História Beacon Hills Institute - Capítulo 74


Escrita por:

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Allison Argent, Derek Hale, Jackson Whittemore, Lydia Martin, Personagens Originais, Scott McCall, Sheriff Noah Stilinski, Stiles Stilinski, Talia Hale
Tags Derek, Romance, Stiles, Yaoi
Visualizações 312
Palavras 1.614
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Esse conto ocorreu no capítulo "Poder revelado", mostrando o que ocorreu quando Ethan levou seu namorado ao vestiário do Instituto Beacon Hills.

Capítulo 74 - Extra: Aconteceu no vestiário...


O mar podia ser muito imprevisível. Uma hora podia estar calmo, com ondas leves e um sol cujos raios brilhavam sobre a superfície azulada marítima, dando uma perfeita visão do paraíso. Outra hora podia estar aterrorizante, com ondas gigantescas, turbilhões, tufões e redemoinhos, um inferno aquático. Ethan estava acostumado com a natureza volúvel do mar, era assim que a natureza funcionava. Tinha que amá-la como também temê-la. Entretanto, uma coisa ele não entendia e essa coisa era: Marcus Sharks.

– Eu não acredito que você ousou vir...Desse... Jeito! – A cada pausa em sua fala era acompanhado com gestos mirabolantes com a mão que indicavam o corpo todo do tritão moreno. O cadete do departamento de polícia de Beacon Hills evidentemente usava uma roupa de menor numeração, afinal a mesma roupa parecia estar prestes a se rasgar, pois não conseguia comportar a musculatura do tritão-tubarão.

“Malditos músculos! Malditos, bíceps, tríceps e se existir um quadríceps e quintríceps eles também são os culpado por toda essa situação!” pensou, furioso, Ethan.

– Talvez o uniforme tenha encolhido quando retirei da secadora. – Sugeriu o Tubarão sem nenhum pingo de ressentimento em sua fala.

– E você não reparou que ele tinha encolhido?

– Não. – Fez uma cara de inocente. Se Marcus não desse certo na carreira policial, poderia ser um ótimo ator! Mas, Ethan não iria cair naquela carinha de baby-shark fofinho! Já estava praticamente imune àqueles olhos azuis e sorriso sedutor...

Praticamente, imune!

– E você espera que eu acredite nisso?

– Cuidado, Ethan...Vai desequilibrar os seus chrakas. – Alertou Marcus contendo um sorriso que se formava nos seus lábios

– Vou? Eles já estão pra lá de desequilibrados! Terei que meditar por meio do Tai chi chuan para restaurar o equilíbrio de meu Chi! Ou usar cristais! Sal grosso? Quem sabe um banho de ervas? Mas para isso eu precisaria de uma banheira... Talvez Stiles e Scott poderiam me emprestar o banhe...AHH! O que você está fazendo? – Ethan soltou um grito quase ultrassônico, fazendo os armários de metal do vestiário vibrarem em ressonância ao som. Enquanto tagarelava, o jovem sereiano caminhava para um lado e para outro, como uma fera enjaulada...Tamanha era sua concentração em discorrer sobre os métodos de “reequilíbrio energético” que não notou o fato que ocorria ao seu lado: Marcus se despia de seu uniforme.

– Você não queria que eu me livrasse desse uniforme? – Questionou, sem interromper a sua ação. Já tinha tirado a camisa, o quepe e agora só mantinha as calças.

Calças bem apertadas, deve-se enfatizar.

– L-lógico...M-mas... – O garoto engoliu em seco, tentando não olhar para as mãos morenas do tritão mais velho, quando esse as direcionava para o botão de sua calça, desabotoando lentamente.

– Talvez eu devesse ir... Deixar você se trocar, sabe? Deixar você na sua privacidade... Fazendo seu strip-tease, digo...Sua troca de uniformes! E eu tenho uma aula para ir. Charkas para equilibrar. Essas coisas importantes, sabe? – Falou isso já virando para “escapulir” do vestiário, mas antes que pudesse se distanciar sentiu sendo puxado pela a gola de sua camisa. A próxima ação que percebeu foi ser lançado de encontro a uma das portas metálicas dos armários. Logo, constatou outro fato: a presença de Marcus Sharks seminu impedindo que escapasse.

– Alevino, acho que devemos aproveitar este momento de privacidade juntos, não é mesmo?

– E-espera... Você planejou tudo isso, não foi? Digo...Me trazer aqui...Você devia saber aonde era o vestiário e não precisava que eu te guiasse. – Concluiu Mistfish, pausadamente.

Como resposta Marcus apenas sorriu, aquele sorriso serrilhado predador.

– Bro, isso não foi legal! Nada maneiro! – Ethan queria mesmo parecer irritado com as manipulações do Tubarão, mas sua mente estava mais preocupada soltar alertas relacionadas a proximidade de Marcus, o fato de estarem sozinhos, a natureza “sem-roupas” do seu namorado tritão...Enfim, sua mente não estava nada ressentida e sim excitada.

– Irie compensá-lo por minhas atitudes nada maneiras. – E antes que Ethan pudesse continuar com suas reclamações, seus lábios foram selados. Marcus o beijou.

Por alguns segundos, Ethan se sentiu retornar ao seu lar australiano, mais precisamente, ao mundo submerso marítimo. Nadando nas reconfortantes águas salgadas. A sensação nostálgica mesclada com prazer era o suficiente para fazer esquecer o próprio tempo e espaço.

Ethan entrelaçou seus braços no pescoço de Marcus, se deixou mergulhar na paixão daquele beijo.

Marucs mordiscou o seu lábio inferior com seus dentes pontiagudos. Sua boca se abriu para emitir um gemido de dor, mas logo ela foi tapada por um outro beijo. Profundo e mais fervoroso que o anterior. Línguas se tocavam. Dentes se chocavam. Estavam tão envolvidos que praticamente esqueceram de respirar... E tritões podem conseguir segurar seu folego por vários minutos, o que só indicava o quanto tempo passaram naquele ato lascivo.

Suas bocas se separaram, uma linha frágil de saliva ainda interligava os lábios avermelhados.

– Alevino... – Sussurrou o tubarão, que segurava a cintura do adolescente. Seus dedos brincando com a aba da camisa florida (estilo havaiano) que o menor usava – O que acha da ideia de fazermos uma pequena demonstração do que aprendo na academia?

– T-tipo o que? – Inqueriu, ofegante, o tritão-golfinho.

– Tipo eu te revistar... Tocar todo o seu corpo. Fazer uma busca minuciosa por possíveis armas letais.

Ethan não soube o que responder, na verdade sua mente estava fazendo questão de o fazer imaginar toda aquela situação, dando uma espécie de teaser do que poderia ocorrer em meio a essa revista.

– E quando eu terminar, você poderia mostrar o que você aprendeu em mim. Também me revistando. – Sugeriu Sharks, seus dedos agora acariciavam a pele por baixo da camisa. Roçando e apreciando os calafrios que provocava em seu namorado.

– Por Iemanjá... – Murmurou o garoto, engolindo em seco. Deixando seus olhos navegarem pelo corpo achocolatado de Marcus. Estaria sendo hipócrita se negasse o desejo de tocá-lo, mas algo ainda o incomodava no fundo de sua mente.

Seus olhos finalmente focaram na fonte de sua curiosidade. E isso não passou despercebido por Marcus.

– O que foi? Gostou da minha cueca?

– Não! Digo, sim! Digo...

– Quer que eu tire?

– Hum... – Para a surpresa do tubarão, o seu tritão não fez uma expressão de desejo e sim de hesitação.

– O que foi, alevino? Estou indo rápido demais? – Perguntou, meio preocupado.

– Você tem um ou dois?

Marcus franziu o cenho.

– Um ou dois?

– Isso...Um ou dois! Preciso saber! – Demandou.

– Um ou dois o quê?

– Olha, eu gosto de você....Você gosta de mim...Tudo legal. Maneiro. Cool. Mas...Eu assisti uns vídeos no Discovery Channel e Animal Planet e fiz alguns cálculos, sabe? E não acho que dois podem caber! Eu quero ser capaz de sentar, de andar, de surfar depois que nós fizemos aquilo...Enfim, preciso saber! Um ou dois?

– Alevino... Eu realmente não estou entendendo o que você está querendo dizer. – Falou Marcus, realmente preocupado com o estado mental de seu namorado. Talvez todo aquele estímulo sexual foi demais para a mente zen do sereiano comportar. Ele sofreu um curto circuito ou algo do tipo.

– Tubarões possuem um par de órgãos sexuais chamados clásper...É tipo dois pênis! Mesmo que um deles não seja funcional! Mas, são DOIS! Se você tiver dois, como eu irei...Supondo que eu irei, lógico, entende? Fazer coisas! Tipo, bro...Não vou conseguir! Minha bunda não vai aguentar! Tenho certeza que ela vai quebrar!

Risos. Marcus começou a gargalhar. Esse não era o tipo de reação que Ethan esperava. Era na verdade uma falta de consideração levando-se em conta o quão Ethan estava preocupado com o futuro da vida sexual deles como um casal!

– Não tem graça! Foi uma pergunta totalmente normal de se fazer.

– Normal? – Marcus tentou recuperar o folego e enxugou as lágrimas no canto dos olhos – Seria normal eu perguntar a você se tens um pênis de 30 centímetros de comprimento?

– O que? – Os olhos de adolescente arregalaram.

– O pênis de um golfinho nariz de garrafa tem mais de 30 centímetros.

– E-eu... – Ethan de forma inconsciente olhou para a própria virilha, definitivamente não tinha essa envergadura.

– E seu pênis é capaz de agarrar objetos, como fosse uma mão?

– Bro? Como é?

– Outra peculiaridade do órgão sexual dos golfinhos.

– Definitivamente, não! Eu tenho um pinto normal e não uma tromba de elefante!

– Só porque temos algumas características advindas dos animais ancestrais que representam a nossa tribo, isso não significa que dispomos das mesmas anatomia que eles. Não esqueça que também temos características humanas e reproduzimos na nossa forma humana e não na forma sereiana. Logo, o aparelho reprodutor deve ser humano.

– Mas...Mas, meu pai disse... – Balbuciou, começando sentir as vésperas da morte por vergonha. Não acreditava que realmente tinha pensado na possibilidade de Marcus ter dois pênis...Agora, depois da explicação, tudo parecia tão bobo. Como iria apagar todos os vídeos que assistiu de acasalamento entre tubarões da sua memória?

– Seu pai estava tirando onda de você, alevino. – Riu Marcus dando um carinhoso cafuné no bastante embaraçado adolescente.

– Mas se ainda sente dúvidas em relação a tudo isso... – O tubarão se aproximou do menor e sussurrou em seu ouvido – Podemos tirar a prova agora. Eu tiro a minha cueca e você poderá analisar por si mesmo.

Ethan engoliu em seco. Abriu a boca para responder...

– A porta está trancada? Isso é muuuuuito estranho... – Alguém falou, o jovem tritão logo reconheceu a voz do seu professor Minotauro, responsável por ministrar as aulas de educação física – Aonde está a chave? Tenho certeza que guardei aqui em algum lugar...

– Droga. – Resmungou Marcus contrariado com a interrupção.

– P-podemos continuar depois...Sabe? – Sugeriu Ethan em sussurro, tentando ignorar o rubor que dominava toda a sua face – Sem precisar me “capturar” ou algo do tipo... Como um encontro normal.

Marcus sorriu o seu típico sorriso predador.

– Irei adorar, alevino.


Notas Finais


Agora solucionamos a dúvida sobre o "instrumento" de Marcus! (viva, solta confete)!

Como tinha explicado antes, darei um parada nesse livro temporariamente, só até terminar os outros três livros.

Escrevi os extras como promessa a alguns leitores que requisitaram estes extras, além dos pedidos de cenas mais hots.

Acho interessante mostrar os outros casais e suas interações, esperam que tenham gostado dos extras!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...