado, mas seu corpo inteiro convulsionou em um prazer inigualável.

Jensen sentiu a cabeça ficar leve e ele simplesmente não conseguiu responder, sentindo-se flutuar junto de todo o prazer arrebatador que estava sentindo. Aquele, sem dúvida nenhuma tinha sido o melhor orgasmo de sua vida.

Jensen abriu os olhos e percebeu que estava deitado em uma superfície macia, lançou um olhar para a mesinha próxima a sua cama e percebeu que havia um pedaço de pizza e um copo de suco em cima dela. O loiro tentou alcança-los, mas percebeu que graças ao seu corpo cansado, não conseguiria tal feito.

— Você desmaiou outra vez – a voz de Jared se fez presente no quarto, fazendo Jensen procura-lo com os olhos, encontrando o advogado olhando a rua pela janela.

— Me desculpa amor, quando eu pensei em pedir para parar já era tarde demais.

A desculpa dada pelo mais jovem não convenceu nem um pouco o marido, que apenas sentou Jensen na cama, se sentando em seguida para ajudá-lo a se alimentar.

— Termina de comer, eu vou passar a pomada quando você estiver dormindo – o tom grosso de Jared era evidente, mesmo trazendo suavidade e amor nos olhos Jensen sabia que tinha chateado o mais velho, então nem tentou fazer ou dizer mais nada, apenas concordou com a cabeça e continuou comendo os pedaços de pizza que o marido oferecia.

Jared ama esse garoto, ama com todo seu ser. Cuidaria dele com todo o amor e o carinho e ele sabe disso.

Jensen deitou novamente e dormiu, sentindo as mãos grandes de Jared aplicar a pomada para aliviar as marcas de chicotadas em sua pele. O loiro estava levemente preocupado, sabia que a) hoje tinha atingido o limite da paciência do moreno; b) ele estava irritado e chateado; c) estava fodido! No sentido mal –  talvez bom – da frase, com certeza Jared iria armar algo, mas o que?

O decorrer da semana foi tranquilo, nada aconteceu, nem uma conversa sobre os desmaios, ou sobre a troca em sua palavra de segurança nem nada, o que deixou Jensen com um pé atrás.

Jared tratava o loiro com o mesmo carinho de sempre, o mimando, cozinhando para ele e até assistindo os filmes preferidos de Jensen, o que deixou o mais novo desconfiado. Seu marido era sempre muito carinhoso e fazia todos os seus gostos, mas ele havia desrespeitado uma regra muito importante sobre limites durante as cenas, o que significa que seria punido, pelo menos ele deveria ser.

O mais novo chegou a pensar que o marido estava o tratando assim apenas para voltar ao assunto dos limites, mas isso não aconteceu em nenhum momento, o que, de certa forma, aumentou drasticamente a desconfiança de Jensen, ele sentia que o marido estava tramando algo, mas a pergunta era: o que?

Jensen chegou do estúdio tarde na sexta, ele trabalha como fotografo no centro da cidade, e estava extremamente cansado pelo longo dia que teve, nunca é fácil lidar com modelos. Se estivesse em seu juízo perfeito, perceberia que aconteceria algo, mas sua mente estava completamente focada em tomar um banho, comer algo e hibernar até segunda feira.

Assim que sentiu o cheiro de comida ele quase ajoelhou e chorou de gratidão, deixou sua bolsa no canto do sofá e foi o mais rápido que seu corpo aguentava para a cozinha, encontrando um Jared sem camisa, apenas com uma calça de moletom cinza – incrivelmente sexy – cozinhando.

— Cozinhando amor? – o loiro disse indo até o marido, o abraçando por trás e deixando um beijo em suas costas deliciosamente malhadas.  

Jared abre seu sorriso com covinhas e se vira para abraçar o marido, roubando um selinho longo no processo, sentindo as mesmas borboletas de cinco anos atrás fazerem a festa em seu estomago.

— Às vezes a gente precisa agradar o marido! – o moreno diz com um sorriso fofo nos lábios – Temos legumes refogados e salteados na manteiga, cogumelo shitake na manteiga, salada fria de folhas e um frango assado com batatas do jeito que você gosta – Jared desliga o fogo enquanto Jensen observa tudo com um sorriso no rosto.

— Eu estou, definitivamente, te amando mais agora!

Jared soltou uma risada baixa com a declaração do marido e concordou com a cabeça, deixando um selinho amoroso nos lábios do loiro.

— Eu sei, agora vai lá tomar um banho e venha jantar – antes de Jensen deixar o local o moreno chama a atenção dele novamente – Só para você saber, eu deixei a banheira pronta para você.

Os olhos verdes de Jensen se arregalaram e brilharam mais do que o normal, o loiro partiu correndo para o banheiro enquanto tirava suas roupas pelo caminho e mais uma vez, o loiro achou que deveria se ajoelhar no chão e agradecer aos deuses pelo marido ter feito isso.

Jensen entrou logo na banheira, amando o carinho e o cuidado do mais velho com ele. Sem perceber acabou pegando no sono, sendo acordado pelas mãos grandes deliciosas de Jared o tirando gentilmente na banheira. O mais velho estava quase desistindo de seus planos para hoje, ainda mais agora, que viu o cansaço do marido, mas logo apagou essa ideia da cabeça.

— Vamos amor, já separei sua roupa – Jared ajuda o loiro a se trocar, demostrando tanto amor e cuidado que parecia que o mais novo era feito de vidro.

O estomago de Jensen estava roncava a muito tempo, então não foi nenhuma surpresa quando ele devorou a comida posta a mesa, tudo estava delicioso e a companhia era ótima, os dois falaram um pouco sobre o trabalho e o dia em geral, mas nada muito profundo.

Terminaram a noite na sala de televisão, aonde Jensen devorava uma barra de chocolate trufado e Jared massageava os pés do marido enquanto assistia um novo episódio de sua série preferida.

O loiro chegou a cochilar alguns minutos e nem por isso Jared deixou de fazer a massagem.

— Vamos dormir? – o mais jovem pergunta se espreguiçando, sentindo-se bem menos cansado do que antes.

— Você tá se sentindo muito cansado? – o moreno diz gentilmente parando a massagem nos pés do mais jovem - Eu pensei em fazer uma cena hoje – Jared disse calmamente, controlando o sorriso ao ver as pupilas de Jensen brilharem com o convite.

— Sério? – ele perguntou animado – Eu não to mais cansado não, o que vamos fazer? – a empolgação do loiro era clara.

— Vem...

Jared se levanta e estica a mão para o marido, que o acompanha feliz para o quarto de jogos. Apenas as lembranças dos seus planos fizeram o advogado abrir um sorriso maldoso, ele estava preparado e apenas uma coisa o pararia hoje, e com certeza, não será um desmaio.

— Tudo bem para você? – Jared perguntou sentando na ponta da cama com um tudo de lubrificante nas mãos, encarando o marido que olhava fixamente o dildo plugado ao chão e as correntes que o manteriam preso ali.

Jensen tirou suas roupas de forma lenta enquanto concordava com a cabeça, quando ficou completamente nu andou até o marido para se debruçar no colo dele. Algo no fundo de seu ser dizia que a noite seria intensa.

­— Claro! Vai ser bom – o loiro disse, estremecendo quando os dedos molhados do esposo tocaram os arredores de sua entrada em uma clara provocação.

Jared sorri e usa uma das mãos para amassar bem a bunda branca de Jensen, enquanto deixava os dedos da outra massagearem a entrada dele por cima. Apenas esse contato estava sendo responsável por fazer com que o loiro esfregasse seu membro contra a coxa do moreno.

— Quieto! Nada de se esfregar em mim, não quero uma gota de porra na minha calça entendeu? – o tom firme usado por Jared era claro e mesmo que Jensen amasse desobedecer o marido, dessa vez ele decidiu acatar a ordem, ainda mais depois da última vez que estiveram dentro desse quarto.

— Sim mestre!

Com um sorriso grande no rosto, Jared continuou o que estava fazendo, preenchendo o marido com dois dedos para prepara-lo para o que estava por vir.

Em uma situação comum Jensen preferia ficar sem o preparo, mas algo lhe dizia que era bom aceitar o que o marido estava lhe dando. Em momentos como este Jensen se lembra o porquê se apaixonou por Jared, além de todo o cuidado e o amor que o moreno demonstra sempre, ele também sabe onde, como e quando tocá-lo. Com toda certeza do mundo, Jensen nunca cansaria de ser fodido pelo marido.

— Poorraaaa...! Vou acabar sujando... hmmmm... sujando você assim! – o loiro geme quando sente sua próstata ser estimulada fortemente pelos dedos do marido.

Jared sorri quando percebe o desespero do marido e deixa mais uma pressão forte no ponto de Jensen, apenas para ver o marido perder as forças em seu colo e se engasga com um gemido desesperado. O moreno manteve a mesma pressão até ver o mais jovem tentar escapar, novamente, de seu colo.

— Tudo bem gatinho! Não quero que você goze assim.

Com cuidado, Jared ajudou Jensen a se levantar, guiando-o até o local que tinha deixado o plug, esperando ele se ajoelhar para encaixar o objeto dentro do loiro.

Jensen desceu pelo plug até o ter inteiro dentro, o preenchendo, o loiro ficou parado por alguns segundos para se acostumar, evitando se mexer até ouvir alguma ordem do mais velho.

Os olhos verdes buscaram pelo marido e foi impossível não se arrepiar pela forma que era encarado, Jared parecia que iria devorá-lo por inteiro em qualquer momento, e Jensen estava doidinho para que ele o fizesse.

Viu o moreno se afastar e abaixar a calça de moletom, ficando apenas com uma boxer preta. Jared pegou em uma das gavetas a coleira preferida de Jensen. Preta de couro com as bordas aveludadas, pequenos spikes prata preenchiam alguns pontos estratégicos e um JayP feito como pingente deixando claro a quem o loiro pertencia.

— Vamos colocar a coleira na cadela hum?

Jensen teria reclamado se não tivesse concentrado em preparar-se mentalmente para o que viria, até porque era uma tortura não poder rebolar enquanto estava sendo tão bem preenchido pelo plug.

O loiro sentiu seu corpo inteiro se arrepiar quando sentiu o couro lhe envolver o pescoço, fechando os belos olhos verdes e se obrigando a manter uma respiração controlada. Só de perceber quando o acessório foi fechado o membro do loiro deu uma fisgada e sua glande liberou pré-gozo.

— Você nem ao menos consegue se controlar, não é mesmo sua puta? – Jared riu ao ver o pau do marido levemente babado, ajoelhando-se diante dele.

Jared alisa as coxas brancas de Jensen antes de prende-las com as correntes que impediriam o loiro de fugir do dildo, finalizando com os braços para trás e os pulsos presos por algemas.

— Prontinho, a cadela está presa e estamos prontos para começar a brincadeira – quando termina de encaixar a guia na coleira de Jensen, Jared se senta em uma poltrona bem na frente dele, segurando a ponta da guia em uma das mãos e o controle do dildo na outra – Espero que você se lembra da nossa palavra de segurança Ackles, porque isso só terá fim quando você a disser.

Dito isso, Jared pode se deliciar com o olhar interrogativo do esposo se tornar nublado de prazer quando o consolo foi ligado, sorrindo ao vê-lo começar a rebolar. Definitivamente essa tinha isso uma ótima ideia.

A princípio os movimentos eram lentos, Jensen parecia estar tentando se conter, não queria mostrar o quão entregue estava. Seu quadril fazia movimentos circulares em torno do dildo enquanto pequenos gemidos escapavam de seus lábios, a velocidade baixa o ajudava a ter um controle maior sobre o seu corpo.

Jared observa aquilo com um sorriso discreto nos lábios, o orgulho de Jensen era grande e ele gostava de mostrar controle sobre si mesmo, uma pena que o hobby preferido do mais velho era destruir aquele orgulho.

— Como se sente, gatinho? – perguntou baixo vendo Jensen morder forte o próprio lábio quando seus movimentos resultaram em uma estimulação direta em sua próstata – Parece tudo sob controle, certo?

Jensen torceu, levemente, os punhos enquanto levantava seu olhar para o marido, contendo seus gemidos para responder:

— S-sim mestre, me sinto bem – a voz estava um tanto quebrada, mas não o suficiente para Jared.

Sem dizer absolutamente nada, o moreno apenas aumenta a velocidade do objeto, contendo um riso ao ver o solavanco assustado que o corpo de Jensen deu quando o plug começou a vibrar mais forte, não conseguindo negar para si mesmo o quanto aquilo era prazeroso para ele. Jensen estava sendo torturado da melhor forma possível e ninguém poderá apagar isso de sua mente.

O orgasmo do loiro não iria demorar, o ritmo do quadril de Jensen era errático e os gemidos tomavam todo o ambiente fechado, ele estava sendo levado diretamente ao paraíso, sem ter ideia de como tudo iria se transformar em um gostoso, sujo e quente inferno logo em seguida.

— M-mestre.... – ele tentou chamar enquanto forçava seu corpo a quicar no curto espaço que lhe era permitido, a ponta do dildo sempre ficava dentro dele quando se levantava até o limite que as correntes permitiam, não dando nenhum descanso a seu corpo – Eu... hmmm... n-não vou aguentar muito...

Era nítido que o orgasmo do fotografo estava na borda, ele nem ao menos conseguia manter seus olhos abertos, tamanho o prazer que sentia.

Jared via com clareja o loiro apertando o plug dentro de si enquanto nem mesmo um ritmo para as reboladas ele tinha imerso no prazer quente e satisfatório que tomava cada pequena parte de seu corpo. Ele gozaria rápido e forte sem nem conseguir pensar em refrear seu prazer, afinal, aquilo estava bom demais para tentar controlar.

— Ah, gatinho, eu sei que você vai gozar... sei que você ama ter algo enterrado bem fundo em você... ama se sentir cheio e não consegue conter isso – Jared disse com a voz lenta e arrastado com um sorriso divertido em seus lábios – Uma pena que não é meu pau... porque eu sei a diferença que faz quando você sente a minha porra quente te enchendo por dentro... ah gatinho... você ama isso.

As palavras despudoradas de Jared foram o estopim para Jensen chegar ao orgasmo. O advogado sorriu largo ao ver o quão longe a porra dele se lançou, provando, mais uma vez, que seu loirinho estava sempre cheio demais e isso era muito delicioso.

— Jay.... – Jensen balbuciou tremulo, rebolando, por puro instinto, no plug enquanto se obrigava a olhar para o marido que estava buscando algum objeto em um dos armários – D-desliga isso, por favor...

Jared riu com o pedido do loiro e voltou a se aproximar, carregando um masturbador masculino em sua mão. Com certeza o olhar assustado de Jensen para o objeto o fez ganhar o dia.

— Porque eu faria isso? – o moreno perguntou de forma divertida, se ajoelhando diante de Jensen – Estamos apenas começando.

O sorriso sádico que Jared deu fez o loiro se arrepiar por inteiro, ele nunca estaria preparado psicologicamente e fisicamente para ter seu pau perfeitamente envolvido pelo objeto de silicone que o acolhia tão maravilhosamente bem.

— J-JAY! – o loiro gritou exasperado, tentando, inutilmente, escapar das correntes que o prendiam para fugir do superestimulo, completamente atordoado e desesperado com a sensação dolorosa que era ter seu pau masturbado após um orgasmo tão intenso – P-para! Não f-faz i-isso!

Jared se mantinha impassível diante do marido, sua mão movia o objeto numa velocidade lenta e constante, causando desespero no loiro. Estava estampado no rosto de Jared que ele não pararia tão fácil assim.

— Se você não quer mais, sabe o que dizer, gatinho – respondeu de forma tranquila, mas, para um bom observador, o deboche e o sarcasmo era visível em sua frase – Palavras de segurança servem para isso, lembra?

Jensen gritou novamente quando Jared forçou por mais um tempo o masturbador envolto em todo seu pau sensível e ele não conseguiu decidir o que era pior: a) ter seu pau torturado daquela maneira ou b) o dildo que continuava a vibrar de forma constante dentro de si.

O olhar de Jared nem ao menos desviava do semblante desesperado de Jensen, as correntes eram constantemente forçadas em uma tentativa falha de se livrar da restrição, mas ambos sabiam que não importava quantas vezes elas fossem forçadas, o loiro não conseguiria se livrar delas.

Jared voltou a mover o objeto de silicone por toda a extensão do marido e precisou morder o próprio lábio para conter o sorriso quando o mais jovem começou a chorar dizendo que não aguentava mais.

Era algo bonito de se ver, porque por mais que ele dissesse isso, seu quadril estava começando a rebolar novamente, provavelmente tão imerso nas sensações intensas e sufocantes que nem ao menos conseguia se dar conta dos movimentos.

— Isso gatinho! Muito bem – Jared sussurrou rouco enquanto usava sua mão livre para alisar os cabelos dourados de Jensen, parando do mover sua mão para observar ele fodendo-se no objeto com desespero – Tá gostoso, não tá? Eu sei que você quer gozar novamente.... Você gosta disso, não gosta? Olha como está se fodendo nesse consolo, gatinho, ele vai fundo em você, não vai?

Jensen apenas concordava com a cabeça, enquanto mal raciocinava sobre as palavras do moreno, ele não sabia se queria estar rebolando daquela forma, mas não era como se conseguisse parar.

Apenas da agonia de ter seu pau superestimado junto com a pressão constante do dildo em seu interior, o seu corpo apenas respondia como se quisesse jogar algo para fora, algo quente, forte e eletrizante como um novo orgasmo.

— JAY! – o loiro tentou falar enquanto pendia a cabeça para trás. Seu quadril seguia um ritmo constante e intenso entre sentar forte no dildo e foder seu pau no masturbador, sua cabeça parecia uma tela em branco com apenas estática e palavras soltar a preenchendo – E-eu.... porra.... eu... droga.... por favor... por favor.

Foi interrompido quando Jared voltou a bombear seu pau sem dó alguma, fazendo seu corpo tremer em fortes espasmos o empurrando para outro orgasmo, não sabia se conseguiria, mas gozaria novamente.

— Goza para mim gatinho, eu sei que é isso que você quer – o riso rouco do moreno se misturou aos gemidos agoniados do loiro e foi perceptível quando ele chegou ao seu segundo orgasmo, tremendo tão fortemente que Jared precisou segurá-lo.

— Tira, tira, tira, tira, por favor, tira! – Jensen dizia em meios a sussurros, enquanto apoiava a testa no ombro do marido, ele não aguentava mais aquele objeto dentro de si, maltratando seu canal.

Jared acatou o pedido do marido e desligou o dildo pelo controle, tirando o masturbador do pau dele em seguida soltando as correntes e a algema cuidadosamente, ajudando-o a levantar o quadril para se livrar do objeto.

Jensen respirava de forma ofegante contra o pescoço de Jared, o corpo ainda tremia e ele não se lembrava mais como se mexer. Aqueles dois orgasmos haviam sido absolutamente intensos e rápidos demais para o seu corpo processar.

Jared carrega o marido até a cama, o posicionando de maneira confortável para si, ou seja, esparramado na cama com as pernas arreganhadas.  

— Hm... minha vadia é muito obediente, por isso vai receber uma recompensa! – Jared diz alisando a bunda do loiro e sorrindo quando ele se reteve com seu toque, provavelmente temendo ser penetrado estando tão sensível – Está tudo bem, gatinho, eu não vou te foder agora.... Quer dizer, eu vou, mas não com meu pau! – Jared se inclinou para deixar beijos suaves nas costas do marido, sorrindo quando ele ofegou ao sentir o hálito quente se chocar próximo demais de sua entrada na medida em que os beijos foram descendo – Acho que já sabe o que vou fazer, não é gatinho?

O advogado prendeu a respiração e ficou a centímetros da entrada do marido, apenas para observar a reação dele, contendo seu próprio riso quando Jensen começou a rebolar em busca de algum contato, assim como esperava que ele faria.

Espalmou uma das bandas da bunda a sua frente sem avisar, provocando um gemido assustado e manhoso do loiro, que apenas jogou a bunda para trás em resposta.

— A minha vadia ama ser lambida, não é? Sua puta! Nem ao menos consegue se conter!

Antes que Jensen pudesse dizer alguma coisa sente a língua do marido lhe tomar sem aviso e não importava o quão sensível está, era sempre, fodidamente bom, ter a língua de Jared o fodendo.

Ele estava ardendo, mas era tão bom e quente ter Jared se forçando para dentro de si, que Jensen conseguia apenas gemer e se empinar mais, enquanto sentia as pernas tremerem.

Os olhos negros pelo desejo de Jared estavam tentando absorver cada reação do marido, sorrindo quando percebeu o tronco dele ceder contra a cama, por não aguentar mais o prazer, vendo que agora era o momento perfeito para começar a puxar, lentamente, a guia da coleira dele.

Jensen arregalou os belos olhos verdes quando sentiu dificuldade para o ar infiltrar seus pulmões, obrigando-se a se equilibrar em um de suas mãos para tentar segurar a coleira, que agora lhe sufocava parcialmente.

— J-JAY!

A tentativa de chamar a atenção do marido foi falha, os pensamentos de Jensen eram pura estática, nada fazia sentido. A falta de ar estava potencializando o prazer que recebia com a língua do marido dentro de si, ele gozaria de novo, sem ao menos saber se isso é possível.

A bunda foi apertada e a língua se infiltrou o máximo que podia, enquanto revezava em chupões na região avermelhada pela quantidade de estímulos que recebeu ali.

Jared bloqueou sua mente, enquanto dava tudo de si naquele beijo grego, levando Jensen a um novo orgasmo. Sabia que o loiro não aguentaria muito mais, então apenas apreciou como cada movimento que fazia deixava o loiro mais quente e insano. Jensen rebolava como se sua vida dependesse disso, porque era essa a sensação que tinha, ele explodiria novamente, estando pronto ou não.

Quando uma lambida mais firme foi deixada dentro de si, junto com uma pressão mais forte da coleira, que o obrigou a inclinar a cabeça o máximo que podia para trás, Jensen se perdeu em um novo orgasmo avassalador que tomou todo seu ser.

O ar já invadia livremente seus pulmões, mas o loiro nem ao menos sabia como respirar, sentiu quando o marido lhe trouxe para o colo, limpando as lagrimas que caiam por seus olhos.

— Tá tudo bem gatinho, você está sendo tão bom, indo tão bem, tão lindo! – Jared falou enquanto ajeitava os dois em cima da cama, ficando sentado com ele entre suas pernas, colando as costas do loiro apoiada em seu peitoral definido – Você gozou três vezes para mim! Estou tão orgulhoso, gatinho!

Jared sabia que tudo o que havia acontecido tinha levado diretamente para sua bolha de prazer e satisfação e o advogado está disposto a reforçar mais ainda aquela bolha.

— Não – Jensen sussurrou quando sentiu a mão de Jared segurar suas bolas, quando tudo que o loiro queria agora, é ficar quietinho em seu canto – Não.

Jared começou a massagear as bolas em suas mãos antes de apertar a base do membro absolutamente sensível, usando seu braço livre para prender o loiro em seu colo, impedindo ele de se mover.

— Sabe gatinho, é bem difícil acreditar em você! Você diz que não quer mais, mas não fala o que deve para que eu pare! – o moreno comentou enquanto percorria com seus dedos por todo membro do marido, mordendo o próprio lábio quando ele se contorceu – Eu vou fazer de um jeito que vai te obrigar a dizer nossa palavra quando estiver no seu limite gatinho. Só precisa dizer “desisto”.

Após terminar sua frase, com a mão direito toma com firmeza a glande de Jensen, raspando o polegar li. O loiro nunca estaria preparado para ter uma das partes mais sensíveis de seu corpo estimulada dolorosamente.

— JAY! – o loiro grita, sentindo seus olhos tomados por lagrimas que nublavam sua visão, sentindo-se preso naquela tortura, não tinha forças para fugir daquele toque – Por favor.

O polegar de Jared espalhava o gozo presente dos orgasmos anteriores. O advogado se deliciava com todas as reações do marido, que a esta altura chorava e se contorcia enquanto as unhas curtas cavavam nas coxas bonitas de Jared em busca de qualquer coisa que o ajudasse a lidar com aquele prazer enlouquecedor.

Jensen se remexia como podia no aperto firme, tendo consciência do pau duro do marido em suas costas, é claro que Jared estava se divertindo muito com tudo o que está acontecendo.

Essa constatação apenas serviu para fazer o loiro perder o resto de razão que tinha, sentindo o prazer torturante ficar maior com a força do tensão que o invadiu quando sentiu que seu homem estava duro por sua causa, o fazendo gemer alto com isso.

Jensen conseguiu subir no colo de Jared, deixando sua bunda sobre a ereção, ainda escondida na boxer do marido, rebolando ali enquanto tinha sua glande masturbada e dedilhada. Ele até gostaria de se conter, mas não tinha força de vontade para isso.

— Ah já sei o que você quer – Jared sussurrou surpreso com a reação de Jensen – Você quer meu pau, não é? Quer ele bem fundo no seu cuzinho!

Jensen queria dizer que sim, mas perdeu o controle de seu corpo quando a unha curta de Jared raspou bem na fenda de sua glande e não foi uma surpresa para nenhum dos dois, quando o quarto orgasmo rompeu por ele sem perdeu algum, trazendo consigo espasmos fortes e um choro alto que mesclava alivio, prazer e agonia.

Jared espalhou beijos pelos fios suados do marido, antes de deita-lo na cama, secando algumas lagrimas dele.

— Toma um pouco de agua, babe! – o moreno diz de forma carinhosa enquanto segurava a cabeça de Jensen e levava a boca da garrafa aos lábios inchados no marido, sorrindo quando ele se esforçou a dar uma golada no liquido refrescante – Muito bem, gatinho, você está sendo perfeito!

A garrafa foi deixada de lado e Jared se apressou em tirar a boxer de seu corpo, já não aguentava mais ter seu pau preso ali. Pegou a guia da coleira e a prendeu na cabeceira da cama de uma forma que sufocasse parcialmente o loiro, inibindo de um jeito seguro a passagem de ar.

Jensen resmungou um pouco e tentou liberar seu pescoço daquilo, mas apenas um olhar gélido de Jared foi o bastante para fazer o loiro se calar e parar os movimentos.

O loiro ofegou pela dificuldade de respirar e se engasgou quando teve as pernas abertas por Jared, sentindo-se vulnerável ao ter aquele homem grande e poderoso ajoelhado entre suas pernas.

— Você sabe o que dizer para que eu pare! – Jared sussurrou enquanto se acomodava corretamente e trazia o quadril de Jensen para cima de suas coxas, com cuidado para que não aumentasse o sufocamento dele.

Terminado sua sentença, Jared pisca de maneira sensual para Jensen e enterra seu pau no interior dele, o fazendo se engasgar em um gemido surpreso.

Padalecki não foi cuidadoso, começando com um ritmo acelerado de cara, chocando seu quadril de forma arrebatadora contra a bunda de Jensen, fodendo o marido do jeitinho que ele gostava: rápido, forte e o mais fundo que ele conseguisse.

Jensen queria gritar, gemer, chorar e protestar, ele não aguentava mais. Não tinha se recuperado de nenhum de seus orgasmos e tinha que lidar com novos estímulos.

Estava sendo difícil lidar com todo o prazer e a agonia que o cercavam. A sua mente parecia estar entrando em pane e, em qualquer momento, iria parar.

Os olhos estavam fechados até o momento, mas ele se obrigou a abrir para encarar Jared e pedir para ele parar, porém, mais difícil que lidar com as sensações era encarar seu marido fodidamente sexy o fodendo de maneira perfeita! Suja e rápida!

As mãos grandes e bonitas estavam firmes nas coxas brancas de Jensen, com certeza amanhã teria belas marcas roxas em sua pele, mas quem liga? Enquanto os olhos negros por prazer devoravam Jensen sem nenhum pudor, despejando nele todo o prazer que estava sentindo.

O abdômen trincado estava suado e pequenos gemidos escapavam dos lábios bonitos a cada nova estocada, tirando o pouco de ar que Jensen usava para respirar.

Jensen tremeu verdadeiramente quando um sorriso sacana tomou a expressão do marido e ele soube a razão assim que percebeu a forma que rebolava no pau dele, o loiro estava se afundando pela quinta vez naquela noite.

— Você vai gozar para mim de novo, não vai? – o moreno o provocou num tom rouco, enquanto observava o loiro com o cabelo colado na testa, rosto vermelho e suado, lábios abertos em gemidos mudos e olhos fechados fortemente – Vem para mim babe!

Não foi uma surpresa quando o corpo do loiro se contorceu fortemente anunciando o novo orgasmo. Jensen poderia jura que tinha desmaiado pela intensidade do gozo, mas o prazer apenas havia o entorpecido e fodido, novamente, com sua mente, do jeito que Jared tinha planejado.

Jensen puxou o ar com força, quando teve a guia da coleira liberta da cabeceira da cama e chorou quando Jared saiu sem aviso de dentro de si, colocando-o de bruços sem cuidado.

A cabeça do loiro pesava demais, e ele não conseguia respirar direito por ter metade de seu rosto contra o tecido do travesseiro, foi impossível não gritar quando teve apenas seu quadril levantado e sua entrada novamente invadida, tremendo com a força que Jared usava para se lançar contra seu corpo.

— Você ainda aguenta? – Jared rosnou deixando um tapa certeiro na bunda empinada para si enquanto o fodia, precisando se esforçar muito para não gozar antes da hora.

A resposta foi um gemido esganiçado e um grito quando outro tapa foi deixado na bunda bonita e, agora, vermelha de Jensen.

— Perguntei se aguenta vadia! – Jared rosna novamente, não tendo do alguma dos tapas que desferia na bunda empinada para si, enquanto via a metade do rosto livre de Jensen tomado pelas lagrimas.

O moreno conseguiu perceber quando o marido negou com a cabeça e se deu conta de que estava apenas a um passo de ter o que tanto queria, usando uma de suas mãos para agarrar os fios dourados para, assim, ter uma visão melhor do rosto bonito de Jensen.

­ — Diz que desiste! – mandou completamente autoritário, dando tudo de si para ir o mais fundo que podia dentro dele – Diga que desiste! Fala que eu venci! Você sabe que eu venci Ackles!

— D-desisto! – Jensen quase sufocou em saliva para gritar, arregalando os olhos ao se ver rebolando de forma sedenta com todo o pau de Jared dentro de si, se desesperando com a eminencia de um novo orgasmo que o tomou de surpresa quando sentiu a porra quente do marido o preencher por completo – Eu desisto! Você venceu!

A ultima frase não saiu mais alta que um sussurro, o loiro não tinha mais forças para nada, a não ser para deixar os espasmos fortes de seu ultimo orgasmo toma-lo por completo, tendo seu corpo devidamente acolhido por Jared, que retirou-se rápido dele para traze-lo para seu colo, acariciando o rosto cansado e destruído pelas lagrimas de prazer.

Jensen olhava o marido como se o tivesse vendo pela primeira vez e Jared apenas sorriu amavelmente, mostrando as covinhas que Jensen tanto ama.

— Eu aprendi a lição! Não vou mais deixar de falar nossa palavra de segurança quando atingir meu limite!

Foi impossível não sorrir quando Jared abriu um sorriso satisfeito. Se ele soubesse que ceder deixaria seu marido tão feliz, teria feito antes.

— Fico feliz! Eu só quero seu bem, babe! – o moreno diz enquanto acaricia os cabelos suados do marido – Podemos trocar a palavra babe, apenas escolha uma, qualquer uma.

O loiro assentiu e passou os braços pelo pescoço de Jared quando o moreno levantou da cama com ele no colo, guiando o loiro para um novo banho. Ainda mais relaxante agora.

Os dois trocaram carinhos na banheira e Jensen se deixou ser banhado pelo marido, que em todo o momento dizia o quão belo o loiro é e o quanto o ama.

Agora estavam deitados na cama, enquanto assistiam um filme qualquer e Jensen se deliciava com um pedaço de seu chocolate preferido.

— O que acha se nossa nova palavra for chocolate?

— Eu acho que é uma ótima escolha!

Jensen se sentia totalmente protegido e amado nos braços fortes de Jared, ele era o ser humano mais sortudo da face da terra por ter um homem como o moreno como marido!

Os dois dormiram abraçadinhos o resto da noite. Jared acordou cedo para preparar o almoço, afinal tinha recebido uma mensagem de um Bill extremamente animado.

Assim que uma batida na porta foi ouvida, o moreno desliga o fogão e corre para atender a porta sendo sufocado por um abraço, Alexander gosta de abraços e quem é ele para negar algo ao loirinho?

­— Tá no quarto! – diz, antes mesmo que o garoto pergunte onde Jensen está, vendo o garoto, literalmente, correr em direção ao quarto – Vem.

Bill e Jared vão em direção a cozinha, aonde o advogado serve duas taças de vinho sentando-se em frente ao amigo.

— Você tá doido para me contar! Conta de uma vez.

— Ele disse! – o moreno diz e dá um gole no liquido.

— Vai me contar como?

Alexander, que estava meio chateado pelo amigo não estar disposto a ir com ele ao shopping, diz ao amigo que iria arranjar duas taças de vinho para beberem enquanto conversa, mas antes de entrar na cozinha para bruscamente ao ouvir a voz de Bill chocada:

— Como?

— Eu fiz ele gozar até dizer.

Puta que pariu! De alguma forma, o loirinho sabe que o que quer que tenha acontecido entre Jared e Jensen, o advogado tinha dado uma ideia a Bill, que parecia pensativo enquanto ouvia o relato do mais alto.

Talvez, só talvez, Alexander estivesse ferrado! Em contrapartida, Jared e Jensen estavam extremamente realizados e satisfeitos.

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Kisses!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...