História Be Somebody - Jeon Jungkook - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


o ponto de vista hoje é do jungkook 💕

leiam as notas finais

Capítulo 5 - Epifania


Fanfic / Fanfiction Be Somebody - Jeon Jungkook - Capítulo 5 - Epifania

 

A manhã chegou, o sol era forte, e o barulho dos pássaros se fazia presente, continuei com os olhos fechados porque de alguma forma eu não queria sair de lá, Kat ao meu lado agarrada em mim e com minha jaqueta esquentando seus braços, sua cabeça em meu pescoço e seus cabelos fazendo uma pequena cosquinha em meus braços. Merda! Logo lembrei de seu pai, de Amanda e principalmente: Passamos a noite fora. 

—  Kat... acorde, passamos a noite fora - Tentei acorda-la com um sussurro em seu ouvido, fez com que ela apenas se aconchegasse mais em meu peito... ela não colaborava. -- Vamos, acorde estamos atrasados ... -- Tentei mais uma vez, fazendo um breve carinho em sua bochecha com minha mão livre, junto com um carinho breve em suas costas.

— Que horas são? -- Perguntou bocejando e deitando novamente em meu braço.

— Nove horas, nós estamos totalmente ferrados, sabe disso, hum?

— Nós não, eu - Sei que somente ela estaria na pior, mas não queria deixa-la levar toda a culpa sendo que o único culpado ali era eu.

— Vamos logo, vou te levar para a casa e me explicar para o seu pai, não vou deixa-la levar a culpa. -- Porque eu sei o suficiente para saber que o pai dela é muito protetor quando se trata de suas filhas. 

— Pare com isso! Acabei de ter uma noite super legal, a primeira vez que não me senti presa, não quero ir embora agora, estou pouco me fodendo para o meu pai, esqueça um pouco que eu sou a porra de uma marionete ambulante... Por favor. -- Não sei, mas esse era o tipo de coisa que eu falaria para Kat, sim, mais uma vez me impressionei com tamanha coragem que Kat transparência.

— Me desculpe, eu só não quero que você se afete com tudo isso Katarina, seu pai vai ficar furioso comigo, contigo, com todos.

— Não aguento mais fingir oque eu não sou, eu não vou mais fazer isso. -- A mesma se levantou, e colocou meu casaco no corpo, e logo saiu .

– Vamos tomar um café e depois te levo para casa ok? -- Segui a mesma que balançou a cabeça concordando, fiquei mais aliviado que ela não está brava comigo, peguei a toalha que estiquei na grama ontem a noite e coloco dentro do carro, Katarina já esta lá dentro arrumando seu cabelo em um coque para o alto, a mesma se vira para se certificar se já estou entrando.

 

O caminho todo Kat conversava sobre seus planos futuros, faculdades, e até mesmo casamento, nunca pensei que ela fosse do tipo casamenteira apaixonada, mais uma razão que me deixa curioso sobre ela. Tudo que ouvia dela é que a grosseria reinava em seu corpo e sua personalidade, mas observando-a ao meu lado eu vejo que ela não é nada do que dizem, e tento não me lembrar no maldito dinheiro que estou recebendo por isso. 

Meu café estava prestes a chegar, a garota em minha frente bebericava seu chocolate quente e comia os pãezinhos quentinhos que pedi para a garçonete, enquanto bebia ela me olhava de vez ou outra, eu estava apreensivo por esta mentindo para uma garota como ela, e me culpava naqueles minutos.

— Jungkook, está tudo bem? Pode me contar. - Ela segurava sua xícara com as duas mãos que provavelmente esquentaria sua pele pelo liquido quente.

— Está tudo bem Kat, só estou com fome. - Menti tentando não lembrar de nada que tinha feito, e tentando sair dessa emboscada que eu mesmo me enfiei, mas nem machucar ninguém, exclusivamente e principalmente Katarina. Mas eu sabia que era impossível.

A garçonete logo trouxe meu café, bebia e sorria para ela, que puxava assunto a cada minuto tentando me animar mesmo eu não contando sobre minhas aflições, e isso era incrível.

— Já são meio-dia, vou ter que ir para a casa de qualquer jeito, mas valeu a pena, eu me diverti - Sorri para ela, eu também me diverti muito.

– Foi demais hoje e ontem, ao meu lado como não seria? - Me convenci entrando no carro com ela, logo ouvi sua risada alta gostosa ecoar por todo meu carro e não teve como eu não rir também.

— Você é muito convencido - Rimos novamente.

— Eu sou sincero, você deveria saber disso Evans - Quando falei "sincero" lembrei de Jimin e de como eu fui de desconhecido por Katarina, para praticamente amigo.

 

O clima não estava mais pesado, Kat fez com que eu relaxasse, o carro virou a verdadeira bagunça. a música alta, nós dois pulando pelo som alto e inebriante, e principalmente pela sua energia contagiante, porque ela se fazia de durona? Me perguntava mentalmente.

Logo parei em frente a sua casa, Kat parou de sorrir logo que viu seu pai furioso sentado na grande cadeira em frente a sua casa, provavelmente esperando sua filha que passará a noite fora, e eu tremi por dentro.

— Vamos eu vou com você. - Abri a porta do motorista já saindo, junto com Katarina, ela estava tão apreensiva e com medo quanto eu.

— Você não precisa fazer isso, deixe que eu me vire aqui, o pai é meu não seu Jeon. - Ela tentava fazer eu mudar de ideia, mas eu não a deixaria aqui.

— Vamos, a culpa é tão minha quanto sua. - Toquei nas suas costas a conduzindo, seu pai se levantava da cadeira, já com sua cara de ódio, ele intercalava seus olhares para mim e Evans que tremeu assim que se aproximou.

— Aonde você estava Katarina? Te liguei milhares de vezes e você recusava, é por isso que não deixo vocês com garotos, e olhe só você rapaz, não se aproxime da minha filha mais -- Ele gritava em frente a casa, já os vizinhos olhavam pela janela a cena desprezível.

— Pai, para - Kat parecia que explodiria, sua voz era mansa como se fosse um aviso, mas seu pai nunca falaria baixo.

— Aposto que estava por aí com ele fazendo coisas que não deve, estou certo? Voce está de castigo, eu não quero sua explicação e muito menos um pedido de desculpas. - Gritou mais enraivado, eu apenas ficava do lado de Kat tocando em suas costas com um carinho reconfortante, ela tremeu e logo gritou fazendo eu me assustar.

— Ta bom, já chega - Gritou -- Acha mesmo que eu pediria desculpas? Me arrependeria? E saíria triste como se eu fosse Amanda? Pois está equivocado, eu não pedirei desculpas, porque eu não sinto muito, eu não vou ficar triste sendo que eu estou o oposto disso, e pode me colocar de castigo, mas você não irá  mais me controlar como faz com Amanda porque eu não sou a porra de uma marionete, eu tive uma noite maravilhosa e não vai ser você que vai estragar tudo, eu vou fazer faculdade fora, vou me formar longe daqui, terei namorados sim e adivinha? Você não irá me impedir, então não queira controlar minha vida só porque a sua está uma merda! 

Eu apenas segurava sua cintura agora, seu progenitor estava perplexo a sua frente, Amanda saiu de casa e ficou atrás do seu pai observando toda aquela cena junto com os vizinhos fofoqueiros que insistiam em visar aquela briga, eu olhava para Kat que respirava fundo tentando controlar sua respiração e fazia um carinho em sua cintura fazendo-a se acalmar.

— Você não irá fazer faculdade fora, vai fazer aqui, namorados? só depois da faculdade e eu não quero saber mais de nada Katarina Evans, já para seu quarto. E você  rapaz, saía daqui. -- Apontou rapidamente para mim, fazendo com que eu o olhasse com um certo desprezo.

— Vou sim, e você  vai ver como eu vou fazer oque eu quero da minha vida, você passou anos nos controlando mas se parar para pensar, não sabe nada sobre mim muito menos da minha irmã. Qual minha cor preferida pai? Meu livro favorito? Sabia que minha comida favorita é pizza? Como você saberia, só vive para controlar a merda das nossas vidas, invés de controlar as nossas, controle a sua. Pare de tentar fazer eu ser alguém que eu não sou, porque eu não permitirei mais isso. E não mande Jungkook embora, porque ele foi o único que me viu do jeito que eu sou e não apenas a imagem de uma garota rabugenta mal educada. - Berrou ainda mais para seu pai, que estava sem palavras, porque eu duvidava que o Sr. Evans iria falar algo depois de tudo isso que ouviu, Kat estava chorando, se virou para mim e logo me abraçou pela cintura deixando sua cabeça em meu peito, e tratei de tocar seus cabelos e beijar sua testa enquanto ela molhava minha camiseta com suas lágrimas  que insistiam cair.

— Apenas não apareça por aqui hoje, Katarina. Espero que reflita. - Como ele tem a coragem ainda de dizer depois de tudo para sua filha refletir?

— Sr. Evans, reflita o senhor, será que você não enxerga tudo isso? Sua filha acabou de gritar e deixar tudo sair para fora, reflita oque você fez para deixa-la assim, e pode deixar, Katarina não aparecerá hoje aqui. - Caminhei com a mesma próxima ao meu corpo, e fui em direção ao carro logo ajeitando Kat ali, e acelerei o carro para longe de lá, deixando seu pai e sua irmã na frente de casa observando o carro se afastando aos poucos.

 

Dentro do carro, eu intercalando o olhar entre a estrada e Kat, a mesma encolhida no banco derramando suas lágrimas eu notei que eu não posso mais continuar enganando ela muito menos me enganando dessa forma, eu precisava contar a verdade custe oque custar, mesmo se ela nunca mais falar comigo ou me odiar para sempre, eu precisava arriscar tudo, porque eu estou me apaixonando  por essa garota que sente muito muito mas não é nada do que falam. E eu arriscaria qualquer coisa para ser verdadeiro.


Notas Finais


Gostaram???? eu sinceramente gostei do resultado, o ponto de vista do jungkook disse muito sobre ele, e amanhã vem outro cap com essa reta final, espero q gostem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...