História History - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Ally Brooke, Camila Cabello, Camren G!p, Dinah Jane, Fifth Harmony, Lauren Jauregui, Normani Kordei
Visualizações 335
Palavras 1.734
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, LGBT, Luta, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 13 - O nascimento de Madison


Fanfic / Fanfiction History - Capítulo 13 - O nascimento de Madison

Camila Cabello

Depois da grande notícia que dei a Enzo nós nos amamos a noite toda. Eu não poderia está mas feliz.

Tínhamos resolvido de contar a Matt e como ele havia pedido para ir brincar no Central park com Max, achamos uma ótima idéia.

Matt havia dormido na casa dos pais de Enzo, então fomos buscá-lo lá.

Quando chegamos ao Central Park brincamos um pouco com Max e Matt, o cachorrinho estava fazendo um bem enorme não só a Matt e Enzo como a mim também. Foi uma boa ideia pega-lo para cuidar.

— O que acha de contarmos? — Estavamos andando de mão dadas pelo Park e Matt estava mais na frente com Max ao seu lado.

— Por mim, tudo bem. — Sorriu e beijou minha bochecha. — Filho, vem cá com a mamãe. — Chamei e ele veio correndo até mim.

— Oi mamãe. — Nos abaixamos pra ficar da sua altura.

— Então, filho a mamãe e o papai tem algo pra falar pra você. — Ele entrelaçou nossos dedos e sorriu pra mim.

— Você vai ganhar um irmãozinho. — Ele ficou me olhando, depois sorriu e me abraçou forte.

— Eu vou ganhar um irmãozinho, mamãe? — Assentir. Ele começou a pular e isso chamou a atenção de algumas pessoas. — Eba! Eu vou ganhar um irmãozinho! — Gritou e as pessoas riram. Ele pulou no colo de Enzo. — Papai eu vou ter um irmãozinho.

— Isso meu amor, você vai ter um irmãozinho. Nós vamos cuidar dele e da sua mamãe, certo? — Perguntou enquanto bagunçava seus cabelos.

— Nós vamos cuidar deles.- Com certeza essa foi a família que tanto quis. — Vem mamãe.— Me chamou e nós ficamos abraçados até Max ficar pulando e eu me abaixar pra pega-ló.

— Ei garotão, você quer abraço também? — Ele lambeu minha boca e nós rimos.

— Amor, eu não vou te beijar não.— Fez uma careta e dei um selinho nele. — Credo, Camila!

— Mamãe beijo o Max. — Começou a rir.

Uma mulher que estava passando ficou olhando para Enzo que pegou Max nos braços.

— Perdeu alguma coisa?— A mulher riu com deboche.

— Não querida. Estou apenas admirando o quanto seu acompanhante é bonito. - Vadia.

— Mãe.— Matt me chamou e a mulher arregalou os olhos. — Por que essa moça tá chamando o papai de seu acompanhante? Ele é o seu marido. — O pequeno sorriu de lado igual o pai.

Ai, menino você vai dar muito trabalho quando crescer. 

A mulher arregalou mais ainda os olhos e olhou pra Enzo que estava calado.

— Marido? — Resolvi entrar no joguinho do pequeno.

— Sim, marido. Agora dar o fora daqui, antes que eu faça você sentir o gosto de grama. — Ela praticamente correu dali. Eu e Miguel nos olhamos e começamos a rir.

— Camila...— Ele ia começar a falar, mas resolvi não deixar e fazer uma brincadeirinha.

— Não quero ouvir você falar. Ah, greve de um mês. — Ele arregalou os olhos e eu peguei Matt de seus braços e coloquei no chão. — Vamos, filho.— Quando chegamos mais na frente Começamos a rir e Enzo ainda estava do mesmo jeito no mesmo lugar.— Você não vem? — ele correu até nós com Max e continuamos a caminhar pelo Park.

Dean Geyer

Eu estava organizando o plano pra ter Camila só pra mim. Mas eu ouvir uma conversa dela e uma moça em uma loja de bebê que ela esta grávida.

Eu fiquei com tanto ódio e só de pensar me sobe uma raiva, mas resolvi "entrar em ação" so quando ela tiver o bebê.

Por que? Bom, pelo simples fato dela está grávida, eu quero ela pra mim, mas não quero que algo de mal aconteça com ela ou com esse pivetinho, vou deixar ele nasce pra poder colocar meu plano em ação.

Eu sigo ela pra onde ela for, mas não chego perto porque sempre tem um cara grandão com ela, não é medo so não quero fazer as coisas agora.

Enfim, eu tenho que mim livrar daquela aberração que quer ser homem e ter minha mulher. Eu não vou deixar ele sair ganhando tudo, ele sempre teve tudo e a minha Camila, mas agora vai ser diferente.

Camila será minha, por bem ou por mal.

Camila Cabello

Eu estava organizando alguns papéis quando sentir vontade de comer morango com brigadeiro, então liguei pra minha secretária pedindo pra ela avisar a Dinah que eu precisava dela.

Eu estava com três meses e estava com bastantes desejos estranhos e alguns normais, eu estava morando com Enzo ja que ele falou que não queria que eu ficasse sozinha.

— Walz. Me chamou? — Assentir e ela entrou.

— Sabe, você é minha melhor amiga, melhor você é minha irmã. — Ela me olhou desconfiada.

— Tá, Camila fala o que você quer? — Sorri de lado.

— Estou com desejo. — Ela começou a rir. — O que foi?

— Seu namorado é outro. — Então meus olhos encheram de lágrimas. — Walz...

— Tudo bem. Sai daqui.— Comecei a chorar e Dinah respirou fundo.

— Tudo bem, qual o seu desejo? — Sorri e falei o que queria.

Dinah Jane

Eu sair do escritório pra conseguir o desejo da minha melhor amiga que começou a chorar.

Só não vou capar o Enzo porque quero muitos sobrinhos deles.

Entrei em um supermercado e fui até as frutas, mas meu celular começou a tocar.
Peguei o celular e vi que era Ally.

— Oi Ally.— Corri os olhos pelas frutas e encontrei os morangos.

Dinah, corre pro hospital!— Ouvi um grito.

— O que tá acontecendo? — Corri esbarrando em algumas pessoas que não fiz questão de pedi desculpas.

Normani! Hospital! Enzo! Bebê! — Ela estava ofegante e creio que ela estava dirigindo o tanto de buzina que eu escutava. Corri até meu carro. — Eu tenho uma grávida parindo no meu carro, seu babaca! — Gritou pra alguém.

— Já to chegando.— Desliguei.

Nunca corri tanto com o carro quanto estou correndo agora. Cheguei no hospital e corri até a recepção.

— Em que posso ajudar?

— Minha mulher entrou em trabalho de parto. Preciso...— Enzo apareceu.

— Ela está comigo. Vem. — Me chamou e começamos a corre pelo corredor.— Você vai nessa sala e coloca as coisas que estão lá dentro e pega a máscara que está na caixa, rápido vai.— Ordenou e eu me arrumei correndo e quando eu sair ele me puxou pra dentro de uma sala onde Normani estava se contorcendo de dor.

— Dinah! — Ela gritou e eu corri pra ficar so seu lado.

— Eu to aqui, meu amor.— Ela apertou minha mão e eu jurei que iria quebrar. Um cara se posicionou em frente as pernas de Normani e eu o encarei. — Enzo. — Chamei meu amigo que estava ao meu lado, ele me olhou. — Você pode fazer isso? — Ele olhou para o cara sentado e depois bateu no ombro do homem que levantou e Enzo sentou onde ele estava.

— Tudo bem, está na hora. Normani, eu preciso que você faça força no três.— Ela assentiu. — Ok! Um, dois, três! — Ela fez força. — De novo. Um, dois, três! Agora só mais um pouquinho tá?! — Mani assentiu ofegante e gemendo de dor. — Um, dois, três! — Então, pude ouvir o choro do nosso bebê. — Pronto, meu amor.— Enzo deixar uma lágrima cair sobre a máscara que estava em seu rosto. — Você e sua mamãe estão bem.— Ele estava olhando ela em seus braços. - Vamos ver o rosto se suas mães? — Ele se aproximou e me entregou.

— Amor...— Mani me chamou e eu estava tão vidrada naquela pequena em meus braços que não percebi que estava chorando. Coloquei a pequena em seus braços e ela sorriu.

— Qual o nome que vocês vão dá a ela? — Olhei para Mani e ela sorriu nós duas decidimos colocar o nome que Enzo havia dito no tempo de colegial.

Ele sempre dizia que faria o parto dos filhos de seus amigos e sempre escolheria o nome, meu e da Mani seria Madison caso fosse menina e Noah se fosse menino.

— Madison. — Mani respondeu e Enzo sorriu com os olhos marejados, fui até ele e o abracei.

— Esse nome foi o qual eu disse que seria…— Sorri assentindo para ele.

— Foi o nosso trato, lembra? — Ele assentiu. — Obrigada, irmão.

— Não agradeça por nada, somos família. — Ele chamou uma enfermeira. — Leve a pequena Madison para fazer exames e depois para o berçário, eu levarei a mãe para o quarto. — Ela assentiu e pegou a pequena do colo da Mani e a levou  pra uma sala ao lado.— Vamos lá, mãe do ano.— Riu e foi até mani e me pediu para sair.

Fui até a sala de espera e encontrei Ally e Troy sentados. Quando me viram correram até mim.

— Então, cadê elas? Elas estão bem? O bebê? Cadê ela? Fala, Dinah! — Quando ia responder o celular começou a tocar e vi que era Camila e me bati mentalmente por não tê-la avisado.

— Alô...

Como assim, alô?! Como você me vem com essa de Alô? Eu só queria morango com brigadeiro, qual é?! Por que você só avisou que não iria comprar? Não precisava ter fugido não! — Ela gritava do outro lado.

— Camila, a Mani está no hospital. — Ouvir algo caindo e me preocupei já que ela está grávida. — Camila, tá tudo bem?

Droga! Tá sim, só que... Deixa pra lá. Chego em cinco minutos. — Desligou na minha cara.

— Me lembrem de nunca esquecer de ligar pra uma grávida quando aparecer um imprevisto.— Riram

Depois de cinco minutos Camila apareceu.

— Ei, aqui. — Ela veio rapidamente e me abraçou.

— Elas estão bem? — Levei ela até uma das poltronas que tinha e ela se sentou. — Como elas estão, Dinah?

— Elas estão estão bem.— Seus olhos encheram de lágrimas e eu a bracei. — A Mani e a pequena Madison estão bem.— Ela me olhou com os olhos surpresos e eu sorri.

Depois de algumas horas Enzo apareceu e nos liberou pra visitas, depois de todos irem eu fiquei no quarto com mani.

Enzo mandou trazerem uma cama pra mim dormi e depois de falar que ira levar Camila pra casa, amanhã voltará pra ver se elas estarão bem pra irem embora.

Passei a noite pensando como ter uma família é bom, isso inclui minhas amigas, é bom ter Enzo, o casal Vercy por perto novamente e o pequeno Matt.

É bom está em paz.


Notas Finais


E então o que acharam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...