1. Spirit Fanfics >
  2. Be mine >
  3. These damn feelings

História Be mine - Capítulo 5


Escrita por:


Capítulo 5 - These damn feelings


Tsukasa observava Rindou extremamente animada com toda a situação.

— Você não está animado, Tsukasa? Vamos ganhar essa, certo? Vamos provar para o Souma que somos capazes.

Ah, claro. Era o Souma, sempre o Souma. Por quê sempre o Yukihira? Nunca a tinha visto falar sobre alguém de forma tão extasiada.

— Ah, sim.

Suas respostas eram muito vagas, quase sem demonstrar sentimentos, às vezes, era tão estranho. Nem ele tinha controle sobre como responder ou como agir, acabava sendo frio quase o tempo inteiro. 

Acabaram caminhando um pouco pela pousada e arredores. 

                                                X

Depois de visitarem alguns pontos turísticos e provarem alguma especiaria espanhola que os inspirasse, Tsukasa finalmente perguntou:

— Rindou, o que você quer cozinhar?

— Eu? Bem, eu estava pensando em um Cocido Madrileño. À nossa forma, é claro.

— Um prato típico de Madrid. Você realmente gosta de desafios, não?

— É claro, sempre fui assim. Como você gostaria de preparar o prato?

— Acho que além dos ingredientes da receita, seria ótimo adicionar alguns temperos.

— Oh, certo!

Ela sorriu. Aquela caminhada. Voltando para a pousada. O vento parecia tão forte, mas ameno ao mesmo tempo. Era frio, entretanto aconchegante? Quando se deu por conta, o límpido e claro céu azul já estava totalmente tingido em tons de anil e violeta. Estava tão distraído, nem percebera que chegaram na pousada. Vendo que o amigo estava tão entretido com a paisagem, sugeriu;

— Assim que entramos no quarto, vamos para a varanda?

Ele acenou com a cabeça  de forma positiva. Ambos foram para a varanda, então. A calmaria da noite os cercava, a sensação de que nada era impossível. Para a sorte de ambos, uma estrela cadente passou.

— Uma estrela cadente! Rápido, Tsukasa, faça um pedido.

Um pedido? Não haviam muitas coisas que valiam a pena a serem pedidas. Não sabia o que pedir, olhou para Rindou, feliz, aparentemente. Conseguiu pensar em algo, desejou silenciosamente, balbuciando algumas palavras em seus lábios.

— O que você pediu? 

Ela perguntou curiosa.

— Nada demais, e você?

— Eu não pedi nada.

— Sério?

— Sim, tudo que eu queria já está se tornando realidade, então, é bom não abusar demais da sorte e só aproveitar.

Aproveitar. Uma palavra. Ele estava realmente aproveitando? Algo estava engasgado em sua garganta, seu pensamento dava vários rodeios sem chegar a lugar algum.

— Rindou, eu me sinto tão estranho.

— O quê? Por quê?

— Eu ando tendo pensamentos que nunca me ocorreram antes, alguma coisa está me incomodando profundamente… Talvez…

— Talvez?

— Esqueça, era apenas uma baboseira que me ocorreu na mente.

— Eu sei que você está preocupado com a luta que está por vir, mas está tudo bem! Você é o melhor no que faz, Tsukasa.

Ela sorriu para ele.

— Existem milhões de pessoas melhores que eu, Rindou.

— Mas para mim você é o melhor e isto já basta, não?

Que engraçado. Como as emoções são traiçoeiras, não é? O coração aperta e vai mais rápido inconscientemente. Não é nada engraçado, não é justo.

— Vou dar o meu melhor, prometo.

Em silêncio, mais uma vez, uma agradável brisa os atingiu.

— Você acha este clima confortável, Tsukasa?

— Sim, é inspirador, mal podia observar as dádivas da natureza enquanto cozinhava quase o tempo inteiro.

Enquanto isso, o vento vinha cada vez mais forte. Rindou tentava se aquecer atritando as mãos nos braços, em vão, pois não esquentava muito.

— Tsukasa, eu posso pedir uma coisa?

— Hm?

— Eu estou com frio. Então…

— Ah, sim.

Ele colocou o casaco que estava usando em torno dela, para sua surpresa, ela o abraçou, retribuindo o abraço, mas um pouco  confuso, ele a observou.

— Essa sensação é tão, estranha, ela é quentinha.

Rindou fechou os olhos. E ficaram daquele jeito por um tempo, até que Rindou desfez o abraço.

— Acho que eu vou dormir agora, se você quiser entrar.

— Não, acho que vou ficar aqui fora mais um tempo.

Ela acenou e entrou no quarto. Ele continuou observando a paisagem. " Talvez alguns desejos não sejam tão fúteis. " Pensou, por último e entrou no quarto também.


Notas Finais


Talvez eu fique sem postar por um tempo por falta de criatividade


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...