História Be my alpha - Capítulo 20


Escrita por: ~

Visualizações 1.665
Palavras 3.324
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fantasia, Ficção Adolescente, Luta, Romance e Novela, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oláaa mimadinhos <3
Volteeeiii!! Senti saudades!! olhem que lindinha a minha Lolo de uniforme da Gym <3

>> LEIAM AS NOTAS FINAIS <<

E por favor, respondam a minha pergunta.
Mas antes, o capítulo! Divirtam-se :)

Capítulo 20 - Voltou?


Fanfic / Fanfiction Be my alpha - Capítulo 20 - Voltou?

Lauren

Acordar cedo nas férias pode ser horrível. Aliás, eu também compartilhava dessa ideia, mas era o meu primeiro dia de trabalho, eu estava feliz e eufórica. Apesar de meu pai não apoiar nem um pouco essa ideia, por que segundo ele, eu tinha tudo o que eu precisava e não precisava trabalhar.

Para o meu pai eu só trabalharia depois que me formasse na faculdade, pois deveria primeiro de tudo, me dedicar aos estudos. Ele surtou quando eu disse que havia conseguido um emprego e ficou irado quando descobriu que era em uma academia.

Claro que eu entendia sua preocupação, afinal era um lugar onde teria muitos alfas e Camila não estaria comigo. Mas uma hora eu teria que sair de casa, não poderia ficar dependendo dos outros o tempo inteiro, seja financeiramente, seja por proteção.

Terminei meu banho e minha higiene e fui até o meu uniforme, cuidadosamente dobrado. Tecnicamente, o uniforme consistia em apenas duas camisetas, uma regata e outra de manga, Adam havia me dado três de cada.

Vesti a regata e um shorts branco, era verão, o sol de Miami estava castigando todos nós, mesmo sendo bem cedo. Calcei meus tênis e arrumei minha mochila, já estava pronta para ir para a Gym.

Desci os degraus da escada saltando, tendo noção da movimentação na cozinha. Ainda eram seis e trinta, meus pais não haviam saído.

- Pode voltar, você não vai. - Meu pai falou assim que eu adentrei a cozinha.

- Ela vai sim. - Mama falou e eu fui me sentar para o café.

- Não vai. Olha como ela está vestida! Vai chamar a atenção de alfas.

- Papa, eu vou ficar atrás de um balcão o tempo inteiro e arrumando estoque! - Falei depois de beber um gole do suco de laranja. - E eu tomo inibidores!

- Sabe o que acontece com o cérebros de alfas que fazem academia? Derrete e vira gominho de abdômen! - Quase cuspi o suco, sua fala me causou uma gargalhada. - Não ri não, eu estou falando sério! - E pior que ele estava mesmo, mas eu e mama não parávamos de rir.

- Amor, fique tranquilo, Lauren sabe se cuidar. - Minha mãe falou e beijou sua bochecha.

Eu assenti e comecei a comer as torradas com geleia de morango que estavam dispostas em cima da mesa.

- Esses alfas de hoje não respeitam ninguém. - Ele falou isso olhando para minha mãe, mas eu entendi como se fosse para mim, como se fosse para me lembrar de que Camila não era uma alfa de respeito.

Perdi o apetite na mesma hora e me levantei, ajeitando a mochila em minhas costas e peguei meu celular, sorrindo ao ver a mensagem que havia acabado de receber.

[Minha alfa]

Bom diia meu amor! Bom trabalho :)

Receber aquele sms fez o meu dia começar muito bem e respondi rapidamente. Estava tão entretida olhando bobamente para a tela do celular que não prestei atenção na discussão de meus pais até que meu pai usou a voz de alfa e fez meus ouvidos doerem.

- Sou eu quem decide isso! - Ele falou alto. - Lauren Michelle. Se você sair por aquela porta, pode dar adeus a sua mesada, netflix e internet.

- Como é que é? - Falei indignada.

- Michael Jauregui! Pare com isso! - Mama tentou intervir, usando um tom calmo, mas repreensivo.

- Isso mesmo que a senhorita ouviu. Você não quer trabalhar? Não quer ser adulta? - Cruzou os braços e me deu um sorriso debochado. - Pois então acabou a mordomia.

- O senhor não fez isso com o Chris! - Apertei o celular com força. - E ele começou a trabalhar aos doze!

- Chris é alfa! - Aquele era o argumento mais ridículo que eu já havia ouvido. - Ele não corre risco trabalhando dentro de uma academia. Você sim. Se sair por aquela porta, eu vou parar completamente de te dar dinheiro e de pagar qualquer coisa para você.

- Que bom que eu tenho o meu salário, então. - Me virei e fui em direção à porta.

- E posso saber como você vai até lá? - Parei com a mão na maçaneta. - Pode devolver o seu cartão. Vou desligar sua internet móvel e sua netflix. Se quiser ter de volta, você que pague.

- Tome. - Coloquei o cartão em cima da mesinha que havia ali perto, eu estava fodida, não tinha como pagar um uber agora. - Tenham um bom dia.

Saí de casa batendo a porta, enquanto pensava em como iria até o trabalho e como pagaria o meu almoço. Céus, como eu iria trabalhar e voltar durante esse primeiro mês? Peguei meu celular, iria ouvir uma bronca de Dinah por acordá-la a esse horário, mas eu precisava de uma carona.

[Mãe]

Laur, coloquei meu cartão dentro da sua mochila. Seu pai não sabe. Pode usar para o que for necessário. Te amo e estou orgulhosa, bom trabalho meu anjo.

Sorri para a mensagem, minha mãe era o melhor ser humano desse mundo! Agradeci em silêncio por ela estar me apoiando, respirei fundo, decidida a não deixar esse desentendimento afetar o meu humor.

Andei até à rua de cima e chamei um uber, que não demorou a vir, mas devido à discussão, eu iria chegar alguns minutos atrasados. O simpático motorista parou em frente ao meu local de trabalho, paguei e desci, ele logo foi embora.

Eram sete e quinze. Que ótimo isso, chegar atrasada logo no primeiro dia. Respirei fundo e andei até as portas automáticas, contando minha respiração para me acalmar. Não chamei atenção dessa vez, meu cheiro não estava forte e os alfas ali pareciam mais do que acostumados com ômegas novas.

- Lauren! Já estava começando a pensar que não viria. - Adam falou, vindo em minha direção.

- Me desculpe por isso, tive problemas em casa. - Falei sem graça. Ele apenas assentiu e fez sinal para que eu o seguisse.

Passamos a manhã inteira juntos, organizando fichas, atendendo novos clientes e ele me ensinou como arrumar o estoque. Eu nunca pensei que pudesse haver tanta roupa em estoque de academia.

Organizamos as prateleiras de camisetas e de calças. O resto eu me encarreguei sozinha, ele precisava auxiliar os alunos. Fiquei realmente agradecida com a paciência que ele teve para me ensinar as coisas.

Já havia acabado de arrumar todo o estoque e subi para ficar no balcão. Dei de cara com o rapaz apoiado nele do lado de fora, admirando descaradamente uma ômega que fazia algum exercício que consistia em puxar uma barra de ferro.

- Vai falar com ela. - Falei baixo, o fazendo sobressaltar.

- O-oi, nem te vi c-chegar. - Disse passando o dedo indicador na gola de sua camiseta.

- Ela é muito bonita. - Comentei.

E de fato era, tinha os cabelos castanhos claros compridos, presos em um rabo de cavalo. Usava um shorts preto justo e bem curto e camiseta da academia amarela com o escrito preto. Os fones brancos pendiam ao redor de seu pescoço, parecia bem concentrada no que estava fazendo.

- Ela é linda. - Nem percebeu o que havia falado, até arregalar os olhos e limpar a garganta. - Mas não vou falar com ela.

- Você é instrutor, vá corrigir algum movimento.

- Ela está fazendo corretamente.

Olhei mais uma vez para a garota. Não parecia ser arrogante e mesquinha. Na verdade, parecia ser uma daquelas ômegas super animadas e carismáticas. Eles formariam um belo casal.

- Qual é o nome dela?

- Não sei… - Adam se virou para mim. - Ela fez a ficha com a Lele. E eu não quero ir perguntar para ela porquê… Bom, Lele é muito entusiasmada… Não vai saber ser discreta.

- Quem é Lele? - Perguntei com curiosidade.

- É a ômega que trabalha no turno da tarde… Hoje você vai conhecê-la.

E então ele voltou a admirar a garota. Eu precisava contar isso para a Camila, pelo menos significava que ele não tinha nenhum problema. Atendi um cliente que pediu um dos isotônicos na geladeira, fazendo com que eu me distanciasse de Adam.

Senti meu celular vibrando e discretamente fiquei atrás do computador, puxei o aparelho do bolso, era Camila. Instantaneamente senti meu coração acelerar.

[Minha alfa]

Ei amor, como está indo?

[Eu]

Acabei de vender um isotônico e você?

Olhei para Adam que continuava babando na tal garota e voltei minha atenção para a resposta.

[Minha alfa]

O que está vestindo?

Arqueei uma sobrancelha, Camila nunca havia sido tão ousada, ainda mais sabendo que eu estava trabalhando. Olhei para o grande relógio no alto da parede ao meu lado. Ainda eram dez e vinte e dois, ela também deveria estar trabalhando.

[Eu]

O uniforme e um shorts branco.

A resposta veio rapidamente.

[Minha alfa]

Sua bunda deve estar um espetáculo. Tira a blusa amor.

Como é que é?

Fiquei encarando o celular, sem entender onde ela queria chegar com aquelas mensagens. Eu sei que ficamos mais desinibidos pela internet, mas ela nunca havia me mandado sms assim. Olhei mais uma vez ao redor, me certificando que ninguém estava reparando em mim.

[Eu]

Eu estou trabalhando...

Mordi o lábio inferior, seria bem interessante trabalhar junto com a Camila. Uma pegação no estoque seria uma fantasia que eu adoraria realizar.

[Minha alfa]

A gente faz escondidinho…

Um calor subiu pelo meu corpo, arrepiando todos os pelos da minha nuca. Senti a minha garganta secar. Eu estava com tantas saudades dela, dos carinhos, dos beijos, dos toques. Eu sentia falta de tudo nela, daria qualquer coisa para sentir aquele cheiro amadeirado hoje.

Levantei a cabeça para encontrar Adam com um olhar curioso em minha direção. No mesmo instante guardei o celular, Camila havia parado de enviar mensagens de qualquer forma. Fui caminhando até perto dele.

- Tive uma ideia. - Falei animada.

- Nunca é bom quando mulheres ômegas têm uma ideia.

- Babaca. - Falei e ele riu. - Vai morrer sem saber o nome dela, então.

- Não, não… Desculpe-me. - Implorou, agora totalmente virado para mim, dando completamente às costas para a ômega que agora usava os alteres.

- Vai até ela, fala que eu, sem querer perdi algumas fichas, já que eu sou nova aqui. - Ele ouvia tudo atentamente. - Aí você diz que tem que fazer os exames tudo de novo, então enquanto você vai tirando as medidas, porcentagem de gordura corporal, você vai conversando com ela.

- É uma boa ideia… - Ele ponderou olhando para mim e para a garota. - Mas e se ela desconfiar?

- Ela não vai. - Revirei os olhos. - Mas caso ela desconfie, melhor, ela vai saber que você está interessado, mas é fofo o bastante para tentar disfarçar.

- Fofo? - Fez uma careta.

- Aff. - Bufei. - Faz o que você quiser. - Levantei as mãos na altura da cabeça. - Eu desisto.

Andei de volta até o computador e comecei a passar as novas fichas para os dados do pc, era algo muito rápido de se fazer. Ignorei quando Adam se aproximou, parecia tenso, provavelmente ainda tentando se decidir se iria seguir meu plano ou não.

- Okay! Pega uma aí pra mim. - Esticou uma mão para mim.

Sorri para o rapaz e puxei uma ficha impressa de dentro da gaveta. Assim que ele terminasse, eu anexaria os novos resultados aos dados da garota que já estava no computador. Dei risada do jeito tímido de Adam quando ele pegou o papel de minhas mãos.

- Não vai me agradecer? - Questionei quando ele se afastou, o fazendo virar novamente para mim.

- Se der certo, eu te agradeço. - Piscou para mim e saiu em direção à ômega, me deixando levemente surpresa.

[...]

O tempo passou rápido e foi muito produtivo, eu já havia acabado de passar as fichas para o software da academia, reorganizei os produtos do balcão e das prateleiras. Atendi alguns telefonemas, dando informações básicas dos preços de cada plano que a Miami Iron Gym fornecia, endereço do estabelecimento, essas coisas.

Eu havia acabado de desligar de mais um telefonema quando um Adam sorridente e saltitante veio até mim. Sobre seu ombro pude ver a garota deixando a academia, segurando a mochila em uma mão e uma garrafa d'água na outra, enquanto ajustava os fones nas orelhas.

- Deu certo, obrigado, Lauren! - Falou sorridente com a ficha em mãos. - Ela acabou de chegar de Chicago, mas já morou aqui antes. Tem a mesma idade que eu e… Nos seguimos no instagram!

- Excelente. - Bati palmas animada. - Mas agora o principal. Qual o nome dela?

O garoto respirou fundo, inflando os pulmões e soltou vagarosamente. Ele estava realmente muito afim da menina.

- Keana.

Camila

Machine tinha sua enorme mão em minha cara e me segurava longe dele. Eu tentava inutilmente pegar meu celular de suas mãos. Havia pegado o aparelho para saber como minha ômega estava se saindo no primeiro dia e quando o gigante notou com quem eu trocava mensagens, imediatamente tomou o celular de minhas mãos e começou a mandar coisas indecentes para Lauren.

Céus, ele perguntou o que a minha garota estava vestindo! Meus colegas de trabalho, ao invés de me ajudar, riam da minha cara, até que Shawn chegou e o mandou parar. Mas o estrago já estava feito. Corei fortemente ao ver o conteúdo completo dos sms, fazendo com que eles rissem ainda mais.

Babacas!

- Camilk! - Bieber gritou.

Depois que eu brinquei disso com o MGK, todos na academia aderiram à esse apelido ridículo, até mesmo Shawn. Guardei meu celular no bolso e levantei a cabeça, encontrando todos empoleirados ao redor do balcão.

O grupo parecia anotar algo, até Sophie estava ali. Me perguntei quem estava tomando conta da GYM naquele exato momento.

- Oi. - Falei baixo para o loiro que sorriu para mim.

- Vamos jogar Dallas Bingo. - Ele disse aquilo como se eu já soubesse do que se tratava. - Olha só, todo mundo tem uma ficha com as coisas que o Cameron mais fala ou faz.

- Cada vez que ele fala algo que nós escrevemos em nossas fichas, nós marcamos, ganha quem fechar primeiro. - Austin completou. - O jogo dura o dia todo.

Encarei o papel que Bieber me mostrava, tinha coisas como “Cameron fala Or Nah”, “Cameron tropeça nos pesos”, “Cameron esquece o garfo.” Olhei os dois ainda sem entender a dinâmica do jogo e eles reviraram os olhos.

- Temos que observar o Cameron o dia todo e ir marcando cada vez que ele faz algo que a gente tenha anotado na ficha, como num bingo comum. - Machine falou.

- Shawn não participa, porque ele ganharia sempre. - Sophie se pronunciou. - Quer jogar?

- Eu não entendi muito bem, acho que ficarei de fora essa rodada.

Os demais assentiram e logo se viraram para a escada vermelha, onde o ômega de Shawn descia. Ele veio rapidamente até nós, parecia um pouco assustado.

- Pessoal, vocês não acreditam no que aconteceu, esqueci que deixei meu refrigerante cair, quando fui abrir agora, BUM!

- CAMERON DIZ BUUUMMM! - Meus colegas exclamaram ao mesmo tempo e marcaram um “x” no quadradinho de suas fichas que dizia essa mesma sentença.

Comecei a gargalhar quando entendi a brincadeira, o garoto tinha uma carranca, claramente detestando aquilo, fazendo com que eu e os outros nos divertíssemos ainda mais às suas custas.

- Vocês estão jogando esse jogo ridículo de novo? - Cameron falou cruzando os braços.

- Alguém colocou “Cameron reclama do Dallas bingo”? - Machine perguntou olhando para a sua ficha.

- Eu coloquei. - Sophie falou.

- Droga, eu esqueci disso! - Praguejou Austin.

- Eu coloque “Cameron faz carranca e cruza os braços” - Justin falou rindo e riscou mais um quadradinho de sua ficha.

O marido de meu melhor amigo bufou e saiu pisando duro de volta para a sala de jogos, sob o olhar atento do grupo que esperava que ele tropeçasse em um dos degraus, o que para a frustração deles, não aconteceu.

Logo a próxima turma estava chegando e eles se levantaram para dar início à aula. Restando apenas Sophie e eu no balcão. A ruiva sorriu para mim e se juntou à mim do lado de dentro do balcão.

- Podemos almoçar juntas hoje de novo? - Perguntou, se apoiando no balcão, ficando de lado para mim.

Abri o software da academia e fiz login com a minha senha para ter acesso ao banco de fichas, somente depois voltei minha atenção para a ômega ao meu lado.

- Bom, eu lembrei de trazer meu almoço dessa vez… - Fiquei meio sem graça de recusar o convite.

- Eu também, só queria sua companhia… Antes de você chegar eu não tinha outra garota para conversar… - Sorriu enquanto suas bochechas coraram.

- Ah sim, sem problemas então… - Sorri e voltei minha atenção para o monitor.

- Você fica bem usando shorts. - Ela comentou e foi a minha vez de corar. Fixei meus olhos na tela do computador tentando esconder a minha vergonha. Ela deu uma risadinha e se aproximou, depositando um delicado beijo em minha bochecha. - Vou voltar para a Gym, até daqui a pouco, Camila.

Confesso que me senti um pouco esquisita com a atitude de Sophie. Era estranho ter outra ômega tão perto de mim que não fosse Lauren. Bom, nenhuma ômega havia ficado perto de mim além da morena de olhos verdes.

E a Keana, Camila… Você se esqueceu da Keana.

Tirei um momento para pensar nela. Havia tanto tempo em que não nos falávamos. Me perguntei como ela estava e se ainda se lembrava de mim. Três longos anos se passaram desde que ela deixou Miami para ir viver em outro estado com sua família.

Saí de meus pensamentos e caminhei até o vestiário, para tomar mais um relaxante muscular. Eu não queria ter que ficar sem treinar hoje por conta disso. Agora que comecei e vi o quanto me fez bem, não queria perder um único dia de treino.

Eu tinha um foco também. Precisava arrebentar um filho da puta que tentou estuprar e forçou minha ômega a beijá-lo. Claro que eu não contaria para Shawn a respeito disso. Mas havia contado para o Machine, ele me apoiou e disse que me treinaria as manhãs de sábado também, para que eu aprendesse mais rapidamente.

Luís ainda era uma preocupação para mim. Ainda mais agora que Lauren estava relativamente sozinha em Miami. Assim que aquele desgraçado soubesse que eu estou em L.A, ele irá atrás da minha ômega.

Gun Kelly havia falado para mim sobre uns colegas dele que moram no meu estado, falou que bastava uma ordem minha e aqueles caras davam um jeito em Luís, fiquei assustada ao pensar em como seria esse “jeito” e achei melhor não falar nada.

Eu queria que ele pagasse, mas não o queria morto. Sendo bem sincera, ainda estava decidindo se daria mesmo essa surra nele. Eu nunca fui o tipo de alfa que batia nos outros e eu não queria me tornar isso.

Mas eu poderia falar para o Machine mandar esses amigos apenas protegerem minha Lauren. Havia alguma coisa esquisita dentro de mim, me deixando inquieta. Eu estava muitíssimo preocupada com a integridade da minha ômega.

Chegou um novo carregamento de produtos, como ainda estávamos na segunda semana, havia equipamentos que não tinham chegado ainda e receberíamos ao longo do mês. Eu precisava catalogar e preencher os recibos.

Dessa vez os garotos descarregaram dez novos sacos de pancada, cinco esteiras ergométricas, dez bicicletas e diversas barras de ferro.

Confesso que esse foi o melhor trabalho que já tive até agora. Era realmente bom estar cercada de pessoas felizes e divertidas, me fazia bem estar ali, para ficar melhor, só faltava Lauren.

 


Notas Finais


E então? O que acharam do cap? Acham que a Camz devia colocar gnt pra proteger Lauren?

Enfim meus amores, é o seguinte: Desde que eu comecei a postar, eu estou sempre dois capítulos à frente de vocês, porque assim, eu consigo manter uma atualização rápida, a cada dois ou três dias. Muitos me pedem para fazer maratona, só que para mim, maratona é com cinco capítulos, não farei com menos que isso. Como eu gosto de ficar sempre à frente, eu teria que escrever sete caps, isso demanda tempo, então eis a minha pergunta: Vocês preferem que eu pare de postar por uns dias e volte somente qnd estiver com a maratona pronta, ou vcs preferem que eu continue assim, com atualizações rápidas? Respondam, por favor ^^ Ps: eu n sei qnt tempo levaria pra escrever uma maratona.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...