História Beautiful Liar - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Taehyung (V), Park Jimin (Jimin)
Tags Abo, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, Mpreg, Romance, Yaoi
Visualizações 1.489
Palavras 2.048
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, meus amores ♥
Acabei o capítulo agora mesmo e corri pra postar, porque já me demorei demais kkkk
Espero que vocês gostem ♥

Boa leitura, não me matem, amem a Gabriela (quem é do grupo vai entender) e é isso ♥

Capítulo 15 - Caos e Calmaria


 

A cintura de Jimin já devia estar com a marca das mãos de Jungkook pela forma que o moreno lhe segurava. Não era com força nem nada, mas ele simplesmente parecia não conseguir soltar Jimin. O loiro sorria a cada poucos segundos, recebendo ainda mais beijos do lúpus.

– O jantar está pronto, Jungkook. – A voz da mãe do alfa ecoou do outro lado do quarto, fazendo o moreno bufar e revirar os olhos.

A verdade é que queria muito ficar agarradinho no ômega por mais um tempo, aproveitando enquanto estavam sem intrigas um com o outro, apenas curtindo o momento sem importarem-se com nada mais.

– Nós já vamos. – Informou o moreno, logo voltando a mirar Jimin. – Você se sentirá confortável se eu contar a eles?

– Confortável não é bem a palavra, mas tudo bem. Teremos que contar uma hora ou outra. – Sorriu minimamente, deixando mais uma vez uma carícia nos cabelos morenos, o roubando outro beijo. – Mas vamos logo, ou ficarei aqui o resto da noite.

Jungkook apenas acariciou mais a cintura do menor, o beijando de novo e de novo, rindo com ele por conta de não conseguirem se desgrudar. Foram vários minutos entre beijos, sorrisos e carícias antes de conseguirem se soltar, arrumando as roupas um pouco amassadas e também os cabelos bagunçados.

Saíram do quarto lado a lado e foram na direção da sala de jantar. O coração de Jimin estava acelerado, mas não tanto quanto estava o do alfa. Aquele lúpus temia poucas coisas no mundo e sua família definitivamente era uma delas. Sua mãe, principalmente.

Sentaram-se à mesa após Jungkook apresentar Jimin aos pais e ao primo. Ficaram um ao lado do outro, as mãos entrelaçadas sob a mesa como se servisse de proteção para ambos. Era como se nada de ruim pudesse lhes acontecer enquanto estivessem com as mãos grudadinhas daquele jeito.

– Jimin, certo? – Jeon Sohye questionou ao ômega, o fazendo assentir. – Ah, sim, o amiguinho de Taehyung.

Jimin apenas forçou um sorriso, apertando mais a mão de Jungkook, tentando pedir mais do calor do alfa para acalmá-lo, recebendo em resposta uma carícia em sua mão.

– Eu esperava mais de você, primo. – Jimin não recordava o nome do primo de Jungkook e nem se importava em saber. Apenas queria sair correndo dali, em um lugar onde pudesse ficar a sós com Jungkook. Era nítido o quanto o moreno se segurava para não ser rude com ninguém ali. – Mas você pegou aquele que todos já tiveram em sua cama.

Era mentira, e como era!

– Que eu saiba, não o dei permissão para dar opinião sobre a vida de Jimin. – Jungkook olhou firmemente para o primo, mesmo sabendo que ele era um dos ômegas mais sensíveis que conhecia. – Principalmente se for para falar mentiras.

– E o cheiro forte dele é o quê? – Sr. Jeon se manifestou, levando Jungkook a suspirar. – Sinto três cheiros diferentes nele.

Jimin sabia bem... o pai de Jungkook deveria sentir o cheiro de morango característico de Jimin, o cheirinho leve de chocolate de seu bebê – segundo o olfato de Jungkook, ao menos – e também o cheiro de Jungkook, este que já havia quase se impregnado em si.

– Tem se deitado com dois ao mesmo tempo? – Sohye pronunciou, e foi então que Jungkook perdeu o controle.

Jimin levantou junto com o Jeon, segurando sua mão com força e o encarando, querendo que ele retribuísse o olhar. Mas ele não retribuiu, ele estava irritado, era mais do que visível.

– Respeito. – Sibilou o moreno, encarando sua família. – É só isso que eu exijo.

– Por que deveríamos respeitar um ômega desses? Por que trouxe um qualquer para dentro de casa? – Sohye falou com o tom alto, Jimin sentiu seus olhos marejarem por conta daquelas palavras.

Jungkook virou para o menor e o viu com os olhos cheios de lágrimas, voltou assim a segurar a mão menor, respirando fundo.

– Sim, é possível de sentir três cheiros nele. – Jungkook soltou, encarando Jimin por mais alguns instantes antes de virar-se aos outros presentes na sala de jantar. – Seu cheiro de morango, junto com o meu cheiro... e o outro... é do nosso filho.

O silêncio foi quase ensurdecedor, parecia muito mais barulhento do que quando estavam conversando sem parar. As lágrimas corriam pelo rosto de Jimin, que estava verdadeiramente magoado com o que ouvira. Mirou Jungkook, em busca de seus olhos que poderiam tranquilizá-lo, encontrando tristeza nestes também.

– Tá tudo bem. – Apenas moveu os lábios para o moreno, que negou com a cabeça. – Jungkook. – Sussurrou o chamado, sabendo que ele estava o ouvindo mesmo sem manter o olhar no seu mais. – Fica calmo.

– Isso é decepcionante. – O primo de Jungkook sussurrou. – Você é a desonra da família Jeon.

– Meus pais ao menos sabem que você engravidou e que perdeu o seu bebê de tanta coisa errada que fez para provocar a perda? – Rebateu Jungkook, porque sabia que seu primo não era tão inocente quanto aparentava. – Ou sabem que eu acobertava você para que fosse se encontrar com os inúmeros alfas que você transava com? Ah, isso eles não devem saber.

– Não enfie seu primo no meio de seus erros. – A voz do pai de Jungkook irrompeu o silêncio. – Você é realmente uma desonra. Engravida um qualquer, depois surge aqui com ele como se nada tivesse acontecido. Você nem ao menos o marcou. Deve ter o encontrado em uma festa e passaram uma noite juntos, daí surgiu essa coisinha aí dentro.

– Eu não sou um qualquer! – Jimin se alterou após tanto se segurar, se metendo antes que Jungkook explodisse de vez. – Eu sou o ômega do seu filho!

– Nós não admitimos isso em nossa família. Filhotes são apenas após o casamento. – Sohye relembrou, fazendo com que Jungkook soltasse uma risada debochada em resposta. – Me decepcionei de verdade com você, Jungkook.

– Isso é ridículo...

– Fora da minha casa! – Sr. Jeon deu a palavra final, e Jimin sabia que não havia sido para ele.

Jungkook havia sido expulso. Por culpa sua.

– Eu vou. Não se preocupem. – Jungkook os direcionou um sorriso forçado, entrelaçando mais uma vez a mão na de Jimin e o puxando para fora daquela sala, indo na direção de seu quarto.

Jimin o abraçou assim que já estava dentro do quarto do Jeon. O moreno parecia minúsculo naquele momento, estava abatido, chateado, verdadeiramente triste. Não tinha nenhuma palavra que Jimin dissesse que pudesse fazer algo de bom pelo maior, então optou por apenas abraçá-lo e acariciar seus cabelos.

Quando Jungkook o encarou Jimin apenas acabou com o espaço entre ambos, beijando de forma calma e muito doce.

Mas então precisou se afastar do alfa, cobrindo sua boca. Não deu tempo de Jungkook perguntar o que havia acontecido, porque Jimin já havia se enfiado no banheiro. O moreno foi atrás, percebendo que o menor não estava se sentindo bem, possivelmente mais um de seus vários enjoos.

Acariciou as costas do loiro, cuidando dele, ajudando-o até a escovar os dentes após colocar todo o jantar para fora. Pegou o ômega no colo e o levou de volta ao quarto, deitando-se em sua cama com ele ao seu lado, permaneceu acariciando os cabelos do loiro, lhe direcionando um pequeno, mas significativo, sorriso.

– Eu não queria que você precisasse ver isso. – Envergonhou-se o Park, aceitando de bom grado aquela carícia deliciosa em seus cabelos.

– Queria que eu fosse o tipo de alfa que te engravida e depois não liga para sua saúde ou seus sentimentos? – Jungkook riu sem vontade. – Esse não seria eu, Minnie. Eu vou cuidar de você o tempo todo. Mesmo que agora eu não tenha para onde ir... prefiro ficar até na rua do que conviver com pessoas do século passado como eles.

– Isso não é verdade! Tenho certeza de que Taehyung te aceitaria na casa dele. – Jimin argumentou, aproximando-se devagar do alfa para ficar grudado a ele. – Ou, tenho uma ideia melhor, você pode ir para a minha casa.

– Mas...

– Apenas aceite, tudo bem? – Pediu o Park. – Vai fazer bem ao nosso bebê.

Sorriu sapeca, sabendo que Jungkook entenderia que estava apenas dando uma desculpa mais que esfarrapada e que o verdadeiro motivo de o querer em sua casa nada tinha relacionado ao filho de ambos – talvez apenas uma pequena porcentagem até tivesse a ver, mas era bem pequena.

– Meu alfa escolheu o ômega certo. – Afirmou Jungkook, beijando Jimin uma vez mais. – Nesse caso, fique deitado aí enquanto arrumo minhas coisas.

Afastou-se com muito custo após Jimin assentir.

Talvez o caos tivesse vindo apenas para as coisas melhorarem, de alguma forma.

~#~

A mãe de Jimin recebeu Jungkook literalmente de braços abertos, afirmando que ter o alfa ali dentro não seria nenhum problema. O moreno contou a ela o que tinha acontecido e ela sorriu orgulhosa por conta de o Jeon ter defendido Jimin e também seus próprios princípios, mesmo que precisasse ultrapassar os ideais de seus pais para isso.

E Jimin também sorriu, porque ele também estava orgulhoso do alfa, e porque estava contente por ter ele ao seu lado o tempo inteiro dali em diante. Seria bom! Seria a oportunidade perfeita de eles se aproximarem mais ainda, de talvez começarem um relacionamento de verdade.

Após desejarem boa noite para a Park mais velha se direcionaram para o quarto de Jimin.

– Eu preciso de um banho e então vamos dormir, você precisa descansar. – Jungkook afirmou com a cabeça. – Você... quer ir para o banho comigo? Assim poupamos tempo.

– Você continua sendo meu mentiroso favorito. – Jungkook riu, largando as duas malas que carregara consigo e ficando grudado ao menor mais uma vez. Estava gostando daquela noite, afinal pudera ficar grudado em Jimin por mais tempo do que esperava. – Meu lindo mentiroso.

Jimin sorriu daquela forma doce que simplesmente desmontava Jungkook e o deu um selinho, puxando-o para dentro do banheiro em seguida. Certo que estava um pouco tímido por ficar sem roupa na frente do moreno, mas aquele bebê dentro de si definitivamente não havia sido feito enquanto usavam roupas, então... vergonha para quê, não é?

Tiraram as roupas sem pressa, colocando-se dentro do box e debaixo do chuveiro aos beijos, as mãos de Jungkook ainda na cintura de Jimin – apenas desceria mais com a permissão do Park, o respeitava e só faria o que ele pedisse.

– Eu sei que você disse apenas para me ajudar lá em casa, mas eu fiquei muito feliz quando você disse que é o meu ômega. – Jungkook resolveu expor algo que estava em sua cabeça desde que ouvira o menor proferir tais palavras.

– Não foi apenas para ajudar você. – Declarou Jimin, um pequeno sorriso lhe escapando mesmo que tentasse muito esconder. – Eu já disse, não disse? É o que eu sou, de qualquer forma.

Jungkook não evitou de sorrir largamente, grudando Jimin contra a parede e o beijando com ainda mais vontade, com mais sentimentos, com mais desejo. Tantos sentimentos estavam espalhados dentro de si, parecia impossível controlá-los, seu alfa praticamente implorava para marcar Jimin e ele apenas se concentrava em manter seu controle.

Jimin não facilitava, parecendo provocá-lo a cada puxada em seus cabelos ou mordida em seu lábio inferior.

– Assim é difícil me controlar, bebê. – Sussurrou com a boca praticamente grudada na de Jimin.

– Pensei já ter deixado óbvio que você não precisa mais se controlar. – Afirmou o que para si já era óbvio, puxando o lábio inferior de Jungkook antes de chupar o mesmo lentamente, ainda que nervoso por acabar irritando o Jeon ao invés de provocá-lo. – Não precisa temer... não vou mais fugir de você.

Jungkook sorriu, porque seria impossível não o fazer, e subiu as mãos pelo corpo de Jimin, deixando-as fixas em seu rosto, acariciando suas bochechas e o beijando agora de forma romântica, sem qualquer resquício de pressa presente.

– Me torne seu, Kookie. – Jimin pediu, beijando o pescoço do alfa de forma carinhosa.

– Mas... nós já... – Olhou confuso para o ômega, esse que tinha as bochechas coradas. – Você quer... digo...

– Não estou falando apenas referente ao que está pensando, embora meu plano inicial fosse justamente esse. – Riu baixinho, com Jungkook ainda o olhando confuso.

– Eu não entendo.

Jimin inclinou a cabeça para o lado, colocando a mão de Jungkook sobre seu pescoço. Horas atrás ainda se sentia confuso, mas agora tinha toda certeza do mundo do que queria e não se conteria até pedir ao Jeon.

– Falta algo seu aqui no meu pescoço, Jungkook.


Notas Finais


AHH QUE BONITINHO ESSE FINAL ♥ Mas deixou bem claro o que acontece a seguir, MUAHAHA

Perfil no wattpad: https://www.wattpad.com/user/Fabi_Park
Grupo no whatsapp: https://chat.whatsapp.com/BscsqwKTsWb7h3s6hw4wCU
Beijinhos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...